Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
Lição 13 - Aguardando a Vinda de Jesus
Lições Bíblicas do 3º Trimestre De 2005 - Vida Santa Até A Volta De Cristo: Conselhos Para Uma Vida Vitoriosa - Comentarista: Pr. Elinaldo Renovato De Lima - Livro Tema: 1e 2 Tessalonicenses
 
 
TEXTO ÁUREO
“Ora, irmãos, rogamos-vos, pela vinda de nosso Senhor JESUS  CRISTO e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de CRISTO estivesse já perto” (2 Ts 2.1,2).
 
VERDADE PRÁTICA
Os sinais preditos na Bíblia indicam a iminente vinda de JESUS  para buscar sua Igreja. Como servos de DEUS, devemos vigiar e orar.
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE   -  2 TESSALONICENSES 2.1,2,7,8; 3.6,7
2 TESSALONICENSES 2
1 Ora, irmãos, rogamos-vos, pela vinda de nosso Senhor JESUS  CRISTO e pela nossa reunião com ele,
2 que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de CRISTO estivesse já perto.
3 Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,
4 o qual se opõe de se levanta contra tudo o que se chama DEUS ou se adora; de sorte que se assentará, como DEUS, no templo de DEUS, querendo parecer DEUS.
5 Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?
6 E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.
7 Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado;
8 e, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;
2 TESSALONICENSES 3
6 Mandamos-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor JESUS  CRISTO, que vos aparteis de todo irmão que andar desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebeu.
7 Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós,
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - Mt 24.36 Daquele dia e hora ninguém sabe MAS UNICAMENTE MEU PAI. 
36 Porém daquele Dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.
O versículo 36 afirma que o Filho não sabe o tempo da sua volta. Esta expressão refere-se apenas ao tempo em que CRISTO esteve na terra. Certamente, quando JESUS  reassumiu a sua glória anterior (Jo 17.5), passou a conhecer a data da sua futura volta. Os santos da tribulação poderão saber o tempo da sua volta, observando os sinais dessa tribulação que CRISTO descreveu.
 
Terça - Mt 24.42 Esperando com vigilância
Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.
PORTANTO, VIGIAI. Vigiai (gr. gregoreo) é um imperativo presente e denota uma vigília constante no tempo atual. A razão para a vigília constante, hoje, e não apenas no futuro, é que os crentes dos dias atuais não sabem quando o Senhor virá buscá-los (ver Jo 14.3 nota). Não haverá sinais específicos de aviso para eles. Nunca devem presumir que Ele não poderá vir hoje (ver v. 44; cf. Mc 13.33-37). A volta de CRISTO para buscar a igreja pode ocorrer a qualquer dia.
NÃO SABEIS A QUE HORA. A advertência de CRISTO aos seus discípulos para estarem sempre apercebidos para a sua vinda, por não saberem quando ela se dará, cremos ser uma referência à volta de CRISTO, vindo do céu, para tirar do mundo os santos da Igreja, i.e., o arrebatamento (ver Jo 14.3 ). 
(1) JESUS  afirma claramente que sua vinda para levar os santos antes da tribulação será numa ocasião inesperada. Ele não somente declara que eles não sabem a hora (v. 42), mas também que Ele voltará à hora em que não pensais (v. 44). Isto indica claramente que haverá surpresa, espanto, e que os fiéis não saberão o momento certo da sua vinda. Assim sendo, para os santos da igreja, JESUS  virá num momento inesperado (v. 44). Isto claramente fala de surpresa, pasmo e rapidez nesta específica fase da vinda de CRISTO. Este evento é chamado de primeira fase da segunda vinda de CRISTO. 
(2) Quanto à vinda de CRISTO com poder e grande glória, para julgar o mundo depois da tribulação (v. 30; Ap 19.11-21), ela será aguardada e prevista v. 33; Lc 21.28). O cumprimento dos eventos e sinais durante a tribulação suscitará nos santos a certeza e a expectativa da ocasião da volta de CRISTO, ao passo que os santos da igreja dos dias atuais terão surpresa por ocasião do seu arrebatamento (ver 24.44; Jo 14.3). A vinda de CRISTO depois da tribulação é comumente chamada a segunda fase da 
vinda de CRISTO.
 
Quarta - Mt 26.41 Esperando com oração 
Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é 
fraca.
Marcos 13.33 Olhai, vigiai e orai, porque não sabeis quando chegará o tempo.
Marcos 14.38 Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.
Lucas 22 .40 E, quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação.
46 E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai para que não entreis em tentação.
Efésios 6.18 orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos
 
Quinta - 1 Pe 1.13-15 Esperando com santidade
Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de JESUS  CRISTO, 14 como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; 15 mas, como pé santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver,
Lucas 12.35 Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias.
Efésios 6.14 Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça,
Lucas 1.74 de conceder-nos que, libertados das mãos de nossos inimigos, o servíssemos sem temor,
75 em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida.
2 Coríntios 7.1 Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de DEUS.
1 Tessalonicenses 4.3 Porque esta é a vontade de DEUS, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição,
 
Sexta - Jo 13.34,35 Esperando com amor
34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que 
também vós uns aos outros vos ameis.
35 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.
AMEIS UNS AOS OUTROS. O cristão é exortado a amar de um modo especial a todos os outros cristãos verdadeiros, quer sejam membros da sua igreja e da sua persuasão teológica, quer não. 
(1) Isso significa que o crente deve saber distinguir os cristãos verdadeiros daqueles cuja confissão de fé é falsa, observando a sua obediência a JESUS  CRISTO e sua lealdade às Sagradas Escrituras (5.24; 8.31; 10.27; Mt 7.21; Gl 1.9). 
(2) Isso significa que quem possui uma fé viva em JESUS  CRISTO e é leal à Palavra inspirada e inerrante de DEUS, conforme tal pessoa a compreende, e que resiste ao espírito modernista e mundano predominante em nossos tempos, é meu irmão em CRISTO e merece meu amor, consideração e apoio especiais. 
(3) Amar a todos os cristãos verdadeiros, inclusive os que não pertencem à minha igreja, não significa transigir ou acomodar minhas crenças bíblicas específicas nos casos de diferenças doutrinárias. Também não significa querer promover união denominacional. 
(4) O cristão nunca deverá transigir quanto à santidade de DEUS. É essencial que o amor a DEUS e à sua vontade, conforme revelados na sua Palavra, controlem e orientem nosso amor ao próximo. O amor a DEUS deve sempre ocupar o primeiro lugar em nossa vida (Mt 22.37,39).
13.35 CONHECERÃO QUE SOIS MEUS DISCÍPULOS. O amor (gr. agape) deve ser a marca distintiva dos seguidores de CRISTO (1 Jo 3.23; 4.7-21). Este amor é, em suma, um amor abnegado e sacrificial, que visa ao bem do próximo (1 Jo 4.9,10). Por isso, o relacionamento entre os crentes deve ser caracterizado por uma solicitude dedicada e firme, que vise altruisticamente a promover o sumo bem uns dos outros. Os cristãos devem ajudar uns aos outros nas provações, evitar ferir os sentimentos e a reputação uns dos outros e negar-se a si mesmos para promover o mútuo bem-estar (cf 1 Jo 3.23; 1 Co 13; 1 Ts 4.9; 1 Pe 1.22; 2 Ts 1.3; Gl 6.2; 2 Pe 1.7).
 
