Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
 Eu
 
 
 
ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL .
www.uniaonet.com/alexandregiovana.htm : Paz do Senhor, Estamos fazendo um levantamento no seminário sobre a Escola Dominical de inúmeras denominações e regiões do mundo, para verificar quais são os desafios da Escola Dominical. Poderia se possível responder as perguntas abaixo ou pelo menos algumas delas.  
Que Deus abençoe e estou muito grata _ Giovana . Moro em São Paulo e estou no último ano de Teologia pelo Seminário Betel Brasileiro (Irmã Durvalina).


1.Caso sua Igreja não tenha implantado Escola Dominical explique o motivo pelo qual não tem.
2.Nome da Igreja e Cidade da Igreja:
3.Nome da pessoa que está respondendo:
4.Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas? 5.Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
6.Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
7.Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
8.Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
9.Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
10.Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
11. O que poderia melhorar na Escola Dominical?

 

I. Introdução
 
 
Quando me deparei com o tema: “Desafios  da Escola Dominical no Século XXI”, fiquem preocupada por onde começar, devido a maneira como temos visto em nossas igrejas o andamento da Escola Dominical, seu declínio e até extinção em algumas igrejas (denominações).
 
Tento passar através desta pesquisa qual tem sido o pensamento de alguns líderes da Igreja Evangélica num breve posicionamento nacional e internacional quanto a Escola Dominical.
 
No Brasil hoje, não se tem mais aquela motivação de sair de casa no Domingo para ir a aula de Escola Dominical, pelo contrário é bem melhor ficar dormindo nos dias de frio e ir para praia ou passear nos dias de calor; isto acontece devido a falta de motivação que temos, que os alunos tem, as aulas são chatas, cansativas, e vazias. Não há nada que nos atraí. Muitas vezes vamos a Escola Dominical somente para agradar o pastor, ou fazer um social com os irmãos. É apenas um ponto de encontro para conversar e colocar os assuntos em dia. Onde estão os temas do nosso dia-a-dia, onde está aquela palavra que nos faz ficar sentados alegres, onde está aquele professor que ama dar aulas e que se prepara para isto? Ah não, definitivamente está em extinção, os professores de Escola Dominical, não são treinados, nem selecionados, não há reciclagem e estão na maioria das vezes lá somente para preencher lugar. As exceções são pouquíssimas. Por isto vemos um grande declínio na Escola Dominical do Brasil.
 
Fora do Brasil o grande problema é espaço, as igrejas são na verdade salões alugados em horário limitado, pois os templos antigos (históricos),  hoje se tornaram academias, lanchonetes, cinema, barzinho e até mesmo Sex shop. As igrejas que estão aptas a ensinar tem um grande problema com a participação dos membros. Ou são igrejas muito pequenas ou igrejas gigantescas que foge das mãos da liderança isto. Igrejas brasileiras fora do país, sofrem com o problema de os membros estarem tão envolvidos com trabalho secular que não tem tempo, somente uma vez por semana no culto de Domingo a noite, quando há uma folga no trabalho da semana.
 
Enfim o problema é geral, terá a Escola Dominical falido?
 
I. DEFINIÇÕES E BREVE HISTÓRICO
 
I. O QUE É A ESCOLA DOMINICAL
 
O termo "Escola Dominical" foi primeiramente usado pelo jornalista evangélico Robert Raikes, na Inglaterra, a partir de 1780, quando começou a oferecer instrução rudimentar para crianças pobres em seu único dia livre da semana: domingo, pela manhã e à tarde, pois a maioria mesmo tendo pouca idade já trabalhava durante a semana. A Escola Dominical nasceu para servir como o ensino público gratuito, orientado pelos princípios da educação-cristã, vindo posteriormente o governo britânico e de outros países a oferecer o sistema de educação pública e a se responsabilizar oficialmente por ele. O movimento iniciado por Raikes é considerado o precursor desse sistema.
A Escola Dominical deveria ser o departamento mais importante da igreja, porque evangeliza enquanto ensina, cumprindo assim, as duas principais demandas da Grande Comissão, que nos entregou o Senhor Jesus em Mateus 28.19-20. A Escola Dominical e também um ministério interpessoal, cujo objetivo básico e alcançar, através da Palavra de Deus, as crianças, os adolescentes, os jovens, os adultos, a família, a igreja e toda a comunidade. Por conseguinte, e a Escola Dominical a única agencia de educação popular de que dispõe a igreja, a fim de divulgar, de maneira devocional, sistemática e pedagógica, a Palavra de Deus.
"A Escola Dominical, devidamente funcionando, é o povo do Senhor, no dia do Senhor, estudando a Palavra do Senhor, na casa do Senhor" – Pr. Antônio Gilberto.
 
II. OS OBJETIVOS DA ESCOLA DOMINICAL
 
Quatro são os objetivos primaciais da Escola Dominical: ganhar almas, educar o ser humano na Palavra de Deus, desenvolver o caráter cristão e treinar obreiros. Alcançados estes objetivos, teremos entre a Escola Dominical e a Igreja uma perfeita integração, que levara ao imediato e seguro crescimento bíblico desta.
1. Ganhar almas.
Ganhar almas significa convencer o pecador impenitente, através do Evangelho de Cristo, quanto a premente necessidade de arrepender-se de seus pecados, e aceitar o Filho de Deus como o seu Único e Suficiente Salvador. Evangelizar, ou ganhar almas, e o principal objetivo da Escola Dominical. Pois antes de ser a principal agencia educadora da Igreja, e a E.D. uma agencia evangelizadora e evangelística. Evangelizadora: proclama o Evangelho de Cristo enquanto ensina. Evangelística: prepara obreiros para a sublime missão de ganhar almas. Dessa forma, cumpre a Escola Dominical a principal reivindicação da Grande Comissão que nos deixou o Senhor Jesus (Mt 28.18-20). A E.D. que não evangeliza não é digna de ostentar tão significativo titulo.
2. Educar o ser humano na Palavra de Deus.
Em linhas gerais, educar significa desenvolver a capacidade física, intelectual, moral e espiritual do ser humano, tendo em vista o seu pleno desenvolvimento. No âmbito da Escola Dominical, educar implica em formar o caráter humano, consoante as demandas da Bíblia Sagrada, a fim de que ele (o ser humano) seja um perfeito reflexo dos atributos morais e comunicáveis do Criador. As Sagradas Escrituras tem como um de seus mais sublimados objetivos justamente a educação do homem. Prestemos atenção a estas palavras de Paulo: "Toda a Escritura e divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra" (2 Tm 3.16, I 7). 0 Dr. Clay Risley achava-se bem ciente quanto a essa missão da Escola Dominical: "Um jovem educado na Escola Dominical raramente e levado as barras dos tribunais" .
3. Desenvolver o caráter cristão.
Também é missão da Escola Dominical a formação de homens, mulheres e crianças piedosos. Escrevendo a Timóteo, o apostolo Paulo e irreplicável: "Exercita-te a ti mesmo na piedade" (1 Tm 4.7). A piedade não se adquire de forma instantânea. Advém-nos ela de exercícios e praticas espirituais que nos levam a alcançar a estatura de perfeitos varões. lembro-me, aqui, das apropriadíssimas palavras de Alan Redpath: "A conversão de uma alma c o milagre de um momento; a formação de um santo e a tarefa de uma vida inteira" . Só nos resta afirmar ser a Escola Dominical uma oficina de santos. Ela ensina a estes como se adestrarem na piedade ate que venham a ficar, em todas as coisas, semelhantes ao Senhor Jesus. Assim era Sadu Sundar Singh – o homem que se parecia com o Salvador. 0 que dizer de Thomas à Kempis? Em sua Imitação de Cristo, exorta-nos a celebrar diariamente a piedade a fim de que alcancemos o ideal do Novo Testamento: a parecença do homem com o seu Criador. No cumprimento desse ideal tão sublime, como prescindir da Escola Dominical!
            4. Treinar obreiros.
Embora não seja um seminário nem possua uma impressionante grade curricular, e a Escola Dominical uma eficientíssima oficina de obreiros. De suas classes e que saem os diáconos, as presbíteros, os evangelistas, os pastores, os missionários e teólogos. A pesquisa efetuada pelo Dr. C. H. Benson referenda o que esta sendo dito: "Um calculo muito modesto assinala que_ 75% dos membros de todas as denominações, 85% dos obreiros e 95% dos pastores e missionários foram, em qualquer tempo, alunos da Escola Bíblica Dominical" . Como discordar de Benson? Se hoje escrevo este livro e porque, quando ainda tenro, meus pais preocuparam-se em levar-me a este bendito educandário. Recordo-me das recomendações que o saudoso pastor José Gomes Moreno fazia aos nossos pais: "Não traga seus filhos a Escola Dominical. Venha com eles". Dos obreiros, professores e doutores na Palavra que hoje conheço, todos tiveram uma herança espiritual comum: a Escola Dominical, cuja historia, como veremos a seguir, remonta aos tempos bíblicos. E, desde o inicio, conforme iremos constatar, a Escola Dominical sempre esteve comprometida com o crescimento da igreja, pois a esta achava-se sempre integrada.
 
