Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
 Eu
 
 
 
Lição 11 - Colossenses - A Oração E O Testemunho Do Cristão
Questionário
 
Texto Áureo: “Perseverai em oração, velando nela com ação de graças” (Cl 4.2).
 
Verdade Prática: O estudo da Palavra e a vida de oração, em constante ação de graças, são a base do verdadeiro testemunho cristão.
 
Leitura Diária:
Segunda Sl 55.17 Orando continuamente
17 De tarde, de manhã e ao meio-dia oro e clamo, e ele ouve a minha voz.

Terça  Mt 26.44 O exemplo de Jesus orando
44 Deixando-os de novo, foi orar pela terceira vez, dizendo as mesmas palavras.

Quarta 1 Ts 5.17 Orando sem cessar
17 orai sem cessar;
5.17 ORAI SEM CESSAR. Isso significa permanecer na presença do Pai, pedindo continuamente sua graça e bênção. "Sem cessar" não significa estar constantemente repetindo orações formais. Pelo contrário, implica em orações de todos os tipos, que vêm ao nosso espírito em todas as ocasiões, durante o dia (Lc 18.1; Rm 12.12; Cl 4.2; Ef 6.18).

Quinta At 2.42 Perseverando nas orações
42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, na comunhão, no partir do pão e nas orações.
12.5 A IGREJA. Através do livro de Atos, bem como outros trechos do NT, tomamos conhecimento das normas ou dos padrões estabelecidos para uma igreja neo-testamentária. (1) Antes de mais nada, a igreja é o agrupamento de pessoas em congregações locais e unidas pelo Espírito Santo, que diligentemente buscam um relacionamento pessoal, fiel e leal com Deus e com Jesus Cristo (13.2; 16.5; 20.7; Rm 16.3,4; 1 Co 16.19; 2 Co 11.28; Hb 11.6). (2) Mediante o poderoso testemunho da igreja, os pecadores são salvos, nascidos de novo, batizados nas águas e acrescentados à igreja; participam da Ceia do Senhor e esperam a volta de Cristo (2.41,42; 4.33; 5.14; 11.24; 1 Co 11.26). (3) O batismo no Espírito Santo será pregado e concedido aos novos crentes (ver 2.39), e sua presença e poder se manifestarão. (4) Os dons do Espírito Santo estarão em operação (Rm 12.6-8; 1 Co 12.4-11; Ef 4.11,12), inclusive prodígios, sinais e curas (2.18,43; 4.30; 5.12; 6.8; 14.10; 19.11; 28.8; Mc 16.18). (5) Para dirigir a igreja, Deus lhe provê um ministério quíntuplo, o qual adestra os santos para o trabalho do Senhor (Ef 4.11,12) (6) Os crentes expulsarão demônios (5.16; 8.7; 16.18; 19.12; Mc 16.17). (7) Haverá lealdade absoluta ao evangelho, i.e., aos ensinamentos originais de Cristo e dos apóstolos (2.42; ver Ef 2.20). Os membros da igreja se dedicarão ao estudo da Palavra de Deus e à obediência a ela (6.4; 18.11; Rm 15.18; Cl 3.16; 2 Tm 2.15). (8) No primeiro dia da semana (20.7; 1 Co 16.2), a congregação local se reunirá para a adoração e a mútua edificação através da Palavra de Deus escrita e das manifestações do Espírito (1 Co 12.7-11; 14.26; 1 Tm 5.17). (9) A igreja manterá a humildade, reverência e santo temor diante da presença de um Deus santo (5.11). Os membros terão uma preocupação vital com a pureza da igreja, disciplinarão aqueles que caírem no pecado, bem como os falsos mestres que são desleais à fé bíblica (20.28; 1 Co 5.1-13; ver Mt 18.15). (10) Aqueles que perseverarem no caráter piedoso e nos padrões da justiça ensinados pelos apóstolos, serão ordenados ministros para a direção das igrejas locais e a manutenção da sua vida espiritual (Mt 18.15; 1 Co 5.1-5; 1 Tm 3.1-7; Tt 1.5-9). (11) Semelhantemente, a igreja terá diáconos responsáveis para cuidarem dos negócios temporais e materiais da igreja (ver 1 Tm 3.8). (12) Haverá amor e comunhão no Espírito evidente entre os membros (2.42,44-46; ver Jo 13.34), não somente dentro da congregação local como também entre ela e outras congregações que crêem na Bíblia (15.1-31; 2 Co 8.1-8). (13) A igreja será uma igreja de oração e jejum (1.14; 6.4; 12.5; 13.2; Rm 12.12; Cl 4.2; Ef 6.18). (14) Os crentes se separarão dos conceitos materialistas prevalecentes no mundo, bem como de suas práticas (2.40; Rm 12.2; 2 Co 6.17; Gl 1.4; 1 Jo 2.15,16). (15) Haverá sofrimento e aflição por causa do mundo e dos seus costumes (4.1-3; 5.40; 9.16; 14.22). (16) A igreja trabalhará ativamente para enviar missionários a outros países (2.39; 13.2-4). Nenhuma igreja local tem o direito de se chamar de igreja segundo as normas do NT, a não ser que esteja se esforçando para manter estas 16 características práticas entre seus membros.

