LIÇÃO 12 - O ARREBATAMENTO DA IGREJA E AS ÚLTIMAS COISAS
 
TEXTO ÁUREO:
“Sede vós também pacientes, fortalecei o vosso coração, porque já a vinda do Senhor está próxima... Eis que o juiz está à porta” (Tg 5.8,9).
 
VERDADE PRÁTICA:
A volta de Jesus não é uma hipótese teológica; é uma verdade bíblica inquestionável e infalível.
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE : 1 TESSALONICENSES 4.13-18
LEITURA DIÁRIA
Segunda
Ap 16.15
Jesus virá como o ladrão.
Terça
Mc 13.35
Jesus virá inesperadamente.
Quarta
Lc 18.8
Jesus virá num tempo de incredulidade.
Quinta
Mt 25.5
Jesus virá quando muitos estiverem dormindo.
Sexta
Lc 21.34
Jesus virá de improviso.
Sábado
1 Ts 4.16
Jesus virá ante o toque da última trombeta.
 
 
OBJETIVOS:
Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:
Definir o termo arrebatamento.
Explicar como será o arrebatamento.
Distinguir o pré-milenismo do pré-tribulacionismo.
 
PONTO DE CONTATO:
Professor, Escatologia é a disciplina da Teologia que estuda os eventos futuros narrados nas Escrituras. O termo é proveniente de duas palavras gregas: eschatos, que tem o sentido de “último” numa sucessão, e, logia, “estudo” ou “tratado”. Como você já percebeu, o tema das últimas coisas é recorrente em Lições Bíblicas. Não se trata de mera repetição, mas de proclamação insistente e contínua de que Jesus breve virá.
 
 
SÍNTESE TEXTUAL:
O termo “arrebatado”, em 1 Tessalonicenses 4.17, refere-se ao supremo evento da primeira fase da segunda vinda de Cristo. A expressão “a encontrar o Senhor”, pode também ser traduzido “para um encontro com o Senhor”. “Encontro” era um termo técnico freqüentemente usado para descrever o encontro dos cidadãos com os reis ou generais, nalguma distância fora da cidade, a fim de os escoltarem a esta. Esse conceito histórico descreve com muita propriedade o “encontro de Cristo com os santos”. No entanto, é o Rei que nos conduzirá à cidade celestial, para lá vivermos para todo o sempre.
 
 
ORIENTAÇÃO DIDÁTICA:
Professor, para esta lição, recomendamos um recurso didático denominado “Linha do Tempo ou da História”. Esse auxílio tem por objetivo principal, sintetizar fatos históricos relevantes. Ele indica passado, presente e futuro; tempo histórico e profético. Através de retas, intenta-se mostrar a relação de seqüência, causa e efeito de determinados eventos significativos. Com esse gráfico os alunos poderão visualizar os principais conceitos da lição.
Por isso, observe atentamente os ícones do gráfico e a relação destes com os textos que representam ou ilustram. Preste atenção nos fatos passados e sua relação de causa e efeito com o presente – tempo histórico. Concernente ao tempo profético, futuro, descreva os principais fatos representados no gráfico abaixo com fundamentação histórica e bíblica.
 
 
 
 
 
COMENTÁRIO:
INTRODUÇÃO
 
Sendo o Cristianismo um relacionamento amoroso e vital com o Cristo de Deus (Jo 15.4), leva-nos a aguardar ansiosamente por sua volta.
Nesta lição, veremos o que a Palavra de Deus ensina sobre o arrebatamento da Igreja.
Está você preparado para esse grande dia? Jesus está às portas! Em breve a trombeta soará.
 
I. A IGREJA SERÁ ARREBATADA ANTES DA GRANDE TRIBULAÇÃO
 
Não são poucos os que confundem o pré-milenismo com o pré-tribulacionismo. Vejamos as diferenças entre ambas as posições.
1. Pré-milenismo. Como o próprio nome o indica, o pré-milenismo ensina que a Igreja passará pela Grande Tribulação, mas será arrebatada antes do estabelecimento do Milênio.
2. Pré-tribulacionismo. O pré-tribulacionismo afirma que Jesus arrebatará a Igreja antes da Grande Tribulação. Esta posição acha-se em perfeita harmonia com as Sagradas Escrituras (Ap 3.10). Examinar também Lc 21.35,36; 1 Ts 1.10; 5.9.
O arrebatamento tem a ver com a Igreja; a manifestação visível de Jesus em glória tem a ver: 1) com o livramento de Israel do poder do Anticristo, e 2) com o julgamento das nações. Jesus, por conseguinte, virá buscar a sua Igreja antes da Grande Tribulação. A seguir, veremos o que é o arrebatamento dos santos.
 
II. O ARREBATAMENTO DA IGREJA
 
Consideremos o arrebatamento da Igreja em dois sentidos: etimológico e bíblico-teológico. Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, encontramos centenas de passagens sobre essa doutrina.
1. Sentido etimológico. A palavra arrebatamento, no contexto da escatologia bíblica significa tirar com rapidez e de forma inesperada. Quando o Novo Testamento foi traduzido para o latim, optou-se pelo vocábulo raptus que, originando-se do verbo raptare, comporta os seguintes significados: tirar, arrancar, tomar das mãos alguma coisa de forma violenta.
2. Definição bíblico-teológica. O arrebatamento é a retirada imprevista e repentina da Igreja deste mundo, pelo poder de Deus, para que, trasladada às regiões celestes, esteja para sempre com o Senhor Jesus. O Novo Testamento dedica duas passagens ao arrebatamento da Igreja: 1 Co 15 e 1 Ts 4. Nesta, Paulo descreve o rapto dos santos; naquela, mostra como nossos corpos serão glorificados.
 