III. NO MINISTÉRIO DE JESUS E NA IGREJA PRIMITIVA
           
1. No período do ministério terreno do Senhor Jesus.
Foi o Senhor Jesus, durante o seu ministério terreno, o Mestre por excelência. Ele era a própria sabedoria; nEle, residem todos os tesouros do conhecimento, da sabedoria e da ciência (Cl 2.3). Era o Senhor admirado por todos; a todos ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas e fariseus (Mt 7.29). Em pelo menos 60 ocasiões, e o Senhor 3esus chamado de Mestre nos evangelhos. Pode haver maior distinção que essa. Isto, porem, era insuportável aos doutores da Lei, escribas e rabinos por não terem condição de competir com o Filho de Deus. Jesus não se limitava a ensinar nas sinagogas. Ei-lo nas casas, nas mais esquecidas aldeias, a beira mar, num monte e ate mesmo no Santo Templo. Ele não perdia tempo; sempre encontrava ocasião e oportunidade para espalhar as boas novas do Reino de Deus. Ele curava os enfermos e realizava sinais e maravilhas. Mas, por maiores que fossem suas obras, jamais comprometia o ministério de ensino. Antes de ascender aos céus, onde se acha a destra de Deus a interceder por todos nos, deixou com os ap6stolos estas instruções mais que explicitas: "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espirito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, ate a consumação dos séculos" (Mt 28.19.20).
2. Na Igreja Primitiva.
Do que Lucas registrou em Atos dos Apóstolos, e fácil concluir: os discípulos seguiram rigorosamente as ordens do Senhor Jesus Cristo. Começaram a ensinar em Jerusalém, doutrinaram toda a Judéia, evangelizaram Samaria, percorreram as regiões vizinhas a Terra Santa. E, em menos de 30 anos, ei-los a falar do Senhor Jesus Cristo na capital do Império Romano "sem impedimento algum" (At 28.31). Se a Igreja cresceu, cresceu ensinando a Palavra de Deus a toda a criatura; se expandiu, expandiu-se evangelizando e discipulando. Sem o magistério do Evangelho, inexistiria a Igreja de Cristo.
 
IV. A FUNDAÇÃO DA ESCOLA DOMINICAL
 
A Escola Dominical nasceu da visão de um homem que, compadecido pelas crianças de sua cidade, quis dar um novo sentido a sua madrasta existência. Como ficar insensível ante a situação daqueles meninos e meninas que, sem rumo, perambulavam pelas ruas de Gloucester? Nesta cidade, localizada no Sul da Inglaterra, a delinqüência infantil era um problema que parecia insolúvel. Aqueles menores roubavam, viciavam-se e eram viciados; achavam-se sempre envolvidos nos piores delitos. Foi nesse momento tão difícil que o jornalista episcopal Robert Raikes entrou em ação. Tinha ele 44 anos quando saiu pelas ruas a convidar os pequenos delinqüentes a que se reunissem todos os domingos para aprender a Palavra de Deus. Juntamente com o ensino religioso, ministrava-lhes Raikes varias matérias seculares: matemática, historia e a língua materna – o inglês. Não demorou muito, e a escola de Raikes já era bem popular. Mas a oposição não tardou a chegar. Muitos eram os que o acusam de estar quebrantando o domingo. Onde já se viu comprometer o dia do Senhor com esses moleques? Será que o Sr. Raikes não sabe que o domingo existe para ser consagrado a Deus? Robert Raikes sabia-o muito bem. Ele também sabia que Deus e adorado através de nosso trabalho amoroso e incondicional De igual forma, sabia ele perfeitamente que a Escola Dominical podia integrar-se ao grande projeto da Igreja, levando esta a experimentar um crescimento ainda maior. Embora haja começado a trabalhar em 1780, foi somente em 1783, após três anos de oração, observações e experimentos, que Robert Raikes resolveu divulgar os resultados de sua obra pioneira. No dia três de novembro de 1783, Raikes publicar, em seu jornal, o que Deus operara e continuava a operar na vida daqueles meninos de Gloucester. Eis porque a data foi escolhida como o dia da fundação da Escola Dominical. Mui apropriadamente, escreve o pastor Antônio Gilberto: "Mal sabia Raikes que estava lançando os fundamentos de uma obra espiritual que atravessaria os séculos e abarcaria o globo, chegando ate nos, a ponto de ter hoje dezenas de milhões de alunos e professores, sendo a maior e mais poderosa agencia de ensino da Palavra de Deus de que a Igreja dispõe". Alem de Robert Raikes, muitos foram os evangelistas que se preocuparam com o ensino sistemático da Palavra de Deus as crianças. Eis o que declarou o príncipe dos pregadores, Charles Spurgeon: "Uma criança de cinco anos, se ensinada adequadamente, pode crer para a salvação tanto quanto um adulto. Estou convencido de que os convertidos de nossa igreja que se decidiram quando crianças são os melhores crentes. 1ulgo que são mais numerosos e genuínos do que qualquer outro grupo, são mais constantes, e, ao longo da vida, os mais firmes" . Assim expressou-se Moody: "Há muita desconfiança na igreja de hoje quanto a conversão de crianças. Poucos crêem que elas podem ser salvas; mas, louvado seja o Senhor, esta mentalidade já esta modificando – uma luz começa a brilhar" .
Expressando o mesmo sentimento que levou Robert Raikes a fundar a Escola Dominical, pondera o pastor Artur A. M. Gonçalves, reitor da Faculdade Teológica Batista de São Paulo: "As maiores vítimas dos males da nossa sociedade estão sendo as crianças. E é das crianças que vem os mais angustiantes apelos. Para construirmos um mundo melhor, concentremos nossos esforços nas crianças. Para expandirmos o Reino de Deus, demos prioridade a evangelização das crianças".
 
V. A FUNDAÇÃO DA ESCOLA DOMINICAL NO BRASIL
 
A Escola Dominical no Brasil teve como nascedouro a cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro. A data jamais será esquecida: 19 de agosto de 1855. Nesse dia, os missionários escoceses Robert e Sara Kalley ministraram a primeira Escola Dominical em terras brasileiras. Sua audiência não era grande; somente cinco crianças assistiram aquela aula. Mas foi suficiente para que o seu trabalho florescesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso pais. Hoje, no local onde funcionou a primeira Escola Dominical do Brasil, acha-se instalado um colégio. Os diretores deste fazem questão de conservar o memorial que registra este tão singular momento do ensino da Palavra de Deus em nossa terra.
Houve, sim, reuniões de Escola Dominical antes de 1855,no Rio de Janeiro, porém, em caráter interno e no idioma inglês, entre os membros da comunidade americana. Hoje, no local onde funcionou a primeira Escola Dominical do Brasil, acha-se instalado um colégio. Mas ainda é possível ver o memorial que registra este tão singular momento do ensino da Palavra de Deus em nossa terra.
 
VI. CRONOLOGIA DA ESCOLA DOMINICAL
 
 
ANO
ACONTECIMENTO
1736
14/09 - Nasce Robert Raikes, na Inglaterra.
1780
Robert Rikes, jornalista evangélico (episcopal), com 44 anos, realiza em Gloucester, Inglaterra, as primeiras aulas aos domingos pela manhã para crianças sobre leitura, escrita, aritmética, instrução moral e cívica e conhecimentos religiosos, dando início à Escola Dominical, não exatamente no modelo que temos hoje, mas como escola de instrução popular gratuita, o que veio a ser a precursora do moderno sistema de ensino público. As primeiras professoras foram assalariadas por Raikes.
1783
03/11 - Dia Natalício da Escola Dominical, pois Raikes, após três anos de experiência com 7 Escolas Dominicais em casas particulares e com 30 alunos em cada uma delas, alcança êxito em seu trabalho com a transformação na vida de duas crianças.
A Escola Dominical passou das casas particulares para os templos, os quais passaram a encher-se de crianças.
1784
Quatro anos após a fundação, a Escola Dominical já contava com 250 mil alunos matriculados.
1785
Raikes Organiza a primeira União de Escolas Dominicais, em Gloucester, com ajuda de William Fox.
Surgem as primeiras Bíblias, Testamentos e Livros para serem usados especialmente nas Escolas Dominicais. Raikes publica o Sunday School Companion, que era um simples livro de leitura de versículos bíblicos.
É iniciado o movimento de Escolas Dominicais nos Estados Unidos da América, na Casa de William Elliott, inspirado nos exemplos britânicos.
1790
É fundada a primeira União de Escolas Dominicais dos EUA, em Philadelphia, para prover salas de aulas e professores para as escolas. Em Charleston, EUA, a Conferência Metodista reconhece oficialmente as suas Escolas Dominicais.
1797
Somente na Inglaterra chega a mil o número de Escolas Dominicais.
1800
Surgem fortes ataques contra a Escola Dominical. Raikes ‚ acusado de "profanador do Dia do Senhor", pelo fato de fazer funcionar a Escola aos domingos... Tal acusação partiu dos religiosos da época. No Parlamento chegou a ser apresentado um decreto para proibir Escolas Dominicais em toda a Inglaterra. Tal decreto jamais foi aprovado.
1810
O movimento já contava com mais de três mil Escolas Dominicais e com aproximadamente 275 mil alunos matriculados.
1811
Começa a separação de classes para que adultos analfabetos, assim como as crianças, também pudessem aprender a ler a Bíblia. O movimento chega a 400 mil alunos matriculados só na Inglaterra.
5/04 - Morre Robert Raikes, aos 76 anos de idade, tendo a Escola Dominical se espalhado por toda a Inglaterra e em outras partes do mundo.
1820
Começam os primeiros passos para congregar as Uniões locais de Escolas Dominicais numa central - União Americana de Escolas Dominicais.
1824
25/05 - A União Americana de Escolas Dominicais, em Filadelfia, EUA, torna-se a representante nacional de 723 Escolas afiliadas e 50 mil alunos.
1831
As Escolas Dominicais chegam a 1.250.000 alunos matriculados, cerca de 25% da população da Inglaterra na época.
1832
03/10 - Realizada a Primeira Convenção Nacional da União Americana de Escolas Dominicais, em New York.
1836
O Rev. Justin Spauding, da Igreja Metodista, organiza no Rio de Janeiro, entre estrangeiros, uma congregação com cerca de 40 pessoas e em junho abre uma Escola Dominical com 30 alunos, dos quais alguns eram brasileiros, ensinados na sua própria língua.
1855
19/08 - Robert Kalley e sua esposa Da. Sarah Poulton, casal de missionários escoceses, realizam a primeira aula de Escola Dominical para cinco crianças, em sua residência na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro, o que resultaria na fundação da Igreja Evangélica Fluminense, embrião da Igreja Congregacional.
1920
Começa a circular como suplemento do Jornal Boa Somente em Belém, PA, os Estudos Dominicais, o embrião da atual revista Lições Bíblicas, para Jovens e Adultos.
1930
Lançada a revista Lições Bíblicas para adultos, inicialmente comentada pelos missionários suecos Samuel Nyström e Nils Kastberg.
1932
25 a 31/7 Realizada a XI Convenção Mundial de Escolas Dominicais, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro
1943
Lançada a primeira revista para crianças na Escola Dominical das Assembléias de Deus, escrita pelas professoras Nair Soares e Cacilda de Brito.
1955
19/8 - Completados 100 anos de fundação das Escolas Dominicais no Brasil.
 
1980
Comemorados os 200 anos de fundação da Escola Dominical no mundo pela Associação lnternacional de Educação Cristã (ICEA).
O número de alunos em todo o mundo‚ é estimado em 120 milhões, com cerca de 2 milhões de Escolas Dominicais (não nos moldes do modelo britânico de Raikes) e 8 milhões de professores.
1996
5 a 07/06 - Realizado o I Encontro Nacional de Superioridades de Escola Dominical, no Hotel Glória, Rio de Janeiro, RJ.
1999
12 a 15/11 - Realizada a Conferência Nacional de Escolas Dominicais, no Centro de Convenções da Universidade Federal de Pernambuco, Recife.
2000
24 a 27/05 - Realizado o segundo CAPED fora do Brasil: Nova Iorque, EUA.
Lançado o CEI em vídeo com 4 fitas.
Lançada a Cartilha Escola Dominical Revistas e Currículos, para pastores, superintendentes, coordenadores de departamentos e professores.
 
 
III. Entrevistas / Posicionamentos
 
 
A pergunta foi lançada, encontrei alguns irmãos e pastores que tiveram a disposição de posicionar-se quanto a Escola Dominical.
Estaremos listando as perguntas que lhe foram feitas e suas respectivas respostas. E estarei listando alguns pontos interessantes que pude encontrar que nos ajudariam a listas alguns desafios da Escola Dominical no Século XXI, bem como colocando meu posicionamento diante das respostas na conclusão após serem apresentados os problemas e soluções.
 
 
1º Voluntário:
 
Nome: Marcos Tragueta                               
Igreja: Assembléia de Deus
Localidade: São Paulo / SP / Brasil
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Usando a Bíblia para discutir assuntos atuais e importantes não só no  aspecto espiritual como também material.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Desvencilhar o povo da agitação frenética que a sociedade exige e motivá-lo ao estudo.
 
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: Além dos problemas externos como a ocupação extra-igreja, os muitos eventos/órgãos/ensaios que a própria igreja tem ou promove. Por exemplo: O jovem que trabalha e estuda, às vezes também tem ocupação secular aos sábados (inglês, informática, etc) além de ensaios, visitas, etc, tirá-lo da cama no domingo p/ escola dom. É difícil.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Um terço da igreja comparece.
 
5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: O benefício nem sempre é visto de imediato, mas a longo prazo é  inegável a importância de se ter pessoas instruídas com o "abc" bíblico.
 
6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Deveria haver incentivo para os professores, que deveriam ser pró-ativos e dedicados ao trabalho. Hoje tem muito professor fazendo tanta coisa na igreja, que acaba não dedicando o seu tempo para o ensino na escola dominical.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: (não houve resposta)
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Em linhas gerais, a Escola Bíblica Dominical tem de ser dinâmica, tem de investir no ensino, tal e qual a uma escola secular, os professores têm de se preparar cada vez mais, deve haver reciclagem, e o material a ser estudado também pode sofrer atualizações no sentido de renovação e não inovação, ou seja, a base bíblica e a doutrina devem ser intocáveis.
 
2º Voluntário:
 
Nome: Pastor Calixto
Igreja: Kearny Baptist Church
Localidade: Kearny / New Jersey / USA (EUA)

1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Enfatizando cada vez mais a importância do estudo da Bíblia, para o povo.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Nos falta espaço físico (mais salas).  E mais vontade do povo em aprender da Palavra.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: Material didático e pessoas capacitadas na Ministração.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: 60%.
5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Conhecimento maior da Palavra.
 
6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Descoberta dos dons espirituais, especialmente o do ENSINO. E apenas pessoas com esse dom, ministrarem.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Um programa "meio rotineiro" aos domingos pela manhã.
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Professores capacitados e apaixonados pelo que fazem e Criatividade ao mostrar a importância da EBD.
 
 
3º Voluntário:
 
Nome: Pastor Ademir Simões
Igreja: 1ª Igreja Batista Brasileira de Austin
Localidade: Austin / Texas / USA (EUA)

1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: A Escola Bíblica Dominical é o meio mais eficaz de aprendizado da Palavra de Deus. É bem verdade que modelos ultrapassados, como muitas Igrejas Batistas usam não funcionam mais, mas também acabar com a escola aos domingos é um perigo que a Igreja está correndo de poucas pessoas matriculadas na escola. É necessário modernizar os métodos e o curriculam para cada região.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: O nosso maior desafio são as pessoas entenderem que a ESCOLA BÍBLICA é uma ESCOLA, com curriculum, com matrícula, com testes e que você precisa participar para ser aprovado.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: O professor errado. “PESSOAS CERTAS, NOS LUGARES CERTOS POR RAZÕES CERTAS" esta é a nossa tônica.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Hoje, com o dinamismo que temos dado é quase que 100% em todos os níveis.
 
5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Em primeiro lugar o crescimento no conhecimento da palavra de Deus a partir do nosso curriculam transformando crentes imaturos em crentes maduros na palavra.
 
 
6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Reciclagem! Humildade! Disposição! E principalmente um Curriculum Inovador.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Crescimento e Aprendizado!!! Além de discipulado!
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: O compromisso de cada um com a igreja e com a escola bíblica  dominical.

 
4º Voluntário:
 
Nome: Yrorrito (Não falo em nome da Igreja, apenas é o meu modo de ver)          
Igreja: Igreja Cristã Evangélica União
Localidade: Goiânia / GO / Brasil
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Temos de adequarmos a linguagem que o sistema impôs no mundo, competir com TV à Cabo, Internet, multimídia, com apenas uma lição na mão , tem se mostrado muito difícil , é mister igrejas e professores modernizarem as classes de EBD.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Fazer com que mais pessoas freqüentem, hoje temos menos de 40% dos membros matriculados.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: O mesmo que outros departamentos, ministérios e ações da igreja, falta de compromisso e conversão genuína.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Menos de 60% dos matriculados.
BOLETIM ICEUNIÃO 04/03/01 - NR.25/01

Escola Bíblica Dominical dia 4/03: 32% dos 180 membros da igreja, assistiram nossa Escola. E para segundo bimestre matriculamos 2/3 dos mesmos, mais um total de 36 Crianças. Registramos que neste ano ainda não conseguimos separar a classe de adoles centes e o Pr.Hudson ficou de verificar junto à outras igrejas se tem revistas sobrando para distribuirmos a quem pediu.

 
5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Os que freqüentam conseguem suportar melhor as artimanhas do inimigo para esfriar os corações.

6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Temos de adequarmos a linguagem que o sistema impôs no mundo, competir com TV à Cabo, Internet, multimídia, com apenas uma lição na mão , tem se mostrado muito difícil , é mister igrejas e professores modernizarem as classes de EBD.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: "uma reunião que se eu for tá bom , se não for tudo bem , ninguém me cobra mesmo..."
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Temos de adequarmos a linguagem que o sistema impôs no mundo, competir com TV à Cabo, Internet, multimídia, com apenas uma lição na mão , tem se mostrado muito difícil , é mister igrejas e professores modernizarem as classes de EBD.
 
5º Voluntário:
 
Nome: Renata Sarmento
Igreja: Igreja O Brasil para Cristo
Localidade: Varginha / MG / Brasil
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Ensinando à cada membro a importância de se conhecer a bíblia para se alcançar a plenitude da vida cristã.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Fazer com que os membros da igreja compreendam a necessidade de se conhecer e estudar a bíblia.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: A falta de capacitação dos professores;
                     A falta de interesse dos membros da igreja em se dar mais ao conhecimento do evangelho, em mergulhar mais profundamente no conhecimento da vontade de Deus, talvez por medo de ter que abrir mão de uma vida de erros encobertos pela ignorância.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Mais ou menos 40%.

5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Os estudos da Escola Dominical tem aberto os nossos olhos para verdades bíblicas que geram vidas realmente transformadas pela Palavra de Deus.
6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Capacitação dos professores de acordo com a realidade da cada igreja local. Sensibilidade para se tratar de assuntos atuais e necessários para a vida da igreja de acordo com o momento em que ela vive atualmente. Cartilhas distribuídas em massa nem sempre vão de encontro ao grupo da igreja que se quer atingir.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Estudo da Palavra de Deus.
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Trazer mais dinamismo às aulas, evitando cair na rotina. Assuntos mais interessantes tratados com o cuidado de não se repetir a mesma matéria várias vezes.
 
 
6º Voluntário:
 
Nome: Paulo Victor Miyamoto
Igreja: Igreja Cristã do Morumbi
Localidade: São Paulo / SP/ Brasil
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Na minha opinião, precisamos continuar sempre com o mesmo foco: transmitir o amor de Cristo no ato de ensinar.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Para nós, o principal objetivo é levar as crianças a um encontro e a um relacionamento direto com Cristo. Assim, temos o desafio de transmitir os ensinamentos do Senhor para tornar os alunos servos de Jesus por iniciativa própria, de maneira independente dos pais e outros familiares.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: Glória a Deus, nossa congregação tem passado por crescimento cada vez mais rápido e, portanto, a necessidade de professores é cada vez maior, de forma que muitos, assim como eu, particularmente, tenham pouca experiência nesse ministério. Além disso, há ainda famílias que não freqüentam os cultos com regularidade, o que dificulta o acompanhamento de algumas crianças.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Quase todos os filhos dos membros participam com regularidade da Escola Dominical que, na nossa comunidade, é dirigida a crianças e adolescentes, no horário do culto.

5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Nossa igreja é razoavelmente nova (pouco mais de 10 anos), mas já podemos verificar resultados muito bons da Escola Dominical. Alguns jovens que "cresceram" na Igreja, freqüentando as aulas, se tornaram verdadeiros servos do Senhor. Além disso, muitas crianças já demonstram um compromisso firme com Deus e poucos jovens têm se desviado do Caminho, embora isso, infelizmente, já tenha acontecido algumas vezes.

6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Como muitos professores são inexperientes, seria interessante preparar treinamentos e seminários de orientação, principalmente para aqueles que nunca trabalharam com ensino. Além disso, creio que uma idéia interessante seria promover reuniões para os professores conhecerem melhor os pais dos alunos. Outra idéia, seria preparar eventos e passeios fora da igreja, para aproximar todos aqueles que participam da Escola Dominical.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Na nossa igreja, a Escola Dominical representa as aulas direcionadas às crianças e adolescentes no horário do culto.
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: O preparo dos professores que, como já falamos, muitas vezes não têm experiência na área.
 
 
7º Voluntário:
 
Nome: José Roberto Salim
Igreja: Igreja Cristã da Flórida
Localidade: São Paulo / SP/ Brasil
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Temos que ter FÉ e crer na palavra.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: O maior desafio são os padrões e valores que o mundo nos oferece.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: A falta de perseverança por parte dos membros.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: 40 à 50%.

5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Cristãos mais esclarecidos.

6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Serem simples e passarem o que é a Bíbila e o que Ela ensina, sem entrar em assuntos polêmicos, que devem ser descutidos apenas em um seminário.
 
 
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Curso de obreiros, uma aula por semana, de 3 (tres) horas, durante dois anos. ( visão geral do AT e do NT e assuntos relevantes, como quebra de maldições e guerra espiritual)
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Na Igreja onde eu congrego, acho que está tudo certo.
 
 
8º Voluntário:
 
Nome: Max
Igreja: Igreja Batista da Lagoinha
Localidade: Belo Horizonte / MG / Brasil
 
Nossa igreja não adota o sistema de estudos bíblicos em Escola Dominical. Somos aproximadamente 30.000 membros e esse sistema é inviável neste caso. O estudo da Bíblia ocorre nas células, que são grupos pequenos realizados nas casas dos membros.
 
 
9º Voluntário:
 
Nome: Lydia de Paula Miranda
Igreja: Igreja O Brasil para Cristo
Localidade: Varginha / MG / Brasil
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Atualizando os assuntos de acordo com as idades.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Professores mal preparados são problemas para as escolas dominicais, não despertando interesse nas pessoas em participar. Mudou-se um professor da escola e a freqüência aumentou muito.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: Professores mal preparados são problemas para as escolas dominicais, não despertando interesse nas pessoas em participar. Mudou-se um professor da escola e a freqüência aumentou muito, e também, no caso de adultos o horário do término, que para muitas senhoras prejudica o andamento da casa (muitas não tem seus maridos na igreja com elas).
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Agora tem melhorado muito.

5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: A diferença na vida dos que participam é notória.
 
 
6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Cursos de bons professores, métodos novos ou estratégias que prendam a atenção e interesse.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Aprendizado, crescimento, amadurecimento, conhecimento.
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Aulas mais dinâmicas, principalmente para adolescente e jovens, que não se prendem por qualquer coisa. Talvez debates seria interessantes a inclusão.
 
10º Voluntário:
 
Nome: Pedro Dutra
Igreja: Igreja do Evangelho Quadrangular
Localidade: Varginha / MG / Brasil
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Expondo os temas de conhecimento básico cristão, sem deixar de visualizar as questões de maior atrito à atual cultura vivida, sendo estas enfocas de uma maneira bem prática, pois é o que os cristãos atuais precisam para conviver com o mundo, de maneira sábia e harmoniosa com a nossa realidade.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Motivar os membros a se interessarem ao ensino bíblico e do aprendizado, principalmente aqueles que de certa forma se "acomodaram" com o ensino secular, e até também como cristãos, o que impede desses crescerem e um dia virem a ser líderes.
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: O maior problema enfrentado em escola dominical (na minha opinião) e como o os professores misturam o ensino bíblico com sermões, ao invés de se aprofundarem no conhecimento e transmiti-lo aos alunos, talvez por falta de preparo prévio para a aula, começam a pregar, de maneira que desvirtua a aula e a torna em culto.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Grande parte tem participado, muitos não assíduos.

5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Crescimento em conhecimento e auxilio ao amadurecimento cristão.

6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Desenvolver um método que inove e facilite o aprendizado cristão, bem prático, tendo em vista que parte dos cristãos não tem facilidade com ensino estilo "quadro negro".
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Oportunidade de aprender a bíblia.
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Ter mais pessoas que se aprofundem no ensino bíblico e se dediquem a ensinar com amor e disponibilidade.
 
 
11º Voluntário:
 
 
Nome: Pastor Marcos Nascimento
Igreja: Church of Faith (Igreja da Fé)
Localidade: New York / NY / USA
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: A Escola Dominical sempre foi importante na vida da Igreja e sempre será, independente de qualquer que seja a situação do mundo. O que importa é continuarmos fazendo a Obra de DEUS, debaixo da direção do ESPIRITO SANTO (João 14:26; 16:13-15). A SEARA é do SENHOR.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
Resposta: Conscientizar os que ainda não participam o quão importante é conhecermos mais e mais o nosso DEUS ( Apocalipse 1:3)
 
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: Por enquanto, o problema que a nossa Igreja atravessa é ainda não termos o templo próprio, mas em nome de JESUS, já cremos nesta grande vitória, dentro em breve.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: A maior parte freqüenta.

5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: O Crescimento Espiritual e vidas sendo usadas para a Glória de DEUS.

6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Eu penso que em tudo que intencionarmos fazer para DEUS, devemos fazer com muita dedicação e amor e muita consagração de nossas vidas, e assim veremos os feixes da alegria como nos confirma a Palavra de DEUS em Josué 3:5 e o Salmo 126.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: O melhor sinônimo para Escola Bíblica se encontra na Palavra de DEUS no livro de Atos 8:27-38 onde encontramos uma verdadeira classe bíblica. Que nos mostra o aluno, o etíope evangelizado e batizado pelo professor Felipe.
 
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Fazer como nos ensinou o SENHOR JESUS: Rogai ao PAI, para que envie trabalhadores para a sua Seara como Felipe, pois a Seara é Grande mais os trabalhadores são poucos ( Mateus 9:37-38).
 
 
12º Voluntário:
 
 
Nome: Camilo Silva Coelho
Igreja e Localidade: Não posso falar em nome de nenhuma igreja, pois não sou membro de nenhuma, embora colabore como pregador e por vezes moderador de Escola Dominical, onde tenham paciência para me aceitar. Prefiro o termo “moderador” de escola dominical, em vez de “professor” e já vão ver porquê. Sou um velho de 70 anos, já sou crente há 50 anos e tenho freqüentado diversas igrejas protestantes desde as mais tradicionais às mais carismáticas, quer na Europa, quer na África de língua portuguesa, quer no Brasil ou no oriente. Estive da última vez no Brasil no ano 2000, em Moçambique pela última vez em 2002 e este ano estive na Índia pela quarta vez. A minha resposta não se refere a nenhuma igreja em particular, mas é fruto do que tenho observado em vários locais e culturas.
 
1) Diante da sociedade pós-moderna que vivemos hoje, como podemos seguir com a Escola Dominical em nossas Igrejas?
Resposta: Vivemos na época da informação em que o ser humano se sente isolado e “afogado” no meio de tanta informação, algumas vezes falsa, outras tendenciosa, sem possibilidade de reagir ou fazer ouvir a sua voz. É o que acontece os canais de TV, com os jornais, ou com a maior parte das igrejas em que o vulgar crente é simples receptor de informação, sem a mínima possibilidade de expor a sua opinião. Compete a uma verdadeira escola dominical a grande responsabilidade de ser uma das raras oportunidades que o crente tem de dialogar, mas infelizmente até essa oportunidade de reflexão está a ser substituída pela vulgar mentalização doutrinária com lições, muitas vezes com base em traduções sem a necessária transculturação, que nada dizem à realidade que se vive no momento e sem o mínimo respeito pelas várias culturas.
A solução para o problema está em revitalizar a meditação e investigação bíblica e em voltar ao antigo método que Jesus ensinou, pois Ele, sempre que o número de assistentes o permitia, dialogava com os seus ouvintes, fazia perguntas para despertar o interesse e Ele próprio respondia e utilizava parábolas sempre bem integradas na cultura da assistência. Aos homens do campo, contava parábolas relacionadas com os trabalhos da agricultura e aos pescadores as parábolas já eram relacionadas com a pesca. Os nossos pregadores e professores de escola dominical, por vezes apresentam exemplos passados na América ou na Inglaterra, que foram buscar aos livros de ilustrações, mas Cristo nunca apresentou nenhuma parábola passada em Roma ou no Egipto ou na Babilónia. Eram sempre casos da vida real dos seus ouvintes.
Há que ter a coragem de substituir os assuntos tradicionais, geralmente apresentados nas escola dominicais e tantas vezes repetidos, por assuntos dos nossos dias, que tenham alguma coisa a ver com a nossa realidade. Há que ter a coragem de confiar na orientação do Espírito Santo nos nossos dias através dos participantes duma verdadeira escola dominical, sem que o “professor” tente controlar e orientar o debate no sentido de se chegar à “conclusão que vem na revista”. Penso que não faz sentido meditar em determinado assunto se o professor “já sabe” qual a conclusão, que é sempre a que vem na revista, seja o que for que se disser na reunião.
 
2) Quais são os desafios encontrados em sua Igreja para Escola Dominical?
E
3) Quais problemas mais tem afetado o andamento da Escola Dominical?
Resposta: Optei por juntar estas duas perguntas. Penso que esse assunto depende muito da tradição da igreja e em parte do nível cultural dos crentes. Se uma igreja “nasce” com base na emoção sem investigação bíblica, será muito mais difícil organizar uma boa escola dominical em que haja reflexão e debate de idéias e muitas vezes, aquilo a que se chama de escola dominical, será apenas mais uma pregação em que ninguém pede a palavra e ninguém apresenta outra idéia diferente da que é transmitida pelo professor com base na revista de escola dominical.
Tenho reparado que no Brasil dão muito mais ênfase à parte devocional e não vi muita tradição de escola dominical. Isso afeta o tipo de crentes que temos. Reparei, por exemplo, que na Igreja Batista de Pombal (Centro de Portugal), há vários crentes brasileiros que se juntaram a essa igreja. Para cantar, são os melhores a ponto do Pastor dessa Igreja várias vezes lhes pedir para dirigir a abertura dos cultos, mas nunca os vi emitir uma opinião numa escola dominical, julgo que por falta de tradição em intervir no debate teológico.
 
4) Como é a presença dos membros da Igreja na Escola Dominical?
Resposta: Tenho encontrado de tudo, nas igrejas que freqüento.

5) Que benefício a Escola Dominical tem trazido para sua Igreja?
Resposta: Infelizmente, nalguns casos não se nota qualquer benefício quando aquilo a que se chama de escola dominical, não passa dum “parente pobre” do culto de louvor ou dum simples passatempo “enquanto o culto não começa”.  Mas, quando a escola dominical é bem organizada, há entusiasmo e nota-se nitidamente na preparação doutrinária e poder de argumentação dos seus alunos.

6) Que tipo de idéias poderiam revolucionar ou melhorar o desempenho dos professores de Escola Dominical?
Resposta: Certamente que a preparação dos professores é muito importante, mas não podemos culpar simplesmente os professores pelo fracasso que muitas vezes se nota nas escolas dominicais. É difícil dar uma resposta que englobe todo o tipo de escolas dominicais, mas sugeria as seguintes medidas:
a)     Substituir os professores por moderadores de escola dominical, que se preocupassem mais em fazer perguntas, levantar questões do que em fazer afirmações.
b)     Dar toda a ênfase às intervenções dos alunos de escola dominical. Costumo avaliar o nível duma escola dominical, pelo número de intervenções dos alunos. Se só o professor é que fala, então a escola dominical é um fracasso, pois um dos seus principais objetivos é treinar os alunos a refletir e falar (sem papaguear o que lhes ensinaram), apresentando os seus próprios pensamentos e defendê-los com base nos evangelhos.
c)      Não podemos confundir investigação bíblica com mentalização doutrinária. Assim, uma boa revista de escola dominical deve limitar-se a levantar questões e fazer perguntas sem dar respostas. Não compete à revista, dar respostas, pois as respostas devem ser procuradas somente nas Escrituras.
 
7) Descreva o que significa (ou qual o sinônimo) de Escola Dominical em sua Igreja?
Resposta: Embora a nossa tradição utilize o termo “escola dominical”, o correto seria “escola bíblica dominical”, pois o importante é ser uma escola bíblica. Penso que o adjetivo “dominical”, é perfeitamente secundário. Os mesmos resultados seriam conseguidos num culto de estudo bíblico participativo, tipo “mesa redonda”, em que o professor fosse substituído pelo moderador que se limitasse a apresentar os assunto e desse a palavra a um de cada vez, para que houvesse ordem e disciplina nas intervenções.
 
8) O que fazer para melhorar a Escola Dominical?
Resposta: Mesma resposta da pergunta 6.
 
(perguntas e respostas acrescentadas pelo entrevistado)
9) Oque é Escola Dominical?
Resposta: Decidi acrescentar esta pergunta que me parece da máxima importância, para que esta expressão “escola dominical” tenha o mesmo significado para todos. Refiro-me à escola dominical participativa, tipo “mesa redonda”, para adultos ou jovens, que geralmente têm maior preparação cultural que os adultos.
Escola Dominical não é prioritariamente um culto de pregação, nem é prioritariamente culto devocional, mas é um “espaço” de reflexão e investigação do pensamento do Mestre, em que os evangelhos sejam o centro do debate teológico em que vários participantes se possam expressar livremente num ambiente de verdadeira liberdade de expressão que muitas vezes está faltando nas nossas igrejas.
 
Observações: Tenho freqüentado igrejas em que a Escola Dominical é o culto principal, como por exemplo a Igreja Batista da Maceira no centro de Portugal, que durante a época do verão deixa de ter culto de pregação, mas a Escola Dominical sempre funciona, por ser o culto de maior assistência, e tenho freqüentado igrejas em que a Escola Dominical é só para crianças e jovens.
 
  
IV. PROBLEMAS APRESENTADOS:
            Segue abaixo a lista com os problema apresentados:
 
·      Usando a Palavra de Deus de maneira inadequada e/ou limitada;
·      Desatualização (modelo ultrapassado);
·      Agitação dos alunos devido a sociedade (ninguém tem tempo para nada);
·      Excesso de jornada de trabalho secular;
·      Excesso de atividades na Igreja (ensaios, reuniões, etc);
·      Desmotivação (devido a rotina e monotonia, falta de interesse, cristãos acomodados);
·      Falta de compromisso e até de conversão genuína dos membros;
·      Falta de espaço físico (salas pequenas e desconfortáveis, ou falta de sala para dividir os alunos por faixa etária);
·      Algumas igrejas a Escola Dominical é limitada a crianças, adolescentes;
·      Falta de disponibilidade;
·      Em algumas igrejas horário de término (devido ser Domingo pela manhã, atrapalha a esposa de fazer almoço, etc);
·      Professores acomodados em seus “limitados” materiais de ensino, falta de preparo das aulas, falta de busca pelo conhecimento (professores sem capacitação);
·      Falta de material didático (livros, revistas, apostilas, etc, materiais para incrementar as aulas);
·      Repetição do mesmo assunto;
·      Mistura de Ensino Bíblico com Sermões;
·      Em muitos casos não respeitam as culturas;
·      Mentalização doutrinária com lições que nada dizem a realidade que se vive no momento;
·      Falta de assunto adequado para determinadas faixas etárias (porém, ninguém apresenta novas idéias para o professor);
·      Dão muito mais ênfase a parte devocional (falta da tradição e ortodoxia);
·      Professores por ocasião (por indicação, ou melhor para preencher vaga, pois não tem mostrado Dom de ensino);
·      Extinção de debates teológicos;
·      Respostas prontas e não um pensamento a ser discutido;
·      As aulas tem se transformado em cultos de pregação;
·      Professores inexperientes e sem treinamento;
·      Falta compromisso e essência do verdadeiro significado da Escola Dominical.
 
 
  
V. SOLUÇÕES APRESENTADAS:
 
 
·   Atualizar-se, renovar, inovar, criatividade (não deixando de lado a Palavra de Deus, mas incluir assuntos relacionados a rotina diária de cada um, problemas na sociedade, etc), pois a revistinha em nossos dias atuais não tem bastado;
·   Desenvolver assuntos espirituais, sociais e materiais (gerar nos membros a importância de estudar a Palavra de Deus);
·   Reciclagem, incentivo e preparação para os professores (mudança dos mesmos se necessário, professores que causem revolução);
·   Aplicar aulas mais dinâmicas, principalmente para jovens e adolescentes;
·   Enfatizar aos alunos a importância do aprendizado da Palavra de Deus, trazendo se possível convidados, teólogos, efetuando debates que causem polêmica mais ao mesmo tempo despertem no aluno a vontade de entender sua base de fé doutrinária;
·   Divisão melhor do Corpo (Igreja) cada membro em seu devido lugar, cada pessoa descobrindo e desenvolvendo seu próprio ministério, Dom, sem interferir ou atrapalhar o desenvolvimento do outro (Mudar o professor sim quando necessário, isto aumentou o número de freqüentadores em um dos casos);
·   Caso seja necessário a liderança deve pensar em alterar o horário da Escola Dominical, para que haja maior freqüência entre os alunos, mais se possível não eliminá-la, pois, como vimos a Escola Dominical deve ser um local de formação de discípulos;
·   Reuniões para os professores conhecerem os pais dos alunos (no caso de crianças e adolescentes);
·   Professores e a própria Igreja verem a Escola Dominical com mais seriedade;
·   Cursos de Obreiros (como um seminário interno na Igreja) para aperfeiçoamento dos professores também;
·   Nas grandes igrejas não temos visto quase a Escola Dominical, uma saída talvez seria trabalhar com células (ou cultos nos lares), porém isto impede de que seja dividido em faixa etária para crianças, e assim por diante, na verdade na maioria das grandes igrejas  não há Escola Dominical;
·   Auxílio ao amadurecimento cristão (acompanhando não só como um grupo a sala, mais cada aluno como único);
·   Desenvolver métodos que facilitem o aprendizado cristão dentro de cada cultura de uma estratégia diferente, isto também verificando as faixas etárias;
·   Usar mais a Palavra de Deus da maneira adequada, lembrando-se também de como os estudos bíblicos eram aplicados (participação mestre aluno);
·   DIALOGAR, a realidade que se vive no momento, substituindo então os assuntos tradicionais por assuntos que tenham a ver com a realidade de cada grupo (dentro do contexto de vida de cada um, seguindo assim ao exemplo de Cristo);
·   Transformar os professores em moderadores (levantar questões, os alunos precisam saber no que crêem e para isto precisar perguntar, questionar e pesquisar para definir sua base de fé);
·   Treinar os alunos a refletir, debater e refutar sua crença dentro da Palavra de Deus;
·   Integração entre a Escola Dominical e a Igreja para que isto venha produzir: ensino com relevância a Palavra de Deus (ensino do Evangelho Pleno e propagação do desígnio de Deus (At. 20.27); evangelismo (Mt. 28.18,19); enriquecimento espiritual (At. 1.8); torna-nos mais piedosos (2 Tm. 3.16,17); e produzirá alunos que glorifiquem o nome do Senhor.
 
VI. CONCLUSÃO
  
Diante das respostas um dos maiores problemas citados é a questão do TEMPO, as pessoas estão envolvidas com muitas atividades fora e dentro da igreja, não sobra tempo para participar, envolver-se com a Escola Dominical. Na maioria dos casos, pouco mais da metade da igreja freqüenta a escola dominical, e muitas vezes somente para ser sociável. O envolvimento dos membros e o espaço físico (salas disponíveis para divisão de classes) também foram citados com empecilhos. A Escola Dominical tornou-se um programa rotineiro, monótono e social. O que vemos hoje é na verdade pessoas se convertendo e não tem sido plantado nestas pessoas o desejo em estudar e conhecer a Palavra de Deus, vemos crentes vazios e que não definem nem o que crêem. A escola dominical não tem sido tratada como escola, e sim como um lugar qualquer, o que leva a falta de respeito, de reverencia e interesse. A Escola Dominical tornou-se algo ultrapassado, cansativo, desatualizado e despreparado para os alunos. Um ponto em que achei muito interessante, no caso de assuntos que sejam concernentes a faixa etária da classe, o que temos na verdade observado em nossas igrejas é: assuntos fora do contexto diário dos alunos, assuntos para adultos sendo aplicados para adolescentes e assim por diante. O horário do termino da Escola Dominical também no caso é um problema para as mulheres que não tem seus maridos na igreja, pois é dia de descanso para os mesmos e elas chegam tarde para fazer almoço ainda, poderia alterar o horário, ou começar mais cedo então. Um outro grande problemas em nossas Escolas Dominicais é a questão da insistência no erro, um professor não deu certo, não desenvolveu bem, não houve crescimento qualitativo, então cremos que está na hora de alterar o professor, pois o mesmo pode estar ocupando o lugar do professor certo.
Porém podemos encontrar algumas soluções, como embutir nas aulas de Escola Dominical assuntos atuais, informações que fazem parte da rotina diária de cada aluno, não deixando de lado o aspecto espiritual. Que os professores sejam professores de alma também, motivando o aluno com temas interessantes, motivando ao estudo da Palavra de Deus, um professor de Escola Dominical tem muito trabalho pela frente se quiser ser um professor por excelência, mais infelizmente na prática ele se envolve com tantos outros trabalhos da igreja que não tem tempo para dedicar-se verdadeiramente ao ensino.  
A Escola Dominical deveria ser uma escola de formação de pessoas aptas a discutirem assuntos concernentes a Palavra de Deus, que tenham segurança no que vão dizer a respeito do que crêem, os professores tem grande parte no caminho em que a Escola Dominical vai seguir, devendo preparar-se mais, envolver-se mais, estudar o material e incrementá-lo, inovar, deve ser reciclado e por fim o professor deve amar o que faz, levando o aluno a participar, a se interessar, a amar seja qual for o assunto estudado na Escola Dominical. Um dos maiores desafios seria criar nestas pessoas a necessidade do estudo da Bíblia para uma vida cristã saudável. Precisamos criar pessoas com um conhecimento melhor da Palavra de Deus. A Escola Dominical é nada mais que o meio mais eficaz de aprendizado da Palavra de Deus, na verdade na prática com o passar dos anos em muitas regiões isto não é realidade, mais deveria ser, pois esta é a essência da Escola Dominical, lugar onde se aprende a Palavra genuína. A Escola Dominical é algo que se faz em conjunto, professor, aluno, diretoria, etc.
Professores capacitados que disponham do material didático necessário, que a Igreja tenha a oportunidade de distribuir tarefas certas, e que cada um encontre seu lugar no Corpo, que pessoas com Dom de Ensino estejam envolvidas com a Escola Dominical, e que os levitas, entre outros estejam envolvidos com seus afazeres. O que vemos hoje é pessoas tomando os lugares de outros.
Como sempre é citado para se melhorar o rendimento, a qualidade e a quantidade da nossa Escola Dominical é necessário preparo para os professores, pois quando os alunos percebem que os mesmos não estão se preparando, os alunos perdem totalmente o interesse. Amadurecimento! Poderiam ser incluídos debates, em especial para os jovens e adolescentes que na verdade são os que mais sofrem com uma Escola Dominical má organizada, ou despreparada, pois eles não tem paciência para ficar parados ouvido um assunto que não os interessa, não brincam como as crianças para poder esperar (com o tempo sendo preenchido por lápis de cor), pelo contrário eles tem muitos questionamentos que deveriam ser explorados pelos professores, com palestras, aulas de perguntas e respostas (secretas se possível, com o auxílio de papel), creio que vocês iriam surpreender-se com as perguntas! Uma sugestão muito inteligente seria montar a mesa redonda mesmo, porque fazer aulas de escola dominical no modelo tradicional secular, não as aulas deveriam ser feitas em círculo, onde todos tem a oportunidade de se expressar, respeitando o limite de cada aluno, um diálogo justo entre professor aluno, uma conversa franca em que o professor não tem medo das perguntas, em que o professor não tem medo de reconhecer que não tem todas as respostas, em que eles juntos fabriquem segundo a bíblia respostas juntos.
Uma escola dominical bem estruturada traz crescimento e conhecimento da Palavra para Igreja. É como o pé de feijão que nasce feijão, não tem como não funcionar, uma escola dentro dos padrões formará alunos dentro dos padrões, de imaturos à maduros. A disposição de cada professor é um ponto indispensável, professores que inovem ganharão espaço com os alunos e serão amados por eles, serão mestres e seus alunos discípulos. Chegaremos um dia ao ponto de dizer isto?
Este trabalho me levou a refletir sobre como temos levando a obra do Senhor, como temos assumido compromisso de ensinar a Palavra de Deus e temos a feito relaxadamente, como nós mesmos líderes não queremos mais ir aos domingos nas Escola Dominical, nem nós mesmos temos esta motivação. Porém existem pessoas escolhidas por Deus para serem professores, pessoas que possuem este Dom, devemos então investir nelas proporcionando um preparo, materiais necessários a elas.
Neste trabalho pude notar como a Escola Dominical deveria ser, quais os problemas que tem levado a extinção dela e algumas sugestões de como melhorar o desempenho dos professores e da Igreja quanto à Escola Dominical.
Devemos investir; investir não só financeiramente em materiais, mas, investir em tempo, preparo, reciclagem, investir amor neste trabalho que faz discípulos. A Escola Dominical é uma escola que gera pessoas capacitadas, pessoas que são “espelho” dos seus professores.
Se sua Escola Dominical tem sido chata, monótona, que nem você agüenta com certeza o que percebemos é que ninguém terá motivação alguma para participar, mas, se você preparar uma aula dinâmica, atual e bíblica com certeza os alunos não só participarão mais farão a propaganda para você.
Algo que me chama a atenção é pensar que a escola dominical, um instrumento que tem tudo para dar certo está afundando em suas revistas, despreparo entre outros problemas, mais o que mais me chama a atenção é a questão de como tem sido vistos estes alunos, como um grupo que não tem nada o que fazer? Como um grupo que não precisa questionar? Como um grupo que tem que ficar quieto e ouvir o que a revistinha tem a lhe ensinar? Como um grupo que não tem opiniões, que não sabe questionar, que não tem própria defesa de fé? Como este grupo vai viver como a Palavra ensina? Como este grupo vai evangelizar? Como este grupo vai poder ter uma definição do que é salvação, vinda de Cristo, Arrebatamento, Tribulação, Milênio, Descida do Espírito Santo, Batismo com Espírito Santo, Dons, Fruto do Espírito, Pecado, entre outros pontos básicos que devemos ter definidos em nossa crença? Será que somente darmos as respostas tem sido suficientes? Eu sou prova disto, apartir do momento em que tive certeza do que creio, em que várias bases que eu havia “aprendido” se desmoronaram frente a várias teorias e correntes cristãs, eu nunca mais pensei em largar este Deus, nunca mais pensei em deixar de estudar sua Palavra, pelo contrário isto me motivou de tal maneira que não quero deixar de aprender, quero saber o que creio, porque creio e defender isto usando a Palavra de Deus. É necessário criar nos alunos este “espírito investigativo” (que? Onde? Porque? Quem? Como? Será? Mas e se...?) isto o leva a se definir não só como cristão, mas dentro do Corpo. Isto o leva a transformação.
Enfim, a Escola Dominical não é uma instituição falida, ainda há igrejas, pessoas que querem lutar por isto, ainda há pessoa que crêem que a Escola Dominical, independente do horário mudado, do modelo de ensino atualizado, é uma arma (ferramenta) nas mãos da Igreja e é necessário uma união entre elas.
 REFERENCIAS:
http://www.escoladominical.com.br
http://www.ebdweb.com.br
http://www.alfabetizacaopelabiblia.com.br
 
 
Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
 Eu