Sexta Sl 128.1-3 A família nos caminhos do Senhor
 1 Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos. 2 Comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem. 3 A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa.

Sábado Sl 101.3 Bom testemunho no lar
3 Não porei coisa má diante dos meus olhos. Aborreço as ações daqueles que se desviam; nada disto se me pegará.
101.3 NÃO POREI COISA MÁ DIANTE DOS MEUS OLHOS. Hoje em dia, os ímpios estão obcecados na contemplação visual da
imoralidade, iniqüidade, brutalidade, violência, pornografia e todos os tipos de males, como meio de satisfazer sua concupiscência e
desejo pelo prazer pervertido. Na televisão, cinema, vídeo, livros e revistas, o povo contempla todo tipo de impiedade. Aqueles, porém,
que estão comprometidos com Deus e sua justiça aborrecerão a iniqüidade e se apartarão dela (ver 97.10), preservando suas vidas
e suas famílias, evitando colocar diante de seus olhos aquilo que desagrada ou entristece o Espírito Santo.
Romanos 1.32 os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

Leitura Bíblica Em Classe: COLOSSENSES 4.2-6
 2 Perseverai na oração, velando nela com ações de graça. 3 Orai também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou preso. 4 Orai para que o manifeste como devo fazer.  5 Andai em sabedoria para com os que estão de fora, aproveitando bem cada oportunidade. 6 A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como deveis responder a cada um.
 

Objetivos: Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
1- Praticar uma vida de oração.
2- Aplicar a linguagem apropriada à pregação do Evangelho.
3- Demonstrar o verdadeiro testemunho cristão.
 
Comentários: INTRODUÇÃO
A relação entre crentes e incrédulos(4.2-6). A Palavra de Deus estabelece que os cristãos em seus relacionamentos com os incrédulos devem estar devidamente equipados para viver com sabedoria. Assim faz-se necessário perseverarmos na oração e na súplica pela responsabilidade missionária que cada um de nós recebeu do Senhor. Como também é necessário que aprendamos a viver aproveitando bem as oportunidades para que com habilidade as nossas atitudes e conversas sejam usadas por Deus para ensinar-lhes a respeito de Cristo.
A Bíblia inteira exorta o crente à oração.

