Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
 
Figura ilustrativa de Enomir - Ananindeua - PA
 
LIÇÃO 2 - A ASCENSÃO DE CRISTO E A PROMESSA DE SUA VINDA
Lições Bíblicas do 1º Trimestre de 2011 - CPAD - Jovens e Adultos
ATOS DOS APÓSTOLOS - Até aos confins da terra
Comentários da revista da CPAD: Pr. Claudionor de Andrade
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD:  Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO
 
 
"TEXTO ÁUREO
[..] Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse JESUS, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir" (At 1.11).
 
 
VERDADE PRÁTICA
Se a ascensão de CRISTO não for aceita como um fato historicamente comprovado, não poderá ser recebida como doutrina confiável. JESUS CRISTO, de fato, foi assunto ao céu. e acha-se à destra de DEUS.
 
 
LEITURA DIÁRIA
At 1.12-14 As testemunhas da ascensão
Lc 24.44-49 As últimas instruções de JESUS antes de sua ascensão
At 1.6-8 Instruções de JESUS, antes da ascensão com respeito ao futuro
At 1.9 O ato da partida
At 1.11 A promessa da sua segunda vinda
Hb 10.12 JESUS está assentado para sempre à destra ..de DEUS
 
 
LEITURA BÍBLlCA EM CLASSE - Atos 1.4-11
4 - E, estando com eles, determinou-Ihes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. 5 - Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o ESPÍRITO SANTO, não muito depois destes dias. 6 - Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? 7 - E disse-Ihes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder. 8 - Mas recebereis a virtude do ESPÍRITO SANTO, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samária e até aos confins da terra. 9 - E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos. 10 - E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco, 11 - os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse JESUS, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.
 