III. QUANDO SE DARÁ O ARREBATAMENTO?
 
Embora o arrebatamento esteja mui próximo, ninguém sabe, nem pode afirmar, quando ele se dará. Aliás, a Bíblia adverte para ninguém especular quanto à data do arrebatamento. Tudo o que sabemos é que Jesus está às portas.
1. O tempo do arrebatamento. O arrebatamento dar-se-á a qualquer instante. Jesus Cristo virá como o ladrão (1 Ts 5.4; 2 Pe 3.10). Vigiemos para que este dia não nos surpreenda. A exortação é do próprio Cristo: “Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas” (Ap 16.15).
2. Prenúncios do arrebatamento. A maioria dos sinais e das profecias, prenunciando o retorno de Cristo, já é uma realidade. O que dizer da criação do Estado de Israel? E as guerras e rumores de guerra? E as fomes? E as pestes? E as sucessivas catástrofes? Permaneceremos indiferentes à imoralidade que vai enlameando os lares? Não reagiremos à apostasia que ameaça a Igreja de Cristo? Leia com atenção todo o capítulo 24 de Mateus. É impossível não ver os sinais da vinda de Cristo.
As advertências aí estão; não podemos brincar de crentes; temos de levar a sério nossa vida espiritual.
 
IV. COMO SE DARÁ O ARREBATAMENTO?
 
O apóstolo Paulo assim descreve o arrebatamento da Igreja de Cristo aos irmãos de Tessalônica:
1. Ressoada a trombeta de Deus, descerá o Senhor Jesus dos céus com alarido e voz de arcanjo (1 Ts 4.16).
2. Ato contínuo, os que dormem em Cristo ressuscitarão e, imediatamente, serão trasladados às regiões celestes para encontrar o Senhor nos ares (1 Ts 4.16).
3. Quanto aos que estiverem vivos, seremos transformados, arrebatados e levados ao encontro do Senhor (1 Ts 4.17).
A glorificação dos santos, quer vivos quer mortos, ocorrerá num momento (1 Co 15.52). A palavra no original grego, para “momento”, é mui expressiva: atomō. Trata-se de uma fração de tempo tão ínfima que não comporta nenhuma divisão. Ao exemplificar tal fração, Paulo traz à tona uma imagem comum a todos nós: o abrir e fechar de olhos; um instante pequeno demais para ser mesurado segundo a noção de tempo do ser humano.
Afinal, o que temos aqui? Um ato ou um processo? Sem dúvida, um ato repentino; um milagre. É algo que desafia as leis da física.
 
CONCLUSÃO
 
A qualquer momento, virá o Senhor Jesus arrebatar a sua Igreja. Esta é a nossa bendita esperança (Tt 2.13). Não fora este lenitivo, nossa vida seria insuportável. Como, porém, nossa existência não se acha circunscrita a este mundo, em breve, ante o estrugir da última trombeta, seremos tomados pelo Senhor e, com o Cordeiro de Deus, estaremos para sempre.
“Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras” (1 Ts 4.18).
Está você preparado para o arrebatamento? Como está a sua vida espiritual? Tem orado regularmente? Tem guardado o seu coração do mal? Que o Senhor não nos encontre despercebidos.
 
 
AUXÍLIOS SUPLEMENTARES:
Subsídio Teológico
 
“O Arrebatamento
A definição da ‘segunda vinda de Cristo’ é bastante ampla; é vista pelo menos de duas maneiras diferentes. É localizada, às vezes, para indicar o drama dos tempos do fim, abrangendo tanto o arrebatamento da Igreja quanto a revelação de Cristo em glória no monte das Oliveiras (Zc 14.4). Outras vezes, é enfocada especificamente para diferençar a revelação de Cristo do arrebatamento da Igreja que a antecederá.
A primeira fase da segunda vinda de Cristo, tomada em sentido mais amplo, refere-se ao arrebatamento da Igreja. Abruptamente, e sem aviso prévio, Jesus levará os que se acharem preparados à sua vinda (1 Ts 4.16-18; 2 Ts 2.1). Os que estiverem ‘em Cristo’, tanto os ressuscitados quanto os que se encontram vivos, serão conjuntamente ‘arrebatados’. O vocábulo grego harpagesometha significa ‘arrebatados poderosamente’ às nuvens (possivelmente nuvens de glória) para se encontrarem com Ele nos ares.
Em harpazo, há um tempo verbal futuro passivo usado para descrever a ação dos ladrões e das águias: ambos, furtivamente, apropriam-se de seus despojos. É o caso de Paulo que foi levado de repente e com grande poder ao terceiro céu (2 Co 12.2). O latim traduziu esse termo por raptus, que é a raiz da palavra portuguesa ‘arrebatamento’, mostrando que essa palavra torna-se um termo legítimo para designar este tão maravilhoso evento previsto tantas vezes pela Bíblia.”
(MENZIES, W.W., HORTON, S.M. Doutrinas bíblicas: os fundamentos da nossa fé. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.179.)
 
****************************************************************************************************************************************
 
O Arrebatamento Da Igreja
Questionário      Não deixe de ler www.henriqueestudos.cjb.net/noivado.htm
 
Texto Áureo:
“Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados”
(1 Co 15.52).
 
Verdade Prática:
“O clarim já nos alerta; Nosso coração desperta; Pois a vinda é bem certa de Jesus” (Harpa Cristã 206).