I. UMA VIDA EM ORAÇÃO
Versículo 2. PERSEVERAI EM ORAÇÃO é equivalente ao mandamento dado em I Ts. 5:17. Paulo nos deu seu próprio exemplo em 1:3, 9. Devemos nos ocupar intensamente em procurar bênçãos de Deus. Através de Cristo todos os crentes são feitos sacerdotes e recebem o direito de acesso a qualquer momento a Deus. Não é estranho, então, que o Criador do universo deva implorar a nós que oremos? E não é ainda mais estranho que nós não o fazemos!
Não somente devemos orar, mas devemos fazê-lo constantemente. Não é uma questão do quantas vezes devemos orar ou se orações longas são mais efetivas do que as curtas. E sim, de que muita oração nos capacita a descobrir o plano de Deus e nos dá comunhão com Ele. Também ajuda a desenvolver o conhecimento dEle, e conhecê-lo é a vida eterna, João 17:3. Orar não somente muda "coisas", mas também a "nós."
VELANDO NELA COM AÇÃO DE GRAÇAS. Não como os discípulos (Mat. 26:40, 41), mas sim vigiando e esperando nEle. Oh, quão facilmente o sono vem aqueles que procuram a oração! Ao contrário, estejamos completamente despertos, apeguemo-nos a Deus quando as forças do mal avançarem contra nós, e quando nós, como a Igreja, devemos avançar contra elas! Enquanto vigiamos devemos ser agradecidos, lembrando-nos de bênçãos passadas e presentes e louvando-O por bênçãos futuras prometidas. (Vide 1:12; 3:15) Com base nas Suas promessas podemos começar a dar graças por respostas que ainda não foram recebidas!
Veja Oração

1. Orando com perseverança (4.2a).
4.2 PERSEVERAI EM ORAÇÃO, VELANDO NELA. "Perseverai" (gr. proskartereo) significa "dedicar", "continuar firme"; o que
subentende desvelada persistência, fervor e apego à oração. "Velar" (gr. gregoreo) significa estar espiritualmente vigilante ou alerta. (1) Para nos devotarmos intensamente à oração, devemos estar alertas diante das muitas coisas que poderiam desviar-nos desse propósito. Satanás e a fraqueza da natureza humana procurarão nos levar a negligenciar a oração, ou desviar nossos pensamentos  enquanto oramos. Por isso, devemos disciplinar-nos para alcançar a dimensão da oração que a vida vitoriosa cristã requer. (2) Essa era uma prática imprescindível dos membros da igreja do NT, batizados no Espírito Santo: "perseveraram... nas orações (At 2.42). Essa devoção a Deus, na oração, deve ser marcada por ação de graças a Cristo, pelo que Ele tem feito por nós.

2. Velando na oração (4.2b).
12.5 CONTÍNUA ORAÇÃO. Os crentes do NT enfrentavam a perseguição em oração fervorosa. A situação parecia impossível; Tiago fora
morto. Herodes mantinha Pedro na prisão vigiado por dezesseis soldados. Todavia, a igreja primitiva tinha a convicção de que a oração
feita por um justo pode muito em seus efeitos (Tg 5.16), e oraram de um modo intenso e contínuo a respeito da situação de Pedro. A
oração deles não demorou a ser atendida (vv. 6-17). As igrejas do NT freqüentemente se dedicavam à oração coletiva prolongada (1.4;
2.42; 4.24-31; 12.5,12; 13.2). A intenção de Deus é que seu povo se reúna para a oração definida e perseverante; note as palavras de
Jesus: A minha casa será chamada casa de oração (Mt 21.13). As igrejas que declaram basear sua teologia, prática e missão, no
padrão divino revelado no livro de Atos e noutros escritos do NT, devem exercer a oração fervorosa e coletiva como elemento vital da sua
adoração e não apenas um ou dois minutos por culto.

3. Orando com ação de graças (4.2b).
 Na igreja primitiva, o poder e presença de Deus e as reuniões de oração integravam-se. Nenhum volume de pregação, ensino, cânticos, música, animação, movimento e entusiasmo manifestará o poder e presença genuínos no Espírito Santo, sem a oração neo-testamentária, mediante a qual os crentes perseveravam unanimemente em oração e súplicas (1.14).