1.4 A PROMESSA DO PAI. O prometido dom do Pai (Jl 2.28,29; Mt 3.11) é o batismo no ESPÍRITO SANTO (ver v. 5). O cumprimento desta promessa, no entanto, é descrito como ser cheios do ESPÍRITO SANTO (2.4). Assim, batizado no ESPÍRITO e cheio do ESPÍRITO , às vezes, são usados como equivalentes nas Escrituras. A partícula grega que aparece nos pertinentes textos do NT leva para a tradução com ou no ESPÍRITO SANTO, em se tratando do batismo pentecostal. Este batismo com ou no ESPÍRITO SANTO, não deve ser identificado com o recebimento do ESPÍRITO SANTO na ocasião da regeneração. São duas obras distintas do ESPÍRITO, muitas vezes separadas por um período de tempo.
1.5 BATIZADOS COM O ESPÍRITO SANTO. A preposição com é a partícula grega en, que pode ser traduzida como em ou com . Por isso, muitos preferem a tradução sereis batizados no ESPÍRITO SANTO . Da mesma forma, batizados com água pode ser traduzido batizados em água . O próprio JESUS é aquele que batiza no ESPÍRITO SANTO os que nEle crêem.
1.8 RECEBEREIS A VIRTUDE. O termo original para virtude é dunamis, que significa poder real; poder em ação. Esse é o versículo-chave do livro de Atos. O propósito principal do batismo no ESPÍRITO SANTO é o recebimento de poder divino para testemunhar de CRISTO, para ganhar os perdidos para Ele, e ensinar-lhes a observar tudo quanto CRISTO ordenou. Sua finalidade é que CRISTO seja conhecido, amado, honrado, louvado e feito Senhor do povo de DEUS (cf. Mt 28.18-20; Lc 24.49; Jo 5.23; 15.26,27). (1) Poder (gr. dunamis) significa mais do que força ou capacidade; designa aqui, principalmente, o poder divino em operação, em ação. O batismo no ESPÍRITO SANTO trará o poder pessoal do ESPÍRITO SANTO à vida do crente. (2) Note que neste versículo Lucas não relaciona o batismo no ESPÍRITO SANTO com a salvação e regeneração da pessoa, mas com o poder celestial no interior do crente para este testemunhar com grande eficácia. (3) A obra principal do ESPÍRITO SANTO no testemunho e na proclamação do evangelho diz respeito à obra salvífica de CRISTO, à sua ressurreição e à promessa do batismo no ESPÍRITO (cf. 2.14-42).
1.8 SER-ME-EIS TESTEMUNHAS. O batismo no ESPÍRITO SANTO não somente outorga poder para pregar JESUS como Senhor e Salvador, como também aumenta a eficácia desse testemunho, fortalecido e aprofundado pelo nosso relacionamento com o Pai, o Filho e o ESPÍRITO SANTO por termos sido cheios do ESPÍRITO (cf. Jo 14.26; 15.26,27). (1) O ESPÍRITO SANTO revela e torna mais real para nós a presença pessoal de JESUS (Jo 14.16-18). Uma comunhão íntima com o próprio JESUS CRISTO resultará num desejo cada vez maior da nossa parte de amar, honrar e agradar nosso Salvador. (2) O ESPÍRITO SANTO dá testemunho da justiça (Jo 16.8,10) e da verdade (Jo 16.13), as quais glorificam a CRISTO (Jo 16.14),
não somente com palavras, mas também no modo de viver e no agir. Daí, quem tem o testemunho do ESPÍRITO SANTO a respeito da obra redentora de JESUS CRISTO, manifestará com certeza, à semelhança de CRISTO, o amor, a verdade e a justiça em sua vida (cf. 1 Co 13). (3) O batismo no ESPÍRITO SANTO outorga poder para o crente testemunhar de CRISTO e produz nos perdidos a convicção do pecado, da justiça e do juízo (ver Jo 16.8). Os efeitos desta convicção se tornarão evidentes naqueles que proclamam com sinceridade a mensagem da Palavra e naqueles que a recebem (2.39,40). (4) O batismo no ESPÍRITO SANTO destina-se àqueles cujos corações pertencem a DEUS por terem abandonado seus maus caminhos (2.38; 3.26), e é mantido mediante a mesma dedicação sincera a CRISTO (ver 5.32). (5) O batismo no ESPÍRITO SANTO é um batismo no ESPÍRITO que é santo (cf. ESPÍRITO de santificação , Rm 1.4). Assim, se o ESPÍRITO SANTO realmente estiver operando em nós plenamente, viveremos em maior conformidade com a santidade de CRISTO. À luz destas verdades bíblicas, portanto, quem for batizado no ESPÍRITO SANTO, terá um desejo intenso de agradar a CRISTO em tudo o que puder. Noutras palavras: a plenitude do ESPÍRITO complementa (i.e., completa) a obra salvífica e santificadora do ESPÍRITO SANTO em nossa vida. Aqueles que afirmam ter a plenitude do ESPÍRITO, mas vivem uma vida contrária ao ESPÍRITO de santidade, estão enganados e mentindo. Aqueles que manifestam dons espirituais, milagres, sinais espetaculares, ou oratória inspiradora, mas não têm uma vida de verdadeira fé, amor e retidão, não estão agindo segundo o ESPÍRITO SANTO, mas segundo um espírito impuro que não é de DEUS (Mt 7.21-23; cf. Mt 24.24; 2 Co 11.13-15). Mais exposição sobre testemunhar de CRISTO, em 13.31.
 
PALAVRA-CHAVE - ASCENSÃO - Ato de ascendência; subida; elevação.
 
“A IMPORTÂNCIA DA ASCENSÃO DE JESUS CRISTO” (Pr. Paulo Damião)
     A Ascensão de Cristo aos céus depois Pentecoste – o dia do nascimento da Igreja.
    A ascensão ou subida de Jesus aos céus, após a ressurreição é de grande importância para a fé cristã:
    1.- Ela demonstra que as promessas de Deus são confiáveis.
    Foram muitas as promessas de que, após a ressurreição, Jesus voltaria aos céus e, como todas as demais, estas também se cumpriram.
    Se tirarmos as promessas do cristianismo, ele não subsistirá. Nossa fé está baseada nas promessas do Senhor, como afirma a letra do cântico: “Firme nas Promessas”.
    2.- Ela permitiu que Jesus recuperasse a glória que tinha antes da encarnação.
    O grande mistério da fé está explícito no fato de que Deus se fez homem – encarnação. Para que isso fosse possível, Ele abiu mão de atributos para que sua vida entre nós não fosse uma representação teatral. Mas, ao voltar aos céus, Ele readquire a glória anterior.
    3.- Ela permitiu que Jesus assumisse a função de nosso advogado.
    Ele está intercedendo por nós e nos defendendo das acusações do Diabo, feitas ao Pai.
    Mesmo quando o diabo fala a verdade, o que não é fácil para ele, pois, é o pai da mentira, apontando nossos pecados cometidos, Jesus nos defende, pedindo ao Pai que aplique sobre nós a justiça que Ele conquistou na cruz.
    4.- Ela demonstra que Jesus vai voltar para levar a Sua Igreja.
    A fé cristã está baseada numa esperança escatológica muito forte: quem crer em Jesus Cristo, ainda que morra, viverá! Será ressuscitado na volta gloriosa do Senhor!
    A última oração da Bíblia é: “Maranata! Vem, Senhor Jesus!”
    Você já havia pensado em como é importante pensar e celebrar a ascensão de Jesus?  
 