Sábado - Ef 5.18 Esperando cheio do ESPÍRITO SANTO
E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito,
VINHO. A declaração de Paulo no versículo 18, demonstra que a plenitude do ESPÍRITO SANTO depende do modo como o crente corresponde à graça que lhe é dada para viver em santificação. Isso quer dizer que a pessoa não pode estar "embriagada com vinho" e, ao mesmo tempo, "cheia do Espírito". Paulo adverte todos os crentes a respeito das obras da carne; que os que cometem tais coisas "não herdarão o reino de DEUS" (Gl 5.19-21; cf. Ef 5.3-7). Além disso, "os que cometem tais coisas" (Gl 5.21) não terão a presença interior do ESPÍRITO SANTO, nem a sua plenitude. Noutras palavras, não ter "o fruto do Espírito" (Gl 5.22,23) é perder a plenitude do Espírito (Ef 5.18; ver At 8.21).
5.18 ENCHEI-VOS DO ESPÍRITO. "Enchei-vos" (imperativo passivo presente) tem o significado, em grego, de "ser enchido repetidas vezes". A vida espiritual do filho de DEUS deve experimentar a renovação constante (3.14-19; 4.22-24; Rm 12.2), mediante enchimentos repetidos do ESPÍRITO SANTO. 
(1) O cristão deve ser batizado no ESPÍRITO SANTO após a conversão (ver At 1.5; 2.4), mas também deve renovar-se no Espírito repetidas vezes, para adoração a DEUS, serviço e testemunho (ver At 4.31-33). 
(2) Experimentamos enchimentos repetidos do ESPÍRITO SANTO quando mantemos uma fé viva em JESUS  CRISTO (Gl 3.5), estamos repletos da Palavra de DEUS (Cl 3.16), oramos, damos graças e cantamos ao Senhor (1 Co 14.15; Ef 5.19,20), servimos ao próximo (Ef 5.21 ) e fazemos aquilo que o ESPÍRITO SANTO quer (Rm 8.1-14; Gl 5.16ss.; Ef 4.30; 1 Ts 5.19). 
(3) Alguns resultados de ser cheio do ESPÍRITO SANTO são: 
(a) falar com alegria a DEUS, em salmos, hinos e cânticos espirituais (v. 19), 
(b) dar graças (v. 20) e 
(c) sujeitar-nos uns aos outros (v. 21).
 
OBJETIVOS: Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:
Aguardar com sabedoria a vinda de JESUS .
Desejar o glorioso retorno de JESUS  para a Igreja.
Identificar os sinais da vinda de JESUS .
 
PONTO DE CONTATO
Professor, enfim chegamos ao final de mais um trimestre! Durante os nossos encontros dominicais, desfrutamos da bendita e poderosa ação do ESPÍRITO SANTO sobre as nossas vidas. Crescemos na graça e no conhecimento do Senhor JESUS . Aprendemos muitas verdades práticas e doutrinárias que servem de enlevo espiritual para nossa alma enquanto estivermos peregrinando neste mundo. DEUS abençoe a sua vida, dádiva da gloriosa bondade e misericórdia do Senhor. Seja qual for o presente estado de sua luta para servir a CRISTO, lembre-se da recomendação de Hebreus 6.10: “Porque DEUS não é injusto para se esquecer da vossa obra e do trabalho da caridade que, para com o seu nome, mostrastes, enquanto servistes aos santos e ainda servis”.
 
SÍNTESE TEXTUAL
A Segunda Epístola de Paulo aos Tessalonicenses inicia-se com a cordial saudação à Igreja (v.1,2), seguida de uma breve dissertação sobre o justo juízo de DEUS (vv.4-10). A motivação apostólica em escrever a presente epístola deve-se, em grande parte, a um falso movimento profético que fundamentava os seus ensinos em um pseudo-escrito atribuído ao doutor dos gentios (2 Ts 2.1-2).
O grupo carismático que estava perturbando a igreja ensinava que o “Dia do Senhor” já havia começado, e que a Igreja não fora salva da perseguição (2 Ts 2.3-16). Paulo, entretanto, admoesta os crentes a respeito dos sinais que precederiam a manifestação do Dia de CRISTO. Os falsos carismáticos atribuíram este acontecimento a um evento do passado. Paulo, no entanto, escreve da cidade de Corinto corrigindo o erro doutrinário e afirmando, sobretudo, que este glorioso Dia é um evento futuro.
 
ORIENTAÇÃO DIDÁTICA
Professor, mais uma vez use todo o seu talento e criatividade para a glória de DEUS. Então, faça a seguinte pergunta para toda a classe: Como a Igreja de CRISTO está se preparando para a sua volta? Depois, interrogue vários alunos: Você, o que tem feito a fim de estar preparado quando JESUS  voltar? A partir das respostas obtidas, enfatize a preocupação que devemos ter em estar prontos para este maravilhoso Dia. Medite com os alunos acerca da esperança da Noiva de CRISTO e das três colunas sustentadoras da igreja: Vigilância, Santidade e Trabalho. Reproduza o cartaz ilustrativo abaixo. Confeccione-o em uma cartolina. Fale que a Igreja deve assumir estes três compromissos para a volta de JESUS .
 
COMENTÁRIO
INTRODUÇÃO 
A vinda de JESUS deve ser a memória cristã sempre atual e atuante em nossos dias.
Esperar a hora e o dia é ser sábio e prudente, pois os sinais da volta de JESUS são claros e cada dia mais são espantosos pelo seu cumprimento das escrituras; quanto ao dia do Senhor, ou da ira de DEUS, ainda acontecerá após o arrebatamento e então com a ida do ESPÍRITO SANTO ao encontro de JESUS, conduzindo sua noiva, a igreja, nesta oportunidade o Anti-CRISTO se manifestará, seu intento é destruir os judeus e tudo o que nomeia DEUS. O fim do governo do Anti-CRISTO acontecerá na batalha do Armagedom e conseqüente derrota de seus exércitos por CRISTO e Seu poder. Ainda nesta lição veremos como tratar com os desordeiros e falsos mestres que se infiltram na igreja.
 