II. QUE DEUS NOS ABRA A PORTA DA PALAVRA (4.3)
Versículo 3. ORANDO TAMBÉM JUNTAMENTE POR NÓS. Levantai os vossos olhos das vossas próprias necessidades e do trabalho no qual Deus vos colocou e lembrai-vos dos Seus filhos e do Seu programa ao redor do mundo. Não useis o método da oração indefinida: "Senhor abençoa todos os obreiros"; mas sim lembrai-vos das necessidades individuais e dos problemas de cada um (1:9). Paulo não pediu a eles que orassem para que suas penas fossem aliviadas, nem que ele fosse libertado da prisão (v. 18). Muito menos procurava ele que sua vida fosse poupada (Filip. 4:11). Naquela hora negra seu único pensamento era QUE DEUS NOS ABRA UMA PORTA DA PALAVRA. Ele não estava envergonhado do Evangelho, ao contrário ele procurava oportunidades de proclamá-lo. Procuramos nós o mesmo? "Deus ouve e responde a orações." Escrevendo aos filipenses cerca de um ano mais tarde, Paulo menciona os resultados dessas orações (Filip. 1:12, 13).
PARA FALAR. Ele tinha que falar, não podia permanecer calado (v. 4). Ele queria falar do MISTÉRIO DE CRISTO. O mistério de Cristo é a palavra que Paulo procurava proclamar. Como em 1:5 e 3:16 refere-se à mensagem do Evangelho em geral e à pessoa de Cristo em particular. Aqui Paulo se refere especificamente à verdade revelada sobre nosso Senhor Jesus, Sua pessoa e trabalho como o Messias de Deus. A única oração de Paulo era que ele pudesse fazê-lO conhecido. Que censura dolorosa é esta para aqueles que, ou negam ou simplesmente negligenciam a Cristo! PELO QUAL TAMBÉM ESTOU PRESO. Ele estava pronto a morrer por Cristo, Estamos nós?

1. Deus abre a porta.
4.3 DEUS NOS ABRA A PORTA. O apóstolo Paulo confiava que Deus operava em sua vida, abrindo e fechando portas, a fim de orientar seu ministério. A frutificação da nossa vida e do nosso testemunho de Cristo depende tanto da sua providência quanto da sua intervenção direta. Devemos orar, pedindo a Deus que nos abra portas e indique onde devemos trabalhar (cf. At 16.6-10).
 
2. Falando do mistério de Cristo.
1) O “homem natural” se opõe a Deus (1 Co 2.14; Rm 8.7);
1Co 2.14,15 “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido”.
O homem/mulher natural (gr. psuchikos, 2.14), denota a pessoa irregenerada, i.e., governada por seus próprios instintos naturais (2Pe 2.12). Tal pessoa não tem o Espírito Santo (Rm 8.9), está sob o domínio de Satanás (At 26.18) e é escravo da carne com suas paixões (Ef 2.3). Pertence ao mundo, está em harmonia com ele (Tg 4.4) e rejeita as coisas do Espírito (2.14). A pessoa natural não consegue compreender a Deus, nem os seus caminhos; pelo contrário, depende do raciocínio ou emoções humanas.

2) O Diabo persegue de muitas maneiras, inclusive cegando os.entendimentos (Ef 2.2; 2 Co 4.4).
2.2 FILHOS DA DESOBEDIÊNCIA. Efésios 2.1-4 revela uma razão por que o cristão deve ter grande compaixão e misericórdia dos que ainda vivem em ofensas e pecados. (1) Todo aquele que está sem Cristo é controlado pelo "príncipe das potestades do ar", i.e., Satanás. Sua mente é obscurecida por Satanás, para que não veja a verdade de Deus (cf. 2 Co 4.3,4). Tais pessoas estão escravizadas pelo pecado e concupiscências da carne (v. 3; Lc 4.18). (2) A pessoa irregenerada, por causa de sua condição espiritual não poderá compreender, nem aceitar a verdade à parte da graça de Deus (vv. 5,8; 1 Co 1.18; Tt 2.11-14). (3) O cristão deve ver a todos do ponto-de-vista bíblico. Quem vive na imoralidade e no orgulho deve ser alvo da nossa compaixão, por causa da sua escravidão ao pecado e a Satanás (vv. 1-3; cf. Jo 3.16). (4) A pessoa sem Cristo é responsável pelo seu pecado, pois Deus dá a cada ser humano uma medida
de luz e graça, com a qual possa buscar a Deus e escapar da escravidão do pecado, mediante a fé em Cristo (Jo 1.9; Rm 1.18-32; 2.1-6).
 