Leitura Diária:
Segunda 1 Ts 4.17 Nós seremos arrebatados
17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.
4.18 CONSOLAI-VOS UNS AOS OUTROS. Paulo inspira esperança nos tessalonicenses, não lhes dizendo que se preparem para o martírio durante o período do "Dia do Senhor" (5.2-10), i.e., a tribulação (Ap 6.19), mas mediante a mensagem sobre o arrebatamento (vv.14-17; Jo 14.3; 1 Co 15.51-58). Mediante o conhecimento dessa doutrina, poderão consolar uns aos outros e saberem que não passarão pela tribulação, antes, porém serão arrebatados, ou seja, levados para o céu.

Terça 1 Ts 4.17 Nós iremos ao encontro do Senhor nos ares
17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.
Jo 14.3 VIREI OUTRA VEZ. (1) Tão certamente como Cristo subiu ao céu, Ele voltará para levar seus seguidores para si mesmo, conduzindo-os à casa do Pai (ver 14.2; cf. 17.24), o lugar que lhes está preparado. Esta era a esperança dos crentes dos tempos do NT, e de igual modo, a de todos os crentes de hoje. O propósito supremo da volta do Senhor é ter os crentes com Ele para sempre. (2) A expressão "vos levarei para mim mesmo" fala
da esperança futura de todos os crentes vivos naquele momento, quando então serão "arrebatados juntamente com eles nas nuvens a
encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor" (1 Ts 4.17). (3) A vinda de Cristo para buscar os seus fiéis,
livra-los-á da futura "hora da provação" que sobrevirá ao mundo (ver Lc 2.36-38; Ap 3.10; 1 Ts 1.10; 5.9)
 
Quarta Lc 17.34-36 Nós seremos tomados pelo Senhor
 34 Digo-vos que naquela noite estarão dois numa cama; um será tomado, e o outro será deixado. 35 Duas estarão juntas, moendo; uma será tomada, e a outra será deixada. 36 Dois estarão no campo; um será tomado, e o outro será deixado.
Mt 24.40 24 SERÁ LEVADO UM, E DEIXADO O OUTRO. A declaração de Cristo, de que será levado um, e deixado o outro , precede sua exortação aos santos da igreja (vv. 42-44). Portanto, as palavras será levado um, e deixado o outro provavelmente referem-se aos santos da igreja, tirados dentre os ímpios no arrebatamento (ver Jo 14.3) Jesus ressalta o elemento surpresa, para os crentes da igreja (ver v. 37)

Quinta 1 Co 15.51,52 Nós seremos transformados
51Eis que vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, 52 num momento, num abrir e fechar de olhos, ao soar a última trombeta. Pois a trombeta soará, e os mortos ressurgirão incorruptíveis, e nós seremos transformados.
15.35-54 COMO RESSUSCITARÃO OS MORTOS? Paulo começa aqui uma exposição da doutrina da ressurreição dos mortos em seus
detalhes.
15.51 UM MISTÉRIO. O mistério que Paulo revela é que quando Cristo voltar do céu para buscar a sua igreja, os crentes que ainda estiverem vivos na terra terão seus corpos em um instante transformados, feitos imperecíveis e imortais (ver Jo 14.3)
15.51 NEM TODOS DORMIREMOS. O emprego que Paulo faz de "nós", indica que ele esposava a perspectiva do NT, i.e., de Cristo vir buscar os fiéis ainda naquela geração. Embora Cristo não tenha voltado durante a vida de Paulo, este não estava confundido. O apóstolo tinha razão ao crer assim, porque sabia que Cristo poderia voltar a qualquer momento. Todos aqueles que esperam a volta de Cristo, durante a sua vida aqui, crêem da mesma forma. As palavras de Jesus e a totalidade do NT conclamam todo crente a crer que estamos na última hora, e, que ele deve viver na esperança que Cristo voltará durante a sua vida (cf. 1.7,8; Rm 13.12; Fp 3.20; 1 Ts 1.10; 4.15-17; Tt 2.13; Tg 5.8-9; 1 Jo 2.18,28; Ap 22.7,12,20; ver Mt 24.42,44; Lc 12.35). Logo, aqueles que não o aguardam já nesta vida, não estão vivendo de conformidade com o padrão apostólico.
15.52 SEREMOS TRANSFORMADOS.
A RESSURREIÇÃO DO CORPO - 1Co 15.35 “Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?”
A ressurreição do corpo é uma doutrina fundamental das Escrituras. Refere-se ao ato de Deus, de ressuscitar dentre os mortos o corpo do salvo e reuni-lo à sua alma e espírito, dos quais esse corpo esteve separado entre a morte e a ressurreição.
(1) A Bíblia revela pelo menos três razões por que a ressurreição do corpo é necessária. (a) O corpo é parte essencial da total personalidade do homem; o ser humano é incompleto sem o corpo. Por conseguinte, a redenção que Cristo oferece abrange a pessoa total, inclusive o corpo (Rm 8.18-25). (b) O corpo é o templo do Espírito Santo (6.19); na ressurreição, ele voltará a ser templo do Espírito. (c) Para desfazer o resultado do pecado em todas as áreas, o derradeiro inimigo do homem (a morte do corpo) deve ser aniquilado pela ressurreição (15.26).
(2) Tanto as Escrituras do AT (cf. Hb 11.17-19 com Gn 22.1-4; Sl 16.10 com At 2.24ss; Jó 19.25-27; Is 26.19; Dn 12.2; Os 13.14), como as Escrituras do NT (Lc 14.13,14; 20.35,36; Jo 5.21,28,29; 6.39,40,44,54;  Co 15.22,23; Fp 3.11; 1Ts 4.14-16; Ap 20.4-6,13) ensinam a ressurreição futura do corpo.
(3) Nossa ressurreição corporal está garantida pela ressurreição de Cristo (ver Mt 28.6; At 17.31; 1Co 15.12,20-23).
(4) Em termos gerais, o corpo ressurreto do crente será semelhante ao corpo ressurreto de Nosso Senhor (Rm 8.29; 1Co 15.20,42-44,49; Fp 3.20,21; 1Jo 3.2). Mais especificamente, o corpo ressurreto será: (a) um corpo que terá continuidade e identidade com o corpo atual e que, portanto, será reconhecível (Lc 16.19-31); (b) um corpo transformado em corpo celestial, apropriado para o novo céu e a nova terra (15.42-44,47,48; Ap 21.1); (c) um corpo imperecível, não sujeito à deterioração e à morte (15.42); (d) um corpo glorificado, como o de Cristo (15.43; Fp 3.20,21); (e) um corpo poderoso, não sujeito às enfermidades, nem à fraqueza (15.43); (f) um corpo espiritual (i.e., não natural, mas sobrenatural), não limitado pelas leis da natureza (Lc 24.31; Jo 20.19; 1Co 15.44); (g) um corpo capaz de comer e beber (Lc 14.15; 22.16-18,30; 24.43; At 10.41).
(5) Quando os crentes receberem seu novo corpo se revestirão da imortalidade (15.53). As Escrituras indicam pelo menos três propósitos nisso: (a) para que os crentes venham a ser tudo quanto Deus pretendeu para o ser humano, quando o criou (cf. 2.9); (b) para que os crentes venham a conhecer a Deus de modo completo, conforme Ele quer que eles o conheçam (Jo 17.3); (c) a fim de que Deus expresse o seu amor aos seus filhos, conforme Ele deseja (Jo 3.16; Ef 2.7; 1Jo 4.8-16).
6) Os fiéis que estiverem vivos na volta de Cristo, para buscar os seus, experimentarão a mesma transformação dos que morrerem em Cristo antes do dia da ressurreição deles (15.51-54). Receberão novos corpos, idênticos aos dos ressurretos nesse momento da volta de Cristo. Nunca mais experimentarão a morte física.
(7) Jesus fala de uma ressurreição da vida, para o crente, e de uma ressurreição de juízo, para o ímpio (Jo 5.28,29).

Sexta Lc 20.34-36 Nós seremos iguais aos anjos
34 Respondeu-lhes Jesus: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento.35 Mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro, e a ressurreição dentre os mortos, não hão de se casar, nem ser dados em casamento, 36 e não podem mais morrer; pois são como os anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.
IGUAIS AOS ANJOS. Sobre a vida do crente no futuro, Jesus revela que ela começa com a ressurreição dentre os mortos; e que ela inclui um corpo glorificado que nunca morrerá, porém não inclui relacionamentos terrenos como o casamento. Isto não quer dizer que os crentes não conhecerão uns aos outros. Jesus, depois da sua ressurreição, foi reconhecido por seus discípulos (24.31-39; Mt 28.9).

Sábado 1 Jo 3.2 Nós seremos semelhantes a Cristo
2 Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque assim como é, o veremos.
Gl 4.6 O ESPÍRITO... QUE CLAMA: ABA, PAI. Uma das tarefas do Espírito Santo é criar no filho de Deus a convicção da filiação e de amor filial que o leva a conhecer a Deus como Pai. (1) O termo "Aba" é aramaico e significa "Pai". Era a palavra que Jesus empregava quando se referia ao Pai celestial. A combinação da palavra aramaica Abba com a palavra grega que significa "Pai" (gr. pater), expressa a grande intimidade, a profunda emoção, o anelo, o afeto e a confiança mediante os quais o Espírito Santo nos leva a clamar a Deus (cf. Mc 14.36; Rm 8.15,26,27). Dois sinais determinantes da obra do Espírito dentro de nós são o nosso apelo espontâneo a Deus como
"Pai" e a nossa obediência espontânea a Jesus como "Senhor" (ver 1 Co 12.3). (2) Nesta passagem, Paulo teria em mente, sobretudo, o batismo no Espírito Santo e sua plenitude contínua (cf. At 1.5; 2.4; Ef 5.18), pois define nossa filiação com Deus como a causa do envio do Espírito a nós por já sermos "filhos" pela fé em Cristo. E Deus derrama o Espírito em nossos corações! A "adoção de filhos" (v. 5) precede o envio do Espírito do Filho de Deus (ver 3.5).
 
Leitura Bíblica Em Classe: 1 TESSALONICENSES 4.13-18
13 Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. 14 Cremos que Jesus morreu e ressurgiu, assim também cremos que aos que dormem em Jesus, Deus os tornará a trazer com ele.15 Dizemo-vos isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. 16 Pois o mesmo Senhor descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. 17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. 18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.
4.13 ACERCA DOS QUE JÁ DORMEM. Esta expressão refere-se aos crentes que já tinham morrido e cujas almas estavam no céu; não significa que os mortos estejam inconscientes, como num tipo de sono da alma (cf. Fp 1.21). Os tessalonicenses não compreendiam o nexo entre a ressurreição dos cristãos falecidos e o arrebatamento dos vivos (ver Jo 14.3). Ao que parece, eles acreditavam que os mortos ressuscitaria, mas muitos depois da vinda de Cristo (vv. 16, 17). Paulo lhes informa que os mortos em Cristo ressuscitarão na mesma ocasião em que o Senhor voltar para buscar a sua igreja.
4.14-18 A VINDA DO SENHOR. O evento descrito por Paulo nestes versículos é freqüentemente chamado "o arrebatamento da igreja".
4.18 CONSOLAI-VOS UNS AOS OUTROS. Paulo inspira esperança nos tessalonicenses, não lhes dizendo que se preparem para o martírio durante o período do "Dia do Senhor" (5.2-10), i.e., a tribulação (Ap 6.19), mas mediante a mensagem sobre o arrebatamento.
14-17; Jo 14.3; 1 Co 15.51-58). Mediante o conhecimento dessa doutrina, poderão consolar uns aos outros.

Comentários:
Introdução:
O Arrebatamento é o divisor de épocas na história do povo cristão na terra.
Assim como o Dilúvio, A Torre de Babel, A chamada de Abraão, O reinado de Davi, A vinda de JESUS (sua morte e ressurreição); assim também o Arrebatamento marca a introdução ao fim da existência humana sobre a terra, pois logo após o Arrebatamento vem a Grande Tribulação, depois o Milênio e depois o Juízo Final e o fim de todas as coisas que hoje existem na terra.
O Arrebatamento pré-tribulacional ensina que, antes do período de sete anos conhecido como Tribulação, todos os membros do corpo de Cristo (tanto os vivos quanto os mortos) serão arrebatados nos ares para o encontro com Jesus Cristo e depois serão levados ao céu.

I. A VOLTA DO SENHOR JESUS

1. Sentido literal.
O termo “arrebatamento” deriva da palavra raptus em latim, que significa “arrebatado rapidamente e com força”. O termo latino raptus equivale a harpazo em grego, traduzido por “arrebatado” em 4.17. Esse evento, descrito aqui e em 1Co 15, refere-se à ocasião em que a igreja do Senhor será arrebatada da terra para encontrar-se com Ele nos ares. O arrebatamento abrange apenas os salvos em Cristo.
ESTUDO DE PALAVRAS ESCRITAS NA LÍNGUA GREGA
a)Optomai - ( aparecer ) aparecerá pela segunda vez ( Hb 9:28 )
b)Ercomai - ( vir ) virei outra vez ( Jo 14:3 )
c)Epphanos - ( aparição ) aparição de Nosso Senhor ( I Tm 6:14 )
d)Apokalypsi - ( revelação, desvendamento ) manifestação ( I Co 1:7 )
e)Parousia - ( presença e ou vinda ) vinda ou retorno ( II Ts 2:8 )
ARREBATAMENTO - Tirar com violência ou força arrancar, levar, desprender de um ímpeto, extasiar. ( Aurélio , Buarque de Holanda Ferreira ) .
Gramaticalmente temos a idéia que arrebatamento é uma ação conjunta, rápida e de forma precisa e violenta, eis a razão que o Apóstolo São Paulo nos ensina que será tão rápido como um abrir e fechar de olhos.
 
2. Definição bíblico-teológica.
O ensino do Arrebatamento é mais claramente apresentado em 1 Tessalonicenses 4.13-18. Nessa passagem Paulo informa seus leitores de que os crentes que estiverem vivos por ocasião do Arrebatamento serão reunidos aos que morreram em Cristo antes deles. No versículo 17 a palavra "arrebatados" traduz a palavra grega harpazo, que significa "dominar por meio de força" ou "capturar". Essa palavra é usada 14 vezes no Novo Testamento Grego de várias maneiras diferentes.
Ocasionalmente o Novo Testamento usa harpazo com o sentido de "roubar", "arrastar" ou "carregar para longe" (Mateus 12.29; João 10.12). Também pode ser usada com o sentido de "levar embora com uso de força" (João 6.15; 10.28-29; Atos 23.10; Judas 23). No entanto, para nossos propósitos, um terceiro uso é mais significativo. Diz respeito ao Espírito Santo levando alguém de um lugar para outro. Encontramos esse uso em quatro ocorrências (Atos 8.39; 2 Coríntios 12.2, 4; 1 Tessalonicenses 4.17; Apocalipse 12.5).[2]
Esse último uso é ilustrado em Atos 8.39, quando Filipe, ao completar o batismo do oficial etíope, é "arrebatado" e divinamente transportado do deserto até a cidade costeira de Azoto. De modo semelhante, a Igreja será, num momento, levada da terra ao céu. Não deve-se estranhar, portanto, que um autor contemporâneo tenha chamado esse evento peculiar de "O Grande Seqüestro".[...]

II. QUANDO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA

1. O tempo do arrebatamento.

Da palavra Atomô (grego)
do Lat. atomu < Gr. átomos, indivisível
s. m.,  a mais pequena partícula que se pode obter da divisão de um elemento, sendo ainda capaz de exibir propriedades desse mesmo elemento e que pode participar numa reacção química;
corpúsculo; porção mínima; curto espaço; (no pl. ) corpúsculos que se vêem no ar quando, num recinto escuro, são banhados por uma réstea de luz.

2. Prenúncios do arrebatamento.
Novo Testamento:
1 Coríntios 1.7"...aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo".
1 Coríntios 16.22"Maranata!"
Filipenses 3.20"Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo".
Filipenses 4.5"Perto está o Senhor".
1 Tessalonicenses 1.10"e para aguardardes dos céus o Seu Filho...".
1 Tessalonicenses 4.15-18"Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras".
1 Tessalonicenses 5.6"Assim, pois, não durmamos como os demais; pelo contrário, vigiemos e sejamos sóbrios".
1 Timóteo 6.14"que guardes o mandato imaculado, irrepreensível, até à manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo".
Tito 2.13"aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus".
Hebreus 9.28"assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação".
Tiago 5.7-9"Sede, pois, irmãos, pacientes, até a vinda do Senhor... pois a vinda do Senhor está próxima... Eis que o Juiz está às portas".
1 Pedro 1.13"Por isso,... sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo".
Judas 21"guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna".
Apocalipse 3.11; 22.7, 12, 20"Eis que venho sem demora!"
• Apocalipse 22.17, 20"O Espírito e a Noiva dizem: Vem. Aquele que ouve diga: Vem.
Aquele que dá testemunho destas cousas diz: Certamente venho sem demora. Amém. Vem, Senhor Jesus!"
A Igreja primitiva tinha uma saudação especial que os crentes só usavam entre si, conforme registrado em 1 Coríntios 16.22: a palavra "Maranata!" Esta palavra é constituída de três termos aramaicos: Mar ("Senhor"), ana ("nosso"), e tha ("vem"), significando, assim, "Vem, nosso Senhor!" Como outras passagens do Novo Testamento, "Maranata" só faz sentido se uma vinda iminente, ou seja, a qualquer momento, for pressuposta. Isso também serve de apoio à posição pré-tribulacionista.

III. COMO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA

De acordo com a Primeira Epístola de Paulo aos Tessalonicenses, o arrebatamento da Igreja de Cristo dar-se-á da seguinte forma:
1. Ressoada a trombeta de Deus, descerá o Senhor Jesus dos céus com alarido e voz do arcanjo (1 Ts 4.16).
2. Em seguida, os que morreram em Cristo ressuscitarão, sendo, de imediato, trasladados (1 Ts 4.16).
3. Ato contínuo, os que estivermos vivos seremos transformados, arrebatados e levados todos ao encontro do Senhor (1Ts 4.17).
 
O ARREBATAMENTO DA IGREJA (BEP- CPAD)
1Ts 4.16,17 “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.”

O termo “arrebatamento” deriva da palavra raptus em latim, que significa “arrebatado rapidamente e com força”. O termo latino raptus equivale a
harpazo em grego, traduzido por “arrebatado” em 4.17. Esse evento, descrito aqui e em 1Co 15, refere-se à ocasião em que a igreja do Senhor será
arrebatada da terra para encontrar-se com Ele nos ares. O arrebatamento abrange apenas os salvos em Cristo.
(1) Instantes antes do arrebatamento, ao descer Cristo do céu para buscar a sua igreja, ocorrerá a ressurreição dos “que morreram em Cristo”
(4.16). Não se trata da mesma ressurreição referida em Ap 20.4, a qual somente ocorrerá depois de Cristo voltar à terra, julgar os ímpios e prender
Satanás (Ap 19.11—20.3). A ressurreição de Ap 20.4 tem a ver com os mártires da tribulação e possivelmente com os santos do AT (ver Ap 20.6).
(2) Ao mesmo tempo que ocorre a ressurreição dos mortos em Cristo, os crentes vivos serão transformados; seus corpos se revestirão de
imortalidade (1Co 15.51,53). Isso acontecerá num instante, “num abrir e fechar de olhos” (1Co 15.52).
(3) Tanto os crentes ressurretos como os que acabaram de ser transformados serão “arrebatados juntamente” (4.17) para encontrar-se com Cristo
nos ares, ou seja: na atmosfera entre a terra e o céu.
(4) Estarão literalmente unidos com Cristo (4.16,17), levados à casa do Pai, no céu (ver Jo 14.2,3), e reunidos aos queridos que tinham
morrido (4.13-18).
(5) Estarão livres de todas as aflições (2Co 5.2,4; Fp 3.21), de toda perseguição e opressão (ver Ap 3.10), de todo domínio do pecado e da
morte (1Co 15.51-56); o arrebatamento os livra da “ira futura” (ver 1.10; 5.9), ou seja: da grande tribulação.
(6) A esperança de que nosso Salvador logo voltará para nos tirar do mundo, a fim de estarmos “sempre com o Senhor” (4.17), é a bem-aventurada
esperança de todos os redimidos (Tt 2.13). É fonte principal de consolo para os crentes que sofrem (4.17,18; 5.10).
(7) Paulo emprega o pronome “nós” em 4.17 por saber que a volta do Senhor poderia acontecer naquele período, e comunica aos tessalonicenses
essa mesma esperança. A Bíblia insiste que anelemos e esperemos contínua e confiadamente a volta do nosso Senhor (cf. Rm 13.11; 1Co 15.51,52;
Ap 22.12,20).
(8) Quem está na igreja mas não abandona o pecado e o mal, sendo assim infiel a Cristo, será deixado aqui, no arrebatamento (ver Mt 25.1; Lc
12.45). Os tais ficarão neste mundo e farão parte da igreja apóstata (ver Ap 17.1),
sujeitos à ira de Deus.
(9) Depois do arrebatamento, virá o Dia do Senhor, um tempo de sofrimento e ira sobre os ímpios (5.2-10; ver 5.2). Seguir-se-á a segunda fase
da vinda de Cristo, quando, então, Ele virá para julgar os ímpios e reinar sobre a terra (ver Mt 24.42,44).

CONCLUSÃO
A VOLTA DO SENHOR JESUS é certa e é usado um termo para nossa saída da terra para o céu, ao encontro do Senhor nos ares, este termo é "Arrebatamento" e tem o Sentido literal que
deriva da palavra raptus em latim, que significa “arrebatado rapidamente e com força”. O termo latino raptus equivale a
harpazo em grego, traduzido por “arrebatado” em 4.17. Esse evento, é descrito aqui em 1Co 15 e refere-se à ocasião em que a igreja do Senhor será arrebatada da terra para encontrar-se com Ele nos ares. O arrebatamento abrange apenas os salvos em Cristo.
QUANDO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA? O tempo do arrebatamento é super rápido, denominado de Atomô no grego que significa espaço de tempo infinitamente pequeno (figurado pelo piscar do olho). Existem prenúncios do arrebatamento e vinda de CRISTO como Ele mesmo citou: Guerras, rumores de guerra, fomes, pestes, tremores de terra, convulsões sociais, imoralidade e  apostasia.
COMO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA?
1. Ressoada a trombeta de Deus, descerá o Senhor Jesus dos céus com alarido e voz do arcanjo (1 Ts 4.16).
2. Em seguida, os que morreram em Cristo ressuscitarão, sendo, de imediato, trasladados (1 Ts 4.16).
3. Ato contínuo, os que estivermos vivos seremos transformados, arrebatados e levados todos ao encontro do Senhor (1Ts 4.17).
Pergunta para cada um de nós: Estamos prontos?
 
ARREBATAMENTO (A ESPERANÇA DA IGREJA) - RESUMO
     “Os teus olhos verão o Rei na sua formosura, e verão a terra que está longe...”(Is 33.17).
     O maior acontecimento da história está preste a ocorrer – A Segunda Vinda ou a volta do Senhor JESUS a este mundo.
O próprio Senhor JESUS CRISTO falou a respeito de Sua vinda:
“Na casa de meu Pai há muitas moradas;... e, quando eu for, e vos preparar lugar; virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”.(Jo 14.3)
 “Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós” (Jo 14.18). Ele mesmo disse que viria, e não há razão para duvidarmos, Ele nunca cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano (I Pe 2.22). Ele é o próprio DEUS. “Outra vez vos verei” disse Ele “e o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém vo-la tirará. E naquele dia (o do arrebatamento) nada me perguntareis”.(Jo 16.22,23 a). Isso Ele disse, tamanha será a alegria deste momento tão esperado e anelado por todos nós.
Os anjos confirmaram a Sua vinda no momento de sua ascensão aos Céus, dizendo: “... Esse JESUS, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir”.(Atos 1.11 b). Que Ele vem, isto é certo, mas...COMO E QUANDO ACONTECERÁ?
O apóstolo Paulo em sua l ª Epístola aos crentes de Corinto, nos revela um grande mistério: “Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão, e nós seremos transformados”.(I Cor 15.51-54)
Que revelação extraordinária, na vinda do Senhor, nossos corpos serão transformados e receberemos um corpo glorioso semelhante ao de JESUS, pois “... quando ele se manifestar seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”.(I Jo 3.2 b) “porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade” (I Cor 15.53) “... Então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória”.
Todos os cristãos serão vivificados em CRISTO. Mas cada um por sua ordem: CRISTO, as primícias, depois os que são de CRISTO, na sua vinda (I Cor 15.23).
Muitas pessoas só têm se preocupado com os cuidados e afazeres desta vida, mas é necessário buscar primeiro o reino de DEUS e a sua justiça, e todas as demais coisas nos serão acrescentadas (Mt 6.33). As coisas inerentes a DEUS devem ter prioridade em nossas vidas, pois “a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor JESUS CRISTO, que transformará o nosso corpo abatido para ser conforme o seu corpo glorioso...” (Fp 3.20,21 a).
Em sua 1ª Epístola aos Tessalonicenses, Paulo torna a falar acerca da ressurreição e vinda de CRISTO:
“Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do senhor: Que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido e com voz de arcanjo e com a trombeta de DEUS; e os que morreram em CRISTO ressuscitarão primeiro; depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.(I Tes 4.15-17)
Imagine isso! De todos os confins da terra pessoas serão arrebatadas dentre as massas humanas, mas todas irão numa só direção: ao encontro de JESUS nos ares. Para o mundo será um mistério quando num momento, em meio as mais diferentes e costumeiras atividades cotidianas, multidões desaparecerão da terra de maneira sobrenatural e misteriosa.
Esse acontecimento passará desapercebido para muitos. Só depois é que irão dar falta, quando a imprensa falada e escrita, através dos meios de comunicação, noticiar o desaparecimento de milhões de pessoas em todo o globo terrestre.
Com certeza, o caos e o pânico tomarão conta do planeta terra. Haverá tristeza e pranto. Angústia e desespero pela falta de parentes. Uma grande expectativa tomará conta de todos. Virão escarnecedores e enganarão o povo. Levantar-se-á a hipótese de terem sido discos voadores, mas os muitos milhões de desviados saberão que foi CRISTO que voltou e levou Sua Igreja para o céu. Mas será tarde demais, o Senhor já terá levado os seus remidos; seremos arrebatados repentinamente, num momento terá acontecido, antes que se perceba.
Nós o esperamos todos os dias, porque sabemos como será, mas não podemos dizer exatamente quando será “por isso estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis”.(Mt 24.44)
Há quase 2.004 anos veio humilde, montado num jumentinho. Não tinha onde reclinar a cabeça; veio como servo veio para servir. Agora virá como Rei. Rei dos reis e Senhor dos senhores, com poder e grande glória.
É bom frisar e deixar bem claro que a 2ª Vinda de CRISTO abrange duas fases distintas: Na primeira Ele virá nas nuvens para arrebatar a Sua Igreja. A Segunda fase se refere à manifestação visível e pessoal de JESUS, no final da Grande Tribulação, quando Ele assombrará o mundo com o seu poder e o resplendor de Sua presença. Então julgará as nações e estabelecerá o Milênio na terra.

 
Questionário da Lição 4 - Vem O Fim, O Fim Vem - O Arrebatamento Da Igreja
Por Ev.Luiz Henrique www.henriqueestudos.cjb.net
 
Texto Áureo:
1- O que acontecerá ao ressoar a última trombeta e após os mortos ressuscitarem incorruptíveis?
( ) Começará o milênio    ( ) Nós seremos transformados e arrebatados    ( ) Nós seremos marcados, selados para a vinda de JESUS
Verdade Prática:
2- Em qual hino da Harpa Cristã lemos o seguinte refrão?
 “O clarim já nos alerta; Nosso coração desperta; Pois a vinda é bem certa de Jesus”
( )  Hino 206 da Harpa Cristã    ( )  Hino 208 da Harpa Cristã    ( )  Hino 106 da Harpa Cristã
INTRODUÇÃO
3- O que acontece com a maioria dos sinais, que prenunciam a volta de Nosso Senhor?
( )  Ainda não se cumpriram    ( )  Já se cumpriu, ou estão cumprindo-se neste momento    ( ) Não são perceptíveis à Igreja
Tópico I. A VOLTA DO SENHOR JESUS
4-  Qual palavra era praticamente ignorada fora dos círculos teológicos, durante um longo tempo?
( ) Advento    ( ) Rapto    ( ) Arrebatamento
5- Qual palavra os mais eruditos preferiam em lugar de usarem Arrebatamento?
( ) O vocábulo Rapto    ( ) O vocábulo advento    ( ) O vocábulo arrebatamento
6- O que é no sentido literal, a palavra “arrebatamento”?
( ) É procedente do verbo grego harpazão, e significa entrar de forma esperada
( ) É procedente do verbo grego harpazõ, e significa retirar algo com rapidez e de forma inesperada
7- Quando o Novo Testamento foi traduzido para o latim, qual a opção utilizada para significar "tirar", "arrancar", "tomar das mãos alguma coisa de forma violenta"?
( ) O vocábulo advento    ( ) O vocábulo arrebatamento    ( ) O vocábulo raptus que, originou-se do verbo raptare
8- O que é o Arrebatamento segundo a definição bíblico-teológica?
( ) O Arrebatamento é a retirada lenta, esperada e natural da Igreja deste mundo, a fim de que seja transportada às regiões celestes, onde unir-se-á a JESUS
( ) O Arrebatamento é a retirada sensacional, vista pelo mundo todo, da Igreja, Sendo JESUS visto por todos nesta hora
( ) O Arrebatamento é a retirada brusca, inesperada e sobrenatural da Igreja deste mundo, a fim de que seja transportada às regiões celestes, onde unir-se-á, eterna e plenamente, com o Senhor Jesus
Tópico II. QUANDO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA
9- Para quem reservou DEUS a hora e o dia do Arrebatamento? Dê referências bíblicas:
( ) Reservou apenas para si (Mt 24.36; At 1.7; Dt 29.29).     ( ) Reservou apenas para Igreja (Mt 24.36; At 1.7; Dt 29.29).
10- De que maneira virá JESUS, no Arrebatamento? Dê referências bíblicas:
( ) Virá como o Rei dos reis e Senhor dos senhores, paulatinamente (1 Ts 5.4; 2 Pe 3.10).     ( ) Virá como o ladrão na noite (1 Ts 5.4; 2 Pe 3.10).
11- Ao invés de estarem vigiando, de que maneira a vinda de JESUS encontrará a grande maioria?
( ) Os encontrará nos cuidados e trabalhos do Senhor no mundo    ( ) Os encontrará embriagados com os cuidados e prazeres deste mundo
12- O que são prenúncios do arrebatamento? Cite alguns:
( ) Paz na Igreja, Prosperidade da Igreja, Uma Igreja sem problemas sociais
( ) Guerras, rumores de guerra, fomes, pestes, tremores de terra, convulsões sociais, imoralidade e  apostasia
III. COMO SE DARÁ O ARREBATAMENTO DA IGREJA
13- Descreva, de acordo com a Primeira Epístola de Paulo aos Tessalonicenses, o arrebatamento da Igreja de Cristo:
a. Ressoada a ______________________ de Deus, descerá o Senhor Jesus dos ________________ com alarido e voz do arcanjo (1 Ts 4.16).
b. Em seguida, os que _____________________ em Cristo ressuscitarão, sendo, de imediato, _____________________________ (1 Ts 4.16).
c. Ato contínuo, os que estivermos vivos seremos ___________________________, arrebatados e levados todos ao encontro do _____________ (1Ts 4.17).
14- O que é Glorificação?
( ) Transformação dos corpos mortais em corpos gloriosos.    ( ) Transformação dos crentes em Anjos de corpos gloriosos.
15- Quanto tempo levará para a glorificação dos santos, quer vivos quer mortos?
( ) Apenas um minuto    (  ) Sete anos    ( ) Ocorrerá num abrir e fechar de olhos (1 Co 15.52).
16- Que palavra grega o doutor dos gentios usa para descrever este instante do arrebatamento e o que significa?
( ) Atomõ, Trata-se de uma ação no tempo que significa subida para o céu
( ) Atomõ, Trata-se de uma fração de tempo tão ínfima que não comporta nenhuma divisão
 
http://www.mrnog.hpg.ig.com.br/arrebatamento.htm
www.cpad.com.br revistas e cd's - BEP
http://www.chamada.com.br/mensagens/vsarrebat.shtml
http://igrejaassembleiadedeus.org/arrebatamento.htm