I. A ESPERA COM SABEDORIA E PRUDÊNCIA 
Gl 1.6 Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho 7 que, na realidade, não é o evangelho. O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o evangelho de Cristo. 8 Mas ainda que nós ou um anjo dos céus pregue um evangelho diferente daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado! 9 Como já dissemos, agora repito: Se alguém lhes anuncia um evangelho diferente daquele que já receberam, que seja amaldiçoado! 
A idéia é que somente a Palavra inspirada de DEUS deve ser aceita como doutrina de DEUS, transmitida oralmente por JESUS e seus apóstolos, incluindo-se aqui, Lucas, Marcos, Paulo e Tiago.
Os mestres e escritores de cartas que aparecessem dizendo-se portadores da Palavra de DEUS, deveriam ser colocados à prova e analisadas suas palavras de acordo com os escritos dos mencionados acima.
Nossa vigilância e santidade são nossa garantia de estarmos prontos para o tão esperado dia do arrebatamento, quando CRISTO virá nos buscar.
toda seita ou grupo herético tem um líder com uma profecia que diferente do que está na Bíblia e leva após si inúmeros incautos e ignorantes das escrituras.
2 TESSALONICENSES 2
1 Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor JESUS  CRISTO e pela nossa reunião com ele,
2.1 A VINDA DE NOSSO SENHOR JESUS  CRISTO. Na sua primeira epístola aos Tessalonicenses, Paulo garantiu que todos os crentes verdadeiros serão arrebatados para encontrar o Senhor nos ares e assim ficarão para sempre com Ele (1 Ts 4.13-18). Esse evento os livraria da ira futura de DEUS sobre a terra (1 Ts 1.10; 5.9,10). Agora, porém, os falsos mestres ensinavam que o Dia de Senhor ("Dia de CRISTO") já havia começado, e que a ira final de DEUS estava sendo derramada sobre a terra.
2 TESSALONICENSES 2
2 que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de CRISTO estivesse já perto.
2.2 NÃO VOS MOVAIS FACILMENTE... NEM VOS PERTURBEIS. Os tessalonicenses estavam perturbados por causa do que os falsos mestres estavam ensinando sobre o Dia do Senhor. Paulo lhes escreveu para não se alarmarem, porque o dia da ira de DEUS ainda não era chegado. Duas coisas assinalarão essa chegada: 
(1) Haverá uma "apostasia" específica; e 
(2) Manifestar-se-á "o homem do pecado" (v. 3). Paulo declara, em seguida, que esses dois eventos não se cumprirão enquanto "um que, agora, resiste... seja tirado" (v.7). As palavras de Paulo: "quer por espírito, quer por palavra", talvez indiquem que os falsos ensinos eram transmitidos através de línguas, com interpretação, ou através de profecia (ver 1 Co 14.29).
 
II. SINAIS IMPRESCINDÍVEIS ANTES DA VOLTA DE JESUS 
1. A manifestação da apostasia (2 Ts 2.3).  
Os passos que levam à apostasia são:
(a) O crente, por sua falta de fé, deixa de levar plenamente a sério as verdades, exortações, advertências, promessas e ensinos da Palavra de DEUS (Mc 1.15; Lc 8.13; Jo 5.44,47; 8.46).
(b) Quando as realidades do mundo chegam a ser maiores do que as do reino celestial de DEUS, o crente deixa paulatinamente de aproximar-se de DEUS através de CRISTO (4.16; 7.19,25; 11.6).
(c) Por causa da aparência enganosa do pecado, a pessoa se torna cada vez mais tolerante do pecado na sua própria vida (1Co 6.9,10; Ef 5.5; Hb 3.13). Já não ama a retidão nem odeia a iniqüidade (ver 1.9).
(d) Por causa da dureza do seu coração (3.8,13) e da sua rejeição dos caminhos de DEUS (v. 10), não faz caso da repetida voz e repreensão do ESPÍRITO SANTO (Ef 4.30; 1Ts 5.19-22; Hb 3.7-11).
(e) O ESPÍRITO SANTO se entristece (Ef 4.30; cf. Hb 3.7,8); seu fogo se extingue (1Ts 5.19) e seu templo é profanado (1Co 3.16). Finalmente, Ele afasta-se daquele que antes era crente (Jz 16.20; Sl 51.11; Rm 8.13; 1Co 3.16,17; Hb 3.14).
2 TESSALONICENSES 2
3 Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,
2.3 SEM QUE ANTES... Paulo explica os eventos que assinalarão o início do Dia do Senhor, e passa a considerar a destruição do "homem do pecado" e dos ímpios no fim desta era. A seqüência dos eventos será assim: 
(1) No decurso de toda a época da igreja, um "mistério da injustiça" (v. 7) está em ação, o que nos faz lembrar que o fim está chegando; o mal se tornará cada vez mais desenfreado à medida que a história chega ao fim. 
(2) À medida que o "mistério da injustiça" predomina, a apostasia na igreja atingirá proporções cada vez maiores (v. 3; cf. Mt 24.12; 2 Tm 4.3,4). 
(3) O detentor, i.e., o que restringe o "mistério da injustiça", é então tirado do meio (vv. 6,7). 
(4) Em seguida, manifesta-se "o homem do pecado" (vv. 3,4,7,9,10). 
(5) A apostasia chega ao auge, na sua rebelião total contra DEUS e sua Palavra; DEUS envia uma influência enganadora sobre aqueles que não amam a verdade (vv. 9-11). 
(6) Mais tarde, "o homem do pecado" é destruído com todos aqueles que tiveram prazer na iniqüidade (v. 12). Isso ocorre à vinda de CRISTO, depois da tribulação, i.e., no fim desta era (v. 8; Ap 19.20,21).
Apostasia
2. “O homem do pecado, o filho da perdição” (2 Ts 2.3). Manifestação do espírito do Anti-CRISTO:
(1) Manifesta-se "o homem do pecado" (vv. 3,4,7,9,10). 
(2) A apostasia chega ao auge, na sua rebelião total contra DEUS e sua Palavra; DEUS envia uma influência enganadora sobre aqueles que não amam a verdade (vv. 9-11). 
(3) Mais tarde, "o homem do pecado" é destruído com todos aqueles que tiveram prazer na iniqüidade (v. 12). Isso ocorre à vinda de CRISTO, depois da tribulação, i.e., no fim desta era (v. 8; Ap 19.20,21).
 