III. COMO NOS CONVÉM FALAR (4.4)
Versículo 4. Paulo tinha pedido aos colossenses que orassem por ele, e agora declara o propósito do seu pedido. PARA QUE O MANIFESTE, COMO ME CONVÉM FALAR. Deus deu a Paulo um certo trabalho a fazer, o qual era, pregar o Evangelho (1:25). Ele foi compelido a evangelizar, mesmo que não tivesse querido fazê-lo (I Cor. 9:16, 17). Graças a Deus, Paulo não o fez com má vontade ou relutantemente! Ao contrário, ele tinha a mesma compaixão consumidora que arrastou nosso Senhor em direção a cruz (Mat. 9:36). Somos chamados a ganhar outros para Deus e, como Paulo, deveríamos ser "constrangidos pelo amor de Cristo" a aproveitar toda oportunidade (v. 5; II Cor. 5:14).

Romanos 16:25 Ora, àquele que é poderoso para vos confirmar segundo o meu evangelho e a pregação de Jesus Cristo, conforme a revelação do mistério que desde tempos eternos esteve oculto,
 
1 Coríntios 2:4 A minha palavra e a minha pregação não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração do Espírito e de poder,
2.4 EM DEMONSTRAÇÃO DO ESPÍRITO E DE PODER. (1) Como demonstração do poder do Espírito Santo (1.18,24), a pregação de Paulo incluía (a) a ação do Espírito Santo, que convence as pessoas do pecado, da justiça e do juízo, e o testemunho que Ele dá do poder salvífico do Cristo ressurreto (cf. caps. 5-6; ver Jo 16.8; At 2.36-41); (b) o poder de transformar vidas (1.26,27; cf. At 4.13); (c) o poder de levar a efeito a santidade no crente (5.3-5); e (d) o poder de Deus manifesto por sinais e maravilhas (At 2.29-33; 4.29,30; 5.12; 14.3; 2 Co 12.12). (2) Vários outros trechos do NT acentuam que a pregação do evangelho nos tempos neo-testamentários era acompanhada de poder especial do Espírito Santo: Mc 16.17,18; Lc 10.19; At 28.3-6; Rm 15.19; 1 Co 4.20; 1 Ts 1.5; Hb 2.4. (3) Todo ministro do evangelho deve orar para que, através do seu ministério: (a) o povo seja salvo (At 2.41; 11.21,24; 14.1), (b) os novos crentes sejam cheios do Espírito Santo (At 2.4; 4.31; 8.17; 19.6), (c) os espíritos malignos sejam expulsos (At 5.16; 8.7; 16.18), (d) os enfermos
sejam curados (At 3.6; 4.29,30; 14.10), e (e) os discípulos aprendam a obedecer aos padrões e ensinos justos de Cristo (Mt 28.18-20;At 11.23,26)

1 Tessalonicenses 2:13 Pelo que também damos, sem cessar, graças a Deus, pois, havendo recebido de nós a palavra da pregação de Deus, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós,os que crestes.
 