 
REFLEXÃO - "CRISTO provou que tinha ressurgido dentre os mortos pelo seu próprio testemunho. consubstanciando-o mediante suas aparições." Severino Pedro da Silva
REFLEXÃO - "A verdade não é somente correspondência. ela é também absoluta. A teologia evangélica é pregada com base na premissa de que a Bíblia é a verdade. Ela é a Palavra de DEUS, e DEUS não pode mentir.'
 
 
A RESSURREIÇÃO DO CORPO (BEP - CPAD)
1Co 15.35 “Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?”

A ressurreição do corpo é uma doutrina fundamental das Escrituras. Refere-se ao ato de Deus, de ressuscitar dentre os mortos o corpo do salvo e reuni-lo à sua alma e espírito, dos quais esse corpo esteve separado entre a morte e a ressurreição.
(1) A Bíblia revela pelo menos três razões por que a ressurreição do corpo é necessária.
(a) O corpo é parte essencial da total personalidade do homem; o ser humano é incompleto sem o corpo. Por conseguinte, a redenção que Cristo oferece abrange a pessoa total, inclusive o corpo (Rm 8.18-25).
(b) O corpo é o templo do Espírito Santo (6.19); na ressurreição, ele voltará a ser templo do Espírito.
(c) Para desfazer o resultado do pecado em todas as áreas, o derradeiro inimigo do homem (a morte do corpo) deve ser aniquilado pela ressurreição (15.26).
(2) Tanto as Escrituras do AT (cf. Hb 11.17-19 com Gn 22.1-4; Sl 16.10 com At 2.24ss; Jó 19.25-27; Is 26.19; Dn 12.2; Os 13.14), como as Escrituras do NT (Lc 14.13,14; 20.35,36; Jo 5.21,28,29; 6.39,40,44,54;  Co 15.22,23; Fp 3.11; 1Ts 4.14-16; Ap 20.4-6,13) ensinam a ressurreição futura do corpo.
(3) Nossa ressurreição corporal está garantida pela ressurreição de Cristo (ver Mt 28.6; At 17.31; 1Co 15.12,20-23).
(4) Em termos gerais, o corpo ressurreto do crente será semelhante ao corpo ressurreto de Nosso Senhor (Rm 8.29;1Co 15.20,42-44,49; Fp 3.20,21; 1Jo 3.2). Mais especificamente, o corpo ressurreto será:
(a) um corpo que terá continuidade e identidade com o corpo atual e que, portanto, será reconhecível (Lc 16.19-31);
(b) um corpo transformado em corpo celestial, apropriado para o novo céu e a nova terra (15.42-44,47,48; Ap 21.1);
(c) um corpo imperecível, não sujeito à deterioração e à morte (15.42);
(d) um corpo glorificado, como o de Cristo (15.43; Fp 3.20,21);
(e) um corpo poderoso, não sujeito às enfermidades, nem à fraqueza (15.43);
(f) um corpo espiritual (i.e., não natural, mas sobrenatural), não limitado pelas leis da natureza (Lc 24.31; Jo 20.19; 1Co 15.44);
(g) um corpo capaz de comer e beber (Lc 14.15; 22.16-18,30; 24.43; At 10.41).
(5) Quando os crentes receberem seu novo corpo se revestirão da imortalidade (15.53). As Escrituras indicam pelo menos três propósitos nisso:
(a) para que os crentes venham a ser tudo quanto Deus pretendeu para o ser humano, quando o criou (cf. 2.9);
(b) para que os crentes venham a conhecer a Deus de modo completo, conforme Ele quer que eles o conheçam (Jo 17.3);
(c) a fim de que Deus expresse o seu amor aos seus filhos, conforme Ele deseja (Jo 3.16; Ef 2.7; 1Jo 4.8-16).
(6) Os fiéis que estiverem vivos na volta de Cristo, para buscar os seus, experimentarão a mesma transformação dos que morrerem em Cristo antes do dia da ressurreição deles (15.51-54). Receberão novos corpos, idênticos aos dos ressurretos nesse momento da volta de Cristo. Nunca mais experimentarão a morte física.
(7) Jesus fala de uma ressurreição da vida, para o crente, e de uma ressurreição de juízo, para o ímpio (Jo 5.28,29).
 
Etapas Escatológicas
 
 
 
 

A Ressurreição de Jesus: O motivo de sua importância!
A ressurreição de Jesus é a base da fé Cristã. Na carta de Paulo aos Coríntios, ele declara:
"E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus, pois testificamos de Deus, que ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não ressuscitam" (1 Coríntios 15:14-15).
"E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados" (1 Coríntios 15:17). Na verdade, nenhum estudioso ou religião dos dias de hoje nega que Jesus era uma figura histórica que viveu cerca de 2000 anos atrás, um grande mestre capaz de fazer milagres, e que ele morreu na cruz pelo crime de blasfêmia. No entanto, a única disputa legítima é se ele era ou não o Filho de Deus que ressuscitou dos mortos depois de sua crucificação.
A Ressurreição de Jesus: As Testemunhas Oculares
A Ressurreição de Jesus é desafiada hoje em dia por motivos relativos às evidências. Portanto, para ser justo, a evidência deve ser julgada como qualquer outro evento histórico. Ao seguir regras padrões de como avaliar evidências, a declaração consistente de várias testemunhas oculares é considerada a forma mais forte de evidência disponível. Portanto, se encontrarmos tal testemunho em narrativas confiáveis do registro histórico da ressurreição de Cristo, temos vencido o maior desafio que existe sob as regras tradicionais. Na verdade, temos várias narrativas de testemunhas oculares sobre o nascimento de Jesus. Em 1 Coríntios 15:3-6, Paulo diz:
"Antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras,e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras. E apareceu a Cefas e, depois, aos doze. Depois, foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maioria sobrevive até agora; porém alguns já dormem." Os estudos dos manuscritos indicam que esta passagem foi escrita apenas alguns anos depois da morte de Jesus Cristo. Por isso, é de grande importância perceber que Paulo termina a passagem com "dos quais a maioria sobrevive até agora." Paulo estava convidando as pessoas a verificar os fatos. Ele não teria incluído uma declaração como essa se estivesse tentando esconder algo parecido com uma conspiração, trote, mito ou lenda.
A Ressurreição de Jesus: Mais Testemunhas Oculares
A ressurreição de Jesus também foi confirmada em diversas outras narrativas, incluindo o aparecimento de Jesus à Maria Madalena (João 20:10-18), a outras mulheres (Mateus 28:8-10), para Cléopas e seu companheiro (Lucas 24:13-32), aos onze discípulos e outros (Lucas 24:33-49), para os dez apóstolos e outros (excluindo Tomé) (João 20:19-23), para os apóstolos (incluindo Tomé) (João 20:26-30), a sete apóstolos (João 21:1-14), para os discípulos (Mateus 28:16-20), e para os apóstolos no Monte das Oliveiras (Lucas 24:50-52 e Atos 1:4-9 ). O grande teste de credibilidade destas testemunhas oculares é que muitas delas enfrentaram o
martírio pelo seu testemunho. Isto é dramático! Estas testemunhas conheciam a verdade. O que poderiam ganhar ao morrer por uma mentira? As evidências falam por si mesmas; essas pessoas não eram apenas fanáticos dispostos a morrer por uma crença religiosa, mas sim seguidores de Jesus Cristo morrendo por um evento histórico - Sua ressurreição, a qual O estabeleceu como o Filho de Deus. (http://www.allaboutjesuschrist.org/portuguese/ressurreicao-de-jesus.htm)
 
 
 
INTERAÇÃO
JESUS CRISTO de Nazaré é apresentado nos Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas (Sinóticos) e João como muito mais que um rabino judeu, um grande professor ou um ousado profeta do século. Os quatro evangelistas afirmaram que JESUS CRISTO é o tão esperado Messias de Israel, o seu Libertador e o DEUS encarnado! Dessas afirmações, denota-se a seguinte sentença: 'Toda a humanidade será julgada um dia, com base nas suas respostas a este JESUS" (Jo 1.1-14 cf. 8.12-19). Qual JESUS lhe foi apresentado? O que está morto ou o ressurreto? A resposta, positiva ou negativa, a essas questões é fundamental para determinar em que a sua está baseada. Nossa oração é que ela esteja no "CRISTO, o Filho do DEUS vivo" (Mt 16.16).
 
OBJETIVOS:
Conhecer a historicidade da Ascensão de JESUS CRISTO de Nazaré.
Explicar as implicações teológicas da Ascensão de CRISTO.
Saber que o CRISTO ressuscitado intercede por nós, à destra de DEUS, e consola-nos na força do ESPÍRITO SANTO.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Prezado professor, sugerimos o uso do esquema da página seguinte a fim de introduzir o assunto à classe. Reproduza o diagrama no data show, retroprojetor ou tire cópias para os alunos. Utilize o esquema para pontuar os locais e a ordem em que ocorreu a aparição do Senhor aos discípulos e demais pessoas. Explique que a quantidade e a variedade de pessoas que contemplaram JESUS
CRISTO de Nazaré, em circunstâncias distintas, de sua ressurreição até a sua ascensão, oferecem uma prova incontestável de que Ele ressuscitou e continua vivo. Aleluia!
 
RESUMO DA LIÇÃO 2 - A ASCENSÃO DE CRISTO E A PROMESSA DE SUA VINDA
INTRODUÇÃO
Na teologia autenticamente bíblica, não se pode separar o CRISTO Histórico do CRISTO anunciado na mensagem dos apóstolos.
 
I. A HISTORICIDADE DA ASCENSÃO DE CRISTO
Lucas deixa bem claro que a sua narrativa é baseada em provas incontestáveis (At 1.3).
1. Data da ascensão.
2. Lugar da ascensão.
3. As testemunhas da ascensão.
II- A TEOLOGIA DA ASCENSÃO DE CRISTO
No âmbito da Teologia Cristã, primeiro temos o fato, depois, o dogma.
1. Ascensão de CRISTO.
2. A perspectiva paracletológica.
3. A perspectiva escatológica.
III- ASCENSÃO DE CRISTO EM NOSSA DEVOÇÃO
1. A posição do CRISTO que ascendeu.
2. A eficácia salvífica do CRISTO que ascendeu aos céus.
3. CRISTO assunto, nosso Advogado.
CONCLUSÃO
A ascensão de Nosso Senhor JESUS CRISTO é um fato comprovadamente histórico.
 
SINOPSE DO TÓPICO (1 ) A Assunção de JESUS ocorreu no ano 34 da era cristã, no monte das Oliveiras, sobre os olhares de.diversas testemunhas.
SINOPSE DO TÓPICO (2) A Ascensão trouxe implicações paracletológicas (o revestimento do ESPÍRITO SANTO) e escatológicas, a esperança da vinda de CRISTO!
SINOPSE DO TÓPICO (3) CRISTO em sua Ascensão, está à destra de DEUS como o Advogado que intercede, por nós, a DEUS; o Justo Juiz.
 