III. A REVELAÇÃO DO ANTICRISTO
1. Quando ocorrerá (2 Ts 2.3,8).  
Manifestação do espírito do Anti-CRISTO:
(1) Manifesta-se "o homem do pecado" (vv. 3,4,7,9,10). 
(2) A apostasia chega ao auge, na sua rebelião total contra DEUS e sua Palavra; DEUS envia uma influência enganadora sobre aqueles que não amam a verdade (vv. 9-11). 
(3) Mais tarde, "o homem do pecado" é destruído com todos aqueles que tiveram prazer na iniqüidade (v. 12). Isso ocorre à vinda de CRISTO, depois da tribulação, i.e., no fim desta era (v. 8; Ap 19.20,21).
8 e, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;
SERÁ REVELADO. Será conhecido de todos, pois se tornará um grande líder mundial.
A QUEM O SENHOR DESFARÁ. Depois que Satanás e "o homem do pecado" realizarem sua  obra de engano e maldade (vv. 9,10), serão aniquilados quando da vinda de CRISTO à terra, no fim  da tribulação (ver Ap 19.20).
2. “O homem do pecado” se opõe a DEUS (2.4-6).  
2 TESSALONICENSES 2
4 o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama DEUS ou se adora; de sorte que se assentará, como DEUS, no templo de DEUS, querendo parecer DEUS.
O maior trabalho do Anti-CRISTO será desfazer e desdizer tudo o que DEUS fez e disse, querendo apagar da memória das pessoas a existência de DEUS. Nesta tentativa tentará destruir os judeus, pelo sua representatividade de DEUS na Terra, nesta época.
Ao que tudo indica, o Anti-CRISTO fará uma imagem de si mesmo, como fez Nabucodonozor, então exigirá adoração de todos, porém aí será descoberto pelo legítimo povo de DEUS nesta época, ou seja, os judeus remanescentes (últimos) e os gentios convertidos durante a grande tribulação.

5 Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?
Paulo já os havia alertado para as coisas que estavam acontecendo com eles e a respeito das coisas futuras.
6 E, agora, vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.
O QUE O DETÉM. Algo está detendo "o homem do pecado". Quando aquele que o detém for  tirado do meio, começará o Dia do Senhor (v. 7) - Este que o detém é o ESPÍRITO SANTO que vive na Igreja que é o seu templo na Terra, ou seja, cada crente.
IV. JESUS  ANIQUILARÁ O ANTICRISTO
1. “O mistério da injustiça” em ação (v.7).  
2 TESSALONICENSES 2
7 Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado;
JÁ O MISTÉRIO DA INJUSTIÇA OPERA. O "mistério da injustiça" é uma atividade secreta  dos poderes malignos no decurso da história da humanidade, preparando o caminho para a  apostasia e o "homem do pecado". 
(1) É um processo enganoso, que ilude os incrédulos, e induzirá muitos crentes a se desviarem da verdadeira fé e aceitar a mentira personificada na igreja apóstata. Implica um espírito ou movimento contra a verdadeira fé bíblica e a lei divina; procura liberar-se das restrições morais, e deleita-se no pecado (vv. 10-12; ver v.12). 
(2) Embora essa tendência maligna já operasse nos dias de Paulo, ela será comum e geral no mundo e no cristianismo, perto do fim da presente era (ver Mt 24.11; 2 Tm 4.3,4)
(3) Este que resiste até que do meio seja tirado, ou seja, quando for com a igreja, no arrebatamento entregar a noiva a CRISTO, é o ESPÍRITO SANTO.
2. O Senhor o destruirá (v.8). Assim como haverá a revelação de CRISTO, haverá, também, a revelação do “Iníquo”. No auge da sua atuação e poderio despótico, JESUS  voltará com poder e grande glória (Mt 24.30; Ap 19.11-18). Então, o destruirá, pelo “assopro da sua boca” e o “aniquilará pelo esplendor da sua vinda”. O intento principal do Anti-CRISTO é a destruição de Israel, mas será este miraculosamente salvo por DEUS (Zc 12.9; 14.2-5).
V. PALAVRAS FINAIS DE EXORTAÇÃO
1. Eleitos desde o principio (2 Ts 2.13-17). Paulo eleva mais uma gratidão a DEUS pelos crentes tessalonicenses (v.13). Seu pastor, dirigente e professor da Escola Dominical louvam a DEUS por sua vida? Afirma Paulo que os tessalonicenses foram eleitos “desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito e fé da verdade” (v.13).
Observemos: a eleição antecede a predestinação conforme Ef 1.4. Há quem propague uma eleição e predestinação extra-bíblicas, que priva o ser humano do livre-arbítrio. DEUS, porém, é justo; não faz acepção de pessoas (Dt 10.17; Ml 2.9; At 10.34; Rm 2.11; Tg 2.9). Ele não criou uns para a salvação e outros para a perdição eterna. Como JESUS  morreu por toda a humanidade, todo o que nEle crê será salvo.
2. DEUS guarda o crente do maligno (2 Ts 2,3). Oremos uns pelos outros para que nos guarde “dos homens maus e dissolutos, porque a fé não é de todos”. Os obreiros, por sua vez, devem orar para que DEUS guarde os crentes (v.3).
3. Como lidar com os desordenados na igreja (2 Ts 3.6-15).  
2 TESSALONICENSES 3
6 Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor JESUS  CRISTO, que vos aparteis de todo irmão que andar desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebeu.
3.6 TODO IRMÃO QUE ANDAR DESORDENADAMENTE. Esses que andavam desordenadamente eram desocupados e inimigos do trabalho. Tiravam proveito da generosidade da igreja (cf. 1 Ts 4.9,10) e dependiam, também, dos irmãos que ganhavam a vida trabalhando normalmente (vv. 6-15). 
(1) Paulo diz que tais pessoas devem ser disciplinadas mediante a recusa de lhes dar sustento e o privá-los da comunhão da igreja (vv. 6,14). 
(2) Embora Paulo ensine que se ajude aos verdadeiramente necessitados, ele não ensina, em parte alguma, que se deva dar comida ou dinheiro às pessoas em perfeitas condições físicas de trabalho, que não querem emprego fixo para ganhar a vida (cf. v. 10).

7 Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós,
1 Coríntios 4.16 Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores.
1 Coríntios 11.1 Sede meus imitadores, como também eu, de CRISTO.
1 Tessalonicenses 1.6 E vós fostes feitos nossos imitadores e do Senhor, recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do ESPÍRITO SANTO, 7 de maneira que fostes exemplo para todos os fiéis na Macedônia e Acaia.
Na igreja de Tessalônica (como ocorre em nossos dias), existem pessoas desocupadas, desobedientes, irreverentes com as coisas santas, problemáticas e que querem viver sem trabalhar.
a) Apartar-se do desordenado (3.6). Esta doutrina pode parecer dura. Mas a comunhão de que desfrutamos com o santos, na igreja, é algo muito sério e sublime; não pode ser compartilhada com quem afronta a santidade do Senhor (Rm 16.17; 1 Tm 6.5). O apóstolo evoca seu próprio exemplo de integridade (vv. 7-9). Determina ele que, “em nome de nosso Senhor JESUS  CRISTO”, devemos apartar-nos “de todo o irmão que andar desordenadamente” (v 6).
b) Se não trabalham, não comam (v.10). Paulo deixa bem claro: não deve haver tolerância com os desordenados e desocupados. O ensino do apóstolo é incisivo: “...se alguém não quer trabalhar, não coma também...”. Os tais, além de viverem na ociosidade, intrometiam-se na vida dos outros (vv.11, 12). A Bíblia reprova e execra a preguiça e à ociosidade (Pv 6.6-9; 12.27; 15.19).
CONCLUSÃO
Todo o cuidado deve ser tomado para que o engano de Satanás não venha a demover-nos da fé verdadeira, baseada na legítima Palavra de DEUS.
Mais um trimestre se findou e esperamos ter ajudado aos irmãos no estudo e entendimento destas tão preciosas letras espirituais que temos comido juntos.
AUXÍLIOS SUPLEMENTARES: Subsídio Bibliológico
“Tanto o apóstolo Paulo quanto CRISTO revelam um quadro difícil da condição de grande parte da igreja — moral, espiritual e doutrinariamente — à medida que a era presente chega ao seu fim (cf. Mt 24.5,10-13,24; 1 Tm 4.1; 2 Tm 4.3,4). Paulo, principalmente, ressalta que nos últimos dias elementos ímpios ingressarão nas igrejas em geral.
Essa ‘apostasia’ dentro da igreja terá duas dimensões. (i) A apostasia teológica, que é o desvio de parte ou totalidade dos ensinos de CRISTO e dos apóstolos, ou a rejeição deles (1 Tm 4.1; 2 Tm 4.3). Os falsos dirigentes apresentarão uma salvação fácil e uma graça divina sem valor, desprezando as exigências de CRISTO quanto ao arrependimento, à separação da imoralidade, e à lealdade a DEUS e seus padrões (2 Pe 2.1-3, 12-19). Os falsos evangelhos, voltados a interesses humanos, necessidades e alvos egoístas, gozarão de popularidade. (ii) A apostasia moral, que é o abandono da comunhão salvífica com CRISTO e o envolvimento com o pecado e a imoralidade. Esses apóstatas poderão até anunciar a sã doutrina bíblica, e mesmo assim nada terem com os padrões morais de DEUS (Is 29.13; Mt 23.25-28). Muitas igrejas permitirão quase tudo, para terem muitos membros, dinheiro, sucesso e prestígio (ver 1 Tm 4.1 nota). O evangelho da cruz, com o desafio de sofrer por CRISTO (Fp 1.29), de renunciar todo pecado (Rm 8.13), de sacrificar-se pelo reino de DEUS e de renunciar a si mesmo, será algo raro (Mt 24.12; 2 Tm 3.1-5; 4.3).” (Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, 1995, p.1856). Leia mais Revista Ensinador Cristão CPAD, no 23, pág. 42.
________________________________________________________________________________
Questionário da Lição 13 Vida Santa - AGUARDANDO A VINDA DE JESUS 
Por Ev.Luiz Henrique - www.apazdosenhor.org.br/estudos_biblicos
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
“Ora, irmãos, rogamo-vos, pela ____________ de nosso Senhor JESUS  CRISTO e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por ____________, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de ____________ estivesse já perto” (2 Ts 2.1,2). (Melhor tradução: "Como se o dia de CRISTO já tenha acontecido" - nossa observação)
VERDADE PRÁTICA
2- O que indicam os sinais que estão acontecendo e estão preditos na Bíblia? O que devemos fazer?
( ) A demorada vinda de JESUS  para buscar sua Igreja. Devemos vigiar e orar.
( ) A iminente vinda de JESUS  para ficar com a sua Igreja aqui na Terra. Devemos vigiar e orar.
( ) A iminente vinda de JESUS  para buscar sua Igreja. Devemos vigiar e orar.
I. A ESPERA COM SABEDORIA E PRUDÊNCIA
3- De que maneira deve ser encarada pelo crente a espera pela vinda de JESUS ?
( ) De modo inabalável, deixando-se levar “por espírito, por palavra, por epístola”. 
( ) De modo inabalável, sem se deixar levar “quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola”. 
( ) De modo abalável, levando-se “por espírito, por palavra, por epístola”. 
4- Cite pelo menos dois requisitos básicos, para que possamos estar tranqüilos à espera de CRISTO:
( ) Vigilância e santidade.
( ) Vigilância e irreverência.
( ) Mendicância e santidade.
II. SINAIS IMPRESCINDÍVEIS ANTES DA VOLTA DE JESUS 
5- Que dois grandes sinais, a Escritura Sagrada ensina, de modo claro, que surgirão antes da vinda de JESUS ?
( ) A “apostasia” e a manifestação do espírito do Anti-CRISTO.
( ) A “apostasia” e a esperança na vinda do espírito do Anti-CRISTO.
( ) A “fé em DEUS” e a manifestação do espírito do Anti-CRISTO.
6- O que quer dizer "Apostasia"?
( ) “Desvio”, “abandono” da fé no Anti-CRISTO.
( ) “Envio”, da fé em JESUS. 
( ) “Desvio”, “abandono” da fé em JESUS. 
7- Como é chamado o Anti-CRISTO, cujo espírito se manifestará antes da vinda de CRISTO?
( ) “O homem da fé” e “filho da adoração”.
( ) “O homem do pecado” e “filho da perdição”.
( ) “O homem do amor” e “filho da oração”.
III. A REVELAÇÃO DO ANTICRISTO
1. O que é necessário acontecer para que ocorra a revelação do anti-CRISTO?
( ) É necessário que seja movido “um que, agora, resiste”, ou “que o detém”. 
( ) É necessário que seja mudado “um que, agora, resiste”, ou “que o detém”. 
( ) É necessário que seja removido “um que, agora, resiste”, ou “que o detém”. 
12- Quem é este que deve ser removido “um que, agora, resiste”, ou “que o detém”?
( ) É a igreja.
( ) É o ESPÍRITO SANTO de DEUS.
( ) É o filho de DEUS.
13- Desde quando o “espírito do anti-CRISTO”... “está já no mundo” ?
( ) Desde os tempos que foi escrito o Antigo Testamento, no Egito.
( ) Desde os tempos do Éden, onde foi escrito o Antigo Testamento.
( ) Desde os tempos que foi escrito o Novo Testamento.
14- Quando esse “homem do pecado” poderá manifestar-se, como pessoa, aqui na Terra?
( ) Quando o Espírito de DEUS não mais atuar aqui, com a Igreja.
( ) Quando o Espírito de DEUS permitir.
( ) Quando o DEUS não mais atuar aqui.
15- Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso, quando ao Anti-CRISTO:
( ) Será uma pessoa inspirada pelo Diabo.
( ) O Diabo é adversário de DEUS. 
( ) Será um “super-homem”.
( ) Será nascido de mulher.
( ) Será a Besta que subiu do mar.
( ) Será um homem simples e humilde.
( ) O espírito dele já está no mundo.
( ) Será o líder político-espiritual mundial.
( ) O Diabo é amigo de DEUS. 
( ) Será o maior ditador que a Terra conhecerá.
( ) Enganará aos homens.
( ) Se oporá a DEUS.
( ) Será fiel aos homens. 
( ) Algumas profecias, no AT, que falam sobre o Anti-CRISTO estão em Daniel (7.8,20; 8.23-25).
IV. JESUS  ANIQUILARÁ O ANTICRISTO
16- O que é “mistério”, no Novo Testamento?
( ) É algo que não se compreende pela revelação de DEUS.
( ) É algo que se compreende sem a revelação de DEUS.
( ) É algo que não se compreende sem a revelação de DEUS.
17- A que alude o “mistério da injustiça” ou “mistério da iniqüidade”?
( ) À multiplicação da corrupção. 
( ) À multiplicação da corrupção. 
( ) À multiplicação da corrupção. 
18- A quem o Diabo vai dar todo poder?
( ) Ao Anti-DEUS PAI.
( ) Ao Anti-ESPÍRITO SANTO.
( ) Ao Anti-CRISTO.
19- O que acontecerá no auge da atuação e poderio despótico, do Anti-CRISTO?
( ) JESUS  voltará com poder e grande glória, então, o destruirá, pelo “ataque surpresa dos cristãos” e o “aniquilará pelo esplendor da sua vinda”. 
( ) JESUS  voltará com poder e grande glória, então, o destruirá, pelo “exército humano” e o “aniquilará pelo esplendor da sua vinda”. 
( ) JESUS  voltará com poder e grande glória, então, o destruirá, pelo “assopro da sua boca” e o “aniquilará pelo esplendor da sua vinda”. 
20- Qual é o intento principal do Anti-CRISTO?
( ) É a destruição do mundo.
( ) É a destruição do Oriente Médio.
( ) É a destruição de Israel.
V. PALAVRAS FINAIS DE EXORTAÇÃO
21- Paulo afirma que os tessalonicenses foram eleitos, quando e para que?
( ) “desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito e fé da mentira”.
( ) “desde o princípio para a salvação, em santificação do Espírito e fé da verdade”.
( ) “desde o princípio para a perdição, em santificação do Espírito e fé da verdade”.
22- O que vem antes, a eleição ou a predestinação?
( ) Eleição.
( ) Predestinação.
( )Os dois estão no mesmo plano.
23- Cite algumas características dos desordenados na igreja: Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso:
( ) São pessoas desocupadas, 
( ) Desobedientes, 
( ) Irreverentes com as coisas santas, 
( ) Problemáticas,
( ) Obedientes,
( ) Querem viver sem trabalhar,
( ) Bondosas.
24- O que determina Paulo, com relação aos desordenados e o relacionamento com eles?
( ) Que devemos apartar-nos “de todo o irmão que andar ordenadamente”.
( ) Que devemos apartar-nos “de todo o irmão que estiver fraco na fé” .
( ) Que devemos apartar-nos “de todo o irmão que andar desordenadamente” .
25- O que determina Paulo, com relação aos desordenados e a alimentação dos mesmos?
( ) “...se alguém não quer trabalhar, não beba também...”.
( ) “...se alguém não quer trabalhar, não se divirta também...”.
( ) “...se alguém não quer trabalhar, não coma também...”.
_______________________________________________________________________
Ajuda:
www.cpad.com.br Bíblias, Livros e Revistas
O PERÍODO DO ANTICRISTO
2Ts 2.3,4 “Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama DEUS ou se adora; de sorte que se assentará, como DEUS, no templo de DEUS, querendo parecer DEUS.”

Segundo a Bíblia, está para vir o AntiCRISTO (cf. 1Jo 2.18); aquele que trama o derradeiro ataque furioso de Satanás contra CRISTO e os santos, pouco antes do tempo em que nosso Senhor JESUS  CRISTO estabelecerá o seu reino na terra. As expressões que a Bíblia usa para o AntiCRISTO são “o homem de pecado” e “o filho da perdição” (2.3). Outras expressões usadas na Bíblia são “a besta que sobe do mar” (Ap 13.1-10), a “besta de cor escarlate” (Ap 17.3) e “a besta” (Ap 17.8, 16; 19.19,20; 20.10).

SINAIS DA VINDA DO ANTICRISTO. Diferente do arrebatamento da igreja, a vinda do Anti-CRISTO não ocorrerá sem sinais precursores. Pelo menos três eventos deverão ocorrer antes dele surgir na terra: 
(1) o “mistério da injustiça” que já opera no mundo, deverá intensificar-se (2.7); 
(2) virá a “apostasia” (2.3); 
(3) “um que, agora, resiste”, deve ser afastado (2.7).
(1) O “mistério da injustiça”, i.e., a atividade secreta dos poderes do mal, ora evidente no mundo inteiro (ver 2.7), aumentará até alcançar seu ponto máximo na total zombaria e desprezo a qualquer padrão ou preceito bíblicos. Por causa do predomínio da iniqüidade, o amor de muitos esfriará (Mt 24.10-12; Lc 18.8). Mesmo assim, um remanescente fiel permanecerá leal à fé apostólica conforme revelada no NT (Mt 24.13; 25.10; Lc 18.7; ver Ap 2.7). Por meio desses fiéis, a igreja permanecerá batalhando e manejando a espada do Espírito até ser arrebatada (ver Ef 6.11 nota). 
(2) Ocorrerá a “apostasia” (gr. apostasia), que literalmente significa “desvio’’, “afastamento’’, “abandono’’ (2.3). Nos últimos dias, um grande número de pessoas da igreja apartar-se-á da verdade bíblica. 
(a) Tanto o apóstolo Paulo quanto CRISTO revelam um quadro difícil da condição de grande parte da igreja — moral, espiritual e doutrinariamente — à medida que a era presente chega ao seu fim (cf. Mt 24.5, 10-13, 24; 1Tm 4.1; 2Tm 4.3,4). Paulo, principalmente, ressalta que nos últimos dias elementos ímpios ingressarão nas igrejas em geral.
(b) Essa “apostasia” dentro da igreja terá duas dimensões. (i) A apostasia teológica, que é o desvio de parte ou totalidade dos ensinos de CRISTO e dos apóstolos, ou a rejeição deles (1Tm 4.1; 2 Tm 4.3). Os falsos dirigentes apresentarão uma salvação fácil e uma graça divina sem valor, desprezando as exigências de CRISTO quanto ao arrependimento, à separação da imoralidade, e à lealdade a DEUS e seus padrões (2Pe 2.1-3,12-19). Os falsos evangelhos, voltados a interesses humanos, necessidades e alvos egoístas, gozarão de popularidade nota). (ii) A apostasia moral, que é o abandono da comunhão salvífica com CRISTO e o envolvimento com o pecado e a imoralidade. Esses apóstatas poderão até anunciar a sã doutrina bíblica, e mesmo assim nada terem com os padrões morais de DEUS (Is 29.13; Mt 23.25-28). Muitas igrejas permitirão quase tudo  para terem muitos membros, dinheiro, sucesso e prestígio (ver 1Tm 4.1). O evangelho da cruz, com o desafio de sofrer por CRISTO (Fp 1.29), de renunciar todo pecado (Rm 8.13), de sacrificar-se pelo reino de DEUS e de renunciar a si mesmo será algo raro (Mt 24.12; 2Tm 3.1-5; 4.3).
(c) Tanto a história da igreja, como a apostasia predita para os últimos dias, advertem a todo crente a não pressupor que o progresso do reino de DEUS é infalível na sua continuidade, no decurso de todas as épocas e até o fim. Em determinado momento da história da igreja, a rebelião contra DEUS e sua Palavra assumirá proporções espantosas. No dia do Senhor, cairá a ira de DEUS contra os que rejeitarem a sua verdade (1Ts 5.2-9).
(d) O triunfo final do reino de DEUS e sua justiça no mundo, portanto, depende não do aumento gradual da igreja professa, mas da intervenção final de DEUS, quando Ele se manifestará ao mundo com justo juízo (Ap 19—22; ver 2Ts 2.7,8; 1Tm 4.1; 2Pe 3.10-13; Jd). 
(3) Um evento determinante deverá ocorrer antes do aparecimento do “homem do pecado” e do Dia do Senhor começar (2.2,3), que é a saída de alguém (2.7) ou de algo, que “detém”, resiste, ou refreia o “mistério da injustiça” e o “homem do pecado” (2.3-7). Quando o restringidor do “homem do pecado’’ for retirado, então poderá começar o Dia do Senhor (2.6,7).
(a) O que agora o detém é, sem dúvida, uma referência ao ESPÍRITO SANTO, pois somente Ele tem poder de deter a iniqüidade, o homem do pecado e Satanás (2.6). Esse que agora o detém ou resiste (2.7), leva no grego o artigo definido masculino e ao mesmo tempo o artigo definido neutro, em 2.6 (“o que o detém”). De modo semelhante, a palavra “Espírito” na língua grega pode levar pronome masculino ou neutro (ver Gn 6.3; Jo 16.8; Rm 8.13; ver Gl 5.17, sobre a obra do ESPÍRITO SANTO a restringir o pecado). 
(b) No começo dos sete anos de tribulação, o ESPÍRITO SANTO será “afastado” (v. 7). Isso não significa ser Ele tirado do mundo, mas que cessará sua influência restritiva à iniqüidade e ao surgimento do Anti-CRISTO. Todas as restrições contra o pecado serão removidas, e começará a rebelião inspirada por Satanás. O ESPÍRITO SANTO, todavia, agirá na terra durante a tribulação, convencendo pessoas dos seus pecados, convertendo-as a CRISTO e dando-lhes poder (Ap 7.9, 14; 11.1-11; 14.6,7).
(c) Retirando-se o ESPÍRITO SANTO, cessará a inibição à aparição do “homem do pecado”, no cenário terreno (2.3,4). 
DEUS então liberará uma influência poderosa enganadora sobre todos os que se recusam a amar a verdade de DEUS (ver 2.11); os tais aceitarão as imposturas do homem do pecado, e a sociedade humana descerá a uma depravação jamais vista.
(d) A ação do ESPÍRITO SANTO restringindo o pecado é levada a efeito em grande parte através da igreja, que é o templo do ESPÍRITO SANTO (1Co 3.16; 6.19). Por isso, muitos expositores da Bíblia acreditam que a saída do ESPÍRITO SANTO é uma clara indicação de que o arrebatamento dos santos ocorrerá nessa ocasião (1Ts 4.17). Noutras palavras, a volta de CRISTO, para levar a igreja e livrá-la da ira vindoura (1Ts 1.10), ocorrerá antes do início do Dia do Senhor e da manifestação do “homem do pecado”.
(e) Entende-se, nos meios eruditos da Bíblia, que o restringente em 2.6 (no gênero neutro) refere-se ao ESPÍRITO SANTO e seu ministério de conter a iniqüidade, ao passo que em 2.7, “um que, agora” (no gênero masculino) refere-se aos crentes reunidos a CRISTO e tirados daqui, i.e., arrebatados ao encontro do Senhor nos ares, a fim de estarem sempre com Ele (1Ts 4.17). 

AS ATIVIDADES DO ANTICRISTO. Ao começar o Dia do Senhor, “o iníquo” aparecerá neste mundo. Trata-se, no meios eruditos da Bíblia, de um governante mundial que fará aliança com Israel por sete anos, antes do fim da presente era (ver Dn 9.27).
(1) A verdadeira identificação do Anti-CRISTO será conhecida três anos e meio mais tarde, quando ele romper sua aliança com Israel, tornar-se governante mundial, declarar ser DEUS, profanar o templo de Jerusalém, proibir a adoração a DEUS (ver 2.4, 8,9) e assolar a terra de Israel (ver Dn 9.27; 11.36-45).
(2) O Anti-CRISTO declarará ser DEUS, e perseguirá severamente quem permanecer leal a CRISTO (Ap 11.6,7; 13.7, 15-18; ver Dn 7.8, 24,25). Exigirá adoração, certamente sediada num grande templo que será usado como centro de seus pronunciamentos (cf. Dn 7.8, 25; 8.4; 11.31, 36). O homem aspira tornar-se divino desde a criação (ver 2.8; Ap 13.8,12).
(3) O “homem do pecado’’ fará mediante poder satânico, grandes sinais, maravilhas e milagres a fim de propagar o engano (2.9). “Prodígios de mentira” significa que seus milagres são sobrenaturais, parecendo autênticos, para enganar as pessoas e levá-los a crer na mentira. (a) Tais demostrações possivelmente serão vistas no mundo inteiro, pela televisão. Milhões de pessoas ficarão impressionadas, enganadas por esse líder altamente convincente, por não darem a devida importância à Palavra de DEUS nem ter amor às suas verdades (2.9-12). (b) Tanto as palavras de Paulo (2.9), quanto as de JESUS  (Mt 24.24) devem despertar os crentes para o fato de que nem todo milagre provém de DEUS. Aparentes “manifestações do Espírito” (1Co 12.7-10) ou fênomenos supostamente vindos da parte de DEUS devem ser provados à base da obediência a CRISTO e às Escrituras, por parte da pessoa atuante. 

A DERROTA DO ANTICRISTO. No fim da tribulação, Satanás congregará muitas nações no Armagedom, sob o comando do AntiCRISTO, e guerrearão contra DEUS e o seu povo numa batalha que envolverá o mundo inteiro (ver Dn 11.45; Ap 16.16). Quando isso ocorrer, CRISTO voltará e intervirá de modo sobrenatural, destruindo o Anti-CRISTO, seus exércitos e todos os que não obedecem ao evangelho (ver Ap 19.15-21). A seguir, CRISTO prenderá Satanás e estabelecerá seu reino na terra (20.1-6).
A APOSTASIA PESSOAL
Hb 3.12 “Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do DEUS vivo”.

A apostasia (gr. apostasia) aparece duas vezes no NT como substantivo (At 21.21; 2Ts 2.3) e, aqui em Hb 3.12, como verbo (gr. aphistemi, traduzido “apartar”). O termo grego é definido como decaída, deserção, rebelião, abandono, retirada ou afastar-se daquilo a que antes se estava ligado.

(1) Apostatar significa cortar o relacionamento salvífico com CRISTO, ou apartar-se da união vital com Ele e da verdadeira fé nEle.. Sendo assim, a apostasia individual é possível somente para quem já experimentou a salvação, a regeneração e a renovação pelo ESPÍRITO SANTO (cf. Lc 8.13; Hb 6.4,5); não é simples negação das doutrinas do NT pelos inconversos dentro da igreja visível. A apostasia pode envolver dois aspectos distintos, embora relacionados entre si: (a) a apostasia teológica, i.e., a rejeição de todos os ensinos originais de CRISTO e dos apóstolos ou dalguns deles (1Tm 4.1; 2Tm 4.3); e (b) a apostasia moral, i.e., aquele que era crente deixa de permanecer em CRISTO e volta a ser escravo do pecado e da imoralidade (Is 29.13; Mt 
23.25-28; Rm 6.15-23; 8.6-13).

(2) A Bíblia adverte fortemente quanto à possibilidade da apostasia, visando tanto nos alertar do perigo fatal de abandonar nossa união com CRISTO, como para nos motivar a perseverar na fé e na obediência. O propósito divino desses trechos bíblicos de advertência não deve ser enfraquecido pela idéia que afirma: “as advertências sobre a apostasia são reais, mas a sua possibilidade, não”. Antes, devemos entender que essas advertências são como uma realidade possível durante o nosso viver aqui, e devemos considerá-las um alerta, se quisermos alcançar a salvação final. Alguns dos muitos trechos do NT que contêm advertências são: Mt 24.4,5,11-13; Jo 15.1-6; At 11.21-23; 14.21,22; 1Co 15.1,2; Cl 1.21-23; 1Tm 4.1,16; 6.10-12; 2Tm 4.2-5; Hb 2.1-3; 3.6-8,12-14; 6.4-6; Tg 5.19,20; 2Pe 1.8-11; 1Jo 2.23-25.

(3) Exemplos da apostasia propriamente dita acham-se em Êx 32; 2Rs 17.7-23; Sl 106; Is 1.2-4; Jr 2.1-9; At 1.25; Gl 5.4; 1Tm 1.18-20; 2Pe 2.1,15,20-22; Jd 4,11-13. 
(4) Os passos que levam à apostasia são:
(a) O crente, por sua falta de fé, deixa de levar plenamente a sério as verdades, exortações, advertências, promessas e ensinos da Palavra de DEUS (Mc 1.15; Lc 8.13; Jo 5.44,47; 8.46).
(b) Quando as realidades do mundo chegam a ser maiores do que as do reino celestial de DEUS, o crente deixa paulatinamente de aproximar-se de DEUS através de CRISTO (4.16; 7.19,25; 11.6).
(c) Por causa da aparência enganosa do pecado, a pessoa se torna cada vez mais tolerante do pecado na sua própria vida (1Co 6.9,10; Ef 5.5; Hb 3.13). Já não ama a retidão nem odeia a iniqüidade (ver 1.9).
(d) Por causa da dureza do seu coração (3.8,13) e da sua rejeição dos caminhos de DEUS (v. 10), não faz caso da repetida voz e repreensão do ESPÍRITO SANTO (Ef 4.30; 1Ts 5.19-22; Hb 3.7-11).
(e) O ESPÍRITO SANTO se entristece (Ef 4.30; cf. Hb 3.7,8); seu fogo se extingue (1Ts 5.19) e seu templo é profanado (1Co 3.16). Finalmente, Ele afasta-se daquele que antes era crente (Jz 16.20; Sl 51.11; Rm 8.13; 1Co 3.16,17; Hb 3.14).
(5) Se a apostasia continua sem refreio, o indivíduo pode, finalmente, chegar ao ponto em que não seja possível um recomeço. (a) Isto é, a pessoa que no passado teve uma experiência de salvação com CRISTO, mas que deliberada e continuamente endurece seu coração para não atender à voz do ESPÍRITO SANTO (3.7-19), continua a pecar intencionalmente (10.26) e se recusa a arrepender-se e voltar para DEUS, pode chegar a um ponto sem retorno em que não há mais possibilidade de arrependimento e de salvação (6.4-6; Dt 29.18-21; 1 Sm 2.25; Pv 29.1). Há um limite para a paciência de DEUS (ver 1 Sm 3.11-14; Mt 12.31,32; 2 Ts 2.9-11; Hb 10.26-29,31; 1 Jo 5.16). (b) Esse ponto de onde não há retorno, não se pode definir de antemão. Logo, a única salvaguarda contra o perigo de apostasia extrema está na admoestação do Espírito: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações ( 3.7,8,15; 4.7).
(6) É próprio salientar que, embora a apostasia seja um perigo para todos os que vão se desviando da fé (2.1-3) e que se apartam de DEUS (6.6), ela não se consuma sem o constante e deliberado pecar contra a voz do ESPÍRITO SANTO (ver Mt 12.31,sobre o pecado contra o ESPÍRITO SANTO). (7) Aqueles que, por terem um coração incrédulo, se afastam de DEUS (3.12), podem pensar que ainda são verdadeiros crentes, mas sua indiferença para com as exigências de CRISTO e do ESPÍRITO SANTO e para com as advertências das Escrituras indicam o contrário. Uma vez que alguém pode enganar-se a si mesmo, Paulo exorta 
todos aqueles que afirmam ser salvos: "Examinai-vos a vós mesmos se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos" (ver 2 Co 13.5).
(8) Quem, sinceramente, preocupa-se com sua condição espiritual e sente no seu coração o desejo de voltar-se arrependido para DEUS, tem nisso uma clara evidência de que não cometeu a apostasia imperdoável. As Escrituras afirmam com clareza que DEUS não quer que ninguém pereça (2 Pe 3.9; cf. Is 1.18,19; 55.6,7) e declaram que DEUS receberá todos que já desfrutaram da graça salvadora, se arrependidos, voltarem a Ele (cf. Gl 5.4 com 4.19; 1 Co 5.1-5 com 2 Co 2.5-11; Lc 15.11-24; Rm 11.20-23; Tg 5.19,20; Ap 3.14-20; note o exemplo de Pedro, Mt 16.16; 26.74,75; Jo 21.15-22).