IV. O TESTEMUNHO QUE FAZ DIFERENÇA (4.5-6)
 
TESTEMUNHO
1. O QUE SIGNIFICA TESTEMUNHO
- É o exemplo de vida cristã.
- É a visão que o ímpio tem de que uma pessoa foi transformada.
- É a genuína expressão do Evangelho do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo na vida.
2. O CRENTE DEVE DAR BOM TESTEMUNHO
- Sl 26.7 - Publicar com voz e contar.
- Sl 119.172 - A minha língua falará.
- Sl 145.11 - ...relatarão o teu poder.
3. QUEM É O CRENTE QUE DÁ BOM TESTEMUNHO
- Aquele em que o Senhor fez alguma coisa - I Cr 16.8.
- Aquele que teme ao Senhor - Sl 60.4.
- Aquele que foi remido pelo Senhor - Sl 107.2.
- Aquele que reconhece a soberania de Deus - Is 12.4.

4. DE QUE MANEIRA O CRENTE DEVE DÁ TESTEMUNHO CRISTÃO
- Incessantemente - Is 62.6.
- No lar - Mc 5, 18, 19.
- Cheio do Espírito Santo - At. 1.8.
- Na assembléia dos santos - Ef 5.19.
- Sem temor ou vergonha - 2 Tm 1.8.
- Com prontidão constante - I Pe 3.15.
5. AS PROVAS DE UM VERDADEIRO TESTEMUNHO
- Testemunho por uma experiência pessoal - Sl 66.16.
- Testemunho por entender que é um dever diário - Ml 3.16.
- Testemunho para relatar as bênçãos de Deus - Is 63.7.
- Testemunho porque há um fogo no seu intimo - Jr 20.9.
- Testemunho inspirado pelo Espírito Santo - At 2.4.
- Testemunho por compromisso com a sua fé - At 4.20.
- Testemunho por ter crido em Jesus - II Co 4.13.

6. A MAL TESTEMUNHO DO CRENTE
- O mal testemunho do crente provoca escândalo - Rm 14.15 - II Co 6.3.
- O mal testemunho do crente exerce má influência - Rm 14.15.
- O mal testemunho do crente impede o crescimento da obra - At 28.31.
- O mal testemunho do crente forma juízo geral sobre demais irmãos - I Co 6.8.
 
7. TIPOS COMUNS DE MAL TESTEMUNHO DO CRENTE
- No Lar - brigas, desmando, autoridade excessiva, gritos, confusões, conversações, mentiras.
- Na Rua - Companhias, vestes, falar, proceder, comentários sobre vida alheia.
- Nas Empresas - Compras e não pagamento, emissão de cheque sem fundo, trambiques.
- Na Igreja - Vestimentas, comportamento, falar, proceder, respeito, amor e prática.
- Nos estabelecimentos de Ensino - Companhias, conversações, piadas, abjuração, negação.
- No trabalho - Conversações, procedimentos, pontualidade, assiduidade e respeito, negação.
- Na vizinhança - Conversações, procedimentos, brigas, desrespeito, comentários da vida alheia.
Versículo 5. Tendo pedido que eles orassem para que seu testemunho surtisse efeito (vv. 3,4), Paulo agora volta-se e dá-lhes algumas sugestões que os ajudarão a trazer outros a Cristo. Primeiro, ANDAI COM SABEDORIA PARA COM OS QUE ESTÃO DE FORA. Nossos costumes e hábitos diários devem ser governados pela mente divina de Cristo (I Cor. 2:16). "Sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas" (Mat. 10:16). Andar com sabedoria é equivalente a andar nEle (2:6). Nenhum cristão deveria dar aos incrédulos qualquer base para caluniar Cristo ou Sua Igreja (1:22; I Tim. 3:7). Somos abençoados quando as pessoas nos acusam "falsamente" (Mat. 5:11). A igreja primitiva tinha poder e pureza em sua união com Cristo (Atos 5:12, 13). Temos nós?
Enquanto vivemos entre incrédulos, devemos estar REMINDO A OPORTUNIDADE, que é, salvando-a de perder-se. Há horas quando não é aconselhável falar, há outras que, apesar de fugazes, são perfeitas para testificar para glória de Deus. Não devemos permitir que estas últimas escapem de nós. Esta recomendação de "aproveitar-se" o tempo, veio de um homem na prisão, um que poderia não ter tido mais nenhuma oportunidade. Nunca sabemos quando teremos outra oportunidade de alcançar a mesma pessoa.
Versículo 6. Tendo pedido a eles que orassem por ele para que tivesse oportunidade de testificar (v. 3), Paulo agora fala do testemunho deles diante do mundo. A VOSSA PALAVRA SEJA SEMPRE AGRADÁVEL. Nosso "andar com sabedoria" (v. 5) deve ser bonito e com tacto. Não apenas de vez em quando, ou quando nos sentimos dispostos a isto--não! Devemos sempre ter a mesma prudência--uma que brote normalmente do coração. TEMPERADA COM SAL não significa que devemos esfregar sal nas feridas ocasionadas por observações ferinas. Ao contrário, nossas palavras devem ter a qualidade do sal. Assim como o cozinheiro deve ser cuidadoso na quantidade, assim devemos nós colocar o sal, nem muito pouco, nem demais em nossa conversação. Muito pouco é ineficaz e demais causa repulsa. Se bem que somente o Espírito Santo possa nos guiar corretamente neste assunto, seremos julgados por aquilo que dissermos e pelo efeito que as nossas palavras produzirem (Mat. 12:33-37).
 
1. Andando com sabedoria (4.5).
1 Tessalonicenses 4.12 para que andeis honestamente para com os que estão de fora e não necessiteis de coisa alguma.
Romanos 13.13 Andemos honestamente, como de dia, não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja.
 
2 Coríntios 8.21 pois zelamos o que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens.
 
Colossenses 4.5 Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo.
 
1 Pedro 2.12 tendo o vosso viver honesto entre os gentios, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de
malfeitores, glorifiquem a Deus no Dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem.
 
1Pe 2.11 PEREGRINOS E FORASTEIROS. Nossa nova condição de possessão peculiar de Deus nos separa do povo deste mundo e nos faz peregrinos aqui. Vivemos numa terra à qual não pertencemos. Nossa verdadeira cidadania está no céu com Cristo (cf. Fp 3.20; Hb 11.9-16). Por sermos estrangeiros nesta terra, devemos abster-nos dos prazeres malignos deste mundo, que procuram destruir nossa alma

2. Remindo o tempo (Cl 4.5).
Efésios 5.15 Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, 16 remindo o tempo, porquanto os dias são maus.

V. A PALAVRA DO CRENTE (4.6)
PARA QUE SAIBAIS COMO CONVÉM CADA UM RESPONDER AO OUTRO. O propósito da graciosidade e tempero é elevar nossa conversação e torná-la apropriada. Ele diz responder, referindo-se à nossa resposta às perguntas e problemas sobre vida e salvação. Devemos não somente crer, mas saber "o que" cremos e como colocar esse conhecimento em palavras agradáveis e que conquistem. Não somente o clero mas todos os Seus filhos devem estar prontos a dar uma resposta pela esperança que repousa dentro deles (I Pedro 3:15.).
4.6 VOSSA PALAVRA... AGRADÁVEL... COM SAL.
1. Palavra agradável.
A conversa do crente deve ser agradável, cativante, amável e graciosa. Deve ser uma linguagem originada na graça de Deus operando em nosso coração, que contenha a verdade com amor (Ef 4.15).

2. Temperada com sal.  "Temperada com sal" pode significar conversa apropriada e marcada pela pureza, em vez de corrupção (cf. Ef 4.29).

3. Palavra conveniente (4.6). A conversa com graça, no entanto, não exclui palavras enérgicas e severas, quando necessário for, para tratar com crentes falsos, inimigos da cruz (ver Mt 23; At 15.1,2; Gl 1.9).
 

CONCLUSÃO
UMA VIDA EM ORAÇÃO é o único caminho a seguir para quem deseja ser vencedor; QUE DEUS NOS ABRA A PORTA DA PALAVRA (4.3) deve ser a oração do crente que deseja fazer a obra de DEUS, ganhando almas; COMO NOS CONVÉM FALAR (4.4) é desejar sabedoria de DEUS para penetrar nas mentes com a Palavra de DEUS; O TESTEMUNHO QUE FAZ DIFERENÇA (4.5-6) é uma vida nas mãos de DEUS;
A PALAVRA DO CRENTE deve ser a Cruz de CRISTO para salvação de todo o que crer.
 
Questionário da Lição 11 - Colossenses - A Oração E O Testemunho Do Cristão
Por Ev.Luiz Henrique www.henriqueestudos.cjb.net
 
Texto Áureo:
1- Complete: 'Perseverai em ________________, Velando nela com ação de ________________".(Cl 4.2)
Verdade Prática:
2- O estudo da Palavra e a vida de oração, em constante ação de graças, são a base de que?
( ) Da salvação através da obras de cada um    ( ) Do verdadeiro testemunho cristão
Tópico I - Uma Vida Em Oração
3- O que quer dizer "Perseverar"?
( ) Partir para o ataque, investir contra    ( ) Dedicar-se, Continuar firme, fervor e apego à oração
4- Qual o segredo do sucesso pessoal e também da igreja no sentido coletivo?
( ) Sua riqueza material    ( ) A Oração    ( ) Sua posição social    ( ) O partido político a que pertence
5- Em que perseveravam os primeiros cristãos?
( ) Nas orações    ( ) Em fugir dos romanos    ( ) Em pregar somente entre si mesmos
6- O que quer dizer "Velar"?
( ) Vigiar um defunto    ( ) Passar a noite em oração    ( ) Estar vigilante, estar alerta
7- Qual um terceiro elemento na oração que é muito importante, além da perseverança e da vigilância?
( ) A posição do corpo    ( ) A veste de quem ora    ( ) A ação de graças
Tópico II - Que DEUS Nos Abra A Porta Da Palavra
8- O que é necessário para que o evangelho seja pregado?
( ) Basta que haja pregadores    ( ) Gente para ouvir    ( ) Que a Porta da Palavra esteja aberta
9- Quem pode abrir e através de que a porta da Palavra é aberta?
(  ) O pregador do evangelho através de sua pregação    (  ) DEUS. Através da oração
10- Qual o mistério que esteve oculto, segundo Paulo?
( ) A crucificação de CRISTO    ( ) A morte de CRISTO    ( ) CRISTO em vós, esperança da glória
Tópico III - Como Nos Convém Falar
11- O que quer dizer "Manifeste"?
( ) Manter a postura radical e separada    ( ) Falar sem se importar com os ouvintes    ( ) Tornar claro, compreensível, público
Tópico IV - O Testemunho Que Faz Diferença
12- O que são de fato os seguidores de CRISTO, neste mundo?
( ) As pessoas mais importantes para o mundo    ( ) Os eternos moradores    ( ) Peregrinos e forasteiros
13- O que é flagrante na vida de muitos que se dizem cristãos?
( ) A valorização de seu tempo assistindo TV, nas leituras dos jornais e revistas seculares e no lazer 
( ) A perca de tempo na TV, nas leituras indesejáveis e no duvidoso lazer 
Tópico V - A Palavra Do Crente
14- O que é "Palavra Agradável"?
( ) Graciosa, Palavra que atrai ao que ouve    ( ) Palavra que agrada a todos
15- O que é "Temperada Com Sal"?
( ) Palavra dada na hora das refeições    ( ) Palavra com unção de DEUS, Que mantém o ouvinte atento
16- Complete: Cada pessoa com quem se _________________, tem uma __________________
diferente de __________________ ao que se lhe transmite.
Conclusão:
17- Marque com "V" para Verdadeiro e "F" para Falso
Os Crentes Em JESUS São:
( ) Livres para pecar    ( ) Geração eleita    ( ) Sacerdócio real    ( ) Povo triste
( ) Povo adquirido para anunciar JESUS    ( ) Povo pobre e sem valo
 
 
Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
 Eu