Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
 
LIÇÃO 3 - O QUE É O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
Lições Bíblicas do 2º Trimestre de 2011 - CPAD - Jovens e Adultos
MOVIMENTO PENTECOSTAL - As doutrinas de nossa fé
Comentários da revista da CPAD: Pr. Elienai Cabral
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD:  Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO
 
  
TEXTO ÁUREO
"E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; ele vos batizará com o ESPÍRITO SANTO e com fogo" (Mt 3.11).
 
 
 
VERDADE PRÁTICA
O batismo com o ESPÍRITO SANTO é uma experiência subseqüente à salvação, concedida por DEUS aos seus servos, tornando-os aptos a cumprir a missão de pregar o Evangelho.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - JI 2.28-32 - A promessa da efusão do ESPÍRITO
Terça - Jo 14.16-18,26 - A promessa do Pai Celestial
Quarta - Lc 24.49; At 1.8 - A promessa de poder espiritual
Quinta - Ef 5.1 8 - Cheios do ESPÍRITO SANTO
Sexta - Jo 1.29-33 - JESUS é o que batiza com o ESPÍRITO SANTO I
Sábado - At 2.1-4,16-18 - O cumprimento do derramamento do ESPÍRITO SANTO
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Atos 2.1-4,7,8
1 - Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2 - e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. I 3 - E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. 4 - E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO Ihes concedia que falassem. 7 - E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! Não são galileus todos esses homens que estão falando? 18 - Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?
 
 
 
 
PALAVRA-CHAVE - Batismo Do gr. baptisma. Significa mergulhar, submergir.
 
Observações Importantes:
Quem é batizado com o ESPÍRITO SANTO fala em línguas todos os dias de sua vida (se não está falando é porque não busca ou não deseja, ou ainda não está em comunhão com o ESPÍRITO SANTO). - Não é dom do ESPÍRITO SANTO, é confirmação do batismo e equipagem para oração individual.
A língua que se fala quando se é batizado no ESPÍRITO SANTO é a linguagem de oração, para edificação (1Co 14:4). O crente que ora em línguas ora bem. O crente que ora em línguas fala diretamente com DEUS e ninguém o entende. (1 Co 14). - Não é dom do ESPÍRITO SANTO, é confirmação do batismo e equipagem para oração individual.
O dom de línguas é uma capacitação extraordinária de DEUS para que o crente fale em diversas línguas. A partir do recebimento do dom de línguas o crente pode falar numa língua para ser interpretada por outrem, pode falar numa linguagem desconhecida para ele mas conhecida por outrem (falar em língua de outro país como em Atos 2 - falavam na língua de origem dos visitantes de Jerusalém). Pode também receber o gemido inexprimível para intercessão (Rm 8).
Quem recebe o dom de línguas deve orar para que possa receber outro dom, o dom de interpretação Assim ele próprio falará em línguas e ele mesmo receberá a interpretação - O que equivale à profecia.
 
Lição 3 -  Todos Os Salvos Precisam ser Batizados Com O ESPÍRITO SANTO
1º Trimestre de 2004 -  A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO 
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao3-espiritosantotodosossalvosprecisamserbatizados.htm
 
JESUS deseja derramar o ESPÍRITO SANTO como cachoeira sobre sua Igreja
 
At 2.39 Porque a promessa vos pertence a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe: a quantos o Senhor nosso DEUS chamar.
A VÓS, A VOSSOS FILHOS E A TODOS. A promessa do batismo no ESPÍRITO SANTO não foi apenas para aqueles presentes no dia de Pentecoste (v.4), mas também para todos os que cressem em CRISTO durante toda esta era: a vós os ouvintes de Pedro; a vossos filhos à geração seguinte; à todos os que estão longe à terceira geração e às subseqüentes.
(1) O batismo no ESPÍRITO SANTO com o poder que o acompanha, não foi uma ocorrência isolada, sem repetição, na história da igreja. Não cessou com o Pentecoste (cf. v. 38; 8.15; 9.17; 10.44-46; 19.6), nem com o fim da era apostólica.
(2) É o direito mediante o novo nascimento de todo cristão buscar, esperar e experimentar o mesmo batismo no ESPÍRITO que foi prometido e concedido aos cristãos do NT (1.4,8; Jl 2.28; Mt 3.11; Lc 24.49).
 
 
Ser Batizado Com O ESPÍRITO SANTO Significa Ser imerso Na Plenitude do ESPÍRITO.
 
O ESPÍRITO SANTO intercede por nós
Rm 8.26,27 = 26 Do mesmo modo também o ESPÍRITO nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o ESPÍRITO mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. 27 E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do ESPÍRITO: que ele, segundo a vontade de DEUS, intercede pelos santos.
O ESPÍRITO... INTERCEDE POR NÓS COM GEMIDOS. No tocante à atividade do ESPÍRITO SANTO em ajudar o crente a orar, três observações são importantes:
(1) O filho de DEUS tem dois intercessores divinos. CRISTO intercede no céu pelo crente, perante a face do Pai (v. 34; ver Hb 7.25; 9.24; 1 Jo 2.1) e o ESPÍRITO SANTO intercede no íntimo do crente, na terra.
(2) "Com gemidos", provavelmente, indica que o ESPÍRITO intercede juntamente com os gemidos do crente. Esses gemidos têm lugar no coração do crente.
(3) Os desejos e anseios espirituais dos crentes têm sua origem no ESPÍRITO SANTO, que habita em nosso coração. O próprio ESPÍRITO suspira, geme e sofre dentro de nós, ansiando pelo dia final da redenção (vv. 23-25). Ele apela ao Pai em favor das nossas necessidades "segundo [a vontade de] DEUS" (v. 27)
 
 
Terça: O ESPÍRITO SANTO concedido aos discípulos ousadia para anunciarem o evangelho
At 4.31,33 = 31 E, tendo eles orado, tremeu o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO, e anunciavam com intrepidez a palavra de DEUS.
TODOS FORAM CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO. Várias verdades importantes destacam-se aqui.
(1) A expressão batizados com ESPÍRITO SANTO (ver 1.5) descreve a obra de consagração do ESPÍRITO SANTO capacitando inicialmente o crente com poder divino para testemunhar. Os termos cheios , revestido e com autoridade descrevem essa sua capacitação para trabalhar (2.4; 4.8,31; 9.17; 13.9,52). Conforme a necessidade, o enchimento do ESPÍRITO pode ser renovado.
(2) As expressões do meu ESPÍRITO derramarei (2.17,18; 10.45), veio sobre eles o ESPÍRITO SANTO (19.6), retratam de modo diferente a ocasião em que os crentes são cheios do ESPÍRITO SANTO (2.4; 4.31; 9.17).
(3) Todos os crentes, inclusive os apóstolos anteriormente cheios (2.4), foram novamente cheios a fim de enfrentarem a oposição contínua dos judeus (v. 29). Novos enchimentos com o ESPÍRITO SANTO fazem parte da vontade e provisão de DEUS para todos os que receberam o batismo no ESPÍRITO SANTO (cf. 4.8; 13.52). Devemos esperá-los e buscá-los.
(4) Aqui, o ESPÍRITO visita uma congregação inteira. Logo, para que seja cumprida a vontade de DEUS quanto a igreja, não somente indivíduos devem ser cheios do ESPÍRITO (4.8; 9.17; 13.9), mas também congregações inteiras (2.4; 4.31) devem experimentar visitações repetidas do ESPÍRITO SANTO face às necessidades e desafios especiais.
(5) A atuação de DEUS sobre toda a congregação, com um novo enchimento do ESPÍRITO SANTO, resulta em ousadia e poder no testemunho dos crentes, em amor uns pelos outros e no recebimento de graça abundante sobre todos (vv. 31-33).
ANUNCIAVAM COM OUSADIA A PALAVRA DE DEUS O poder interior do ESPÍRITO e a realidade da presença de DEUS que vêm da plenitude do ESPÍRITO libertam o crente do medo doutras pessoas e aumenta grandemente a sua coragem e motivação para falar de DEUS

33 Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor JESUS, e em todos eles havia abundante graça.
COM GRANDE PODER. Era poder divino manifesto no mais alto grau que operava nos apóstolos. O grego diz aqui mega dunamis. Grande poder é a característica distintiva da pregação e do testemunho apostólicos (cf. 1.8), por três razões:
(1) O testemunho apostólico baseava-se na Palavra de DEUS (v. 29) e na convicção de que ela fora dada pela inspiração do ESPÍRITO SANTO.
(2) Os discípulos tinham certeza de terem sido enviados e comissionados pelo próprio JESUS CRISTO, o Senhor ressurreto (v. 33).
(3) O grande poder do ESPÍRITO SANTO operando nos discípulos (v. 31), efetuava grande convicção nos ouvintes do evangelho quanto ao pecado de cada um, a justiça de CRISTO e o juízo divino (ver Jo 16.8). Hoje, o mesmo acontecerá em nossas igrejas se o ESPÍRITO operar poderosamente

 
O ESPÍRITO SANTO ajuda a enfrentar as perseguições
At 13.50-52 = 50 Mas os judeus incitaram as mulheres devotas de alta posição e os principais da cidade, suscitaram uma perseguição contra Paulo e Barnabé, e os lançaram fora dos seus termos. 51 Mas estes, sacudindo contra eles o pó dos seus pés, partiram para Icônio. 52 Os discípulos, porém, estavam cheios de alegria e do ESPÍRITO SANTO.
ESTAVAM CHEIOS ... DO ESPÍRITO SANTO. O verbo grego traduzido cheios está no pretérito imperfeito, indicando ação contínua num tempo passado. Os discípulos recebiam continuamente, dia após dia, a plenitude e o revestimento de poder do ESPÍRITO SANTO. A plenitude do ESPÍRITO não é meramente uma experiência inicial que ocorre uma só vez, mas, sim, uma vida de repetidos enchimentos para as necessidades e tarefas da parte de DEUS (cf. Ef 5.18).
 
Onde há o ESPÍRITO SANTO, há vida
Sl 133.2,3 = 2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desceu sobre a barba, a barba de Arão, que desceu sobre a gola das suas vestes; 3 como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre.
133.1 QUE OS IRMÃOS VIVAM EM UNIÃO! Este salmo expressa a mesma verdade espiritual que Jo 17, quando JESUS orou para que seus discípulos fossem alicerçados em amor, santidade e unidade. Ele sabia que o ESPÍRITO SANTO não poderia operar entre eles, havendo divisões causadas por pecado e ambições egoístas (ver 1 Co 1.10-13; 3.1-3). Por outro lado, o fervente amor a DEUS e ao próximo, aliado à santificação na verdade da Palavra de DEUS, fará com que Ele esteja entre os seus e os unja (ver Jo 17.21; Ef 4.3).
 
O ESPÍRITO SANTO é imprescindível para expansão do evangelho
At 1.8 = 8 Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o ESPÍRITO SANTO, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.
RECEBEREIS A VIRTUDE. O termo original para virtude é dunamis, que significa poder real; poder em ação. Esse é o versículo-chave do livro de Atos. O propósito principal do batismo no ESPÍRITO SANTO é o recebimento de poder divino para testemunhar de CRISTO, para ganhar os perdidos para Ele, e ensinar-lhes a observar tudo quanto CRISTO ordenou. Sua finalidade é que CRISTO seja conhecido, amado, honrado, louvado e feito Senhor do povo de DEUS (cf. Mt 28.18-20; Lc 24.49; Jo 5.23; 15.26,27). (1) Poder (gr. dunamis) significa mais do que força ou capacidade; designa aqui, principalmente, o poder divino em operação, em ação. O batismo no ESPÍRITO SANTO trará o poder pessoal do ESPÍRITO SANTO à vida do crente. (2) Note que neste versículo Lucas não relaciona o batismo no ESPÍRITO SANTO com a salvação e regeneração da pessoa, mas com o poder celestial no interior do crente para este testemunhar com grande eficácia. (3) A obra principal do ESPÍRITO SANTO no testemunho e na proclamação do evangelho diz respeito à obra salvífica de CRISTO, à sua ressurreição e à promessa do batismo no ESPÍRITO (cf. 2.14-42).
 SER-ME-EIS TESTEMUNHAS.
O batismo no ESPÍRITO SANTO não somente outorga poder para pregar JESUS como Senhor e Salvador, como também aumenta a eficácia desse testemunho, fortalecido e aprofundado pelo nosso relacionamento com o Pai, o Filho e o ESPÍRITO SANTO por termos sido cheios do ESPÍRITO (cf. Jo 14.26; 15.26,27). (1) O ESPÍRITO SANTO revela e torna mais real para nós a presença pessoal de JESUS (Jo 14.16-18). Uma comunhão íntima com o próprio JESUS CRISTO resultará num desejo cada vez maior da nossa parte de amar, honrar e agradar nosso Salvador. (2) O ESPÍRITO SANTO dá testemunho da justiça (Jo 16.8,10) e da verdade (Jo 16.13), as quais glorificam a CRISTO (Jo 16.14), não somente com palavras, mas também no modo de viver e no agir. Daí, quem tem o testemunho do ESPÍRITO SANTO a respeito da obra redentora de JESUS CRISTO, manifestará com certeza, à semelhança de CRISTO, o amor, a verdade e a justiça em sua vida (cf. 1 Co 13). (3) O batismo no ESPÍRITO SANTO outorga poder para o crente testemunhar de CRISTO e produz nos perdidos a convicção do pecado, da justiça e do juízo (ver Jo 16.8). Os efeitos desta convicção se tornarão evidentes naqueles que proclamam com sinceridade a mensagem da Palavra e naqueles que a recebem (2.39,40). (4) O batismo no ESPÍRITO SANTO destina-se àqueles cujos corações pertencem a DEUS por terem abandonado seus maus caminhos (2.38; 3.26), e é mantido mediante a mesma dedicação sincera a CRISTO (ver 5.32). (5) O batismo no ESPÍRITO SANTO é um batismo no ESPÍRITO que é santo (cf. ESPÍRITO de santificação , Rm 1.4). Assim, se o ESPÍRITO SANTO realmente estiver operando em nós plenamente, viveremos em maior conformidade com a santidade de CRISTO. À luz destas verdades bíblicas, portanto, quem for batizado no ESPÍRITO SANTO, terá um desejo intenso de agradar a CRISTO em tudo o que puder. Noutras palavras: a plenitude do ESPÍRITO complementa (i.e., completa) a obra salvífica e santificadora do ESPÍRITO SANTO em nossa vida. Aqueles que afirmam ter a plenitude do ESPÍRITO, mas vivem uma vida contrária ao ESPÍRITO de santidade, estão enganados e mentindo. Aqueles que manifestam dons espirituais, milagres, sinais espetaculares, ou oratória inspiradora, mas não têm uma vida de verdadeira fé, amor e retidão, não estão agindo segundo o ESPÍRITO SANTO, mas segundo um espírito impuro que não é de DEUS (Mt 7.21-23; cf. Mt 24.24; 2 Co 11.13-15). 
 
ESPÍRITO SANTO é uma bênção de DEUS para os seus filhos
Ef 1.3 = 3 Bendito seja o DEUS e Pai de nosso Senhor JESUS CRISTO, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em CRISTO;
Já nos abençoou, falta a muitos tomarem posse dessa bênção.
 
1.4 A PROMESSA DO PAI. O prometido dom do Pai (Jl 2.28,29; Mt 3.11) é o batismo no ESPÍRITO SANTO (ver v. 5). O cumprimento desta promessa, no entanto, é descrito como ser cheios do ESPÍRITO SANTO (2.4). Assim, batizado no ESPÍRITO e cheio do ESPÍRITO , às vezes, são usados como equivalentes nas Escrituras. A partícula grega que aparece nos pertinentes textos do NT leva para a tradução com ou no ESPÍRITO SANTO, em se tratando do batismo pentecostal. Este batismo com ou no ESPÍRITO SANTO, não deve ser identificado com o recebimento do ESPÍRITO SANTO na ocasião da regeneração. São duas obras distintas do ESPÍRITO, muitas vezes separadas por um período de tempo 
1.5 BATIZADOS COM O ESPÍRITO SANTO. A preposição com é a partícula grega en, que pode ser traduzida como em ou com . Por isso, muitos preferem a tradução sereis batizados no ESPÍRITO SANTO . Da mesma forma, batizados com água pode ser traduzido batizados em água . O próprio JESUS é aquele que batiza no ESPÍRITO SANTO os que nEle crêem.
1.8 RECEBEREIS A VIRTUDE. Vide acima Dia Sexta-Feira
1.14 PERSEVERAVAM UNANIMEMENTE EM ORAÇÃO E SÚPLICAS. A experiência do Pentecoste sempre envolve a responsabilidade humana. Aqueles que desejam o derramamento do ESPÍRITO em sua vida, para terem poder para realizar a obra de DEUS, devem colocar-se à disposição do ESPÍRITO SANTO mediante sua submissão à vontade de DEUS e à oração (v. 4; 2.38; 9.11-17; cf. Lc 11.5-13; 24.49; Is 40.29-31). Note os paralelos entre a vinda do ESPÍRITO sobre JESUS e os discípulos. (1) O ESPÍRITO desceu sobre eles depois que oraram (Lc 3.21,22; At 1.14; 2.2-4). (2) Houve manifestações visíveis do ESPÍRITO (Lc 3.22; At 2.2-4). (3) Os ministérios, tanto de JESUS como dos discípulos, começaram depois do ESPÍRITO SANTO vir sobre eles (cf. Mt 3.16 com 4.17; Lc 3.21,22 com 4.14-19; At 2.14-47).
 
Comentários: Introdução:
Em muitas denominações ainda hoje se encontram doutrinas anti-batismo com o ESPÍRITO SANTO, porém, mais incrível que isso é sabermos que muitos dos que congregam em Igrejas Pentecostais ainda não são batizados com o  ESPÍRITO SANTO. É como estar morrendo de fome com uma despensa cheia da melhor e mais apetitosa comida à disposição.
 
A Doutrina Sobre O Batismo Com O ESPÍRITO SANTO No Novo Testamento
É no Novo Testamento que O ESPÍRITO SANTO é apresentado por DEUS em toda a sua glória e poder, operando através dos crentes.
DEUS agora não tem mais só um filho fazendo milagres e pregando o evangelho na terra, mas uma multidão que, cheios O ESPÍRITO SANTO fazem sinais e prodígios, arrebatando as almas das garras de Satanás.
 
1- João Batista. Apresentou JESUS Como Aquele Que Batiza Com  O ESPÍRITO SANTO
João Batista, apesar de ser primo de JESUS, testificou que antes não sabia que JESUS era o filho de DEUS, mas agora lhe foi revelado que este a quem viu sair da água e descer sobre Ele O ESPÍRITO SANTO, é o que batiza com O ESPÍRITO SANTO e com fogo, ou seja, batiza e capacita com dons de poder.
 
2- O Apóstolo Pedro E O Batismo Com O ESPÍRITO SANTO
O Pedro que antes era medroso e se escondia dos Romanos, agora é um Pedro cheio de coragem e fé para pregar a uma multidão e ganhar para CRISTO quase três mil almas num só dia. O Que Aconteceu? É o maravilhoso Batismo Com O ESPÍRITO SANTO, capacitando, dando coragem e poder para testemunhar, é a promessa de DEUS se cumprindo entre os homens. É a profecia de Joel que se cumpriu e causa arrependimento de pecados e conversão em massa pela unção da Palavra de DEUS pregada pelo discípulo de JESUS, cheio do ESPÍRITO SANTO.
At 5.3,4 “Disse, então, Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao ESPÍRITO SANTO e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a, não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a DEUS.”
 É essencial que os crentes reconheçam a importância do ESPÍRITO SANTO no plano divino da redenção. Sem a presença do ESPÍRITO SANTO neste mundo, não haveria a criação, o universo, nem a raça humana (Gn 1.2; Jó 26.13; 33.4; Sl 104.30). Sem o ESPÍRITO SANTO, não teríamos a Bíblia (2Pe 1.21), nem o NT (Jo 14.26, 1Co 2.10) e nenhum poder para proclamar o evangelho (1.8). Sem o ESPÍRITO SANTO, não haveria fé, nem novo nascimento, nem santidade e nenhum cristão neste mundo.
Atos 10:44-47: “E dizendo Pedro ainda estas palavras, veio o ESPÍRITO SANTO sobre todos os que ouviam a Palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do ESPÍRITO SANTO se derramasse também sobre os gentios. Porque os ouvia falar línguas e magnificar a DEUS. Respondeu então Pedro: Pode alguém por ventura recusar a água para que sejam batizados estes, que também receberam como nós o ESPÍRITO SANTO?”
Conforme as passagens acima, o batismo com o ESPÍRITO SANTO é uma Segunda experiência que a pessoa tem com CRISTO, a primeira é a salvação, a Segunda o batismo com ESPÍRITO SANTO.
 
Porque JESUS Quer Batizar Todos Os Crentes
Como fazer para que de repente homens iletrados e rudes se tornem pregadores eloqüentes e cheios de poder e de sabedoria? Somente através do glorioso derramamento do ESPÍRITO SANTO.
 
1- ELE quer que cada crente experimente plenamente a alegria do ESPÍRITO SANTO 
Não há alegria maior do que estar cheio do ESPÍRITO SANTO, parece incrível, mas acontece até de pessoas passarem uma noite inteira sorrindo às gargalhadas pela presença poderosa e transformadora do ESPÍRITO SANTO. Regozijai-vos, outra vez vos digo, Regozijai-vos, já dizia Paulo, homem que vivia cheio do ESPÍRITO SANTO e sofrendo todo tipo de perseguição.
 
2- O ESPÍRITO SANTO é um inestimável auxílio em nossa vida de oração e serviço
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/orarnoespiritosanto.htm
 
O ESPÍRITO SANTO É NOSSO INTERCESSOR NA TERRA: (Rm 8.26,27)
E da mesma maneira também o ESPÍRITO ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo ESPÍRITO intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do ESPÍRITO; e é ele que segundo DEUS intercede pelos santos.
 
A natureza pecaminosa deste mundo separa os seres humanos de DEUS. Tem sido necessário, portanto, que pessoas justas vão a DEUS buscar reconciliação entre Ele e Sua criação caída."
 
3- O batismo com O ESPÍRITO SANTO proporciona o ambiente espiritual no qual os dons espirituais se manifestam
Falar em línguas estranhas é o sinal do batismo com ESPÍRITO SANTO:
Atos 2:4: “E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar noutras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia que falassem.”
Atos 10:46: “Porque os ouvia falar em línguas e magnificar a DEUS.”
Atos 19:6: “E impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o ESPÍRITO SANTO, e falavam línguas e profetizavam.”
Atos 8:17 diz que com a imposição da mãos dos apóstolos Pedro e João, os novos convertidos em Samaria receberam o ESPÍRITO SANTO. Não está escrito que falaram línguas, mas o versículo 18, diz que Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o ESPÍRITO SANTO, lhes ofereceu dinheiro. Que sinal teria visto Simão, para saber que eles tinham recebido o ESPÍRITO SANTO? É natural entendermos que Simão tenha visto a manifestação do mesmo sinal manifestado em outras ocasiões semelhantes, isto é, línguas estranhas. Não quero entrar no assunto de falar línguas estranhas, porque estaria fugindo do nosso tema. Mas apenas mostrar pelas Escrituras que o falar línguas estranhas, é o sinal do batismo com o ESPÍRITO SANTO
 
Batismo Com O ESPÍRITO SANTO  - Uma Bênção Que Deve Ser Buscada
Porque deve o crente buscar o batismo com o ESPÍRITO SANTO? Porque o ESPÍRITO SANTO dá ao crente poder para ser testemunha de JESUS:
Atos 1:8: “Mas recebeis a virtude do ESPÍRITO SANTO que há de vir sobre vós, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.”
É muito importante que os pregadores do Evangelho sejam pessoas bastante cultas, e que procurem sempre aprimorar essa cultura que pesquisem, que estudem; mas é indispensável que sejam batizados com o ESPÍRITO SANTO, e permaneçam cheios do ESPÍRITO SANTO. O batismo com o ESPÍRITO SANTO, abre ao crente as portas para o recebimento dos dons espirituais que o torna útil para a Igreja:
I Coríntios 12:7: “Mas a manifestação do ESPÍRITO é dada a cada um, para o que for útil. O ESPÍRITO SANTO glorifica a JESUS no crente.”
João 16:14: “Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vô-lo há de anunciar.”
É uma nova experiência que o crente tem com CRISTO. O ESPÍRITO SANTO dá ao crente poder sobre a carne, sobre o mundo, e o diabo. O crente batizado com o ESPÍRITO SANTO, sente um manancial de vida afluir do seu interior como as correntezas de um rio caudaloso:
João 7:37-39: “E o último dia, o grande dia da festa JESUS pôs-se em pé, e clamou dizendo: Se alguém tem sede, vem a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a escritura, rios de águas vivas correrão do seu ventre. E isto disse ele do ESPÍRITO que haviam de receber os que nele cressem, porque o ESPÍRITO SANTO ainda não fora dado, por ainda JESUS não ter sido glorificado.”
Os crentes que ainda não são batizados com o ESPÍRITO SANTO o conselho de JESUS é que o busquem até receber:
Lucas 11:9-13: “E eu vos digo a vós. Pedi e dar-se-vos-á; buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á. Porque quem pede recebe, e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-vos-á. E qual o pai dentre vós que se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou também se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois vós sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o ESPÍRITO àqueles que lho pedirem?”

O Batismo Com O ESPÍRITO SANTO É A Maior Necessidade Do Cristianismo Nos Dias Atuais
O ESPÍRITO SANTO é o agente divino para o serviço do Senhor, revestindo os crentes de poder para realizar a obra do Senhor e dar testemunho dEle. Esta obra do ESPÍRITO SANTO relaciona-se com o batismo ou com a plenitude do ESPÍRITO. Quando somos batizados no ESPÍRITO, recebemos poder para testemunhar de CRISTO e trabalhar de modo eficaz na igreja e diante do mundo (1.8). Recebemos a mesma unção divina que desceu sobre CRISTO (Jo 1.32,33) e sobre os discípulos (2.4; ver 1.5), e que nos capacita a proclamar a Palavra de DEUS (1.8; 4.31) e a operar milagres (2.43; 3.2-8; 5.15; 6.8; 10.38). O plano de DEUS é que todos os cristãos atuais recebam o batismo no ESPÍRITO SANTO (2.39).
    Aos crentes batizados com o ESPÍRITO SANTO, não devem se acomodar acham do que já subiram o último degrau. DEUS tem muitas bênçãos ainda para lhes dar. O celeiro celestial está cheio. Glória a DEUS.
Está escrito que, após o Senhor JESUS Ter sido batizado nas águas, o céu se abriu e veio sobre ele o ESPÍRITO SANTO, descendo como pomba e vindo sobre ele. (Mateus 3:16) Depois que veio o ESPÍRITO SANTO sobre JESUS, o mesmo ESPÍRITO o conduziu para o deserto para ser tentado por Satanás. (Lucas 4:1) E após a completa vitória de JESUS sobre o diabo, teve início ao seu glorioso ministério. Isto deve nos servir de ensino, que após o batismo com o ESPÍRITO SANTO, não cessam as lutas; mas nos conforta saber, que estamos mais preparados para a luta. Que estamos agora revestido de poder. (Lucas 24:49).
Os grandes movimentos evangelísticos, que tem sido a causa da salvação de muitas almas, grandes campanhas de cura divina e libertação de oprimidos, tem surgido sempre após um período de oração, e grande derramamento do ESPÍRITO SANTO.

Oxalá possamos receber uma grande avivamento espiritual e muitos crentes apáticos e acomodados possam ser sacudidos pelo poder de DEUS; cheio do ESPÍRITO SANTO, e se tornarem uma benção para o reino de DEUS aqui na terra. 
 
Conclusão:
Levam todos os crentes em JESUS CRISTO o ESPÍRITO SANTO a sério? A pergunta não é descabida, porque a própria Escritura Sagrada nos encoraja a não entristecer o ESPÍRITO, e a não extingui-lo em nossa experiência de vida espiritual. Uma coisa, no entanto, deve ser enfatizada: a vida cristã foi projetada para ser de vitórias! E elas dependem do ESPÍRITO SANTO em nós, conduzindo a nossa vida e a enchendo.
Como vamos afirmar que levamos o ESPÍRITO SANTO a sério, se Ele não ocupa lugar de seriedade em nossa vida ou na vida da igreja? Na Escritura Sagrada, ao ESPÍRITO SANTO é atribuída a mesma dignidade do Pai e do Filho. Na Carta de Judas está ressaltado: "Vós amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no ESPÍRITO SANTO; conservai-vos no amor de DEUS, esperando a misericórdia de nosso Senhor JESUS CRISTO" (v. 20). A Palavra de DEUS ensina, ainda, que toda a Santíssima Trindade, em comunhão perfeita, trabalha unida, e nenhuma das Suas Pessoas opera de modo separado das outras.
   Muitas vezes as pessoas que são usadas por DEUS para ministrarem o batismo no ESPÍRITO SANTO, são mal-compreendidas. Veja bem: Seria muito difícil alguém ser batizado sem abrir a boca para falar, pois a evidencia do batismo é o falar em línguas espirituais, assim pede-se às pessoas para glorificarem a DEUS para que quando o ESPÍRITO SANTO vier sobre as mesmas, não os ache de boca fechada e isso venha a impedi-los de receber sua tão desejada bênção. O medo de falar em línguas de maneira diferente dos outros ou o medo da reação na hora do batismo têm impedido muitos de serem balizados; mas o maior impedimento é o pecado não arrependido e não confessado.   
 
 
Lição 8 - ESPÍRITO SANTO - Como Receber O Batismo Com O ESPÍRITO SANTO
1º Trimestre de 2004 -  A PESSOA E A OBRA DO ESPÍRITO SANTO 
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao8-espiritosanto-comoreceberobatismo.htm
INTRODUÇÃO
O batismo com o ESPÍRITO SANTO, é obtido pela fé, após o arrependimento de pecados do crente, através da graça de DEUS, da mesma maneira que se obtém a salvação pelo arrependimento de pecados e pela fé nas promessas de DEUS.
I. POR QUE TANTOS NÃO SÃO BATIZADOS?
Na verdade alguns precisam de ajuda, precisam ouvir um ensino sobre o batismo com o ESPÍRITO SANTO, precisam ser levados ao arrependimento pela pregação e existem também aqueles que precisam de maior tempo para se concentrarem na busca do batismo com o ESPÍRITO SANTO.
1. Muitos não ouviram falar desta bênção. 
O ensino é importantíssimo e é aí que entra a EBD, local apropriado para se aprender sobre o batismo com o ESPÍRITO SANTO, após o ensino é que vem o resultado prático. Veja que Paulo ao chegar e Éfeso teve que primeiro ensinar sobre o batismo com o ESPÍRITO SANTO, para depois ministrá-lo na prática, impondo as mãos sobre aqueles doze discípulos que receberam então a gloriosa bênção.
2. Muitos não recebem o batismo por negligência. 
Alguns não desejam receber porque vêm crentes que receberam e vivem de maneira desordenada, então desanimam de buscar o batismo com o ESPÍRITO SANTO, achando que não é importante para sua vida espiritual; outros não buscam porque vêm o trabalho que dá para receber o tão falado batismo com o ESPÍRITO SANTO, mas tudo isso é por falta de ensino adequado sobre a importância de se receber o batismo com o ESPÍRITO SANTO.
3. Muitos não buscam o batismo porque acham que não merecem esta bênção. 
Por falta de ensino sobre o recebimento pela fé simplesmente e não pelas obras, muitos o perdem. Alguns estão a jejuar e a passar noites em vigílias, pensando que assim serão agraciados pelo batismo com o ESPÍRITO SANTO, são falso ensinos baseados em obras de sofrimento e dor, até com prejuízo para a saúde de muitos; o batismo com o ESPÍRITO SANTO, é concedido a todo o crente que se arrependeu de seus pecados e crê nas promessas de DEUS; é pela fé que se recebe e não prêmio pelo sofrimento e é para todos os crentes sem acepção de pessoas.
II. COMO RECEBER O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
Na verdade não existe uma fórmula mágica que irá fazer com que o crente seja batizado, pois o batismo com o ESPÍRITO SANTO é concedido por DEUS pela sua graça (favor imerecido), sendo o resultado da total entrega do crente nas mãos do batizador que é JESUS CRISTO, crendo nas promessas de DEUS.
Podemos estudar pela Bíblia a maneira e a condição daqueles que receberam o batismo com o ESPÍRITO SANTO para que haja pelo menos alguma luz para os que ainda não receberam esta maravilhosa e desejável bênção, mas nunca nos esquecendo que alguns recebem o batismo com o ESPÍRITO SANTO só no ouvir a Palavra de DEUS, como foi o caso de Cornélio, sua família e seus amigos, outros o recebem sozinhos sem a imposição de mãos (meu caso, por exemplo), outros o recebem pela imposição de mãos, alguns o recebem na mesma hora em que aceitam a JESUS CRISTO como Salvador e Senhor, outros levam anos e anos para o receberem. Certamente não há como dizer o que fazer para ser batizado, mas podemos ajudar ensinando e orando pelos que desejam o maravilhoso batismo com o ESPÍRITO SANTO.
1 . É preciso ter um coração puro.
Sl 51. 10 Cria em mim, ó DEUS, um coração puro, e renova em mim um espírito estável. 11 Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu santo ESPÍRITO.
2 Tm 2.22 Foge também das paixões da mocidade, e segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor.
Puro quer dizer aquele que não maquina o mal, tudo o que pensa e faz é visando o bem estar dos outros e de si mesmo, com DEUS.
a. O ESPÍRITO é santo (Ef 4.30).
SANTO com SANTO se comunicam bem; O ESPÍRITO SANTO gosta de habitar em vasos limpos para que possa viver em comunhão com aquele em quem habita.
Sl 16.3 Quanto aos santos que estão na terra, eles são os ilustres nos quais está todo o meu prazer.
Lv 20.7 Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso DEUS.
Ap 22.11 Quem é injusto, faça injustiça ainda: e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda.
b. Precisamos ser totalmente purificados do pecado.
Os desejos da carne devem ser dominados e através do arrependimento, deixados e esquecidos. Somente pelo arrependimento é que podemos ser purificados pelo sangue precioso de JESUS. É através da Palavra de DEUS que o crente purifica sua mente.
Gn 35.2 Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Lançai fora os deuses estranhos que há no meio de vós, e purificai-vos e mudai as vossas vestes.
Sl 51.2 Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado.
Sl 119.9 Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o de acordo com a tua palavra.
1 Jo 1.7 mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de JESUS seu Filho nos purifica de todo pecado.
c. A Bíblia mostra que pureza e recebimento do ESPÍRITO SANTO estão vinculados.
Na hora em que alguém aceita a JESUS CRISTO como Salvador e Senhor também pode ser uma hora certa para o batismo com o ESPÍRITO SANTO, pois nesta mesma hora houve o arrependimento de pecado, a purificação pelo sangue de JESUS e o desejo de servir a DEUS. O crente deve ser puro de coração  e de lábios para que possa receber a maior bênção que há depois da salvação.
Ez 36.25 Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias, e de todos os vossos ídolos, vos purificarei.26 Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne.27 Ainda porei dentro de vós o meu ESPÍRITO, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis.
Ml 2.7 Pois os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens procurar a instrução, porque ele é o mensageiro do Senhor dos exércitos.
 
2. Concentre seus pensamentos em JESUS.
JESUS é o batizador, somente através da fé em JESUS é que recebemos tanto a salvação, quanto o batismo com o ESPÍRITO SANTO.
a. JESUS é aquele que batiza com o ESPÍRITO SANTO. 
Mt 3.11 Eu, na verdade, vos batizo em água, na base do arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu, que nem sou digno de levar-lhe as alparcas; ele vos batizará no ESPÍRITO SANTO, e em fogo.
b. JESUS conquistou na cruz esta bênção para nós.
Para que recebêssemos a bênção do batismo com o ESPÍRITO SANTO era preciso que alguém morresse pelos nossos pecados e nos purificasse de todo o pecado e de toda iniqüidade, assim JESUS CRISTO veio morrer em nosso lugar e seu sangue nos purifica de todo pecado, para que recebamos a promessa de DEUS, o ESPÍRITO.
Gl 3. 13 CRISTO nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;14 para que aos gentios viesse a bênção de Abraão em JESUS CRISTO, a fim de que nós recebêssemos pela fé a promessa do ESPÍRITO.
c. Chegue-se a JESUS, e Ele se chegará a você (Tg 4.8). 
É quando caminhamos para JESUS que alcançamos as bênçãos de DEUS em nossa vida, principalmente o batismo com o ESPÍRITO SANTO.
Hb 12.2 fitando os olhos em JESUS, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do trono de DEUS.
3. Devemos pedir em oração que JESUS nos batize.
Os apóstolo e os demais discípulos estavam orando quando receberam o batismo com o ESPÍRITO SANTO, vemos que JESUS havia prometido, mas mesmo que DEUS haja prometido ELE quer que oremos desejando e pedindo que esta bênção venha sobre nós.
A oração é uma comunicação multifacetada entre os crentes e o Senhor. Além de palavras como “oração” e “orar”, essa atividade é descrita como invocar a DEUS (Sl 17.6). Invocar o nome do Senhor (Gn 4.26), clamar ao Senhor (Sl 3.4), levantar nossa alma ao Senhor (Sl 25.1), buscar ao Senhor (Is 55.6), aproximar-se do trono da graça com confiança (Hb 4.16) e chegar perto de DEUS (Hb 10.22).
a. Foi assim que JESUS ensinou. 
Além disso, a oração deve ser feita em nome de JESUS. O próprio JESUS expressou esse princípio ao dizer: “E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei” (Jo 14.13,14). Nossas orações devem ser feitas em harmonia com a pessoa, caráter e vontade de nosso Senhor (ver Jo 14.13)
Lc 11.13 = Pois, se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o ESPÍRITO SANTO àqueles que lho pedirem?
DARÁ... O ESPÍRITO SANTO ÀQUELES QUE LHO PEDIREM. Este versículo, provavelmente, não se refere ao ESPÍRITO SANTO ser concedido ao crente a partir do novo nascimento (Jo 3.3), uma vez que a partir da conversão todos os crentes passam a ter permanente em si a presença do ESPÍRITO SANTO (Rm 8.9,10; 1 Co 6.19,20). Aqui, provavelmente, trata-se de quem já é salvo, e, neste caso, dar o ESPÍRITO SANTO refere-se à plenitude do ESPÍRITO SANTO, que CRISTO prometeu aos que já são filhos do Pai celestial, O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO.
 
b. Devemos orar considerando que a promessa é para nós (At 2.39).
A oração é o elo de ligação que carecemos para recebermos as bênçãos de DEUS, o seu poder e o cumprimento das suas promessas. Numerosas passagens bíblicas ilustram esse princípio. JESUS, por exemplo, prometeu aos seus seguidores que receberiam o ESPÍRITO SANTO se perseverassem em pedir, buscar e bater à porta do seu Pai celestial (Lc 11.5-13). Por isso, depois da ascensão de JESUS, seus seguidores reunidos permaneceram em constante oração no cenáculo (At 1.14) até o ESPÍRITO SANTO ser derramado com poder (At 1.8) no dia de Pentecostes (At 2.1-4). 
c. Na atmosfera da oração o ESPÍRITO SANTO se manifesta. Viva em oração. 
Podemos orar através do ESPÍRITO (i.e., em línguas, 1Co 14.14-18). Podemos até mesmo orar através de gemidos, i.e., sem usar qualquer palavra humana (Rm 8.26), sabendo que o ESPÍRITO levará a DEUS esses pedidos inaudíveis. Ainda outro método de orar é cantar ao Senhor (Sl 92.1,2; Ef 5.19,20; Cl 3.16). A oração profunda ao Senhor será, às vezes, acompanhada de jejum (Ed 8.21; Ne 1.4; Dn 9.3,4; Lc 2.37; At 14.23; ver Mt 6.16).
 
Qual a posição apropriada, do corpo, na oração? A Bíblia menciona pessoas orando em pé (8.22; Ne 9.4,5), sentadas (1Cr 17.16; Lc 10.13), ajoelhadas (Ed 9.5; Dn 6.10; At 20.36), acamadas (Sl 63.6), curvadas até o chão (Êx 34.8; Sl 95.6), prostradas no chão (2Sm 12.16; Mt 26.39) e de mãos levantadas aos céus (Sl 28.2; Is 1.15; 1Tm 2.8).
4. O batismo com o ESPÍRITO SANTO é recebido pela fé.
Crer sem ver, esperando receber a promessa, confiando naquele que prometeu e sempre cumpre. 
A FÉ QUE OPERA POR AMOR. A Bíblia afirma que a pessoa é salva pela fé (2.15,16; Rm 3.22; Ef 2.8,9). (1) Neste trecho, Paulo define a natureza exata dessa fé. A fé salvífica é uma fé viva num Salvador vivo; fé esta tão vital que não pode deixar de expressar-se em atos motivados pelo amor. (2) A fé que deixa de amar e obedecer a CRISTO verdadeiramente (cf. 1 Jo 2.3; 5.3), de demonstrar interesse genuíno pela obra do reino de DEUS (cf. Mt 12.28) e de claramente resistir ao pecado e ao mundo (vv. 16,17) não é fé salvífica (cf. Tg 2.14-16)
a. Os crentes da Galácia receberam o ESPÍRITO SANTO pela fé.
RECEBESTES O ESPÍRITO PELA... FÉ? Paulo demonstra a superioridade da salvação pela graça mediante a fé em CRISTO sobre a tentativa de se obter a salvação mediante a obediência à lei. Mediante a fé em CRISTO recebemos o ESPÍRITO SANTO e todas as suas bênçãos, inclusive o dom da vida eterna (vv. 2,3,5,14,21; 4.6). Porém, a pessoa que depende da lei para obter a salvação não recebe o ESPÍRITO, nem a vida, porque a lei em si mesma não pode outorgar a vida (v. 21).
b. A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem (Hb 11.1). 
ORA, A FÉ É. O capítulo 11 demonstra a natureza do único tipo de fé aceita por DEUS e que triunfará na pior das situações. É uma fé que crê nas realidades espirituais (v. 1), que leva à justiça (v. 4), que busca a DEUS (v. 6), que crê na sua bondade (v. 6), que tem confiança na sua palavra (vv. 7,11), que obedece aos seus mandamentos (v. 8), que vive segundo as promessas de DEUS (vv. 13,29), que rejeita o espírito deste presente mundo mau (v. 13), que busca um lar celestial (vv. 14-16; cf. 13.13,14), que abençoa a geração seguinte (v. 21), que recusa os prazeres do pecado (v. 25), que suporta a perseguição (v. 27), que pratica poderosos atos de justiça (vv. 33-35), 
que sofre por amor a DEUS (vv. 25,35-38) e que não volta àquela pátria donde haviam saído, i.e., o mundo (vv. 14-16c. A fé se firma nas promessas de DEUS. 
5. O que crer deve agir pela fé.
(1) Devemos crer na existência de um DEUS pessoal, infinito e santo, que tem cuidado de nós. 
(2) Devemos crer que Ele nos galardoará quando o buscamos com sinceridade, sabendo que nosso maior galardão é a alegria e a presença do próprio DEUS. Ele é nosso escudo e nossa grande recompensa (Gn 15.1; Dt 4.29; Mt 7.7,8; Jo 14.21). 
(3) Devemos buscar a DEUS com diligência e desejar ansiosamente a sua presença e graça.
a. A fé se mostra pelas obras (Tg 2.18). 
A FÉ SEM AS OBRAS É MORTA. 
(1) A verdadeira fé salvífica é tão vital que não poderá deixar de se expressar por ações, e pela devoção a JESUS CRISTO. As obras sem a fé são obras mortas. A fé sem obras é fé morta. A fé verdadeira sempre se manifesta em  obediência para com DEUS e atos compassivos para com os necessitados (ver v. 22; Rm 1.5). 
(2) Tiago objetiva seus ensinos contra os que na igreja professavam fé em CRISTO e na expiação pelo seu sangue, crendo que isso por si só bastava para a salvação. Eles também achavam que não era essencial no relacionamento com CRISTO obedecer-lhe como Senhor. Tiago diz que semelhante fé é morta e que não resultará em salvação, nem em qualquer outra coisa boa (vv. 14-16,20-24). O único tipo de fé que salva é "a fé que opera por caridade" (Gl 5.6). 
(3) Não devemos, por outro lado, pensar que mantemos uma fé viva, exclusivamente por nossos próprios esforços. A graça de DEUS, o ESPÍRITO SANTO que em nós habita e a intercessão sacerdotal de CRISTO (ver Hb 7.25) operam em nossa vida, capacitando-nos a obedecer a DEUS pela fé, do começo ao fim (cf. Rm 1.17). Se deixarmos de ser receptivos à graça de DEUS e à direção do ESPÍRITO SANTO, nossa fé sucumbirá.
b. Pela fé recebemos a promessa do ESPÍRITO. 
Gl 3.14 A BÊNÇÃO DE ABRAÃO. O conteúdo da promessa de DEUS a Abraão (v. 8) é definido como a promessa do ESPÍRITO pela fé (cf. Lc 24.49; At 1.4,5). Receber o ESPÍRITO é ter a justiça, a vida e todas as bênçãos espirituais (ver 3.5; 4.6).
CONCLUSÃO:
    Por falta de ensino sobre o batismo com o ESPÍRITO SANTO (muitos nem ouviram falar desta bênção),  Muitos não têm recebido o batismo por negligência, muitos também não buscam o batismo porque acham que não merecem esta bênção.
    Na verdade não existe uma fórmula mágica que irá fazer com que o crente seja batizado, pois o batismo com o ESPÍRITO SANTO é concedido por DEUS pela sua graça (favor imerecido), sendo o resultado da total entrega do crente nas mãos do batizador que é JESUS CRISTO, crendo nas promessas de DEUS; sabendo que esta benção não só é maravilhosa, como também é necessária a todo o crente.
    Diante disto devemos incentivar e ensinar a cada novo irmão na fé  necessidade de buscar em oração o Batismo com o ESPÍRITO SANTO.
 

LIÇÃO 1 - O DERRAMAMENTO DO ESPÍRITO SANTO PROMETIDO
Terceiro Trimestre de 2006 
TEMA – Doutrinas bíblicas pentecostais – Centenário do Movimento Pentecostal Mundial (1906-2006)
COMENTARISTA da revista : Pr. Antonio Gilberto
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Atos 2.14-21 http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao01-es-oderramamentodoespiritosantoprometido.htm
 
14. Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-Ihes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja.vos isto notório, e escutai as minhas palavras. 15. Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo esta a terceira hora do dia. 16. Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: 17. E nos últimos dias acontecerá, diz DEUS, que do meu ESPÍRITO derra­marei sobre toda a carne; e os vossos. filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos; 18. e também do meu ESPÍRITO der­ramarei sobre os meus servos e mi­nhas servas, naqueles dias, e profetizarão; 19 - e farei aparecer prodígios em cima no céu e sinais em baixo na terra: sangue, fogo e vapor de fumaça. 20. O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes de chegar o grande e glorioso Dia do Senhor; 21. e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.
 
O derramamento do ESPÍRITO SANTO (2:1-13).
Depois de terminarem os dias de espera, o ESPÍRITO SANTO veio sobre o grupo reunido dos discípulos de modo inédito, acompanhado de sinais sobrenaturais e fazendo com que irrompessem em louvores a DEUS em línguas diferentes das suas próprias. Na medida em que os discípulos saíam para as ruas, a sua atividade estranha atraía a atenção das pessoas que ficaram atônitas com aquilo que ouviram. Muitas ficaram assombradas, mas algumas estavam dispostas a buscar uma explicação racionalística e algo desonrosa daquilo que acontecia.
Somente Lucas se refere à história de como o ESPÍRITO veio sobre a igreja pela primeira vez, mas está firmemente assegurada a historicidade essencial do incidente. A Sua colocação em Atos corresponde à posição do nascimento de JESUS  no Evangelho, e o seu significado é que a igreja agora está equipada com a tarefa do testemunho e da missão, e imediatamente passa a empreendê-Ia. A história contém o cumprimento da profecia em 1 :4-5 e, assim, descreve como os discípulos foram batizados com o ESPÍRITO SANTO; mais corretamente, é a primeira ocorrência desta experiência. Ao mesmo tempo, o evento cumpre as profecias de Isaías 32:15 e Jo 2:28-32, indicando, assim, que chegaram os últimos dias. Alguns estudiosos detectaram na história um contraste deliberado com a história de BabeI (Gn capo 11) e o equivalente cristão à outorga da Lei no Sinai. A primeira destas possibilidades não tem base no texto, ao passo que a evidência em prol da última é mais sólida, mas não convence totalmente.
1. Pentecoste é o nome dado no Novo Testamento à Festa das Semanas, quando a ceifa do trigo era celebrada por uma festa de um dia, durante a qual se oferecia sacrifícios especiais (~x 23 :16; Lv 23 :15 :21 ; Dt 16:9-12). Assim como outras festas se associavam com eventos na história de Israel (e.g. a Páscoa com o êxodo do Egito), assim também no judaísmo a festa se associava com a renovação da aliança feita com Noé e depois com Moisés (Jubileus 6); no judaísmo do século 11, o Pentecoste foi considerado como sendo o dia em ,que a Lei foi outorgada no Sinai. É interessante que havia uma tradição rabínica que dizia que a Lei foi promulgada por DEUS nas línguas das setenta nações do mundo, mas não podemos ter a certeza de que esta tradição fosse corrente no século I. Os discípulos ainda estavam em Jerusalém, alguns estudiosos pensam que estavam no templo, tendo em vista a palavra "casa" no v. 2, mas "casa", empregada assim em isolamento, não pode significar o templo. Sem dúvida, há referência à companhia de 120 pessoas, e não apenas os doze apóstolos, reconstituídos.
2-3. Visto que, noutros lugares, o ESPÍRITO é assemelhado ao vento, e que a palavra aqui empregada (Grego pneuma), pode ter ambos os sentidos, não é de se estranhar que o primeiro dos dois símbolos que acompanhavam a Sua chegada era um som como de um vento; Lucas o descreveu como sendo quase palpável quando disse que encheu toda a casa. A linguagem, conforme devemos notar, é aquela da analogia - um som como o do vento - e indica que tratamos com uma ocorrência sobrenatural. O simbolismo relembra as teofanias do Antigo Testamento (2 Sm 22:16; 37: 10; Ez 13:13): o vento é um sinal da presença de DEUS como ESPÍRITO. O segundo símbolo foi o fogo. Uma chama se dividiu em várias línguas, de modo que cada urna delas pousou sobre urna das pessoas presentes. Outra vez, a descrição é analógica - como de fogo. E, mais urna vez, relembramos as teofanias do Antigo Testamento, especialmente aquela no Sinai Êx 19:18).
4. Com estes sinais externos, veio o ESPÍRITO SANTO como realidade interna e invisível que demonstrou a Sua presença mediante os efeitos sobre os discípulos. Lucas emprega a expressão ficaram cheios para descrever a experiência. Esta palavra se emprega quando as pessoas recebem o revestimento inicial do ESPÍRITO para capacitá-las para o serviço de DEUS (9:17; Lc 1 :15), e também quando ficam inspiradas para fazerem declarações importantes (4:8, 31; 13:9); palavras assim se empregam para descrever o processo contínuo de ser cheio com o ESPÍRITO (13:52, Ef 5:18) ou o estado correspondente de estar cheio (6:3; 5; 7:55; 11 :24; Lc 4:1). Estas referências indicam que se urna pessoa já está cheia do ESPÍRITO, pode receber um novo revestimento para urna tarefa específica, ou um enchimento contínuo. É importante observar, também, que aquilo que aqui se chama. "ficar cheio", também é chamado "batismo" (1:5 e 11 :16), um "derramamento" (2:17-18; 10:45), e um "recebimento" (10:47). O ato básico de receber o ESPÍRITO pode ser descrito como ser "batizado" ou "cheio'; mas o verbo "batizar" não se emprega para experiências subseqüentes.
Boa parte da confusão teológica seria evitada se tomássemos o cuidado de empregar estes termos conforme a maneira bíblica. Devemos notar, outrossim, que aquilo que mais tarde aconteceu a Cornélio e à sua família foi o mesmo que aconteceu no Pentecoste (11:15); na ocasião da conversão, o crente experimenta o seu próprio "Pentecoste". É provável que Lucas tenha empregado o termo "cheios" pelo contexto, porque o ESPÍRITO inspirou aqueles que O receberam a falar em outras línguas. Vv 6, 8 e 11 demonstram que se trata de línguas humanas. Surgem, assim, duas dificuldades.
ATOS 2:4-6
Em primeiro lugar, a maioria dos comentaristas pensa que o dom de línguas descrito em 1 Coríntios caps. 12 e 14 fosse a capacidade de falar em línguas não humanas (as "línguas dos anjos", 1 Co 13:1). Supondo-se que é improvável que tenha havido dois tipos diferentes de fenômenos, alega-se freqüentemente que Lucas ou entendeu erroneamente ou deliberadamente reinterpretou uma tradição anterior que descrevia o tipo de línguas aludidas por Paulo. Em segundo lugar, sustenta-se que esta conclusão é confirmada pelas análises lingüísticas modernas das línguas faladas nos movimentos pentecostais atuais, como sendo línguas não-humanas. É difícil, no entanto, deixar de lado a evidência de pessoas da atualidade que declaram que ouviram suas próprias línguas faladas por aqueles que têm o dom de línguas. Além disto, não é totalmente impossível que Paulo se referisse a línguas humanas, 1 2 ou que houvesse emprego de línguas humanas e celestiais ao mesmo tempo (1 Co 13:1 - "as línguas dos homens e dos anjos"). Dwm (JESUS , págs. 151-2) sugere que o que aconteceu foi que os ouvintes pensavam escutar e reconhecer, nas suas próprias línguas, palavras e frases de louvor a DEUS.
5. Devemos supor que, em dado momento, os discípulos deixaram o cenáculo e entraram em contato com as multidões reunidas em Jerusalém para a festa; habitando não precisa necessariamente subentender a residência permanente, embora, na realidade, muitos judeus voltaram da Dispersão para Jerusalém, para ali findar os seus dias. A presença e participação deles naquilo que aconteceu constituiu-se em indício da significância do evento para o mundo inteiro. Sem embargo, todos eram judeus ou prosélitos, e não eram pagãos; mesmo assim, serviam .de símbolo da necessidade que a humanidade tem de receber o evangelho, e da conseqüente responsabilidade da igreja para cumprir a sua missão.
6.8. A voz dos discípulos que clamavam alto lançou perplexidade sobre a multidão, porque não podia compreender como Galileus conseguiram falar as várias línguas dela. A objeção já foi levantada que a maioria daqueles que estavam na multidão deviam falar Aramaico ou Grego, as duas línguas que os discípulos também decerto falavam, e que o milagre das línguas era, portanto, desnecessário. Esta dificuldade, porém, certamente era óbvia para Lucas também. O que era importante é que se falavam as várias línguas maternas, vernaculares, destes povos. Talvez estranhemos como as multidões sabiam que os discípulos eram galileus. Um simples relance nas palavras atribuídas às multidões nos vv 7-11 indicará que não passam de resumo das várias coisas que estavam sendo ditas, combinadas, por razões literárias, numa só declaração coral, e, portanto, não precisamos supor que mais do que uns poucos da multidão sabiam reconhecer que os discípulos eram galileus.
9-11. Lucas, ainda continuando sua versão global daquilo que os vários membros da multidão devem ter dito, passa a nos dar uma lista das nacionalidades representadas. Começa com três países ao leste do Império Romano, na área conhecida como Pérsia ou Irã, e depois (com uma mudança de construção), continua para o oeste, para a Mesopotâmia, o Iraque moderno, e a Judéia. Seguem-se, então, várias províncias e áreas na Ásia Menor (a moderna Turquia), e, depois, o Egito e área imediatamente para o oeste, seguida por Roma. Depois, há uma declaração geral que se aplica a todos os povos em epígrafe: havia uma população judaica considerável em cada uma destas áreas, e a presença dos judeus freqüentemente levava ã conversão dos gentios para se tomarem prosélitos. Finalmente, e de modo algo surpreendente, a lista inclui pessoas da Creta e da Arábia. É uma lista surpreendente, e ninguém tem conseguido dar uma explicação satisfatória de por que inclui aquela seleção específica de países, nem porque aparecem nesta ordem estranha. Certamente não foi inventada pelo próprio Lucas. Basta, então, observar que a lista claramente visa ser uma indicação de que estavam presentes pessoas de todas as partes do mundo conhecido, e talvez que haveriam de voltar aos seus próprios países como testemunhas daquilo que acontecia. Todas elas, como adoradores de Javé, podiam perceber que os cristãos estavam celebrando as obras poderosas de DEUS.
12-13. A reação primária era de incompreensão. As multidões naturalmente estavam sem saber o que estava acontecendo, e esta situação criou a oportunidade para Pedro dirigir-se a elas, explicando do que se tratava. Mais especificamente, recebeu uma razão para começar seu discurso, no fato de algumas pessoas estarem dispostas a explicar o falar em línguas como resultado de bebidas fortes; esta seria a explicação que alguém naturalmente daria se ouvisse pessoas fazendo sons ininteligíveis, que seria a impressão que algum ouvinte receberia, se não reconhecesse a língua específica que estava sendo empregada.
 
Pedro prega o evangelho (2:14-42).
A presença da multidão que acorrera deu a Pedro a sua oportunidade para explicar o significado daquilo que ocorria. Seu discurso ou sermão começa com uma alusão ao derramamento do ESPÍRITO como cumprimento da profecia, e termina com outra referência ao mesmo evento (2:33). Entre estas referências, porém, Pedro explora mais profundamente o significado do evento. Faz remontar até JESUS  este dom do ESPÍRITO. Os judeus tinham rejeitado este Homem de DEUS, mas foi ressuscitado dentre os mortos, pelo próprio DEUS, conforme podiam testificar os apóstolos. A ressurreição dEle, no entanto, devia também ser vista à luz da profecia. Pedro disse que um Salmo de Davi que falava da libertação da morte devia ser entendido na sua aplicação ao Messias, sendo que claramente não podia ser aplicado ao próprio Davi. Visto que DEUS ressuscitara JESUS  da morte, segue-se que era Este o Messias, e foi como conseqüência disto que derramou o ESPÍRITO (Lc 24:49; Jo 20:22). Assim, a ressurreição de JESUS , bem como o derramamento do ESPÍRITO testificavam que JESUS  era o Senhor e o Messias. Quando os ouvintes quiseram saber o que isto subentendia, Pedro insistiu com eles que deviam ser batizados em nome de JESUS , para o perdão dos pecados e participação do dom do ESPÍRITO que lhes era livremente prometido. Muitos responderam ao seu apelo, e começaram a compartilhar de um novo modo de vida.
14. O retrato de Pedro mostra-o em pé para falar ao ar livre, com o assentimento dos demais apóstolos, dos quais ele fica como porta-voz. O verbo que aqui se traduz disse pode empregar-se para declarações inspiradas. O sermão de Pedro é considerado obra de um homem cheio do ESPÍRITO. Para começar, pede a atenção dos seus ouvintes, sejam judeus residentes em Jerusalém, sejam visitantes.
15. Como noutras ocasiões (3:12; 14:15), a primeira tarefa do pregador é corrigir um falso conceito do seu auditório; neste caso, demonstra que é absurdo pensar na probabilidade de homens estarem bêbados antes das nove da manhã. A razão de ser deste argumento é que os judeus normalmente não comiam tão cedo no dia, e muito menos bebiam vinho.
16-21. A explicação correta achava-se num nível diferente de entendimento. Aquilo que acontecia devia ser encarado como cumprimento de uma profecia de Joel, e aqui Pedro passou a citar a relevante passagem, Joel 2:28-32. Mais uma frase da mesma passagem se acha no v. 39, e a mesma passagem é citada também em Rm 10:13 e Ap. 6:12.15 A citação segue a LXX, mas com certo número de pequenas alterações para adaptar a profecia ao seu contexto. Uma das mais importantes entre estas alterações é o modo de "E acontecerá depois destes dias", em Joel, ser alterado para "E acontecerá nos últimos dias". Pedro considera que a profecia de Joel se aplica aos últimos dias, e declara que seus ouvintes agora estão vivendo nos últimos dias. Já começou o ato final da salvação divina.
O primeiro tema da profecia, e o principal, é que DEUS está para derramar o Seu ESPÍRITO sobre todos os povos, i.é, sobre todos os tipos de pessoas, e não apenas sobre os profetas, reis e sacerdotes, como tinha sido o caso nos tempos do Antigo Testamento. A evidência será vista na forma de profecias e visões. Visto que as línguas podiam ser descritas, de modo lato, como tipo de profecia, esta passagem oferecia o equivalente mais aproximado às línguas na fraseologia veterotestamentária: é verdade que Paulo distingue as línguas das profecias (1 Co 12:10), mas ele não estava sujeito à limitação de procurar uma frase veterotestamentária para se expressar. Um segundo elemento da profecia é a ocorrência de sinais cósmicos do tipo que se associa com os quadros apocalípticos do fim do mundo; a mesma linguagem se emprega em Apocalipse 6:12. Aqui, podemos notar que Pedro alterou a expressão de Joel: "prodígios no céu e na terra", para prodígios em cima no céu e sinais em baixo na terra. Os sinais são provavelmente o dom de línguas e os vários milagres de cura que logo passariam a ser narrados. O que se diz, porém dos prodígios? Se não aceitarmos que a referência diz respeito aos sinais cósmicos que acompanharam a crucificação (Lc 23:4445), então teremos que entender que Pedro antevê os sinais que anunciarão o fim do mundo; estes ainda são futuros, e pertencem ao "fim" dos últimos dias, e não ao "começo" deles, que estava se realizando. O terceiro elemento na profecia de Joel é o evento do qual estes sinais são a prefiguração: o dia do Senhor, i.é, o dia do julgamento. Para Joel, é claro, o Senhor era o próprio Javé. Para Pedro e Lucas, surge a pergunta: Senhor, aqui, não significa implicitamente JESUS ? Isto porque no v. 36 JESUS  será declarado Senhor. De qualquer maneira, a profecia termina, em quarto lugar, com uma promessa no sentido de que aquele que invocar o nome deste Senhor, i. é, apelar a Ele, pedindo socorro, será salvo; para os cristãos, certamente se tratava de procurar em JESUS  a salvação (Rm 10:13-14; 1 Co 1 :2). Reconhece-se que, se Pedro citou o texto em Hebraico, haveria clara referência a Javé, e, portanto, a aplicação a JESUS  ficaria clara somente àqueles que ouviam ou liam o texto em Grego.
É difícil saber de que maneira Joel encarava o cumprimento do seu oráculo, que foi pronunciado no contexto de uma praga de gafanhotos em Israel, a qual o profeta via como julgamento de advertência. Quando o povo correspondeu, arrependendo-se, o Senhor o atendeu, e transformou a sua sorte, e prometeu-lhe ceifas abundantes. Depois, segue-se esta profecia daquilo que aconteceria "depois", na medida em que o profeta olha para os eventos futuros ainda mais distantes, e descortina a vindicação final de Israel e a derrota dos seus inimigos. Destarte, a perspectiva parece ser distante, associada com o dia do Senhor, e, portanto, não se faz injustiça para com o verdadeiro sentido da passagem quando Pedro enxerga nos eventos do Pentecoste o começo do cumprimento dela.
22. Mais uma vez, Pedro pede a atenção dos seus ouvintes; o que tem para dizer se dirige ao povo de Israel, que alega ser o povo de DEUS. Um pouco repentinamente, volta a dirigir a atenção deles a JESUS , o Homem de Nazaré, que DEUS destacou diante deles através dos vários milagres e sinais que DEUS operara publicamente através dEle. Pedro torna por certa a realidade destes sinais, e diz que os seus ouvintes já têm clara consciência deles, e declara que foram operados por DEUS. Está disposto a argumentar a partir dos milagres para chegar à mão de DEUS. JESUS , portanto, já durante a Sua vida terrestre, foi destacado corno pessoa incomum, embora Pedro ainda não passe a dizer qual era o papel ou posição específica dEle. Num mundo que aceitava a possibilidade e a realidade do milagroso, o argumento de Pedro teria peso considerável. A polêmica judaica posterior contra JESUS  não negou que Ele tenha operado milagres, mas alegava que Ele era um feiticeiro, e já durante a vida dEle, Seus oponentes atribuíam a Belzebu os exorcismos que Ele operava (Le 11 :15). Era necessário alguma coisa mais para convencer os judeus de que DEUS estava operando na vida de JESUS .
 
 
O batismo era realizado em nome de JESUS , frase esta que talvez represente na expressão comercial, "à conta de JESUS ", ou na expressão idiomática judaica, "com referência a JESUS '. Por mais precisamente que a frase seja entendida, de uma maneira ou de outra, transmite o pensamento de que a pessoa que está sendo batizada entra num relacionamento de lealdade para com JESUS , fato este que está em harmonia com a evidência que indica que, no batismo, contrariamente se fazia confissão de JESUS  como Senhor (Rm 109, 1 Co 12:3). Destarte, o batismo cristão era na expressão de fé e de dedicação a JESUS  como Senhor. Assim como o batismo de João transmitia a dádiva divina do perdão, simbolizada no ato da lavagem, assim também o batismo cristão era considerado um sinal do perdão (5:31; 10:43; 13:38; 26:18; cf. 3:19). O batismo cristão, porém, transmitia uma bênção adicional. João dissera que batizava (somente) com água, ao passo que o Messias batizaria com o ESPÍRITO SANTO, e que esta dádiva acompanhava o batismo na água, realizado na igreja em nome de JESUS . As duas dádivas se vinculam estreitamente, pois é o ESPÍRITO que leva a efeito a purificação no íntimo, da qual o batismo é o símbolo externo.
39. Pedro afirmou com insistência que seus ouvintes descobririam que era real esta promessa do perdão e do dom do ESPÍRITO, porque fora DEUS que a pronunciara, a eles e aos seus descendentes (cf. 13 :33). Esta frase às vezes tem sido interpretada como justificativa para o batismo das crianças, mas trata-se de uma sobrecarga sobre o texto. Colocando-a no seu contexto, notamos que a profecia no v. 17 contempla filhos que têm idade suficiente para profetizar, e que o v. 38 fala do recebimento do perdão e do ESPÍRITO; em nenhum destes casos fica óbvio que se trata de crianças pequenas. A lição da frase, pelo contrário, é expressar a misericórdia ilimitada de DEUS, que abrange os ouvintes e as gerações subseqüentes dos seus descendentes e, além disto, todos os que ainda estão longe (Is 57: 19; Ef. 2:13, 17), frase esta que certamente inclui todos os judeus espalhados em todo o mundo e (aos olhos de Lucas, mesmo se Pedro não chegara a este entendimento) os gentios também; numa referência aos gentios é altamente provável, tendo em vista a maneira rabínica de entender a frase em Isaías 57 :19, da qual Paulo participa (Ef 2:13, 17). Em todos estes casos, porém, a promessa é mediada pela chamada divina - e com estas palavras, Pedro completa a citação de Joel 2:32 com a qual começara o seu discurso. Ressalta-se a primazia da chamada divina e da graciosidade do Seu convite à toda humanidade.
 
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO
Neste ano de 2006 comemora­sse em todo o mundo o Centenário do Movimento Pentecostal, no qual situa-se a Assembléia de DEUS. A comemoração presta justa homenagem aos pioneiros do Movimento Pentecostal que deixaram suas indeléveis marcas espirituais nos trabalhos que levantaram em meio a muito sofrimento e necessidades.
Que esta comemoração centenária seja uma ocasião para que a igreja, numa firme determinação diante de DEUS, mantenha a pureza doutrinária, os princípios e as verdades bíblicas que norteiam o seu caminhar, inclusive, no que concerne à Pessoa, às operações e ministrações do ESPÍRITO SANTO, segundo as Escrituras.
   
I. A PROMESSA DO PENTECOSTES E SUA GRANDEZA (vv.I6-18).
Foi o profeta Joel, no Antigo Testamento, a quem DEUS revelou com mais detalhes o derramamen­to do ESPÍRITO nos últimos tempos (Jl 2.23-32).  
Também Isaías escreve a respeito do avivamento, principalmente do autor do avivamento e o resultado do avivamento na vida de alguém:
Is 61.1 O ESPÍRITO do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; 2 A apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso DEUS; a consolar todos os tristes; 3 A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê glória em vez de cinza, óleo de gozo em vez de tristeza, vestes de louvor em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantações do SENHOR, para que ele seja glorificado. 
 
Como se vê a função primária da pessoa do ESPÍRITO SANTO é capacitar, dar poder na pregação do evangelho, com sinais  e prodígios para que haja uma colheita abundante de almas.
 
Vamos estudar o que o profeta Joel profetizou do derramamento do ESPÍRITO SANTO:
PROMESSA DA EFUSÃO DO ESPÍRITO
Jo 2.28 E há de ser que, depois derramarei o meu ESPÍRITO sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. 29 E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu ESPÍRITO. 30 E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. 31 O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. 32 E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o SENHOR, e entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar.
 
1. "Derramarei o meu ESPÍRITO" (v.17). Assim diz DEUS neste versículo.
Sobre todos os que desejarem virá o derramamento do ESPÍRITO SANTO, sendo que este derramar está subdividido em duas partes:
a- O derramamento sobre a Igreja (início no dia do Pentecostes em Jerusalém e em nossa época, num segundo mover, na rua Azuza) ;
b- O derramamento sobre todos os participantes do milênio (derramamento sobre toda carne, sobre todos os que escaparem da grande Tribulação e que escaparem da separação entre bodes e ovelhas).
 
Observação: Veja que o ESPÍRITO SANTO é derramado, Ele vem de cima, do céu, de DEUS e não como alguns pensam, buscando em pessoas o batismo. Eu, por exemplo, recebi sozinho em um quarto de minha casa, outros recebem por imposição, ou seja, por intercessão de alguém, outros, como Cornélio e seus parentes e amigos, ouvindo uma pregação, etc...; o importante é que recebam de DEUS e não de homens.
Outro fator importante é que não se deve buscar o falar em línguas, mas o batismo, que é a posse total do ESPÍRITO SANTO sobre nós, para evangelização dos povos, o revestimento de poder.
 
Os discípulos passaram de homens ignorantes antes do pentecostes, para sábios e entendidos logo após receberem o batismo.
A verdadeira sabedoria é a sabedoria espiritual.
At 4.13 Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com JESUS .
 
2. A profecia de Joel (11 2.28-32). Os versículos 28 a 32 de Joel, no texto hebraico, perfazem um capítulo à parte.
Notemos que os capítulos do livro de Joel falam principalmente sobre Israel e o juízo de DEUS sobre eles e os povos à sua volta, enquanto que neste capítulo 2 e versículos 28 - 31 á traz a promessa de uma grande bênção sobre os povos, tanto israelitas quanto todos os que se converterem ao Senhor JESUS.
cap. 1 - A TERRÍVEL CARESTIA CAUSADA PELA LOCUSTA E PELA SECA.
cap. 2 - Início de Juízo.
cap. 3 - ·OS JUÍZOS DE DEUS SOBRE AS NAÇÕES INIMIGAS
Na verdade DEUS está sempre na expectativa de abençoar a todos, só esperando para isto a conversão legítima, de coração.
   
II. A PROMESSA DO PENTECOSTES E SUA UNIVERSALIDADE (vv.17.18).
Nos tempos do Antigo Testamento, o ESPÍRITO SANTO, por via de regra, permanecia entre os fiéis (Ag 2.5; Is 63.11).
As pessoas do AT não eram templo do ESPÍRITO SANTO, pois JESUS ainda não havia derramado de seus ESPÍRITO SANTO,  mas, viviam em comunhão com o mesmo, alguns poucos escolhidos por DEUS para grandes tarefas até mesmo eram cheios como João Batista, desde o ventre. 
1. Habitação do ESPÍRITO. Nesta dispensação da igreja, isto é, do corpo místico dos salvos em CRISTO, o ESPÍRITO habita em toda pessoa por Ele regenerada e salva por JESUS (Jo 14.16,17; 1 Jo 4.13; Rm 8.9).
A diferença primordial é que somos nascidos de novo para templo, morada de DEUS na Terra, enquanto aqueles (AT) eram usados pelo ESPÍRITO SANTO sem nem mesmo O conhecerem, sem nem mesmo dialogarem com ELE como pessoa, pois a revelação da trindade lhes estava oculta e a revelação da igreja, ainda mais.
Ef 3.9 E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em DEUS, que tudo criou por meio de JESUS  CRISTO;
1Co 6.19 Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO, que habita em vós, proveniente de DEUS, e que não sois de vós mesmos?
2Co 6.16 E que consenso tem o templo de DEUS com os ídolos? Porque vós sois o templo do DEUS vivente, como DEUS disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu DEUS e eles serão o meu povo.
 
2. "Sobre toda a carne" (v.l 7). Isso fala de algo da parte de DEUS para todos, em todos os países, povos e raças do mundo.
Também de imparcialidade.
a) "Vossos filhos e vossas filhas": 
Parentes, como Cornélio e os seus. At 10.24 E no dia imediato chegaram a Cesaréia. E Cornélio os estava esperando, tendo já convidado os seus parentes e amigos mais íntimos.
At 10.O ESPÍRITO SANTO DESCE SOBRE OS GENTIOS
44 E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o ESPÍRITO SANTO sobre todos os que ouviam a palavra. 45 E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do ESPÍRITO SANTO se derramasse também sobre os gentios. 46 Porque os ouviam falar línguas, e magnificar a DEUS.
b) "Vossos jovens e vossos velhos": 
Idade não é problema para se receber. 
Is 40.31 Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.
Sl 51.10 Cria em mim, ó DEUS, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.
Sl 103.5 Que farta a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.
c) "Servos e servas"
Todos são iguais, não há distinção por parte de DEUS, o que interessa é a fé.
At 10.34 E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que DEUS não faz acepção de pessoas;
Rm 2.11 Porque, para com DEUS, não há acepção de pessoas.
1Pe 117 E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,
 
Nações Presentes No Dia Do Pentecostes  
Demonstração de que o batismo é para todos, indistintamente e para evangelização, ou seja, para se ganhar almas.  
 
III. A PROMESSA DO PENTECOSTES E SUA RIQUEZA (vv. 17,18).
1. Os dons espirituais. Juntamente com a promessa divina está escrito: "e profetizarão" (vv. 17,18). 
Os dons são manifestações sobrenaturais do ESPÍRITO SANTO, são capacitações ou equipamentos, ou ainda armas para o soldado que entra na guerra espiritual travada contra Satanás e seus demônios. Os dons são vistos em operação na palavra de DEUS sempre após o batismo com o ESPÍRITO SANTO, como no dia de pentecostes, onde os discípulos primeiro receberam o batismo, depois receberam o dom de línguas para falarem nas línguas dos visitantes em Jerusalém e depois saíram a pregar o evangelho sendo seguidos por sinais e prodígios.
Ef 6.12 Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
O Dom mais desejado, segundo Paulo ensina, deve ser o dom de profetizar, para que possa edificar a igreja; também é chamado de dom superior ao de línguas por Paulo em 1 Co 14.
1Co 14.5 E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação.
2. Os sinais sobrenaturais (Marcos 16.17, 18): Milagres, cura divina, línguas estranhas, expulsão de demônios (At 2.43b). 
É interessante notar que os sinais acompanham os crêem, os que vão fazer a obra de DEUS e não se recebe primeiro, antes de se entrar na obra, antes de se entregar ao serviço de CRISTO.
Veremos durante o trimestre mais detalhadamente sobre os dons e sua manifestação na igreja. (1Co 12)
 
IV. A PROMESSA DO PENTECOSTES E SUA FUTURIDADE (vv.19, 20).
1. Futuro profético. A vinda do ESPÍRITO SANTO no Dia de Pentecostes para dotar os crentes de poder, não se limita aos tempos atuais, mas adentra o futuro profético.
2. A promessa divina do Pentecostes em Joel 2.28. Esta promessa diz "derramarei o meu ESPÍRITO"; ao passo que no  cumprimento em Atos 2.17, a Palavra diz "do meu ESPÍRITO derramarei", denotando um derramamento parcial.
3. A profecia pentecostal de Joel 2.23. Esta profecia prediz a chuva "temporã" e a "serôdia".
a) Chuva temporã. Na Bíblia, "chuva temporã" é uma referência ao Oriente Médio, em se tratando de agricultura, às primeiras chuvas de outono (fins de outubro), logo após a semeadura, para a germinação das sementes e crescimento das plantinhas.
b) Chuva serôdia. São as últimas chuvas que precedem a colheita(fins de março), quando os grãos já estão amadurecidos. 
 
 V. A PROMESSA DO PENTECOSTES ABARCA A SALVAÇÃO (v. 21).
 1. "E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo". Em o nome do Senhor há poder para salvar em todo e qualquer sentido.
 2. Fonte de Vida. Em João 7.38, 39, JESUS falou do ESPÍRITO SANTO sobre o crente, como um rio caudaloso e transbordante, o que fala de vida, subsistência, movimento, ruído, energia, destinação e renovação.
 3. Trajetória de poder. Na história da igreja no livro de Atos, ela inicia sua trajetória com "grande poder" (4.33), e, encerra com "grande contenda" (28.29).
 
CONCLUSÃO
Como é notório, muitas inovações, modismos e práticas descabidas e antibíblicos vêm afetando o genuíno Movimento  Pentecostal, inclusive a Assembléia de DEUS. Precisamos voltar sempre ao cenáculo para receber mais poder (Ef 5.18), mas igualmente, manter a "sã doutrina" do Senhor (Tt 2.1,7; 1 Tm 4.16). Busquemos um maior e contínuo avivamento espiritual, segundo a doutrina bíblica, como fez o salmista: "Vivifica-me segundo a tua Palavra" (SI 119.25, 154).
 
 
INTERAÇÃO
Professor, enfatize o fato de que o batismo com o ESPÍRITO SANTO é uma bênção na vida do crente. Esta dádiva divina é subseqüente a experiência da salvação. Todavia, o batismo com o ESPÍRITO SANTO não pode ser confundido com o novo nascimento, regeneração ou a santificação. Uma pessoa pode ser regenerada, justificada e santificada e ainda não ter recebido o revestimento de poder. Ressalte o fato de que o batismo com o ESPÍRITO SANTO, com evidência de falar em línguas, não é uma experiência exclusiva dos dias apostólicos, como pregam os cessacionistas. Tal bênção não se restringe a Atos 2, por isso se em sua classe algum aluno ainda não recebeu a promessa pentecostal, incentive-o a buscá-Ia com dedicação.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Saber o que não é o batismo com o ESPÍRITO SANTO.
Explicar o que é o batismo com o ESPÍRITO SANTO.
Definir glossolalia e xenolalia.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Prezado professor, sugerimos o uso do esquema abaixo para introduzir o tópico 11 da lição. Reproduza-o no data show, retroprojetor, quadro-de-giz ou tire cópias para os alunos. Utilizando o esquema, mostre à turma o que é o batismo com o ESPÍRITO SANTO. Explique que muitos crentes na atualidade não conhecem as principais doutrinas pentecostais. Essa é uma boa  oportunidade para sanar as dúvidas que os alunos possam ter em relação ao tema da aula. Aproveite a oportunidade e reserve um tempo para que os alunos façam perguntas. Boa aula!
 
 
 
  
RESUMO DA LIÇÃO 3- O QUE É O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
INTRODUÇÃO
O batismo com o ESPÍRITO SANTO é um tema atualíssimo e
imprescindível à Igreja de CRISTO.
I. O QUE NÃO É O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
1. O batismo com o ESPÍRITO SANTO não é a regeneração espiritual do pecador.
2. O batismo no corpo de CRISTO não é o batismo com o ESPÍRITO SANTO.
3. O batismo com o ESPÍRITO SANTO não é uma experiência exclusiva dos dias apostólicos.
II. O QUE É O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
1. O falar em línguas como sinal do batismo.
2. O dom de variedade de línguas.
3. A finalidade do dom de línguas.
III. A EXPERIÊNCIA DE ATOS 2
1. Glossolalia.
2. Xenolalia.
3. Atualidade das manifestações espirituais.
CONCLUSÃO
o batismo com o ESPÍRITO SANTO não pode ser tratado somente como teoria ou possibilidade
remota, mas como algo indispensável do Senhor para o seu povo.
 
SINOPSE DO TÓPICO (1)
o batismo com o ESPÍRITO SANTO não é: a regeneração, o batismo no corpo de CRISTO e, muito menos, uma experiência exclusiva dos dias apostólicos.
SINOPSE DO TÓPICO (2)
o falar em línguas e o dom de variedades de línguas evidenciam o batismo com o ESPÍRITO SANTO. O propósito primário, no uso deste dom, é edificar o crente individualmente.
SINOPSE DO TÓPICO (3)
Os fenômenos de falar em línguas - tanto conhecidas (xenolalia) como desconhecidas (glossolalia) - quando provenientes do ESPÍRITO SANTO edificam o crente, a igreja e servem como um sinal para os descrentes.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO - Subsídio Bibliológico
"Outras Línguas
Um só sinal fazia parte do batismo pentecostal. Todos os que foram cheios do ESPÍRITO SANTO começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO Ihes concedia que falassem. Isso quer dizer que faziam uso das suas línguas, dos seus músculos. Falavam. Mas as palavras não brotavam das suas mentes ou do seu pensamento. O ESPÍRITO Ihes concedia que falassem, e expressavam as palavras com ousadia, em voz alta, e com unção e poder.
Isso é interpretado de várias maneiras. Alguns se detêm no versículo 8 ('Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?') e supõem que todos os discípulos falaram em sua língua materna, aramaico, e que se tratava de um milagre de audição ao invés de fala. Mas os dois versículos anteriores são muito claros. Cada um os ouvia falar na sua própria língua, sem o sotaque galileu.
Outros chegam a um meio-termo, e dizem que os discípulos falavam em línguas desconhecidas, que o ESPÍRITO
SANTO interpretava nos ouvidos de cada um dos ouvintes em sua própria língua. Mas Atos 2.6,7 exclui essa interpretação, também. Os 1 20 falavam em idiomas que foram compreendidos por pessoas de diversas nações. Esse fato testemunhou a universalidade do dom e da unidade da Igreja" (HORTON, Stanley M. A Doutrina do ESPÍRITO SANTO. Rio de Janeiro: CPAD, 2001,
p. 155). HORTON, Stanley M. A Doutrina ; do ESPÍRITO SANTO. Rio de Janeiro: CPAD, 2001: MENZIES, Willian W.; HORTON, Stanley M. Doutrinas Bíblicas: Os Fundamentos da Nossa Fé. 5., ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005.
 
Veja mais pela Revista Ensinador Cristão CPAD, nº 46, p. 37.
 
VOCABULÁRIO
cessacionistas: Aquele que crê na cessação dos dons do ESPÍRITO SANTO, ou seja, estes não estão disponíveis para a Igreja hoje.
lingüístico: Relativo à lingüística ou à língua, ou que tem por base a língua.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Lexicográfico
"Glossolalia - [Do gr. glosso, língua + Ialia, falar em língua]. Dom sobrenatural concedido pelo ESPÍRITO SANTO, que capacita o crente afazer enunciados proféticos em línguas que lhe são desconhecidas.
O objetivo da glossolalia é enunciar sobrenatural e extraordinariamente o Evangelho de CRISTO, como aconteceu no Dia de Pentecoste (Atos 2); levar o crente a consolar-se no espírito, e a proclamar, com o auxílio do dom da interpretação, o conhecimento e a vontade de DEUS à Igreja (1 Co 14).
A glossolália, conhecida também como dom de línguas [desconhecidas], é um dom espiritual que, à semelhança dos demais, não ficou circunscrito aos dias dos apóstolos: continua atual e atuante na vida da Igreja" (ANDRADE, Claudionor Corrêa. Dicionário Teológico. 6. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1998, p. 167).
Xenolalia - O falar em línguas num idioma conhecido, estranho apenas a quem o fala.
[u.] O interesse generalizado pelo batismo e dons do ESPÍRITO SANTO convenceu alguns [os evangélicos do século XIX] de que DEUS concederia o dom de línguas a fim de equipá-Ios com idiomas humanos identificáveis (xenolalia) para que pudessem anunciar o Evangelho noutro países, agilizando assim a obra missionária.
I [u.] Em 1895, o autor e líder do Movimento da Santidade, W.B. Godbey, disse que o "dom de línguas" era "destinado a desempenhar um papel de destaque na evangelização do mundo pagão e no cumprimento profético glorioso dos últimos dias. Todos os missionários nos países pagãos deviam buscar e esperar esse dom que os capacitaria a pregar fluentemente no vernáculo.
[u.] Entre os que esperavam o recebimento do poder do ESPÍRITO para evangelizar rapidamente o mundo, achava-se o pregador da Santidade, em Kansas, Charles Fox Parham e seus seguidores. Convencido pelos seus próprios estudos de Atos dos Apóstolos, e influenciado por Irwin e Sandford, testemunhou Parham um reavivamento notável na Escola Bíblica Bethel, em Topeka, Kansas, em Janeiro de 1901. A maioria dos alunos, bem como o próprio Parham, regozijaram-se por terem sido batizados no ESPÍRITO e de haverem falado noutras línguas (xenolalia)
Assim como DEUS concedera a plenitude do ESPÍRITO SANTO aos 120 no Dia do Pentecoste, eles também haviam recebido a promessa (At 2.39).
[u.] Depois de 1906, os pentecostais passaram a reconhecer, cada vez mais, que, na maioria das ocorrências do falar em línguas, os cristãos realmente estavam orando em línguas não identificáveis e não em idiomas identificáveis (glossolalia ao invés de xenolalia). Embora Parham mantivesse sua opinião a respeito da finalidade das línguas na pregação transcultural, os pentecostais chegaram finalmente à conclusão: as línguas representavam a oração no ESPÍRITO, a intercessão e o louvor" (HORTON, Stanley M et ali. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. 10. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, pp.1 5-17,19,20).
 
 
LIÇÃO 3 - O DERRAMAMENTO DO ESPÍRITO SANTO NO PENTECOSTES
Lições Bíblicas do 1º Trimestre de 2011 - CPAD - Jovens e Adultos
ATOS DOS APÓSTOLOS - Até aos confins da terra
Comentários da revista da CPAD: Pr. Claudionor de Andrade
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD:  Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
 
 
 
ESTUDOS AFINS EM NOSSO SITE
Todos os salvos precisam ser batizados
O dia de pentecostes
Que quer isto dizer
Línguas estranhas como evidencia do batismo
Diferença entre sinal e dom
Como receber o batismo no ESPÍRITO SANTO
O batismo com o ESPÍRITO SANTO e a Obra Missionária
 
TEXTO ÁUREO
"Porque, na verdade, João batizou com água. mas vós ser eis batizados com o ESPÍRITO SANTO, não muito depois destes dias"(At 1.5).
 
 
VERDADE PRÁTICA
Cremos na atualidade do batismo no ESPÍRITO SANTO e dos dons espirituais, conforme prometeu o próprio CRISTO e ensinaram os santos apóstolos nas escrituras.
 
 
 
LEITURA DIÁRIA
Is 44.3 A profecia de Isaías
Jl 2.28-31 A profecia de Joel
Mt 3.11 A profecia de João Batista
At 1.5 A promessa de JESUS
At 2.38-40 A proclamação do Evangelho
At 2.42 Maior perseverança em DEUS
 
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Atos 2.1-6;12
1 - Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2 - e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. 3 - E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de. fogo, as quais pousaram sobrei cada um deles. 4 - E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia que falassem. 5 - E em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu. 6 - E, correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.
12 - E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?
 
2.1 PENTECOSTE. Pentecoste era a segunda grande festa sagrada do ano judaico. A primeira grande festa era a Páscoa. Cinqüenta dias após esta, vinha a festa de Pentecoste, nome este derivado do gr. penteekostos (=qüinquagésimo). Era também chamada Festas das Colheitas, porque nela as primícias da sega de grãos eram
oferecidas a DEUS (cf. Lv 23.17). Da mesma forma, o dia de Pentecoste simboliza, para a igreja, o início da colheita de almas para DEUS neste mundo.
2.2,3 UM VENTO... IMPETUOSO, E... LÍNGUAS REPARTIDAS, COMO QUE DE FOGO. As manifestações externas de um som como de um vento poderoso e das línguas de fogo (vv. 2,3) demonstram que DEUS estava ali presente e ativo, de modo poderoso (cf. Êx 3.1-6; 1 Rs 18.38,39). O fogo talvez simbolize a consagração e a separação dos crentes para DEUS, visando a obra de glorificar a CRISTO (Jo 16.13,14) e de testemunhar dEle (1.8). Estas duas manifestações antecederam o batismo no ESPÍRITO SANTO, e não foram repetidas noutros relatos similares do livro de Atos.
2.4 CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO. Qual é o significado da plenitude do ESPÍRITO SANTO recebida no dia de Pentecoste?
(1) Significou o início do cumprimento da promessa de DEUS em Jl 2.28,29, de derramar seu ESPÍRITO sobre todo o seu povo nos tempos do fim (cf. 1.4,5; Mt 3.11; Lc 24.49; Jo 1.33; ver Jl 2.28,29).
(2) Posto que os últimos dias desta era já começaram (v. 17; cf. Hb 1.2; 1 Pe 1.20), todos agora se vêem ante a decisão de se arrependerem e de crerem em CRISTO (3.19; Mt 3.2; Lc 13.3; ver At 2.17).
(3) Os discípulos foram do alto... revestidos de poder (Lc 24.49; cf. At 1.8), que os capacitou a testemunhar de CRISTO, a produzir nos perdidos grande convicção no tocante ao pecado, à justiça, e ao julgamento divino, e a desviá-los do pecado para a salvação em CRISTO (cf. 1.8; 4.13,33; 6.8; Rm 15.19; ver Jo 16.8).
(4) O ESPÍRITO SANTO já revelou sua natureza como aquele que anseia e pugna pela salvação de pessoas de todas as nações e aqueles que receberam o batismo no ESPÍRITO SANTO ficaram cheios do mesmo anseio pela salvação da raça humana (vv. 38-40; 4.12,33; Rm 9.1-3; 10.1). O Pentecoste é o início das missões mundiais (1.8; 2.6-11,39).
(5) Os discípulos se tornaram ministros do ESPÍRITO. Não somente pregavam JESUS crucificado e ressuscitado, levando outras pessoas ao arrependimento e à fé em CRISTO, como também influenciavam essas pessoas a receber o dom do ESPÍRITO SANTO (vv. 38,39) que eles mesmos tinham recebido no Pentecoste (v. 4). Levar outros ao batismo no ESPÍRITO SANTO é a chave da obra apostólica no NT (ver 8.17; 9.17,18; 10.44-46; 19.6).
(6) Mediante este batismo no ESPÍRITO, os seguidores de CRISTO tornaram-se continuadores do seu ministério terreno. Continuaram a fazer e a ensinar, no poder do ESPÍRITO SANTO, as mesmas coisas que JESUS começou, não só a fazer, mas a ensinar (1.1; Jo 14.12).
 
2.39 A VÓS, A VOSSOS FILHOS E A TODOS. A promessa do batismo no ESPÍRITO SANTO não foi apenas para aqueles presentes no dia de Pentecoste (v.4), mas também para todos os que cressem em CRISTO durante toda esta era: a vós os ouvintes de Pedro; a vossos filhos à geração seguinte; à todos os que estão longe à terceira geração e às subseqüentes.
(1) O batismo no ESPÍRITO SANTO com o poder que o acompanha, não foi uma ocorrência isolada, sem repetição, na história da igreja. Não cessou com o Pentecoste (cf. v. 38; 8.15; 9.17; 10.44-46; 19.6), nem com o fim da era apostólica.
(2) É o direito mediante o novo nascimento de todo cristão buscar, esperar e experimentar o mesmo batismo no ESPÍRITO que foi prometido e concedido aos cristãos do NT (1.4,8; Jl 2.28; Mt 3.11; Lc 24.49).
 

2.4 COMEÇARAM A FALAR EM OUTRAS LÍNGUAS.
Para um exame do significado do falar em línguas ocorrido no dia de Pentecoste e noutras ocasiões, na igreja do NT ver o estudo O FALAR EM LÍNGUAS aqui abaixo:
No dia do Pentecostes houve a manifestação de um dom do ESPÍRITO SANTO chamado "Dom de Línguas": Os discípulos (cerca de 120) falavam na língua de origem dos visitantes de Jerusalém.
Havia naquele dia uma multidão em Jerusalém atraídos pelos festejos, DEUS soube escolher o dia para espalhar o evangelho para todas as nações em volta de Jerusalém (Veja mapa acima).
O barulho de 120 pessoas falando em línguas é tremendo e escandaliza ate os crentes de hoje, imagine naquele dia a curiosidade e o susto dos visitantes de Jerusalém!
Era plano de DEUS para evangelizar os povos gentílicos e judeus.
 
O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO (BEP - CPAD)
At 1.5 “Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o ESPÍRITO SANTO, não muito depois destes dias.”

Uma das doutrinas principais das Escrituras é o batismo no ESPÍRITO SANTO (ver 1.4 ). A respeito do batismo no ESPÍRITO SANTO, a Palavra de DEUS ensina o seguinte:
(1) O batismo no ESPÍRITO é para todos que professam sua fé em CRISTO; que nasceram de novo, e, assim, receberam o ESPÍRITO SANTO para neles habitar.
(2) Um dos alvos principais de CRISTO na sua missão terrena foi batizar seu povo no ESPÍRITO (Mt 3.11; Mc 1.8; Lc 3.16; Jo 1.33). Ele ordenou aos discípulos não começarem a testemunhar até que fossem batizados no ESPÍRITO SANTO e revestidos do poder do alto (Lc 24.49; At 1.4,5,8).
(3) O batismo no ESPÍRITO SANTO é uma obra distinta e à parte da regeneração, também por Ele efetuada. Assim como a obra santificadora do ESPÍRITO é distinta e completiva em relação à obra regeneradora do mesmo ESPÍRITO, assim também o batismo no ESPÍRITO complementa a obra regeneradora e santificadora do ESPÍRITO. No mesmo dia em que JESUS ressuscitou, Ele assoprou sobre seus discípulos e disse: “Recebei o ESPÍRITO SANTO” (Jo 20.22), indicando que a regeneração e a nova vida estavam-lhes sendo concedidas. Depois, Ele lhes disse que também deviam ser “revestidos de poder” pelo ESPÍRITO SANTO (Lc 24.49; cf. At 1.5,8). Portanto, este batismo é uma experiência subseqüente à regeneração (ver 11.17; 19.6). 
(4) Ser batizado no ESPÍRITO significa experimentar a plenitude do ESPÍRITO, (cf. 1.5; 2.4). Este batismo teria lugar somente a partir do dia de Pentecoste. Quanto aos que foram cheios do ESPÍRITO SANTO antes do dia de Pentecoste (e.g. Lc 1.15,67), Lucas não emprega a expressão “batizados no ESPÍRITO SANTO”. Este evento só ocorreria depois da ascensão de CRISTO (1.2-5; Lc 24.49-51, Jo 16.7-14).
(5) O livro de Atos descreve o falar noutras línguas como o sinal inicial do batismo no ESPÍRITO SANTO (2.4; 10.45,46; 19.6)
(6) O batismo no ESPÍRITO SANTO outorgará ao crente ousadia e poder celestial para este realizar grandes obras em nome de CRISTO e ter eficácia no seu testemunho e pregação (cf. 1.8; 2.14-41; 4.31; 6.8; Rm 15.18,19; 1Co 2.4). Esse poder não se trata de uma força impessoal, mas de uma manifestação do ESPÍRITO SANTO, na qual a presença, a glória e a operação de JESUS estão presentes com seu povo (Jo 14.16-18; 16.14; 1Co 12.7).
(7) Outros resultados do genuíno batismo no ESPÍRITO SANTO são: (a) mensagens proféticas e louvores (2.4, 17; 10.46;  1Co 14.2,15); (b) maior sensibilidade contra o pecado que entristece o ESPÍRITO SANTO, uma maior busca da retidão e uma percepção mais profunda do juízo divino contra a impiedade (ver Jo 16.8; At 1.8); (c) uma vida que glorifica a JESUS CRISTO (Jo 16.13,14; At 4.33); (d) visões da parte do ESPÍRITO (2.17); (e) manifestação dos vários dons do ESPÍRITO SANTO (1Co 12.4-10); (f) maior desejo de orar e interceder (2.41,42; 3.1; 4.23-31; 6.4; 10.9; Rm 8.26); (g) maior amor à Palavra de DEUS e melhor compreensão dela (Jo 16.13; At 2.42) e (h) uma convicção cada vez maior de DEUS como nosso Pai (At 1.4; Rm 8.15; Gl 4.6).
(8) A Palavra de DEUS cita várias condições prévias para o batismo no ESPÍRITO SANTO.
(a) Devemos aceitar pela fé a JESUS CRISTO como Senhor e Salvador e apartar-nos do pecado e do mundo (2.38-40; 8.12-17). Isto importa em submeter a DEUS a nossa vontade (“àqueles que lhe obedecem”, 5.32). Devemos abandonar tudo o que ofende a DEUS, para então podermos ser “vaso para honra, santificado e idôneo para o uso do Senhor” (2Tm 2.21).
(b) É preciso querer o batismo. O crente deve ter grande fome e sede pelo batismo no ESPÍRITO SANTO (Jo 7.37-39; cf. Is 44.3; Mt 5.6; 6.33).
(c) Muitos recebem o batismo como resposta à oração neste sentido (Lc 11.13; At 1.14; 2.1-4; 4.31; 8.15,17).
(d) Devemos esperar convictos que DEUS nos batizará no ESPÍRITO SANTO (Mc 11.24; At 1.4,5).
(9) O batismo no ESPÍRITO SANTO permanece na vida do crente mediante a oração (4.31), o testemunho (4.31, 33), a adoração no ESPÍRITO (Ef 5.18,19) e uma vida santificada (ver Ef 5.18 ).
Por mais poderosa que seja a experiência inicial do batismo no ESPÍRITO SANTO sobre o crente, se ela não for expressa numa vida de oração, de testemunho e de santidade, logo se tornará numa glória desvanecente.
(10) O batismo no ESPÍRITO SANTO ocorre uma só vez na vida do crente e move-o à consagração à obra de DEUS, para, assim, testemunhar com poder e retidão. A Bíblia fala de renovações posteriores ao batismo inicial do ESPÍRITO SANTO (ver 4.31 ; cf. 2.4; 4.8, 31; 13.9; Ef 5.18). O batismo no ESPÍRITO, portanto, conduz o crente a um relacionamento com o ESPÍRITO, que deve ser renovado (4.31) e conservado (Ef 5.18).
 
 
O FALAR EM LÍNGUAS (BEP - CPAD)
At 2.4 “E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia que falassem.”
O falar noutras línguas, ou a glossolália (gr. glossais lalo), era entre os crentes do NT, um sinal da parte de DEUS para evidenciar o batismo no ESPÍRITO SANTO (ver 2.4; 10.45-47; 19.6). Esse padrão bíblico para o viver na plenitude do ESPÍRITO continua o mesmo para os dias de hoje.

O VERDADEIRO FALAR EM LÍNGUAS.
(1) As línguas como manifestação do ESPÍRITO. Falar noutras línguas é uma manifestação sobrenatural do ESPÍRITO SANTO, i.e., uma expressão vocal inspirada pelo ESPÍRITO, mediante a qual o crente fala numa língua (gr. glossa) que nunca aprendeu (2.4; 1Co 14.14,15). Estas línguas podem ser humanas, i.e., atualmente faladas (2.6), ou desconhecidas na terra (cf. 1Co 13.1). Não é “fala extática”, como algumas traduções afirmam, pois a Bíblia nunca se refere à “expressão vocal extática” para referir-se ao falar noutras línguas pelo ESPÍRITO.
(2) Línguas como sinal externo inicial do batismo no ESPÍRITO SANTO. Falar noutras línguas é uma expressão verbal inspirada, mediante a qual o espírito do crente e o ESPÍRITO SANTO se unem no louvor e/ou profecia. Desde o início, DEUS vinculou o falar noutras línguas ao batismo no ESPÍRITO SANTO (2.4), de modo que os primeiros 120 crentes no dia do Pentecoste, e os demais batizados a partir de então, tivessem uma confirmação física de que realmente receberam o batismo no ESPÍRITO SANTO (cf. 10.45,46). Desse modo, essa experiência podia ser comprovada quanto a tempo e local de recebimento. No decurso da história da igreja, sempre que as línguas como sinal foram rejeitadas, ou ignoradas, a verdade e a experiência do Pentecoste foram distorcidas, ou totalmente suprimidas.
(3) As línguas como dom. Falar noutras línguas também é descrito como um dos dons concedidos ao crente pelo ESPÍRITO SANTO (1Co 12.4-10). Este dom tem dois propósitos principais:
(a) O falar noutras línguas seguido de interpretação, também pelo ESPÍRITO, em culto público, como mensagem verbal à congregação para sua edificação espiritual (1Co 14.5,6,13-17).
(b) O falar noutras línguas pelo crente para dirigir-se a DEUS nas suas devoções particulares e, deste modo, edificar sua vida espiritual (1Co 14.4).
Significa falar ao nível do espírito (14.2,14), com o propósito de orar (14.2,14,15,28), dar graças (14.16,17) ou cantar (14.15; ver 1Co 14).
 
O QUE QUER ISSO DIZER?
O Que Foi Dito Pelo Profeta Joel (At 2.16-18)
At 2.16 Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: 17 E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos;18 e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão;
 
1-  E nos últimos dias acontecerá, diz Deus,
NOS ÚLTIMOS DIAS.(1) No AT os últimos dias eram tidos como o tempo em que o Senhor agiria poderosamente, julgando o mal e concedendo salvação ao seu povo (cf. Is 2.2-21; 3.18 4.6; 10.20-23; Os 1.2; Jl 1.3; Am 8.9-11; 9.9-12). (2) O NT revela que os últimos dias começaram com a primeira vinda de Cristo e o derramamento inicial do Espírito sobre o povo de Deus, e que terminarão com a segunda vinda do Senhor (Mc 1.15; Lc 4.18-21; Hb 1.1,2). Este período específico é caracterizado como a era do juízo contra o mal, da autoridade sobre os demônios, da salvação da raça humana e da presença aqui do reino de Deus. (a) Estes últimos dias serão assinalados pelo poder do Espírito Santo (Mt 12.28). (b) Os últimos dias abrangem a investida do poder de Deus, através de Cristo, contra o domínio de Satanás e do pecado. Mesmo assim, a guerra apenas começou; não chegou ao fim, pois o mal e a atividade satânica ainda estão fortemente presentes (Ef 6.10-18). Por isso, somente a segunda vinda de Jesus aniquilará a atividade do poder maligno e encerrará os últimos dias (cf. 1 Pe 1.3-5; Ap 19). (c) Os últimos dias serão um período de testemunho profético, conclamando todos a se arrependerem, crerem em Cristo e experimentarem o derramamento do Espírito Santo (1.8; 2.4,38-40; Jl 2.28-32). Devemos proclamar a obra salvífica de Cristo, no poder do Espírito, mesmo enquanto antevemos o dia final da ira (Rm 2.5), i.e.: o grande e glorioso Dia do Senhor (2.20b). Devemos viver todos os dias em vigilância, esperando o dia da redenção e a volta de Cristo para buscar o seu povo (Jo 14.3; 1 Ts 4.15-17). (d) Os últimos dias introduzem o reino de Deus com sua demonstração de pleno poder (ver Lc 11.20). Devemos ter a plenitude desse poder no conflito contra as forças espirituais do mal (2 Co 10.3-5; Ef 6.11,12) e no sofrimento por causa da justiça (Mt 5.10-12; 1 Pe 1.6,7)
 
2- que do meu Espírito derramarei
O derramamento do Espírito Santo e os sinais sobrenaturais que o acompanham, não podem ser limitados unicamente ao dia de Pentecoste. O poder e a bênção do Espírito Santo são para todo cristão receber e experimentar, no decurso de toda a era da igreja, que é a totalidade do período de tempo entre a primeira e segunda vinda de Cristo (Ap 19.20; ver At 2.39 
 
3- sobre toda a carne
MEUS SERVOS E MINHAS SERVAS. Segundo a profecia de Joel, citada por Pedro, o batismo no Espírito Santo é para aqueles que já pertencem ao reino de Deus, i.e., servos de Deus, ou crentes; tanto homens como mulheres salvos, regenerados, pertencentes a Deus.
 
Plataforma Para A Manifestação Dos Dons E Outras Maravilhas Do ESPÍRITO SANTO.
O crente precisa receber o batismo com o ESPÍRITO SANTO para que receba o restante do "pacote" espiritual, os dons do ESPÍRITO SANTO.
 
O Revestimento Do ESPÍRITO SANTO É O Segredo Da Nossa Vitória
Sereis revestidos de poder = Poder é o que está faltando a muitos que estão pregando vãs filosofias ao invés de entrar para as fileiras dos marcham para vencer e e serem vencedores com CRISTO, cheios do ESPÍRITO SANTO
 
É A Provisão De DEUS Para Os Últimos Dias
 
1- Estão cheios de mosto
2.13 MOSTO. Mosto (gr. gleukos) normalmente se refere ao suco de uva não fermentado. Aqueles que zombavam dos discípulos talvez hajam empregado este termo, ao invés da palavra mais comum no NT para vinho (oinos), porque sabiam que os discípulos de Jesus usavam somente este tipo de vinho doce, não fermentado. Neste caso, sua zombaria teria sido sarcástica.
 
2- São homens sem letras
Assim queriam dizer que só os ignorantes e iletrados seguiam esta nova religião. Não sabiam que as coisas de DEUS se discernem espiritualmente e não pela mente e sabedoria humanas.
 
3- O batismo com o ESPÍRITO SANTO vem de fonte impura
JESUS foi acusado de ter demônio, e pior do que isto, de ter o príncipe dos demônios; como seguidores de JESUS também passamos por estas acusações daqueles que não sabem que nós é que expulsamos os demônios daqueles que são dominados por eles, em nome de JESUS.
 
4- Ficamos ao lado de Pedro na defesa desta grandiosa bênção
Pedro pregou um longo discurso dizendo que não estavam embriagados sendo aquela a hora de 09:00h da manhã (terceira hora do dia), também disse que aquilo que estava acontecendo era a promessa de DEUS predita pelo profeta Joel, por Isaías e pelo próprio JESUS.
 
Que Quer Isto Dizer?
Isto quer dizer que DEUS inaugurou sua Igreja na terra, Igreja de fogo e de poder, ela será vitoriosa nas lutas e batalhas que lhe forem impostas pelo inimigo pois seu general é cristo, sendo o ESPÍRITO SANTO seu poder para vencer e ser vencedor sempre.
 
SINAIS DOS CRENTES (CPAD - BEP)
Mc 16.17,18: “E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão”.
As Escrituras ensinam claramente que CRISTO quer que seus seguidores operem milagres ao anunciarem o evangelho do reino de DEUS (ver Mt 10.1; Mc 3.14,15; Lc 9.2; 10.17; Jo 14.12).
(1) Estes sinais (gr. semeion), realizados pelos discípulos verdadeiros, confirmam que a mensagem do evangelho é genuína, que o reino de DEUS chegou à terra com poder e que o Senhor JESUS vivo e ressurreto está presente entre os seus, operando através deles (ver Jo 10.25; At 10.38).
(2) Cada um destes sinais (exceto a ingestão de veneno) ocorreu na igreja primitiva:
(a) falar novas línguas (ver At 2.4; 10.46; 19.6; 1Co 12.30; 14);
(b) expulsar demônios (At 5.15,16; 16.18; 19.11,12);
(c) escapar da morte por picada de serpente (At 28.3-5); e
(d) curar os enfermos (At 3.1-7; 8.7; 9.33,34; 14.8-10; 28.7,8).
(3) Essas manifestações espirituais devem continuar na igreja até a volta de JESUS. Conforme vemos nas Escrituras, esses sinais não foram limitados ao período que se seguiu à ascensão de JESUS (ver 1Co 1.7; Gl 3.5).
(4) Os discípulos de CRISTO não somente deviam pregar o evangelho do reino e levar a salvação àqueles que crêem (Mt 28.19,20; Mc 16.15,16; Lc 24.47), mas também concretizar o reino de DEUS, como fez JESUS (At 10.38) ao expulsar demônios e curar doenças e enfermidades.
(5) JESUS deixa claro, em Mc 16.15-20, que esses sinais não são dons especiais para apenas alguns crentes, mas que seriam concedidos a todos os crentes que, em obediência a CRISTO, dão testemunho do evangelho e reivindicam as suas promessas.
(6) A ausência desses “sinais” na igreja, hoje, não significa que CRISTO falhou no cumprimento de suas promessas. A falta, conforme JESUS declara, está na vida dos seus seguidores (ver Mt 17.17).
(7) CRISTO prometeu que sua autoridade, poder e presença nos acompanharão à medida que lutarmos contra o reino de Satanás (Mt 28.18-20; Lc 24.47-49). Devemos libertar o povo do cativeiro do pecado pela pregação do evangelho, mediante uma vida de retidão (Mt 6.33; Rm 6.13; 14.17) e pela operação de sinais e milagres através do poder do ESPÍRITO SANTO (ver Mt 10.1; Mc 16.16-20; At 4.31-33).
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Prezado professor, atualmente diversos estudiosos, com pressupostos cessasionistas, negam o Batismo com o ESPÍRITO SANTO com a evidência inicial de falar em outras línguas, bem como a atualidade dos dons espirituais. Porém as supostas provas apresentadas por e eles não se sustentam ante a hermenêutica bíblica. Para concluir o tópico II da lição reproduza na lousa, em cartolina ou data show o esquema abaixo ou tire cópias. Explique aos alunos que o batismo com o ESPÍRITO SANTO, como bênção distinta da conversão e a atualidade dos dons espirituais são bíblicos, possíveis e necessários de serem desfrutados nos dias hodiernos. Boa aula!
 
 
 
 
RESUMO RÁPIDO (Ev. Luiz Henrique)
I. O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
1. O batismo com o ESPÍRITO SANTO. É o revestimento de poder para evangelizar destemidamente e ousadamente crendo na unção e no poder do ESPÍRITO SANTO.
2. A evidência inicial e física do batismo com o ESPÍRITO SANTO. Línguas são sinais evidentes do batismo e dons são sinais do batismo com fogo.
Sonho, revelação, falar línguas aprendidas com alguém ou numa escola - nada disso é batismo com o ESPÍRITO SANTO. - Só é batizado(a) no ESPÍRITO SANTO aquele(a) que fala em línguas novas ou desconhecidas quando é batizado(a).
II. FUNDAMENTOS DO BATISMO NO O ESPÍRITO SANTO
1. Moisés. Quando a bíblia diz que Eldade e Medade profetizavam no arraial equivale a dizer que falavam em línguas desconhecidas, enquanto os outros escolhidos por Moisés falavam lá na tenda onde estavam Moisés, Josué e os escolhidos por DEUS para ajudar Moisés em sua grande tarefa de instruir o povo na lei.
2. Isaías. Aqui o profeta cita as muitas águas sobre os sedentos. A principal motivação para o batismo é estar sedento pelo ESPÍRITO SANTO (desejoso de receber).
Isaias falou também acerca do batismo do Espírito Santo assim: "Pelo que por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o SENHOR a este povo, ao qual disse: Este é o descanso... e este é o refrigério..." (Isaias 28:11-12)
Daniel - 5:24-28 As palavras são apresentadas como "Mene", que significa "numerado"; "Tequel", que significa "pesado"; e "Ufarsim" ou "Peres" (5:28), que significa "divisão." ("Peres" é a forma singular de "Ufarsim"). A mensagem que Daniel interpretou revelava a queda do reino babilônio era uma interpretação de línguas (Dom do ESPÍRITO SANTO atual).
3. Joel. A profecia mais clara e evidente do derramamento do ESPÍRITO SANTO profetizado para ocorrer em duas etapas: Para o período da Igreja e no milênio.
4. João Batista. Ele mesmo dizia claramente: "Vos batizará com o ESPÍRITO SANTO".
5. JESUS. A ordem de JESUS era que ficassem em Jerusalém até que do alto recebessem a promessa do PAI - O batismo com o ESPÍRITO SANTO, o poder para testemunhar com sinais e prodígios. Só depois deveriam evangelizar.
III. O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO NA HISTÓRIA DA IGREJA
A história da Igreja Cristã mostra que do Pentecostes em Jerusalém aos dias de hoje, houve continuidade na dispensação dessa tão inefável promessa.
O que diremos de Lutero? Wesley? Finney?
O que podem dizer os que não receberam ainda o batismo? Poderiam dizer que esses homens e mulheres santos de DEUS estão mentindo ou sendo usados por Satanás? Seria absurdo afirmar isso a respeito de homens como Lutero, Wesley, Finney, Gunnar Vingren, Daniel Berger, etc...
É evidente essa maravilha hoje no meio do povo de DEUS, basta entrar em qualquer igreja evangélica que crê no batismo com o ESPÍRITO SANTO.
IV. OS OBJETIVOS DO BATISMO NO ESPÍRITO SANTO
1. Poder e unção a fim de proclamar o Evangelho de Nosso Senhor JESUS CRISTO. O padrão bíblico para a pregação do evangelho é primeiro milagres, depois pregação do evangelho, depois batismo nas águas e depois batismo com ou no ESPÍRITO SANTO (podendo ocorrer antes mesmo do batismo nas águas, como aconteceu com Cornélio e seus parentes e amigos) e depois recebimento de dons do ESPÍRITO SANTO.
2. Reverência diante das coisas de DEUS. À medida que vamos conhecendo mais a respeito do poder do ESPÍRITO SANTO, mais reverentes vamos ficando e mais desejosos de recebermos mais DELE em nosso ministério.
3. A experimentação da plenitude espiritual. Não há alegria maior do que experimentar das maiores riquezas que existem - as coisas espirituais, as manifestações poderosas do ESPÍRITO SANTO.
 
 
SINOPSE DO TÓPICO (1)
o batismo com o ESPÍRITO SANTO tem como evidência inicial, e física, o falar em línguas.
SINOPSE DO TÓPICO (2)
Os Escritores do Antigo e do Novo Testamentos fundamentam a promessa do batismo com o ESPÍRITO SANTO nesses últimos dias, como iniciado no Pentecostes.
SINOPSE DO TÓPICO (3)
o Batismo com o ESPÍRITO SANTO não é modismo, pelo contrário, é uma promessa feita pelo Pai, confirmada pelo Filho e manifestada pelo Divino Consolador.
SINOPSE DO TÓPICO (4)
o batismo com o ESPÍRITO SANTO permite o crente obter poder e unção para proclamar o Evangelho de CRISTO. reverência diante das coisas de DEUS e a experiência de uma plena espiritualidade.
 
SAIBA MAIS pela Revista Ensinador Cristão - CPAD, n045, p. 37.
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I - Subsidio Bibliográfico
"Falar em Línguas (Glossolalia)
'Glossolalia' é um termo técnico freqüentemente utilizado para o falar em línguas; é uma forma combinada das palavras gregas lalia ('discurso', 'fala') e glossa ('língua', 'linguagem'). O fenômeno de falar em línguas, ao contrário do vento e do fogo, é integral para os discípulos que são cheios do ESPÍRITO. 'E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO, e começaram a falar noutras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia a verbalização inspirada' (At 2.4 - [tradução do autor]). O registro diz que os discípulos 'começaram [archoma] a falar noutras línguas' (At 2.4). Não existe indicação de que os discípulos tenham iniciado, ou de que eles mesmos 'começaram' o falar em línguas. [...] O significado de 'eles começaram a falar em línguas' é simplesmente 'eles falaram em línguas'. [...] Os discípulos em Pentecostes falaram em línguas 'conforme o ESPÍRITO ia dando-lhes verbalização inspirada' [tradução do autor], não sob o próprio ímpeto deles. A expressão 'conforme' (kathos) pode ser traduzida como 'na medida em que' (Ver Mc 16.1 7; At 2.4; 10.46; 19.6; 1 Co 12.10,28,30; 13.8; 14.2,46,13,14,18, 19,22,23,26)" (PALMA, Anthony D. O Batismo no ESPÍRITO SANTO e Com Fogo. Os Fundamentos Bíblicos e a Atualidade da Doutrina Pentecostal. l.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, pp. 61-63).
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsidio Devocional
O Testemunho Pessoal de Donald Gee
"[.u] numa noite de quarta-feira, em março de 1913, toquei órgão no culto de meio de semana na igreja Congregacional (que terminava às 21h pontualmente), e depois corri para desfrutar do restante da reunião de Highbury New Park. Depois do término da reunião (aproximadamente às 22h e 30min), o irmão que vinha dirigindo o culto, um respeitável pastor irlandês, colocou-me à prova numa espécie de catecismo.
- Tem certeza da salvação?
-Sim.
- Já é batizado? - Sim.
- Já é batizado com o ESPÍRITO SANTO? - Não.
- E por que não?
Expliquei-lhe minha aversão a 'esperas' que pareciam uma eternidade. Ele incentivou-me dizendo que isso não era necessário. E, abrindo sua Bíblia, leu para mim Lucas 11.13, e depois Marcos 11.24. Então perguntou-me se eu acreditava nesses versículos. Garanti-lhe que sim e, no momento em que demonstrei-lhe minha fé, era como se DEUS jorrasse do Céu para o interior do meu coração uma certeza absoluta de que essas promessas estavam sendo realmente cumpridas em mim. [u.] Desde aquele instante, minha alegria e satisfação foram intensas, [...]. Experimentei uma nova plenitude acima das palavras, e descobri que tornava-me cada vez mais difícil adequar à minha voz todo o louvor existente em minha alma. Essa situação continuou durante duas semanas aproximadamente [...]. Um louvor crescente afluía agora em minha alma, também nas reuniões, até que comecei a falar em outras línguas publicamente. Cantava muito em línguas também quando a pequena congregação era levada pelo ESPÍRITO SANTO a esse fim durante nossos momentos de oração e adoração. Toda minha experiência cristã foi revolucionada. Eu não procurava mais aqui e ali por uma satisfação espiritual - eu a havia encontrado. Todo meu prazer estava na oração, no estudo da Bíblia e nos irmãos em CRISTO. Isso aconteceu apenas seis semanas antes do meu casamento, e um velho pastor batista, que veio para tentar questionar-me sobre minha recente bênção, teve de admitir que nunca havia conhecido um rapaz tão próximo de um acontecimento feliz, e ainda assim tão interessado nas coisas espirituais. Minha esposa, felizmente, sentia tudo da mesma forma que eu; e nós nos alegrávamos juntos" (GEE, Donald. Como Receber o Batismo no ESPÍRITO SANTO. Vivendo e testemunhando com poder. 1.ed. CPAD, 2001, pp.13-15).
 
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 3 - O QUE É O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 2º TRIMESTRE DE 2011
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"E eu, em verdade, vos batizo com __________________________, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais _____________________________ do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; ele vos batizará com o ESPÍRITO SANTO e com _______________________________" (Mt 3.11).
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
O _____________________ com o ESPÍRITO SANTO é uma experiência subseqüente à __________________________, concedida por DEUS aos seus servos, tornando-os aptos a cumprir a missão de ________________________ o Evangelho.
 
I. O QUE NÃO É O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
3- O que não é o batismo com o ESPÍRITO SANTO?
(    ) O batismo com o ESPÍRITO SANTO não é o revestimento de poder.
(    ) O batismo com o ESPÍRITO SANTO não é a regeneração espiritual do pecador.
(    ) O batismo no corpo de CRISTO não é o batismo com o ESPÍRITO SANTO.
(    ) O batismo com o ESPÍRITO SANTO não é uma experiência exclusiva dos dias apostólicos.
(    ) O batismo com o ESPÍRITO SANTO não é a salvação e a santificação.
 
4- O que ocorre na experiência do batismo com o ESPÍRITO SANTO, após a conversão?
(    ) O crente é revestido com o poder do alto para orar eficazmente e se destacar na igreja de JESUS CRISTO.
(    ) O crente é revestido com o poder do alto para testemunhar eficazmente de JESUS CRISTO, e assim ser salvo.
(    ) O crente é revestido com o poder do alto para testemunhar eficazmente de JESUS CRISTO.
 
5- Complete:
Todos os ________________________ em CRISTO têm o ESPÍRITO SANTO e o nosso corpo é o seu ______________________ (Jo 20.22; 1 Co 6.19). Nem todos os salvos são __________________________ com o ESPÍRITO SANTO no momento da ___________________________. Se você ainda não recebeu a promessa, o momento chegou.
 
6- Qual é a diferença entre batismo no corpo de CRISTO e o batismo com o ESPÍRITO SANTO, segundo 1 Coríntios 12.13 ("Pois todos nós fomos batizados em um ESPÍRITO, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um ESPÍRITO)"?
(    ) É a mesma coisa. Tanto faz falar batismo "no", ou "em", ou "pelo".
(    ) Paulo não faz aqui nenhuma referência ao batismo com o ESPÍRITO SANTO, nem ao batismo em águas.
(    ) "Nós somos batizados pelo ESPÍRITO em CRISTO - isso é regeneração, novo nascimento" (William Menzies) - Quem nos convenceu foi o ESPÍRITO SANTO.
(    ) "Nós somos batizados com o ESPÍRITO por CRISTO - essa é a capacitação para servir e ministrar!" (William Menzies). - Poder para pregar.
 
7- O batismo com o ESPÍRITO SANTO é uma experiência exclusiva dos dias apostólicos?
(    ) Sim. Somente nessa época era necessário.
(    ) Não encontramos nada nas Escrituras Sagradas que prove que o falar em línguas seja uma experiência restrita à Igreja Primitiva.
(    ) A Bíblia e a própria experiência demonstram a plena atualidade da promessa.
 
II. O QUE É O BATISMO COM O ESPÍRITO SANTO
8- Complete:
Se no Antigo Testamento a atuação do ESPÍRITO SANTO era _______________________________ e reservada a alguns, atualmente _________________________ os crentes podem e devem buscar o batismo com o ESPÍRITO SANTO e ao mesmo tempo pelo ESPÍRITO __________________________ noutras línguas, pois é uma promessa a todos os salvos em CRISTO JESUS (At 1.4; 2.38).
 
9- Qual a diferença entre línguas iniciais do batismo com o  ESPÍRITO SANTO e o dom de variedade de línguas?
(    ) No batismo com o ESPÍRITO SANTO, o crente, pelo mesmo ESPÍRITO, fala em línguas como sinal e evidência inicial da promessa recebida (Serve principalmente para oração edificante em línguas 1Co 14).
(    ) O dom de variedade de línguas é um milagre lingüístico sobrenatural e nem todos os crentes batizados com o ESPÍRITO SANTO recebem este dom.
(    ) O dom de variedade de línguas é um milagre lingüístico sobrenatural e todos os crentes batizados com o ESPÍRITO SANTO recebem este dom.
 
10- Complete:
Os dons são distribuídos segundo a ____________________________ e o propósito de DEUS. Não depende do querer do homem, mas da _______________________ divina (1 Co 12.11). Cabe a cada crente buscar com ______________________________ os melhores dons (1 Co 12.31). Você deseja receber os dons espirituais? Então, ore, creia e busque com __________________________________, pois o Senhor irá conceder-lhos.
 
11- Complete:
Havendo _________________________ (1 Co 14.5), as línguas cumprem a mesma função da ______________________ e ______________________ toda a congregação.
 
III. A EXPERIÊNCIA DE ATOS 2
12- O que é Glossolalia?
(    ) É o falar em línguas espirituais.
(    ) É o falar em línguas espirituais e estrangeiras
(    ) É a manifestação física do enchimento do ESPÍRITO SANTO.
(    ) Tal fenômeno não se restringe a Atos 2, pois o encontramos em diferentes passagens (1 Co 12.30; 14.5,6).
 
13- Por que no dia de Pentecostes, pessoas oriundas de várias nacionalidades, judeus e prosélitos, estavam reunidas em Jerusalém?
(    ) Para a celebração da festa sagrada da Páscoa.
(    ) Para a celebração da festa sagrada do Pentecostes.
(    ) Para a celebração da festa sagrada dos Tabernáculos.
 
14- Por que no momento em que o Senhor derramou o seu ESPÍRITO (v. 15), a área do Templo ficou repleta de pessoas de todas as nações?
(    ) As ínguas estranhas, como sinal, que os discípulos de JESUS falavam, chamou a atenção da multidão deixando-a perplexa com o fenômeno.
(    ) As ínguas espirituais, como sinal, que os discípulos de JESUS falavam, espantou e afugentou a multidão que visitava Jerusalém.
(    ) As ínguas estranhas, como sinal, que os discípulos de JESUS falavam, trouxe salvação à multidão que visitava Jerusalém.
 
15- O que é Xenolalia?
(    ) É o falar em línguas desconhecidas.
(    ) Segundo Stanley Horton, xenolalia "é o falar em línguas num idioma conhecido, estranho apenas a quem o fala".
(    ) No dia de Pentecostes, os crentes cheios do ESPÍRITO SANTO falaram num idioma desconhecido para eles, mas, como a cidade de Jerusalém estava repleta de estrangeiros, estes puderam tomar conhecimento da mensagem do Evangelho em sua própria língua.
(    ) O que vemos em Atos 2 foi uma concessão divina, a fim de que muitos pudessem crer em JESUS e receber a salvação.
(    ) Foi um sinal para os incrédulos.
(    ) Foi o batismo com o ESPÍRITO SANTO acompanhado, simultaneamente, de uma mensagem de salvação na língua de origem dos ouvintes.
 
16- O fenômeno da Xenolalia ainda repete-se?
(    ) Não. Segundo a soberania divina era para os tempos apostólicos, quando se fazia necessário.
(    ) Sim. a qualquer momento e para qualquer fim.
(    ) Sim. Segundo a soberania divina e em momentos em que ele faz-se necessário.
 
17- Para que serve o falar em línguas - tanto conhecidas como desconhecidas?
(    ) Quando provenientes do ESPÍRITO SANTO, edificam o crente, a igreja e servem como sinal para os crentes.
(    ) Quando, não sendo do ESPÍRITO SANTO, edificam o crente, a igreja e servem como sinal para os descrentes.
(    ) Quando provenientes do ESPÍRITO SANTO, edificam o crente, a igreja e servem como sinal para os descrentes.
 
18- Como é a atualidade das manifestações do falar em línguas? Complete:
(    ) É _________________________ na vida de milhares de servos de DEUS na experiência __________________________, durante a história da igreja e nos dias __atuais__, pois, como disse o apóstolo Pedro, a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos DEUS, nosso Senhor, ________________________" (At 2.39).
 
CONCLUSÃO
19- Complete:
O batismo com o ESPÍRITO SANTO não pode ser tratado somente como _____________________ ou possibilidade remota, mas como algo ____________________________ do Senhor para o seu povo. Precisa ser uma experiência _____________________ para o crente e para a igreja, pois é um dom divino para os salvos em JESUS. Que venhamos a orar e a buscar o revestimento de poder. Enchei-vos do ESPÍRITO.
 
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm   
 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm  
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.  
Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.
veja também - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao10-ldc-osdonsespirituais.htm 
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/atos.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao3-espiritosantotodosossalvosprecisamserbatizados.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao4-espiritosanto-odiadepentecostes.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao5-espiritosanto-quequeristodizer.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao6-espiritosanto-linguasestranhascomoevidenciabatismo.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao7-espiritosanto-diferencaentresinaledom.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao8-espiritosanto-comoreceberobatismo.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao11-espiritosanto-obat.comoespsantoeaobramissionaria.htm
BANCROFT, E. H. Teologia Elementar. São Paulo, IBR, 1975.
SILVA, S. P. da. Quem É DEUS. Rio de Janeiro, CPAD, 1991.
CEGALLA, D. P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1977.
RIGGS, R. M. O ESPÍRITO SANTO. São Paulo, Vida. 1981.
DUEWELL, W. L. Deixe DEUS Guiá-lo Diariamente. São Paulo, Candeia, 1993.
GEE, D. A Respeito do Dons Espirituais. São Paulo, Vida, 1977.
BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Edição contemporânea. São Paulo, Vida, 1994.
SILVA, S. P. da. Apocalipse Versículo por Versículo. Rio de Janeiro, CPAD, 1995.
McNAIR, S. E. A Bíblia Explicada. Rio de Janeiro, CPAD, 1994.
 CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado. Milenium, 1982.
SILVA, S. P. da. A Existência e a Pessoa do ESPÍRITO SANTO. Rio de Janeiro, CPAD
www.portalebd.org.br  (Pr. Caramurú)
 
 
Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos