Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
Eu
 
 
 
Lição 10 - Mordomia
 A Mordomia do Dízimo
 
Questionário
 
    Creio que tudo o que possuímos é de DEUS, nós não pagamos a DEUS nada e nem ofertamos nada quando entregamos o dízimo para ELE, apenas estamos separando uma parte do que já é DELE e entregamos para a Igreja continuar a obra de DEUS na terra e crescer. Quem está afirmando que o dízimo é da lei, saiba que não é verdade, pois Abraão pagava dízimos e ele é nosso pai, na fé, portanto o dízimo é daqueles que têem fé; JESUS é sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque e não a de Arão e quando lhe entregamos nossa vida entregamos também nossas posses. Nada do que possuo é meu e sim de DEUS, inclusive minha vida que foi comprada com preço de sangue inocente.
 
Texto Áureo:
“Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos” (Ml 3.10).
Ml 3.8-16
3.8 ROUBARÁ O HOMEM A DEUS? Os israelitas roubavam a Deus ao deixarem de lhe trazer os dízimos (a décima parte do que ganhavam). O dízimo era exigido pela Lei de Moisés (Lv 27.30).
(1) Por isto, Deus ameaça com maldições os que, egoisticamente, recusam-se a contribuir (vv. 8,9), e promete abençoar os que sustentam a sua obra (vv. 10-12).
(2) Os crentes do NT têm a obrigação de contribuir com os seus dízimos para manter a obra do Senhor tanto local quanto no campo missionário (ver 2 Co 8.2).
3.10 DERRAMAR SOBRE VÓS UMA BÊNÇÃO. Se o povo se arrependesse e se voltasse ao Senhor, e como sinal de seu arrependimento, passasse a sustentar a obra de Deus e os seus ministros com os dízimos e ofertas, o Senhor o abençoaria de forma abundante. Deus espera que demonstremos amor e devoção a Ele e à sua obra por meio dos dízimos e ofertas para que o seu reino seja promovido (ver o estudo DÍZIMOS E OFERTAS). As bênçãos que acompanham a fidelidade na contribuição financeira virão tanto nesta vida como na do porvir.
3.14 INÚTIL É SERVIR A DEUS. Os judeus acreditavam que a adoração externa seria suficiente para se merecer a bênção de Deus, mas estavam enganados. Por isso, alegavam que não valia a pena servi-lo. Eles não conseguiam perceber que o seu coração não era reto diante do Senhor.
3.16 AQUELES QUE TEMEM AO SENHOR. Contrastando com a maioria, ainda havia uns poucos que honravam a Deus.
(1) O Senhor, então, promete que conservará no céu um registro permanente dos que o honram e o temem através de uma vida fiel diante dEle. Esta passagem assegura-nos que Deus observa e anota nossa fidelidade e o amor que lhe dedicamos. Quando comparecermos diante de sua presença, Ele há de se lembrar de nossa leal dedicação, e nos tratará como seus filhos.
 
Verdade Prática:
O dízimo é uma prática bíblica pela qual um cristão fiel, reconhecido e dedicado, põe à parte, para a causa do Senhor, pelo menos dez por cento de sua renda.

Leitura Diária:
Segunda Sl 24.1,5 Reconhecimento da majestade de Deus e sua bênção
 1 Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam. 2 Porque ele a fundou sobre os mares e a firmou sobre os rios. 3 Quem subirá ao monte do SENHOR ou quem estará no seu lugar santo? 4 Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.
5 Este receberá a bênção do SENHOR e a justiça do Deus da sua salvação.
24.4 LIMPO DE MÃOS E PURO DE CORAÇÃO. Davi ressalta que aqueles que pretendem adorar a Deus, servi-lo e receber sua bênção devem procurar ter um coração puro e uma vida reta. Mãos limpas são mãos isentas de atos pecaminosos externos (ver Is 1.15; 33.15; 1 Tm 2.8). Puro de coração é uma referência à santidade interior, motivos e objetivos puros. Somente os limpos de coração verão a Deus (Mt 5.8).
24.5 ESTE RECEBERÁ A BÊNÇÃO. Os que receberão a bênção do SENHOR são os que o buscam (v. 6) com mãos limpas e coração puro (v. 4). Devemos pensar nisso todas as vezes que oramos a Deus, que o adoramos na sua casa, ou buscamos a sua benção na Ceia do Senhor (cf. 1 Co 11.23-27; 2 Co 6.14-18; Hb 12.14).

Terça Hb 7.2-4 O exemplo de Abraão no dízimo
2 a quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça e  depois também rei de Salém, que é rei de paz; 3 sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas, sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre. 4 Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos.
7.1 MELQUISEDEQUE. Melquisedeque, contemporâneo de Abraão, foi rei de Salém e sacerdote de Deus (Gn 14.18). Abraão lhe pagou dízimos e foi por ele abençoado (vv. 2-7). Aqui, a Bíblia o tem como uma prefiguração de Jesus Cristo, que é tanto sacerdote como rei (v. 3). O sacerdócio de Cristo é "segundo a ordem de Melquisedeque" (6.20), o que significa que Cristo é anterior a Abraão, a Levi e aos sacerdotes levíticos e maior que todos eles.
7.3 SEM PAI, SEM MÃE. Isso não significa que Melquisedeque, literalmente, não tivesse pais nem parentes, nem que era anjo. Significa tão-somente que as Escrituras não registram a sua genealogia e que nada diz a respeito do seu começo e fim. Por isso, serve como tipo do Cristo eterno, cujo sacerdócio nunca terminará (vv. 24,25).


Quarta Dt 12.6,11 O povo de Deus e o dízimo e as ofertas
6 E ali trareis os vossos holocaustos, e os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos, e a oferta alçada da  vossa mão, e os vossos votos, e as vossas ofertas voluntárias, e os primogênitos das vossas vacas e das vossas ovelhas. 7 E ali comereis perante o SENHOR, vosso Deus, e vos alegrareis em tudo em que poreis a vossa mão, vós e as vossas casas, no que te abençoar o SENHOR, vosso Deus. 8 Não fareis conforme tudo o que hoje fazemos aqui, cada qual tudo o que bem parece aos seus olhos, 9 porque até agora não entrastes no descanso e na herança que vos dá o SENHOR, vosso Deus. 10 Mas passareis o Jordão e habitareis na terra que vos fará herdar o SENHOR, vosso Deus; e vos dará repouso de todos os vossos inimigos em redor, e morareis seguros. 11 Então, haverá um lugar que escolherá o SENHOR, vosso Deus, para ali fazer habitar o seu nome; ali trareis tudo o que vos ordeno: os vossos holocaustos, e os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos, e a oferta alçada da vossa mão, e toda escolha dos vossos votos que votardes ao SENHOR.
12.5 O LUGAR QUE O SENHOR... DEUS ESCOLHER. Os israelitas deviam adorar a Deus, não somente nos seus lares, mas também no lugar específico, escolhido pelo próprio Deus  (posteriormente, o templo de Jerusalém). O crente hoje, também precisa de um lugar em comum, onde possa reunir-se com os demais crentes para adorar a Deus e buscá-lo com fé. Deve ser um lugar onde Deus põe "o seu nome" (v. 5); um lugar onde realmente se crê na sua Palavra, onde seu Espírito está presente e a santidade de vida caracteriza o seu povo (cf. 1 Co 1.2).


Quinta Dt 26.12,16 O dízimo entregue com amor
12 Quando acabares de dizimar todos os dízimos da tua novidade, no ano terceiro, que é o ano dos  dízimos, então, a darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas e se fartem. 13 E dirás perante o SENHOR, teu Deus: Tirei o que é consagrado de minha casa e dei também ao levita, e ao estrangeiro, e ao órfão e à viúva, conforme todos os teus mandamentos que me tens  ordenado; nada traspassei dos teus mandamentos, nem deles me esqueci. 14 Disso não comi na minha tristeza e disso nada tirei para imundícia, nem disso dei para algum morto; obedeci à voz do SENHOR, meu Deus; conforme tudo o que me ordenaste, tenho feito. 15 Olha desde a tua santa habitação, desde o céu, e abençoa o teu povo, a Israel, e a terra que nos deste, como juraste a nossos pais, terra que mana leite e mel. 16 Neste dia, o SENHOR, teu Deus, te manda fazer estes estatutos e juízos; guarda-os, pois, e faze-os com todo o teu coração e com toda a tua alma.
         O SENHOR NOS TIROU. Israel devia sempre lembrar-se que a sua existência e redenção resultaram da providência divina em favor da nação.
(1) Israel devia confessar publicamente essa verdade (vv. 3-9) e agradecer a Deus com ofertas, ações de graças, alegria, bondade para com o próximo e obediência aos seus mandamentos (vv. 12-15).
(2) Nós, como crentes em Cristo, também devemos nossa vida e salvação à misericórdia de Deus, por meio de Cristo. Fomos redimidos e adquiridos pela sua morte e fomos feitos sua possessão (Ef 1.14; 1 Pe 1.18,19; 2.9,10). Doravante, devemos viver em gratidão, como sacrifícios vivos ao nosso Senhor, não nos conformando com este mundo mas, pelo contrário, sendo transformados pelo Espírito Santo para fazermos a sua vontade (Rm 12.1,2; ver Ef 2.9).
 
 
Sexta Mc 12.41-44 Jesus observa as ofertas
41 E, estando Jesus assentado defronte da arca do tesouro, observava a maneira como a multidão  lançava o dinheiro na arca do tesouro; e muitos ricos depositavam muito. 42 Vindo, porém, uma pobre viúva, depositou duas pequenas moedas, que valiam cinco réis. 43 E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva depositou mais do que todos os que depositaram na arca do tesouro; 44 porque todos ali depositaram do que lhes sobejava, mas esta, da sua pobreza, depositou tudo o que tinha, todo o seu sustento.
12.40 DEVORAM AS CASAS DAS VIÚVAS. Alguns dos líderes religiosos judaicos tiravam proveito das viúvas ingênuas e solitárias. Pediam e recebiam delas ofertas exorbitantes, explorando a boa vontade dessas viúvas que queriam ajudar a esses tais, que elas criam serem homens de Deus. Por meio de logros e fraudes, persuadiam as viúvas a ofertarem além das suas condições financeiras. Assim, esses líderes viviam no luxo com essas ofertas fraudulosamente obtidas. Esse mesmo procedimento tem se repetido no decurso da história da igreja até os dias de hoje; cada período tem seus enganadores na arte da extorsão religiosa.
12.42 POBRE VIÚVA. Ver Lc 7.13, sobre a solicitude e amor especiais de Deus para com as mulheres solitárias, abandonadas ou viúvas.
12.42 DUAS PEQUENAS MOEDAS. Deus mede a contribuição do crente, não segundo o montante, mas segundo o amor, a devoção e a abnegação representados pela oferta que ele dá (ver Lc 21.1-4).

Sábado  Ml 3.8-10 O dízimo reafirmado na Bíblia
 8 Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. 9 Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança.
3.8 ROUBARÁ O HOMEM A DEUS? Os israelitas roubavam a Deus ao deixarem de lhe trazer os dízimos (a décima parte do que ganhavam). O dízimo era exigido pela Lei de Moisés (Lv 27.30).
(1) Por isto, Deus ameaça com maldições os que, egoisticamente, recusam-se a contribuir (vv. 8,9), e promete abençoar os que sustentam a sua obra (vv. 10-12).
(2) Os crentes do NT têm a obrigação de contribuir com os seus dízimos para manter a obra do Senhor tanto local quanto no campo missionário (ver 2 Co 8.2).
3.10 DERRAMAR SOBRE VÓS UMA BÊNÇÃO. Se o povo se arrependesse e se voltasse ao Senhor, e como sinal de seu arrependimento, passasse a sustentar a obra de Deus e os seus ministros com os dízimos e ofertas, o Senhor o abençoaria de forma abundante. Deus espera que demonstremos amor e devoção a Ele e à sua obra por meio dos dízimos e ofertas para que o seu reino seja promovido (ver o estudo DÍZIMOS E OFERTAS). As bênçãos que acompanham a fidelidade na contribuição financeira virão tanto nesta vida como na do porvir.
 
Leitura Bíblica:
MALAQUIAS 3.7-10 =  7Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai vós para mim, e eu tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de  tornar? 8 Roubará o homem a Deus? Todavia, vós me roubais e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. 9 Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança.
3.8 ROUBARÁ O HOMEM A DEUS? Os israelitas roubavam a Deus ao deixarem de lhe trazer os dízimos (a décima parte do que ganhavam). O dízimo era exigido pela Lei de Moisés (Lv 27.30).
(1) Por isto, Deus ameaça com maldições os que, egoisticamente, recusam-se a contribuir (vv. 8,9), e promete abençoar os que sustentam a sua obra (vv. 10-12).
(2) Os crentes do NT têm a obrigação de contribuir com os seus dízimos para manter a obra do Senhor tanto local quanto no campo missionário (ver 2 Co 8.2).
3.10 DERRAMAR SOBRE VÓS UMA BÊNÇÃO. Se o povo se arrependesse e se voltasse ao Senhor, e como sinal de seu arrependimento, passasse a sustentar a obra de Deus e os seus ministros com os dízimos e ofertas, o Senhor o abençoaria de forma abundante. Deus espera que demonstremos amor e devoção a Ele e à sua obra por meio dos dízimos e ofertas para que o seu reino seja promovido (ver o estudo DÍZIMOS E OFERTAS). As bênçãos que acompanham a fidelidade na contribuição financeira virão tanto nesta vida como na do porvir.

1 CORÍNTIOS 16.1,2 = 1 Ora, quanto à coleta que se faz para os santos, fazei vós também o mesmo que ordenei às igrejas da Galácia. 2 No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que se não façam as coletas quando eu chegar.
QUANTO À COLETA. No cap. 16 Paulo dá instruções para a coleta a favor dos crentes pobres em Jerusalém, fala dos seus planos futuros e dos seus cooperadores no trabalho do Senhor.
 
Objetivos: Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:
1- Reconhecer porque o povo estava empobrecido nos dias de Malaquias.
2- Explicar os diversos sentidos da palavra dízimo na Bíblia.
3- Citar exemplos de personagens do Antigo Testamento que entregaram dízimos.
 
Comentários:
INTRODUÇÃO
Estudo mais detalhado http://www.armazemnadia.com.br/henrique/DIZIMO.HTM

I. DEUS FALA SOBRE A RESTAURAÇÃO DA MORDOMIA

1. Moral.
2. Arrependimento.
3. Obediência.

II. O SIGNIFICADO DO DÍZIMO NA BÍBLIA
 
O Dízimo
É a décima parte da renda, consagrada ao Senhor. Muitas das nações da antigüidade tinham procedimento semelhante em relação aos seus deuses e governantes. Aparece na Bíblia como prática dos patriarcas mesmo antes de ser instituído como lei em Israel; Abraão deu o dízimo a Melquisedeque (Gn.14:20) e Jacó também fez votos de dar a Deus o dízimo de tudo o que o Senhor lhe concedesse (Gn.28:22). Portanto, o dízimo não "nasceu" como uma ordenança e sim como um ato espontâneo, que depois foi instituído como lei.
A lei de Moisés mandava separar o dízimo dos frutos e do gado (Lv.27:30,32), com o propósito de sustentar os levitas (Nm.18:4,24). Haviam 12 tribos, e a tribo de Levi foi separada para o serviço do Senhor; como não tinham herança na terra e nem podiam dedicar-se ao trabalho secular por seu ministério, os levitas viviam do dízimo das outras 11 tribos. É interessante notar que os levitas também dizimavam (Nm.18:26,27), o que nos ensina que mesmo os ministros de tempo integral devem fazê-lo também. Como Igreja local também praticamos o dízimo dos dízimos, separando-o para missões e obras assistenciais.
Um dos textos que melhor esclarece o dízimo é o da profecia de Malaquias:
"Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, vós, a nação toda.
Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós benção sem medida. Por vossa causa repreenderei o devorador, para que não vos consuma o fruto da terra; a vossa vide no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos. Todas as nações vos chamarão felizes, porque sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos Exércitos"
Malaquias 3:8-10.
Ressaltamos alguns princípios do texto que devem ser destacados:
1) O dízimo é de Deus. Esta parte de nossa renda é do Senhor., e não entregá-la é roubo. Jesus disse que devemos dar a César o que é de César e a Deus o que é de Deus (Mt.22:21), o que significa que a mesma obrigação que temos com os impostos é a que temos quanto ao dízimo. Ele é de Deus! Não fazemos nada mais que o dever quando o entregamos...
2) É Benção ou Maldição. Entregar o dízimo é um ato espiritual, que constitui-se fonte de benção (v.10 a 12) ou de maldição (v. 9). Ao entregarmos, somos abençoados, mas ao retermos (o que a Bíblia chama de "roubar") somos amaldiçoados. O profeta Ageu foi contemporâneo de Malaquias e também condenou a retenção do que pertencia a Deus. Sua geração não mais praticava o dízimo e as ofertas e foi amaldiçoado por causa disto (Ag. 1:6,9-11); mas quando descobriram que não havia lucro algum em roubar a Deus, eles se arrependeram e voltaram a contribuir, o que permitiu que o templo fosse reconstruído. No dia em que lançaram os fundamentos do templo, Deus mudou a maldição em benção porque obedeceram (Ag. 2:18,19).
3) É entregue na casa do tesouro. O dízimo tem destino certo. No V.T. ele era levado ao templo "para que houvesse mantimento (para os levitas) na casa do Senhor". Porque no Templo? Porque é um princípio espiritual de que "quem semeia o que é espiritual tem direito de colher o que é material" (I Co. 9:11- Gl. 6:6). As pessoas devem entregar seus dízimos nas Igrejas onde são ministradas espiritualmente e recebem a ceia do Senhor (Gn.14:18-20).
O Dízimo no Novo Testamento
Algumas pessoas afirmam que o dízimo é pertencente única e exclusivamente ao Velho Testamento e que a contribuição do Novo Testamento não tem quantia determinada. Ou seja, não está limitada aos dez por cento.
De fato, todos os textos que esclarecem o dízimo são do Velho Testamento, mas o Novo os sustentou, não necessitando de novas instruções. O ensino neotestamentário deu muita ênfase às ofertas, que é um outro nível de contribuição e que necessita de mais instrução. Mas a verdade é que o Novo Testamento também fala do dízimo.
Tudo o que pertencia à Velha Aliança foi ensinado por Jesus de forma diferente, mas o dízimo não. Não foi suprimido, e sua prática foi encorajada pelo Senhor (Mt.23:23). "Devíeis fazer estas coisas" significa: "Vocês devem dar o dízimo", mas com um coração correto.
No livro de Hebreus, falando de Abraão que deu o dízimo a Melquisedeque, o autor afirma: "Aqui certamente recebem dízimos homens que morrem; ali, porém, recebe aquele de quem se testifica que vive." (Hb.7:8).
Líquido ou Bruto
Nos dias de hoje, com benefícios que são deduzidos do salário, temos bem distinta a renda bruta (valor do holerite) e a líquida (o que o trabalhador pega na mão). E muitos se perguntam sobre que valor devem calcular.
Há um texto no Velho Testamento que pode trazer luz sobre isto. Números 18:27 diz que o dízimo dos grãos se contava depois de limpos na eira, e o dízimo da vinha depois que as uvas haviam sido espremidas no lagar. Aconselhamos que se dizime em cima daquilo que vem limpo em nossas mãos; aos empresários aconselhamos que dizimem a sua renda pessoal que você tira da empresa e não 10% do faturamento dela.
Fazemos uso de um envelope de dízimo para melhor contabilizar as finanças da igreja, e não para controlar quem são as pessoas que contribuem e com quanto o fazem; é puramente uma necessidade administrativa.
Primícias
Na Velha Aliança, antes da colheita os israelitas santificavam primeiro o que era do Senhor: as primícias, para depois continuarem colhendo. Provérbios 3:9,10 nos ensina a fazer o mesmo: "honrar ao Senhor com as primícias de nossa renda". Não espere sobrar para dizimar, separe o dízimo antes dos demais gastos do mês. Ele tem que ser a parte primordial do orçamento!
As Ofertas
Quando Malaquias repreendeu o povo de Deus, o fez pela retenção do dízimo e das ofertas. O dízimo tem seu percentual determinado, as ofertas não. Mas elas são algo que fazemos além do dízimo.
Elas tem como destino o reino de Deus. Não são necessariamente destinadas à Igreja local, mas ao reino de Deus em toda parte. Vão para missões, para obreiros, para aquisição de qualquer coisa útil para propagação do evangelho, etc. Enquanto o dízimo visa suprir a necessidade de sustento dos obreiros de tempo integral, as ofertas não tem um propósito específico, se aplicam a suprir necessidades diversas que o só o dízimo não supre.
A pessoa oferta o quanto e quando quer, mas as ofertas devem ser parte da vida do crente.
As Esmolas
Enquanto o destino do dízimo é a Igreja e o das ofertas é o Reino, as esmolas destinam-se aos necessitados, sejam eles cristãos ou não. É uma expressão de compaixão e misericórdia para os que estão com falta de recursos para viver dignamente.
O Antigo Testamento já instruía a cuidar do pobre (Lv.19:10; Sl.112:9; Pv.19:17) e o Novo mostrou o quanto isto é necessário, começando dos cristãos (Gl.6:9,10) e se estendendo aos ímpios.
A Igreja sustentava as suas viúvas (At. 6:1 e I Tm. 5:3-16) e os irmãos supriam as necessidades uns dos outros repartindo seus bens (At. 2:34,35).
Temos a responsabilidade de exercer misericórdia e assistência social aos necessitados. E os recursos que proporcionam isto são as esmolas.
Leis da Contribuição
1. Fidelidade no Mínimo (Lc.16:10). Não adianta dizer que quando Deus nos der mais dinheiro, então contribuiremos. Se não o fazemos com pouco não faremos depois. Quem não dá dez porcento de cem não vai dar dez porcento de mil.
2. Segundo suas posses (I Co.16:1,2;II Co.8:12,Lc.21:1-3). Deus não vê e nem compara números. Ele vê a disposição do coração e a limitação da renda. Quem possui mais não é melhor por ofertar mais do que o que tem menos condições. Quando Jesus foi dedicado no templo, seus pais deram uma oferta de gente pobre.
3. Expressão de Generosidade (II Co. 9:5-7). Deus não aceita o que é expressão de avareza. Atos 5 mostra que Ananias não foi generoso; pelo contrário foi avarento e orgulhoso e quis estar em evidência. Deus não está atrás do nosso dinheiro, mas da expressão de generosidade; sem ela, o dinheiro não vale nada! Deve haver em nós alegria ao contribuir! O apóstolo Paulo se referiu a isto como sendo uma "graça". É um privilégio servirmos a Deus com nosso bens, e o Senhor não quer que ninguém o faça por constrangimento mas de coração.
4. Colhemos o quanto plantamos (II Co. 9:6). Quanto mais contribuímos, mais abençoados somos! Se queremos romper na área financeira e andar na benção do Senhor temos que plantar mais. A colheita não é automática, precisa de tempo, mas é certa e não falhará!
5. Prova de Obediência. Minha contribuição em todos os seus níveis (dízimo, oferta, esmola) é uma prova da minha obediência a Deus. Portanto, se sou falho nesta área, estou demonstrando quem realmente sou! Além de que, Deus não precisa tanto da minha contribuição quanto eu preciso! Através dela mantenho um coração submisso a Deus e o dinheiro como um servo do Reino... http://www.estudosbiblicos.com./cgi-bin/search.cgi?query=MORDOMIA 
Copyright © 1999 Comunidade Cristã de Guarapuava

1. Sentido literal.
2. Sentido conceitual.
3. Sentido moral.
4. Sentido espiritual. Considere três razões para entregar o dízimo ao Senhor.
a) Reconhecimento pelas bênçãos divinas.
b) Adoração.
c) A Fé.

III. O DÍZIMO NA BÍBLIA
Pv. 3.9 e 10
    A palavra dízimo quer dizer “décima parte”. Portanto devolver a Deus a décima parte do que se ganha é dizimar. É importante entender que o dízimo deve ser uma atitude de entrega pessoal e gratidão. Não basta a devolução do dízimo. Temos que entregar a nossa vida, o nosso coração no altar de Deus. Não devemos devolver este como pagamos uma mensalidade, contas de luz e água, prestações de eletrodomésticos com medo de ter o nosso nome no “SPC divino”. A motivação que nos leva a dizimar não é o medo mas o amor a Deus.
 
 DÍZIMO NO VELHO TESTAMENTO
  A prática do dízimo é anterior a lei mosaica – Gn 14.18-20 e 28.18-22. Cerca de duzentos e cinqüenta anos depois de Jacó em Betel, Deus orientou a Moisés instituir o dízimo na lei. Foi incorporada na lei mosaica – Lv 27.30. Foi ensinada pelos profetas – Ml 3.8-12.
 
 1. No Antigo Testamento.
a) O exemplo de Caim e Abel (Gn 4.2-7).
4.3-5 UMA OFERTA AO SENHOR. O Senhor aceitou a oferta de Abel, porque este compareceu diante dEle com fé genuína e consagração (Hb 11.4; 1Jo 3.12; Jo 4.23,24). A oferta de Caim foi rejeitada porque ele estava destituído de fé sincera e obediente, e porque as suas obras eram más (vv. 6,7; 1 Jo 3.12). Deus tem prazer em nossas ofertas e ações de graça tão-somente quando nos esforçamos para viver uma vida reta, de conformidade com a sua vontade (ver Dt 6.5).
4.7 E PARA TI SERÁ O SEU DESEJO. Trata-se aqui da ação do pecado sobre Adão. Uma livre tradução desta parte do versículo seria: O pecado está de tocaia junto à porta; seu desejo é possuir-te, mas tu deves dominá-lo . Deus retrata o pecado como uma força tentadora que, de modo semelhante a uma fera ou um demônio, está pronto para atacar e devorar. Por outro lado, Deus também concede aos seres humanos a capacidade de vencer e de resistir ao pecado, quando nos submetemos à sua palavra, capacitados por sua graça. É do ser humano a opção de ceder ao pecado ou a de vencê-lo (Rm 6).
4.10 A VOZ DO SANGUE DO TEU IRMÃO CLAMA A MIM. A morte de Abel e o cuidado de Deus por ele, demonstra que Deus, no decurso de todas as eras, observa atentamente todos os que sofrem por viver em retidão diante dEle. Deus conhece o sofrimento desses justos e o dia chegará em que Ele agirá em favor deles, para fazer justiça e eliminar todo mal (Hb 11.4; 12.24).

b) O exemplo de Abraão (Gn 14.18-24).
14.18 MELQUISEDEQUE, REI DE SALÉM. Melquisedeque (que significa rei de justiça ) era tanto rei de Salém (possivelmente a Jerusalém primitiva), como sacerdote do Deus Altíssimo . Ele servia ao único Deus verdadeiro, assim como Abrão. Melquisedeque era cananeu e, portanto, como Jó, é um exemplo de um não-israelita, servo de Deus. Melquisedeque é um tipo ou figura da realeza e sacerdócio eternos de Jesus Cristo (Sl 110.4; ver Hb 7.1,3).
14.20 DEU-LHE O DÍZIMO DE TUDO. Abrão deu a Melquisedeque a décima parte de todos os despojos que recebera (cf. Hb 7.4), em gratidão pelo socorro e graça de Deus. Esta é a primeira vez que o ato de dar o dízimo é mencionado na Bíblia.
14.23 NÃO TOMAREI COISA ALGUMA DE TUDO O QUE É TEU. Abrão, ao recusar-se a participar das riquezas recuperadas dos cananeus, revela sua dependência exclusiva de Deus e da sua bênção (v. 19; ver Mt 14.19

c) O exemplo de Jacó (Gn 28.18-22).
28.19 BETEL. Betel significa a casa de Deus e pode representar qualquer lugar onde Deus está presente num sentido muito especial.

d) O exemplo de Moisés.

2. O dízimo no Novo Testamento.
DÍZIMO NO NOVO TESTAMENTO
  . Melquisedeque como tipo de Cristo – Hb 7.1-10. No Novo Testamento fica claro que o dízimo é o referencial mínimo para a contribuição: Mt 5:20, Mc 12.41-44; At 2.44-45 e 4.32-37, II Co 8.1-5, I Co 16.2 e Jo 6.9.
 
 a) O exemplo de Jesus (Jo 13.15).
 Jesus falou do dever de dizimar – Mt. 23.23 e Lc 11.42
b) O exemplo da igreja primitiva (At 4.32; 2 Co 8.7).

3. Sustento do ministério cristão.
FINALIDADE DO DÍZIMO
  Manutenção da Igreja – Ml 3.10 Sustento dos obreiros – II Cr 31.4-6 e II Co 9.10-14

CONCLUSÃO
    Deus é dono de todos os nossos bens. “Minha é a prata, meu é o ouro, diz o Senhor dos Exércitos.” Ele nos pede para devolver o dízimo dando este como referencial mínimo. Ele nos ensinou “melhor dar do que receber.” Aquele que não tem o dinheiro como ídolo e, pelo contrário, serve com este, tem como conseqüência (não é troca) bênçãos dadas por Deus. “...Fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma benção tal, que dela vos advenha a maior abastança.”
 
    DEUS não quer apenas seu dízimo, pois ELE não precisa de dinheiro, mesmo porque o dízimo não é necessariamente dinheiro, mas DEUS quer sua vida integral, tudo o que você mais ama, mesmo que o que você mais ame seja o dinheiro.
    No Novo Testamento devemos ter a consciência de que tudo o que temos não nos pertence, mas sim a DEUS, nossa vida é para DEUS.
    Amar e ajudar aos outros, mesmo que para isto tenhamos pouco, é maior do que ser rico e não amar.
 
1 Co 13.3 E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
1 Co 6.10 como entristecidos, mas sempre nos alegrando; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, mas possuindo tudo.
At 2.42 e perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43 Em cada alma havia temor, e muitos prodígios e sinais eram feitos pelos apóstolos. 44 Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. 45 E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um. 46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração,
47 louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.
At 4.32
Da multidão dos que creram era um o coração e a alma. Ninguém considerava exclusivamente sua nem uma das coisas que possuía; tudo, porém, lhes era comum.33 Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.34 Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos.
35 E se repartia a qualquer um que tivesse necessidade.36 então José, cognominado pelos apóstolos Barnabé (que quer dizer, filho de consolação), levita, natural de Chipre,37 possuindo um campo, vendeu-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos.
Rm 1.26 Porque pareceu bem à Macedônia e à Acaia levantar uma oferta fraternal para os pobres dentre os santos que estão em Jerusalém.
At 20.35 Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer os enfermos, recordando as palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber.
 
DÍZIMOS E OFERTAS
Ml 3.10 “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança.”

DEFINIÇÃO DE DÍZIMOS E OFERTAS. A palavra hebraica para “dízimo” (ma’aser) significa literalmente “a
décima parte”.
(1) Na Lei de Deus, os israelitas tinham a obrigação de entregar a décima parte das crias dos animais domésticos, dos produtos da terra e de outras rendas como reconhecimento e gratidão pelas bênçãos divinas (ver Lv 27.30-32; Nm 18.21,26; Dt 14.22-29; ver Lv 27.30). O dízimo era usado primariamente para cobrir as despesas do culto e o sustento dos sacerdotes. Deus considerava o seu povo responsável pelo manejo dos recursos que Ele lhes dera na terra prometida (cf. Mt 25.15; Lc 19.13).
(2) No âmago do dízimo, achava-se a idéia de que Deus é o dono de tudo (Êx 19.5; Sl 24.1; 50.10-12; Ag 2.8). Os seres humanos foram criados por Ele, e a Ele devem o fôlego de vida (Gn 1.26,27; At 17.28). Sendo assim, ninguém possui nada que não haja recebido originalmente do Senhor (Jó 1.21; Jo 3.27; 1Co 4.7). Nas leis sobre o dízimo, Deus estava simplesmente ordenando que os seus lhe devolvessem parte daquilo que Ele já lhes tinha dado.
(3) Além dos dízimos, os israelitas eram instruídos a trazer numerosas oferendas ao Senhor, principalmente na forma de sacrifícios. Levítico descreve várias oferendas rituais: o holocausto (Lv 1; 6.8-13), a oferta de manjares (Lv 2; 6.14-23), a oferta pacífica (Lv 3; 7.11-21), a oferta pelo pecado (Lv 4.1—5.13; 6.24-30), e a oferta pela culpa (Lv 5.14—6.7; 7.1-10).
(4) Além das ofertas prescritas, os israelitas podiam apresentar outras ofertas voluntárias ao Senhor. Algumas destas eram repetidas em tempos determinados (ver Lv 22.18-23; Nm 15.3; Dt 12.6,17), ao passo que outras eram ocasionais. Quando, por exemplo, os israelitas empreenderam a construção do Tabernáculo no monte Sinai, trouxeram liberalmente suas oferendas para a fabricação da tenda e de seus móveis (ver Êx 35.20-29). Ficaram tão entusiasmados com o empreendimento, que Moisés teve de ordenar-lhes que cessassem as oferendas (Êx 36.3-7). Nos tempos de Joás, o sumo sacerdote Joiada fez um cofre para os israelitas lançarem as ofertas voluntárias a fim de custear os consertos do templo, e todos contribuíram com generosidade (2Rs 12.9,10).  Semelhantemente, nos tempos de Ezequias, o povo contribuiu generosamente às obras da reconstrução do templo (2Cr 31.5-19).
(5) Houve ocasiões na história do AT em que o povo de Deus reteve egoisticamente o dinheiro, não repassando os dízimos e ofertas regulares ao Senhor. Durante a reconstrução do segundo templo, os judeus pareciam mais interessados na construção de suas propriedades, por causa dos lucros imediatos que lhes trariam, do que nos reparos da Casa de Deus que se achava em ruínas. Por causa disto, alertou-lhes Ageu, muitos deles estavam sofrendo reveses financeiros (Ag 1.3-6). Coisa semelhante acontecia nos tempos do profeta Malaquias e, mais uma vez, Deus castigou seu povo por se recusar a trazer-lhe o dízimo (Ml 3.9-12).
 
A ADMINISTRAÇÃO DO NOSSO DINHEIRO. Os exemplos dos dízimos e ofertas no AT contêm princípios importantes a respeito da mordomia do dinheiro, que são válidos para os crentes do NT.
(1) Devemos lembrar-nos que tudo quanto possuímos pertence a Deus, de modo que aquilo que temos não é nosso: é algo que nos confiou aos cuidados. Não temos nenhum domínio sobre as nossas posses.
(2) Devemos decidir, pois, de todo o coração, servir a Deus, e não ao dinheiro (Mt 6.19-24; 2Co 8.5). A Bíblia deixa claro que a cobiça é uma forma de idolatria (Cl 3.5).
(3) Nossas contribuições devem ser para a promoção do reino de Deus, especialmente para a obra da igreja local e a disseminação do evangelho pelo mundo (1Co 9.4-14; Fp 4.15-18; 1Tm 5.17,18), para ajudar aos necessitados (Pv 19.17; Gl 2.10; 2Co 8.14; 9.2), para acumular tesouros no céu (Mt 6.20; Lc 6.32-35) e para aprender a temer ao Senhor (Dt 14.22,23).
(4) Nossas contribuições devem ser proporcionais à nossa renda. No AT, o dízimo era calculado em uma décima parte. Dar menos que isto era desobediência a Deus. Aliás equivalia a roubá-lo (Ml 3.8-10). Semelhantemente, o NT requer que as nossas contribuições sejam proporcionais àquilo que Deus nos tem dado (1Co 16.2; 2Co 8.3,12; ver 2Co 8.2).
(5) Nossas contribuições devem ser voluntárias e generosas, pois assim é ensinado tanto no AT (ver Êx 25.1,2; 2Cr 24.8-11) quanto no NT (ver 2Co 8.1-5,11,12). Não devemos hesitar em contribuir de modo sacrificial (2Co 8:3), pois foi com tal espírito que o Senhor Jesus entregou-se por nós (ver 2Co 8.9). Para Deus, o sacrifício envolvido é muito mais importante do que o valor monetário da dádiva (ver Lc 21.1-4).
(6) Nossas contribuições devem ser dadas com alegria (2Co 9.7). Tanto o exemplo dos israelitas no AT (Êx 35.21-29; 2Cr 24.10) quanto o dos cristãos macedônios do NT (2Co 8.1-5) servem-nos de modelos.
(7) Deus tem prometido recompensar-nos de conformidade com o que lhe temos dado (ver Dt 15.4; Ml 3.10-12; Mt 19.21; 1Tm 6.19; ver 2Co 9.6).
 
"PORQUE SOU DIZIMISTA"
1. Sou Dizimista porque o Dízimo é Santo. Lv 27.30 Também todos os dízimos da terra, quer dos cereais, quer do fruto das árvores, pertencem ao senhor; santos são ao Senhor. 31 Se alguém quiser remir uma parte dos seus dízimos, acrescentar-lhe-á a quinta parte. 32 Quanto a todo dízimo do gado e do rebanho, de tudo o que passar debaixo da vara, esse dízimo será santo ao Senhor.
2. Sou Dizimista porque quero ser participante das grandes bênçãos. Ml 3.11 Também por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide no campo lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos exércitos. 12 E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o Senhor dos exércitos.
3. Sou Dizimista porque amo a obra de Deus na face da Terra. Ml 3.10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.
4. Sou Dizimista porque não quero ser amaldiçoado.  Ml 3.9 Vós sois amaldiçoados com a maldição; porque a mim me roubais, sim, vós, esta nação toda.
5. Sou Dizimista porque Deus é dono de tudo. Sl 24. 1 Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam.
6. Sou Dizimista porque eu mesmo vou gozá-lo na casa de Deus. Dt 14.23 E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus por todos os dias.
7. Sou Dizimista porque mais bem-aventurado é dar do que receber. At 20.35 Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer os enfermos, recordando as palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber.
8. Sou Dizimista porque Deus ama ao que dá com alegria. 2 Co 9.7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria.
9. Sou Dizimista porque tudo vem das Mãos de Deus. 1Cr 29.14 Mas quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos fazer ofertas tão voluntariamente? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos.
10. Sou Dizimista porque não sou avarento. 1 Tm 6. 10 Porque o amor ao dinheiro é raiz de todos os males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores
11. Sou Dizimista porque meu rico tesouro está no céus. Mt 6.19-21 19 Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; 20 Mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. 21 Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração.
12. Sou Dizimista porque tudo que peço recebo. Mt 7.7-9. 7 Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. 8 Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á. 9 Ou qual dentre vós é o homem que, se seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra?
13. Sou Dizimista porque obedeço a Deus. At 5.29 Respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Importa antes obedecer a Deus que aos homens. Pv 10. 22 A bênção do Senhor é que enriquece; e ele não a faz seguir de dor alguma.
14. Sou Dizimista porque a benção de Deus é que enriquece. Pv 10:22 A bênção do Senhor é que enriquece; e ele não a faz seguir de dor alguma.
15. Sou Dizimista porque para cada lei, Deus promete recompensa. Sl 19. 7 A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples
16. Sou Dizimista porque receberei de Deus com a mesma medida. Lc 6. 33 E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que mérito há nisso? Também os pecadores fazem o mesmo
17. Sou Dizimista porque os pensamentos de Deus são mais altos que os meus. Is 55. 9 Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos.
18. Sou Dizimista porque Deus me escolheu e me nomeou. Jo 15. 16 Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.
19. Sou Dizimista porque Deus diz: "Fazei prova de Mim" . Ml 3. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.
20. Sou Dizimista porque minha descendência não vai mendigar o pão. Sl 37. 25 Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão.
21. Sou Dizimista porque meu salário não será posto em saco furado. Ag 1. 6 Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, mas não vos fartais; bebeis, mas não vos saciais; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para o meter num saco furado.
22. Sou Dizimista porque é minha responsabilidade o sustento da igreja. Ml 3. 10 Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança.
23. Sou Dizimista porque quero ter a consciência tranqüila. 1Tm 1. 19 conservando a fé, e uma boa consciência, a qual alguns havendo rejeitado, naufragando no tocante à fé;
24. Sou Dizimista porque tudo o que o homem plantar, isso ceifará.  Gl 6. 7 Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará.
25. Sou Dizimista porque Deus suprirá todas as minhas necessidades. Fl 4. 19 Meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus.
Na verdade na nova aliança tudo o que é meu, não é meu, mas de DEUS, eu administro e aplico na obra.                                      
Estudo adquirido a partir de       www.estudosbiblicos.com
       
       RESUMO:   
1-O que é Dízimo?
Corresponde à décima parte do que se arrecada.
 
2-Porque dar o Dízimo?
Não sei se a palavra certa seria dar, ou pagar, ou entregar, mas basicamente quando alguém sente o desejo de ajudar a obra de DEUS, reconhecendo em seus líderes pessoas que estão vivendo exclusivamente pela causa do mestre JESUS; levam sua contribuição ao templo ou congregação para que haja mantimento e suficientes fundos para as despesas na obra de DEUS.
 
3-Todos os membros biblicamente são obrigados a dar o Dízimo?
Ninguém é obrigado a dar o dízimo. O dízimo é uma opção de ajuda na obra de DEUS, devendo o dizimista ter em mente de que é apenas um mordomo de DEUS aqui na terra, aplicando seus rendimentos provindos de DEUS, na obra do próprio DEUS e não se esquecendo que tudo o que temos ou possuímos devemos ao próprio DEUS e devemos não só dar o dízimo, mas também ofertas para que o trabalho do Senhor não seja prejudicado e sempre possa progredir na evangelização dos povos.
" MAIS BEM-AVENTURADA COISA É DAR DO QUE RECEBER!" (JESUS)
"Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam" (Sl 24.1).
LEITURA BÍBLICA: I Tm 6.6-10
MORDOMIA CRISTà
       Há uma grande diferença entre POSSE e MORDOMIA: Deus é o possuidor de todas as coisas (Gn 14.19-22; Sl 24.1; 50.1-12; 68.19; 89.11; Ag 2.8). Enquanto Mordomia implica que não somos donos; somos apenas mordomos responsáveis que devem prestar contas (Mt 25.14-30; 
Lc 19.11-26). Temos diferentes relações entre dono-mordomo: 
a) Vida, o que recebemos (Gn 1.27-28; At 17.25; Tg 1.17). 
b) Tempo, o que nos foi outorgado (Pv 24.30-34); Sl 90:12). 
c) Talentos, o que nos foi dado para usar (Mt 25.14-30). 
d) Possessões, o que nos é confiado (Mt 6.19-21; Co 3.1- 2). 
e) Finanças, o que ganhamos com o nosso trabalho (I Co 16.1-2).
Para sermos um bom mordomo são necessários os requisitos: 
a) Fidelidade (I Co 4.1-2). 
b) Disposição a receber ensino (Sl 27.11). 
c) Desejo de servir as pessoas (Rm 12.10-13). 
d) Um coração de servo (Gl 5.13). 
e) Disposição para dar (Lc 6.38). 
AS FINANÇAS 
       A questão financeira tem um tratamento bíblico bastante sério: 
a) Os Evangelho contém mais advertências contra o dinheiro e seu mau uso do que contra qualquer outro assunto. 
b) Um em cada seis versículos do N.T. faz alguma referência ao dinheiro. 
c) Quase a metade das parábolas de Jesus tem alguma referência a dinheiro, especialmente advertência contra a cobiça. 
d) Judas vendeu Cristo por dinheiro, que nunca chegou a usá-lo. 
e) Satanás na cena da glória da igreja primitiva através do dinheiro, quando se vivia um ambiente de doação (At 5:1-10). 
f) O pecado de "Simonia" refere-se a dinheiro e a tentar comprar os dons de Deus com ele (At 8:14-24). 
g)  Riqueza e tradição (Ap 13:16-18), são palavras ligadas ao poder de comprar e vender. Em si o dinheiro não é mau. É o amor ao dinheiro que é a raiz de todos os males (I Tm 6.7- 10). 
 
 
DÍZIMOS E OFERTAS 
      As Escrituras dizem o seguinte sobre dízimos e ofertas: 
a) Devemos trazer nossos dízimos e ofertas à tesouraria da casa de Deus (casa do tesouro, Ml 3.7- 12). 
b) A casa de Deus é o lugar onde o povo de Deus é "alimentado". 
      O dízimo é para nossos dias? Sim, tanto no V.T. como no N.T. os participativos devem entregar o dízimo das suas rendas: 
I ) O DÍZIMO ANTES DA LEI 
a) Abraão (sob aliança, Gn 14:18-20). 
b) Jacó (sob aliança, Gn   28:22). 
II) O DÍZIMO SOB A LEI: Israel, aliança mosaica (Lv 27.30-33; Nm 18.20-24; 25-32). 
III) O DÍZIMO SOB A GRAÇA: Jesus confirmou o dízimo. O dízimo não era da lei, mas antes da lei (Mt 23.33; Lc 11:42; 18.12; Hb 7.1-21). 
"Roubará o homem a Deus? todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos: Nos dízimos e nas ofertas. Com maldição sois amaldiçoados, porque me roubais a mim, vós, toda a nação. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento n a minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não derramar sobre vós uma bênção tal, que dela vos advenha a maior abastança" (Ml 3.8-10). 
PRINCÍPIOS DO DAR 
 
DESTAQUE: O que dá pela LEI, dá por obrigação. O que dá por AMOR, dá por prazer. Louvado seja Deus. 
  
CONCLUSÃO 
      Hoje alguns grupos, até evangélicos, vivem uma verdadeira exploração das pessoas bem intencionadas, em relação ao dinheiro. Há denominações que administram bem os seus dízimos e ofertas, à estas que o tempo já demonstrou responsabilidade e compromisso com o Reino de Deus,  são dignas de receberem os dízimos e ofertas de seus membros, porque neste caso está administrando o trabalho e a dignidade de vida de cada um. Sejamos dizimistas. 
http://www.geocities.com/Athens/Academy/3958/doutrinas/dizimo.htm

Questionário  da Lição 10 - A Mordomia do Dízimo - www.henriqueestudos.cjb.net
 
Texto Áureo:
1- Para onde devemos levar nossos dízimos?
(     ) Dar para os necessitados pessoalmente    (     ) Para a casa do pastor     (     ) Casa do Tesouro (Igreja)
Verdade Verdade:
2- Qual prática bíblica todo cristão deve fazer demonstrando sua fidelidade a DEUS?
(     ) Cantar     (     ) Pregar     (     ) Dizimar
Introdução:
3- O que foi exposto publicamente pelo profeta Malaquias?
(     ) A fidelidade do povo nos dízimos e ofertas     (     ) A infidelidade do povo nos dízimos e ofertas
Tópico I - DEUS fala sobre a restauração da mordomia:
4- O que tem sido o termo de maior dificuldade para muitos crentes hoje em dia?
(     ) O apego ao às coisas materiais     (     ) Amor às coisas espirituais  
5- O que é ponto de partida para o abandono dos erros, mudança de atitude e tristeza para com o pecado cometido?
(     ) A santificação     (     ) A regeneração    (     ) O arrependimento
6- Para que sejamos perdoados de todos os pecados e purificados de toda a injustiça, o que é preciso fazer?
(     ) Continuarmos na mesma situação    (     ) Confessarmos nossos pecados
7- A que estão vinculadas as bênçãos de DEUS em nossa vida
(     ) Às nossas esmolas     (     ) À obediência à Palavra de DEUS
8- O que é melhor do que sacrificar?
(      ) Ofertar     (     ) Obedecer     (      ) Divertir-se
Tópico II - O significado do dízimo na Bíblia:
9- O que é Dízimo, literalmente? Coloque "V" ou "F"
(     ) Hábito regular do cristão que quer ser fiel a DEUS     (     ) Separação de 10% da renda mensal para DEUS
(     ) Reconhecimento de que DEUS é Senhor de tudo o que temos     (     ) Mínimo do que o crente dispõe para DEUS
10- O que é Dízimo Conceitualmente? Coloque "V" ou "F"
(     ) Décima parte de um todo     (     ) Dívida do homem para com DEUS
(     ) Pelo reconhecimento de que DEUS é dono de tudo o que possuímos, separa um décimo de seus rendimentos para DEUS
11- O que dízimo moralmente? Coloque "V" ou "F"
(    ) Testemunho da bondade criadora de DEUS (    ) Prova da dependência de DEUS (    ) Reconhecimento à fidelidade de DEUS
(     ) Reconhecimento do senhorio de DEUS sobre nós
12- O que é dízimo espiritualmente? Coloque "V" ou "F"
(     ) Reconhecimento pelas bênçãos divinas     (     ) Adoração     (     ) Fé
Tópico III - O Dízimo na Bíblia:
13- Quais exemplos da doutrina do dízimo e das ofertas já vemos logo após a criação?
(     ) De Caim e Abel     (     ) De José e Davi
14- Com quem temos a primeira menção do dízimo no Antigo Testamento?
(     ) Com Abraão     (     ) De Adão     (     ) De Metusalém
15- Qual neto de Abraão seguiu suas pisadas quanto ao dízimo?
(     ) José     (     ) Ismael      (     ) Esaú     (     ) Jacó
16- Quantas vêzes vemos na lei dada a Moisés a citação do dízimo?
(     ) Uma     (     ) Duas    (     ) Três     (     ) Seis
17- O dízimo é anterior ou posterior à lei?
(     ) Posterior     (     ) Anterior     (     ) Não tinha na lei
18- Qual princípio no Novo Testamento inclui o dízimo?
(     ) O princípio de que tudo o que temos pertence a DEUS      (     ) O princípio de que tudo o que temos nos pertence
19- Cite textos falados por JESUS sobre dízimo?
(     ) Mt 8.19-21,33; 10.8; Mc 16.17; 8.36; At 20.35; Lc 6.38)     (     ) Mt 6.19-21,33; 10.8; Mc 12.17; 8.36; At 20.35; Lc 6.38)
20- Quais amarras foram quebradas pelo derramamento do ESPÍRITO SANTO nos primórdios da Igreja?
(     ) Da Avareza e do Amor     (     ) Da Amargura e do egoísmo     (     ) Da Avareza e do egoísmo
21- De que maneira os crentes no início da Igreja, contribuíam?
(     ) Com tristeza, pois eram pobres   (     ) Com alegria, mas com miséria    (     ) Com alegria com tudo quanto tinham
22- Qual princípio vemos tanto na dispensação da Graça quanto na dispensação da lei?
(     ) Da falta de sustento do ministério cristão    (     ) Do sustento dos que trabalham no ministério cristão
23- Por que o crente contribui na obra do Senhor?
(     ) Porque sente que pode ficar rico por contribuir e porque lhe é uma maneira de ganhar bênçãos
(     ) Porque sente prazer em contribuir e porque lhe é uma maneira de gratidão a DEUS por suas bênçãos
 
 
Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
Eu