VOCABULÁRIO
Congruência: Harmonia de alguma coisa, coerência.
Estrugida: Estrondo.
Irrecorrível: De que não se pode recorrer.
Paracletologia: Estudo a respeito do atributo Consolador do ESPÍRITO SANTO (outro igual a mim).
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
BLOMBERG, Craig L. Questões Cruciais do Novo Testamento. l.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
Dicionário Bíblico Wycliffe, Rio de Janeiro: CPAD. 2009.
HORTON, Stanley. I ed. Teologia Sistemática. Uma Perspectiva Pentecostal. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
SAIBA MAIS pela Revista Ensinador Cristão - CPAD. nº 45. p. 37.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - "A Teologia da Ressurreição de CRISTO
Soteriologia da ressurreição. Para que o pecado do homem seja expiado, deve haver uma vida perfeita de justiça, vivida em completa obediência à santa lei de DEUS, para ser oferecida 'sem mácula'; CRISTO realizou esta importante obra através de sua vida (Rm 5.19; 10.4; Hb 4.15; 5.8,9). [...] DEUS mostrou sua absoluta satisfação com a obediência ativa e passiva de CRISTO, ressuscitando o seu Filho dos mortos, e assim atestando que sua obra que visava alcançar a nossa justificação foi aprovada e aceita (Rm 4.25).
Escatologia da ressurreição. A ressurreição revela a vitória completa e final sobre a morte e o pecado, e sobre os seus efeitos no homem e na criação. Pelo fato de CRISTO ter ressuscitado. os crentes também ressuscitarão em corpos transformados (l Co 1 5). Por meio deste mesmo fato, a natureza também será libertada da maldição. Esta é a explicação da ressurreição do crente ou a manifestação dos filhos de DEUS através da 'redenção do nosso corpo', e a remoção da 'servidão da corrupção' na segunda vinda de CRISTO serem mencionados como ocorrendo simultaneamente em Romanos 8.18-23" (Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p. 1 669).
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio i\pologético - "A Ressurreição.
Além de 1 Coríntios 1 5, há mais de uma dúzia de outras referências à ressurreição de CRISTO nas incontestáveis epístolas paulinas, escritas antes dos anos 50 (Rm 4.24,25; 6.4,9; 8.11,34; 10.9; 1 Co 6.14; 2 Co 4.14; 5.15; GI1.1; 1 Ts 1.10; etc.). Em segundo lugar, não há alternativa que explique adequadamente por que os primeiros cristãos judeus (isto é, não apenas gentios) alteraram o seu dia de adoração de sábado para domingo, especialmente quando a sua lei fazia da adoração no sábado (Sabbath) um dos Dez Mandamentos invioláveis (Êx 20.8-11). Alguma coisa objetiva, assombrosamente significativa e com data de alguma manhã de domingo em particular deve ter gerado a mudança. Em terceiro lugar, em uma cultura em que o testemunho das mulheres era freqüentemente inadmissível em um tribunal, quem inventaria um "mito" relacionado à fundação, em que todas as primeiras testemunhas de um evento difícil de crer eram mulheres? Em quarto lugar, os relatos contidos do Novo Testamento diferem dramaticamente das bizarras descrições apócrifas da ressurreição, inventadas no século 11 e depois. Em quinto lugar, nos primeiros séculos do cristianismo, nenhum sepulcro jamais foi venerado, separando a resposta cristã à morte do seu fundador de praticamente todas as outras religiões da história da humanidade. Finalmente, o que teria levado os primeiros cristãos judeus a rejeitar a interpretação que lhes foi dada como herança de Deuteronômio 21.23, de que o Messias crucificado, pela própria natureza da sua morte, demonstrou que Ele estava se colocando em uma posição de maldição diante de DEUS? Novamente, é mais fácil crer em um evento aceito como sobrenatural do que tentar explicar todos estes fatos estranhos através de alguma outra lógica" (BLOMBERG, Craig L. Questões Cruciais do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: .CPAD, 2010, pp. 66-67).
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 2 - A ASCENSÃO DE CRISTO E A PROMESSA DE SUA VINDA
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 1º TRIMESTRE DE 2011
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
  
 
"TEXTO ÁUREO
1- Complete:
[..] Varões galileus, por que estais olhando para o __________________? Esse JESUS, que dentre vós foi _______________________ em __________________________ no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir" (At 1.11).
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
Se a _________________________ de CRISTO não for aceita como um fato historicamente comprovado, não poderá ser recebida como ________________________ confiável. JESUS CRISTO, de fato, foi ______________________________ ao céu, e acha-se à destra de DEUS.
 
INTRODUÇÃO
3- Complete:
O Cristianismo só é possível quando se recebe como verdade absoluta e irrecorrível, todos os fatos da História da ______________________. Os que buscam subtrair o _______________________________ da Bíblia Sagrada, considerando-o um mero recurso literário, atentam-lhe contra a origem divina. Se não aceitarmos a História Sagrada na _____________________________, seremos forçados, por uma questão de lógica e congruência, a rejeitá-Ia por inteiro. No campo da teologia bíblica, não se pode dissociar o _______________________ da verdade histórica: aquele sem esta não passa de um mito. Só é possível acreditar no JESUS Histórico se recebermos como verdade inquestionável tanto a sua concepção ____________________________ como a sua ressurreição e ascensão física aos céus, onde está à destra de DEUS. Na teologia autenticamente bíblica, não se pode separar o CRISTO Histórico do CRISTO anunciado na mensagem dos ____________________________.
 
I. A HISTORICIDADE DA ASCENSÃO DE CRISTO
4- Por que a ascensão de CRISTO não pode ficar circunscrita ao dogma teológico?
(    ) Porque é uma teologia baseada apenas no dogma estabelecido pela igreja.
(    ) Porque não é apenas teologia e dogma, mas é também um fato histórico incontestável.
(    ) Lucas deixa bem claro que a sua narrativa é baseada em provas incontestáveis..
 
5- Qual a data da ascensão de CRISTO?
(    ) Por estar errado nosso calendário, a data mais provável é 29 de nossa era.
(    ) De maneira geral, aceita-se que o Senhor JESUS foi assunto aos céus no ano 34 de nossa era.
(    ) As pequenas divergências cronológicas não desmerecem nem desacreditam o fato histórico.
 
6- Qual é o lugar da ascensão?
(    ) JESUS encontrava-se no Monte das Oliveiras com os seus discípulos quando ascendeu aos céus. Situado a leste de Jerusalém, a 818 metros em relação ao nível do mar, acha-se este monte intimamente ligado à vida e ao ministério CRISTO.
(    ) JESUS encontrava-se no Monte da Galiléia com os seus discípulos quando ascendeu aos céus. Situado a leste de Jerusalém, a 818 metros em relação ao nível do mar, acha-se este monte intimamente ligado à vida e ao ministério CRISTO.
 
7- Quantas testemunhas viram a ascensão de JESUS e quantas sua ressurreição?
(    ) Depreende-se que aproximadamente 500 pessoas hajam presenciado a ascensão de nosso Senhor.
(    ) Depreende-se que aproximadamente 120 pessoas hajam presenciado a ascensão de nosso Senhor.
(    ) Quanto à sua ressurreição, afirma Paulo, foi testemunhada por mais de 120 irmãos, a maioria dos quais ainda vivia quando Paulo escreveu a sua 1ª Epístola aos Coríntios.
(    ) Quanto à sua ressurreição, afirma Paulo, foi testemunhada por mais de 500 irmãos, a maioria dos quais ainda vivia quando Paulo escreveu a sua 1ª Epístola aos Coríntios.
 
8- Quantas testemunhas, segundo a bíblia eram necessárias para atestar algum fato como verdadeiro?
(    ) A declaração de 2 ou 3 testemunhas oculares já era mais do que suficiente para encerrar qualquer polêmica. Quem poderia, num tribunal, contestar o depoimento de tantas testemunhas?
(    ) A declaração de pelo menos 5 testemunhas oculares já era mais do que suficiente para encerrar qualquer polêmica. Quem poderia, num tribunal, contestar o depoimento de tantas testemunhas?
(    ) A declaração de mais de 100 testemunhas oculares já era mais do que suficiente para encerrar qualquer polêmica. Quem poderia, num tribunal, contestar o depoimento de tantas testemunhas?
 
II- A TEOLOGIA DA ASCENSÃO DE CRISTO
9- O que temos no âmbito da Teologia Cristã?
(    ) Primeiro temos o dogma, depois, o fato.
(    ) Primeiro temos o fato, depois, o dogma.
(    ) Doutra forma não teríamos uma doutrina, mas, uma inconsistência histórico-teológica.
(    ) Eis que podemos confiar no ensino da ascensão de nosso Senhor.
 
10- O que é a Ascensão de CRISTO?
(    ) É a Subida corpórea e física do CRISTO ressurreto e glorioso aos céus, para junto do Pai, após haver cumprido o seu ministério terreno.
(    ) É a Subida espiritual e angelical do CRISTO ressurreto e glorioso aos céus, para junto do Pai, após haver cumprido o seu ministério terreno.
(    ) Sua ascensão foi, de fato, corpórea, porque a sua ressurreição foi física e não aparente.
(    ) É claro que o seu corpo, à semelhança do que ocorrera no Monte da Transfiguração, foi elevado aos céus já revestido de glória, poder e celestialidade.
(    ) Quando do arrebatamento, teremos um corpo semelhante.
(    ) Teologicamente, a ascensão de CRISTO acha-se ligada a duas importantes doutrinas: a paracletologia e a escatologia.
 
11- O que significa a perspectiva paracletológica?
(    ) Significa uma visão do reino de DEUS sobre a terra de forma plena e total no campo financeiro, material e político.
(    ) Antes de ascender aos céus, prometeu o Senhor JESUS aos discípulos, ainda preocupados com a restauração do Reino de Israel, que seriam eles revestidos pelo ESPÍRITO SANTO.
(    ) Aos que buscavam a libertação política de um país, o Rei dos reis entrega, como herança todas as nações da terra. Não mais um império na terra, mas o Reino de DEUS no mundo. E isso no poder do ESPÍRITO SANTO.
 
12- O que significa a perspectiva escatológica?
(    ) A narrativa da ascensão de CRISTO traz, em si, o cerne da escatologia cristã.
(    ) É uma visão do passado e suas revelações para a atualidade cristã.
(    ) A sua subida aos céus é uma conseqüência teológica tanto de sua morte quanto de sua ressurreição.
(    ) E acreditar nesta implica, para o cristão, esperançar-se no retorno do Senhor que, estrugida a última trombeta, ressuscitará os que nEle morreram e os que nEle vivem.
(    ) A sua ascensão foi sucedida por uma declaração escatológica. Aos discípulos que, maravilhados, observavam a elevação do Filho de DEUS, prometem os dois seres angelicais: "Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse JESUS, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir".
 
III- ASCENSÃO DE CRISTO EM NOSSA DEVOÇÃO
13- Complete:
Além de sua ____________________________ e sublimidade teológica, a ____________________________ de Nosso Senhor JESUS CRISTO enleva-nos a __________________________, estreitando-nos a comunhão com o Senhor.
 
14- Quais os principais fatores devocionais que nos proporcionam o CRISTO que ascendeu aos céus?
 
CRISTO assunto, nosso Advogado.
 
Consola-nos saber que, à destra de DEUS, temos um advogado sempre pronto a defender-nos as causas junto ao Juiz de toda a terra.
Eis como o discípulo do amor descreve essa função do Senhor: "Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai,JESUS CRISTO, o Justo.
E ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo" (1 Jo 2.1,2).
Se você pecou, não se desespere. Arrependa-se e confie no Advogado que temos, junto, ao Pai.
A posição do CRISTO que ascendeu.
 
À destra de DEUS, o Senhor JESUS atua como o mediador da nova aliança firmada em seu sangue, através da qual obtivemos eterna salvação (Hb 5.9).
Sim, somente em seu nome é que o ser humano logra a redenção de sua alma, como reafirmou o apóstolo Pedro: "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (At 4.12).
À destra de DEUS, o Senhor JESUS salva e justifica o pecador, proporcionando-lhe a bem-aventurança de ser adotado pelo Pai como filho (Rm 5.1; Ef 1.5).
A eficácia salvífica do CRISTO que ascendeu aos céus.
 
Ascendido às alturas sob os olhares interrogativos e desolados de seus discípulos e apóstolos, o Senhor JESUS assentou-se à destra do Pai.
Ao registrar-lhe a ascensão, o evangelista Marcos garante tratar-se não de um engenho fantasioso, mas de um evento histórico: "Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à direita de DEUS" (Mc 16.19).
Vários autores sagrados fazem menção ao acontecimento (At 2.33; 7.56; Hb 10.12; 12.2; 1 Pe 3.22).
CRISTO está à destra de DEUS. Alegremo-nos. Junto ao Todo-Poderoso encontra-se um que nos compreende.
À nossa semelhança, Ele sabe o que é padecer (ls 53.3). Eis porque está sempre a interceder por nós como o Sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (SI 110.4).
Não se desespere, CRISTO o compreende.
 
 
CONCLUSÃO
15- Complete:
A ______________________________ de Nosso Senhor JESUS CRISTO é um fato comprovadamente ________________________. Como é bom saber que, junto ao trono do Todo-Poderoso, temos um intercessor e _______________________________ sempre pronto a interceder por nós. Amém! E um dia, mais rápido do que supomos, virá o Senhor _______________________________-nos, para que estejamos sempre com Ele nos céus ao lado do Pai. Amém!
 
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm    
 
 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.  
Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.
veja também - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao10-ldc-osdonsespirituais.htm 
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/atos.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao4-vemofimofimvem-oarrebatamentodaigreja.htm
 
 
Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos