Home
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
  
 
Lição 6, As Cortinas do Tabernáculo
2º Trimestre de 2019 - O Tabernáculo - Símbolos da Obra Redentora de CRISTO - Comentário: Pr Elienai Cabral
Complementos, Ilustrações e Vídeos: Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva - 99-99152-0454. - henriquelhas@hotmail.com
Para nos ajudar - conta Bradesco - 7074-2 agência 2365-5
 
Slides - https://ebdnatv.blogspot.com/2019/05/slides-licao-6-as-cortinas-do.html SLIDES
Vídeos para Ajudar - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao5-ass-3tr18-%20Santidade%20ao%20Senhor.html
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao7-jc-osacerdocioeternodecristo.htm
Vídeo desta Lição - https://www.youtube.com/watch?v=6TFx4MpD7h0
 
 
 
 
TEXTO ÁUREO
“Ora, tudo isso lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos.” (1 Co 10.11)
 
 

VERDADE PRÁTICA
Comparando as coisas simples do Tabernáculo com as celestiais, aprendemos as verdades que nos levam ao crescimento espiritual.
 
 

LEITURA DIÁRIA
Segunda – Êx 36.8,14 Na obra de DEUS, devemos fazer o melhor
Terça – Rm 15.4 Aprendendo com toda a Escritura
Quarta – Sl 32.1,2 A justificação do pecador
Quinta – Rm 4.6-8 Justiça mediante a fé
Sexta – Êx 38.9-13 Uma obra executada conforme o modelo divino
Sábado – Jo 1.14; 14.9,10 O visível transparecendo o espiritual

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Êxodo 26.1-14
1 - E o tabernáculo farás de dez cortinas de linho fino torcido, e pano azul, e púrpura, e carmesim; com querubins as farás de obra esmerada. 2 - O comprimento de uma cortina será de vinte e oito côvados, e a largura de uma cortina, de quatro côvados; todas estas cortinas serão de uma medida. 3 - Cinco cortinas se enlaçarão uma à outra; e as outras cinco cortinas se enlaçarão uma com a outra. 4 - E farás laçadas de pano azul na ponta de uma cortina, na extremidade, na juntura; assim também farás na ponta da extremidade da outra cortina, na segunda juntura. 5 - Cinquenta laçadas farás numa cortina e outras cinquenta laçadas farás na extremidade da cortina que está na segunda juntura; as laçadas estarão travadas uma com a outra. 6 - Farás também cinquenta colchetes de ouro e ajuntarás com estes colchetes as cortinas, uma com a outra, e será um tabernáculo. 7 - Farás também cortinas de pelos de cabras por tenda sobre o tabernáculo; de onze cortinas a farás.
8 - O comprimento de uma cortina será de trinta côvados, e a largura da mesma cortina, de quatro côvados; estas onze cortinas serão de uma medida. 9 - E ajuntarás cinco destas cortinas por si e as outras seis cortinas também por si: e dobrarás a sexta cortina diante da tenda. 10 - E farás cinquenta laçadas na borda de uma cortina, na extremidade, na juntura, e outras cinquenta laçadas na borda da outra cortina, na segunda juntura. 11 - Farás também cinquenta colchetes de cobre e meterás os colchetes nas laçadas; e, assim,ajuntarás a tenda para que seja uma. 12 - E o resto que sobejar das cortinas da tenda, a metade da cortina que sobejar, penderá sobre as costas do tabernáculo. 13 - E um côvado de um lado e outro côvado de outro, que sobejará no comprimento das cortinas da tenda, penderá de sobejo aos lados do tabernáculo de um e de outro lado, para cobri-lo. 14 - Farás também à tenda uma coberta de peles de carneiro tintas de vermelho e outra coberta de peles de texugo em cima.

OBJETIVO GERAL
Mostrar que as cores das cortinas do Tabernáculo aponta para a obra completa da salvação.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Classificar a coberta e as cortinas do Tabernáculo;
Descrever a simbologia das cortinas do Tabernáculo;
Expor o significado simbólico das cores das cortinas do Tabernáculo.
 
INTERAGINDO COM O PROFESSOR
Na lição passada estudamos a relação da Pia de Bronze com a vida de pureza e santidade do crente em tempos contemporâneos. Vimos também a importância dessa doutrina para o dia a dia da vida cristã.
Nesta lição, porém, estudaremos a relação das cortinas do Tabernáculo com as verdades espirituais. Nosso objetivo é extrair dessa comparação, lições que edifiquem a nossa vida cristã. Veremos que DEUS, ao longo da revelação das Escrituras Sagradas, sempre usou coisas simples para ensinar verdades espirituais. Foi assim no Antigo Testamento, bem como no Novo Testamento e, especialmente, no ministério de JESUS CRISTO. Suas parábolas são provas cabais desse tipo de ensinamento.

PONTO CENTRAL
As cores das cortinas do Tabernáculo apontam para a nossa salvação.
 
 
 
 
Resumo da Lição 6, As Cortinas do Tabernáculo
I – AS COBERTAS E AS CORTINAS DO TABERNÁCULO
1. A coberta exterior.
2. As cortinas internas.
II – O CORTINADO DO PÁTIO DO TABERNÁCULO
1. A simbologia descritiva das cortinas do Tabernáculo.
2. O significado de separação.
3. O significado de santidade.
III – AS CORES DAS CORTINAS DO TABERNÁCULO
1. O significado especial das cores.
2. A cor azul celeste (Êx 27.16).
3. A cor púrpura (Êx 27.16).
4. A cor escarlate (carmesim) (Êx 27.16).
5. A cor branca do linho torcido.
 
 
 
 
Resumo do Pr Henrique da Lição 6, As Cortinas do Tabernáculo
 
INTRODUÇÃO
Podemos aprender sempre com a Palavra de DEUS, sendo assim, aprenderemos muito ao estudarmos as cortinas do Tabernáculo, com suas cores, tecidos e seu simbolismo. O Tabernáculo nos ensina anos aproxiamarmos de DEUS em um culto reverente e santo.
Observação importante - Tenda da Congregação tando se refere a todo o Tabernáculo quanto se refere a apenas a parte coberta. E reúne toda a congregação à porta da tenda da congregação. Levítico 8:3 (Todo Tabernáculo)
No primeiro mês, no primeiro dia do mês, levantarás o tabernáculo da tenda da congregação, Êxodo 40:2 (Todo Tabernáculo)
E porás a pia entre a tenda da congregação e o altar, e nela porás água. Êxodo 40:7 (Parte Coberta)
pôs também a mesa na tenda da congregação, ao lado do tabernáculo, para o norte, fora do véu, Êxodo 40:22 (Parte Coberta)
Também Santuário às vezes se refere a todo o Tabernáculo (E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Êxodo 25:8)
e às vezes só à aparte coberta (Porém não entrarão a ver, quando cobrirem o santuário, para que não morram. Números 4:20).
 
CORTINA - (Strong Português) -  יריעה y ̂eriy Ìah - Yeriah
cortina, tecido
 
CORTINAS
Três palavras hebraicas têm sido assim traduzidas, a saber:
1.    Doq, «véu fino», palavra que figura somente em Isa. 40:22. Refere-se aos céus estrelados que DEUS estende como se fosse uma cortina. Provavelmente, há uma alusão à tela fina que muitos orientais estendiam sob os tetos de suas residências de verão.
2.    Yeriah, cortina,_ «véu». Essa palavra ocorre por cinqüenta e três vezes, como em Êxo. 26:1-13; 36:8-17; Núm. 4:25; II Sam. 7:2; I Crô. 17:1; Sal. 104:2; Isa. 54:2; Jer. 4:20; 49:29; Heb. 3:7. Essa palavra está ligada ao adjetivo «trêmulo». Aponta para as dez cortinas que cobriam o tabernáculo de Moisés (Êxo. 26:1-13; 36:8-17). Essa palavra veio a tornar-se sinônimo do próprio tabernáculo, por causa de suas muitas cortinas (II Sam. 7:2). Tal vocábulo também pode indicar as paredes laterais do tabernáculo.
3.    Masak, «véu», usada por vinte e cinco vezes, como em Êxo. 26:36,37; 35:15; Núm. 3:26. Essa palavra também servia para denotar o portão do átrio, que conduzia ao tabernáculo (Êxo. 27:16).
As cortinas do tabernáculo eram feitas de linho fino e de pêlos de cabra. Eram penduradas em sessenta colunas de madeira de acácia, sobre bases de cobre, cada coluna tinha cerca de 2,5 m de distância uma da outra. As cortinas dos lados norte e sul tinham 2,5 m de largura por 50 m de comprimento, feitas de linho fino. No lado ocidental, as cortinas tinham 2,5 m de largura por 25 m de comprimento. No lado oriental, que era o da entrada, havia duas cortinas curtas, de 2,5 m de largura por 7,5 m de comprimento, penduradas em três colunas.
As cortinas eram um item importante na vida nômade dos povos orientais, substituindo paredes e portas. Porém, mesmo nas residências de alvenaria ou de pedra, as cortinas eram um item importante.
 
CORTINAS - Dicionário Bíblico Wycliffe - CPAD
Dez cortinas cobriam o Tabernáculo de Moisés e se tornaram um sinônimo dele (q.v.). Suportes também eram usados para a porta e o portão da corte, ao redor do Tabernáculo (Êx 26.1-14,31-37; 27.9־ 18). Um véu ou cortina separava o SANTO dos Santos do Lugar SANTO.
Na morte de JESUS CRISTO, o véu foi rasgado de alto a baixo (Mt 27.51; Mc 15.38; Lc 23.45), então foi aberto o acesso ao interior do véu, ao santuário interior (cf. Hb 6.19). Esta era a simbologia do acesso direto a DEUS assegurado por CRISTO, uma vez que Ele abriu o caminho através do véu, isto é, através de sua carne (Hb 10.20).
 
 
I – AS COBERTAS E AS CORTINAS DO TABERNÁCULO
Tudo foi minuciosamente detalahado por DEUS a Moisés, tanto em visão, como ensinado para que fosse escrito e executado. Os artífices foram escolhidos por DEUS e capacitados pelo Mesmo. Os dois principais eram Bezalel e Aoliabe que era o mais entendido em tecidos. E com ele Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, um mestre de obra, e engenhoso artífice, e bordador em azul, e em púrpura e em carmesim e em linho fino. Êxodo 38:23
 
As cobertas e as cortinas do Tabernáculo estavam assim classificadas:

1. A coberta exterior.
A primeira coberta, que ficava em cima (esta que era vista de fora) era feita de peles de animais marinhos [texugos (marinhos) ou golfinhos]. O prédio em si, ou parte externa, não demonstrava beleza, riqueza  ou algo que chamasse a atenção. Tratava-se de um material para resistir as intempéries do deserto; era rústico. A estrutura na qual repousava a coberta era feita de madeira de acácia e revestida com ouro para sustentá-la (Êx 26.18-30), com bases de prata (Êx 36:30). Assim era o Tabernáculo. Existe ai um simbolismo entre o Tabernáculo e a humanidade do nosso Salvador, JESUS CRISTO, que se tabernacularizou [se fez carne e habitou entre nós (Jo 1.14)]. A profecia de Isaías capítulo 53, acerca da humanidade de JESUS é clara: “Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos” (53.2).
 
JESUS não se distinguia de todos os judeus a sua volta por causa de sua aprência física, mas pelo seu interior real, divino.
 
Características humanas.
JESUS não usou de suas prerrogatvas divinas como homem na Terra. Continuou sendo deus, mas não fêzsuas obras poelo seu prórpio poder, mas pelo poder do ESPÍRITO SANTO
JESUS SE FEZ HOMEM PARA NOS SALVAR. - PARA ISSO TINHA QUE SER SEMELHANTE A NÓS.
Lev 25.25 Quando teu irmão empobrecer e vender alguma parte da sua possessão, então virá o seu resgatador, seu parente, e resgatará o que vendeu seu irmão. Que, sendo em forma de DEUS, não teve por usurpação ser igual a DEUS, Filipenses 2:6 
Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; Filipenses 2:7
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Filipenses 2:8
JESUS ENTROU NO MUNDO DO MESMO JEITO QUE TODOS OS HOMENS - PELA PORTA DO NASCIMENTO FÍSICO - POR UMA MULHER
Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador. Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. João 10:1,2
NASCEU COMO HOMEM - MAS SEM PECADO - SEM A SEMENTE DE ADÃO
Ora, o nascimento de JESUS CRISTO foi assim: Que estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do ESPÍRITO SANTO. Mateus 1:18 
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Filipenses 2:8 
FOI MAIS UMA PROVA - PODER FAZER E NÃO FAZER. 
2. Nisto conheceis o ESPÍRITO de DEUS: todo espírito que confessa que JESUS CRISTO veio em carne é de DEUS; (1 João, 4) 
5. Porque há um só DEUS, e um só Mediador entre DEUS e os homens, CRISTO JESUS, homem, (1 Timóteo, 2)
 
A APARÊNCIA FÍSICA DE JESUS
Na profeta de Isaías: “Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura mais do que a dos outros filhos dos homens... como raiz duma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos” (Is 52.14; 53.2). Devemos ter em mente que essas passagens falam de seu sofrimento quando Ele encontrava-se desfigurado pela dor e sofrimento na cruz. De acordo com Salmos 45.2 — “Tu és mais formoso do que os filhos dos homens...” — e outras informações históricas, JESUS era formoso.
e partes de uma casa, de barcos, etc... Sua aparência mesmo foi escondida dos homens, por DEUS, para não haver idolatria a uma imagem ou escultura. Nos evangelhos, nenhum evangelista o descreveu em sua aparência humana, pois o que importava não era seu porte físico, mas seu porte espiritual.
Ninguém nunca falou como Ele (cf. Jo 7.46). Seu porte era impressionante. Ele tinha senso de humor, e era simpático, e bondoso. Além de seu coração amoroso JESUS era sentimental. Seus hábitos eram os de uma pessoa humilde e simples. Sempre que podia descansava em uma pequena popa duma barca. Parece que somente fazia uma refeição diária ou duas n o máximo devido à sua vida excessiva de trabalho e escassez de tempo. Nunca se atrasava. Sempre chegava na hora certa (Lc 8.45, 54, 55; Jo 11.6, 43,44).
Paulo indicou que JESUS não tinha cabelo comprido quando disse que para o homem ter cabelo comprido era desonroso. A própria natureza não vos ensina que é uma desonra para o homem usar cabelo comprido? 1 Coríntios 11:14
Com certeza JESUS usava barba e não eram arrendondos nas pontas nem seu cabelo e nem sua barba. Levítico 19:27 Não cortareis o cabelo em redondo, nem rapareis a barba pelos lados. Levítico 19:27
JESUS era um judeu normal como qualquer outro em sua aparência.
Para JESUS ser identificado pelos soldados Judas teve que beijá-lo. Lucas 22:48 JESUS perguntou-lhe: Judas, com um beijo trais o Filho do Homem! 
Para Zaquel identificar JESUS ELE teve que parar e falar com ele. JESUS ia passar e ele não saberia quem era ele. 
Lucas 19:5 Chegando JESUS àquele lugar e levantando os olhos, viu-o e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa, porque é preciso que eu fique hoje em tua casa.

2. As cortinas internas.
Por baixo da coberta exterior de pele de animal marinho, havia uma coberta de peles de carneiro tingidas de vermelho (v.14) - tinta encontrada em moluscos que boiavam nas águas vermelhas do Mar Vermelho, mais precisamente no Golfo de Ákaba (Mar Vermelho assim mesmo chamado por isso). Por debaixo das peles de carneiro, tinta de vermelho, havia outras cortinas feitas de pelos de cabras brancas, sem ser tingidas (26.7-13) - Não confundir com peles, eram pêlos. Por último, havia uma quarta cortina que podia ser vista somente do lado de dentro do Tabernáculo. Era uma cortina feita de linho branco e fino com bordados das figuras de querubins (26.1-6) - Esta cortina depois de pronta tinha cores púrpura (roxo ou violeta), escarlate (vermelho vívido) e azul. A visão dessa cortina lembrava o céu de glória (Jo 14.1-3).
Toda essa imagem nos aponta alguns símbolos importantíssimos:
1) a coberta tingida de vermelho aponta para CRISTO e seu sacrifício na cruz, pois o vermelho é o símbolo do sangue de CRISTO para a remissão do pecado; Fomos comprados pelo sangue de JESUS e seu sangue nos purifica dio todo pecado.
Fostes comprados por bom preço; não vos façais servos dos homens. 1 Coríntios 7:23
Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de JESUS CRISTO, seu Filho, nos purifica de todo o pecado. 1 João 1:7
2) as cortinas feitas de pêlos de cabras brancas, sem serem tingidas, revela uma ideia de pureza e justiça do nosso Salvador (2 Co 5.21; Fp 3.9) - A salvação em JESUS nos tornou puros, justificados, santos.
Observação - Não confundir peles de cabras com pêlos de cabras.
Como também azul, púrpura, carmesim, linho fino, pelos de cabras, Êxodo 35:6
E azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino, e pelos de cabras, Êxodo 25:4
Fez também cortinas de pelos de cabras para a tenda sobre o tabernáculo; fez onze cortinas. Êxodo 36:14
 
Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve. Salmos 51:7
Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de DEUS. 2 Coríntios 5:21
E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em CRISTO, a saber, a justiça que vem de DEUS pela fé; Filipenses 3:9
3) a última cortina revela a natureza dos seres angelicais que servem junto ao Trono de DEUS. Representa a intimidade com DEUS, a presença de DEUS. Os querubins são os seres mais próximos de DEUS. Estavam protegendo o jardim do Éden, também nas visões dos profetas e tanto nas paredes e teto do Tabernáculo, como no véu e na tampa da arca, o propiciatório com dois querubins.
E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida. Gênesis 3:24
E o tabernáculo farás de dez cortinas de linho fino torcido, e azul, púrpura, e carmesim; com querubins as farás de obra esmerada. Êxodo 26:1
Depois farás um véu de azul, e púrpura, e carmesim, e de linho fino torcido; com querubins de obra prima se fará. Êxodo 26:31
Os querubins estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. Êxodo 25:20
E, andando os querubins, andavam as rodas juntamente com eles; e, levantando os querubins as suas asas, para se elevarem de sobre a terra, também as rodas não se separavam deles. Ezequiel 10:16
O SENHOR reina; tremam os povos. Ele está assentado entre os querubins; comova-se a terra. Salmos 99:1
Ó Senhor dos Exércitos, DEUS de Israel, que habitas entre os querubins; tu mesmo, só tu és DEUS de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra. Isaías 37:16
 
Assim, o Tabernáculo tipificava a morada de DEUS e as características redentoras e salvíficas expressas na obra expiatória de JESUS CRISTO (Sl 32.1,2; Rm 4.6-8).
 
 
 

II – O CORTINADO DO PÁTIO DO TABERNÁCULO

1. A simbologia descritiva das cortinas do Tabernáculo.
Como entendemos que o Tabernáculo simboliza JESUS, ou seja, o Emanuel, DEUS conosco, podemos tranquilamente considerar as cortinas como tendo um simbolismo para nossa vida espiritual.
É evidente que os judeus nada disso entendiam, para eles era apenas uma Tenda onde DEUS se manifestava e exigia sacrifícios de seu povo para os proteger e conduzí-los a uma Terra que Ele mesmo prometera lavá-los a possuir. Era a casa de DEUS entre eles.
E me farão um santuário, e habitarei no meio deles. Êxodo 25:8
Disse pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar. Êxodo 33:14
Os Judeus, ou hebreus, não tinham a revelação de JESUS como o messias que haveria de vir, embora Moisés O tivesse mencionado - O Senhor teu DEUS te levantará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis; Deuteronômio 18:15. A trindade, por exemplo, era impossível de lhes explicar. Seria para eles idolatria e entenderiam como três deuses - Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o ESPÍRITO SANTO; e estes três são um. 1 João 5:7
Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança. Romanos 15:4
Por isso, a madeira, metais, tecidos e tintas especiais usadas no Pátio do Santuário remontam a uma tipologia singular com relação a pessoa e obra de JESUS, o Senhor e Redentor nosso.
 

2. O significado de separação.
(Veja tabela acima)
DEUS é santo e em sua casa só pode entrar santo. Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso DEUS. Levítico 20:7
 
Sabemos que ninguém poderia ser santo através de sacrifícios de animais - Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. Hebreus 10:4
 
 Então sabemos que nenhum judeu poderia entrar no Tabernáculo, pois todo o Tabernáculo era santo, era casa de DEUS.
Então a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do Senhor encheu o tabernáculo; De maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem permanecia sobre ela, e a glória do Senhor enchia o tabernáculo. Êxodo 40:34,35
 
1 SENHOR, quem habitará no teu tabernáculo? Quem morará no teu santo monte? 2 Aquele que anda sinceramente, e pratica a justiça, e fala a verdade no seu coração. 3 Aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem aceita nenhum opróbrio contra o seu próximo; 4 A cujos olhos o réprobo é desprezado; mas honra os que temem ao Senhor; aquele que jura com dano seu, e contudo não muda. 5 Aquele que não dá o seu dinheiro com usura, nem recebe peitas contra o inocente. Quem faz isto nunca será abalado. Salmos 15.
 
O Tabernáculo era o pátio contendo o Altar de Holocaustos, A Pia de Bronze e a parte coberta, ou santuário com suas mobílias do lugar SANTO e do SANTO dos Santos.
O cortinado branco de linho fino torcido que existia em volta do Tabernáculo, a cerca tinha por objetivo fazer a separação entre DEUS que é santo e os pecadores. Como o pecador não conseguia ser perdoado só por oferecer um sacrifício, então ele não poderia entrar no tabernáculo. Ele podia apenas oferecer o animal, mas quem levava seu sacrifício a DEUS era o sacerdote, o intercessor. Assim JESUS foi ao PAi por nós, havia uma barreira nos separando de DEUS - Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso DEUS; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. Isaías 59:2.
JESUS removeu a barreira. JESUS nos abriu o caminho através Dele mesmo. Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de JESUS, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, Hebreus 10:19,20
Porém, os judeus não podiam entrar, quem entrava por eles eram os sacerdotes.
 
 
 Assim, as cortinas faziam a separação entre o santo e o profano (Êx 38.9-13).
Nesse sentido, a imagem do cortinado de linho torcido simboliza a pureza de DEUS num mundo de impurezas. É o símbolo da santidade e pureza de JESUS, pois, como homem, nosso Senhor não teve mácula, conforme Ele mesmo indagou de seus opositores: “Quem dentre vós me convence de pecado?” (Jo 8.46).
 

3. O significado de santidade.
Santidade significa se separar para DEUS e combater o pecado que nos afasta de DEUS. Só pode haver intimidade com DEUS se o pecado for removido. JESUS já levou nossos pecados na cruz, porém, todo dia pecamos e precisamos então ouvir a Palavra de DEUS, nos arrependermos, tomarmos a decisão de não pecar mais, orarmos e combatermos o pecado.
Assim que, se alguém está em CRISTO, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. 2 Coríntios 5:17
Não sabeis vós que sois o templo de DEUS e que o ESPÍRITO de DEUS habita em vós? 1 Coríntios 3:16
Sujeitai-vos, pois, a DEUS, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Tiago 4:7
 
As cortinas da cerca do Pátio e do Tabernáculo, bem como tudo dentro dele, revelam santidade.
Devemos viver na contramão do mundo (1 Jo 2.15).
Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. 1 João 2:15,16
III – AS CORES DAS CORTINAS DO TABERNÁCULO
A COBERTURA DA TENDA (Êx 26)
Era constituída em quatro coberturas distintas como segue: A primeira coberta, que podia ser vista somente de dentro da tenda, era constituída de QUATRO CORES COM DESENHOS DE QUERUBINS. Muito bela ecombinava com as paredes revestidas de ouro. O interior da tenda era lindo! Assim também deve ser nosso interior, tenda do ESPÍRITO SANTO.Por cima desta estava a segunda cortina, que era feita de PELOS DE CABRA, também chamada de "a tenda sobre o tabernáculo" (Êx 26:14). A terceira cortina de baixo para cima era a de PELES DE CARNEIROS TINTAS DE VERMELHO. Por fim vinha a quarta cobertura, a de PELES DE TEXUGO (animal marinho). Medindo 2,5 Metros de altura, a cerca (de linho branco) impedia a quem estivesse de fora do átrio pudesse ver o que havia do lado de dentro do pátio. Era algo rústico e sem beleza ou atrativo algum. "Não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse, eradesprezado, e dele não fizemos caso" (Isaías 53:2-3)". https://pt.scribd.com/document/62740548/O-tabernaculo-e-sua-tipologia
 

1. O significado especial das cores.
As cores usadas na estrutura do Tabernáculo tinham um significado especial. Evidente que os israelitas não as compreendiam claramente, mas podemos perceber que assim como osmateriais mais nobres estavam perto da arca, assi também as cortinas mais nobres ficavam mais próxiams da arca, símbolo da presença de DEUS.
CORTINADO
Tecido - Linho - O Linho Branco fala-nos da pureza e santidade de JESUS, homem perfeito.
CORES
Nos dois reposteiros (cortinas) do átrio e da tenda, aparecem as mesmas cores: púrpura, carmesim, branco e azul. Todas essas cores apontam para JESUS e são descritas nos quatro evangelhos.
Púrpura
Cor da realeza. O evangelho de Mateus cita JESUS como o "Filho de Davi", enfatizando que JESUS é o nosso Rei.Todo soberano deve provar sua descendência real, e isto é feito em sua genealogia.
Carmesim
Cor de sangue e aponta para JESUS como "servo sofredor". Marcos destaca esta condição em seu evangelho.Aqui não há genealogia, o destaque é para o "servo".
Branco
Lembra a pureza e a santidade de CRISTO, salientado por Lucas. Este é o evangelho do Filho do Homem. JESUS é mostrado como o "homem perfeito", e seu caráter justo. Apresenta a genealogia do homem ilustre e nobre.
Azul
Aponta para o Céu, de onde veio e para onde retornou o Senhor JESUS CRISTO. Tipifica sua "divindade" e está presente no livro de João. A genealogia não é apresentada, pois DEUS não tem ascendência. Ele existe para sempre.
 
 
 
Cores das portas de acesso do Tabernáculo, tanto da parte descoberta, quanto da coberta - (1) azul; (2) púrpura; (3) carmesim; (4) branco.
Para nós cada cor tem a ver com nossa salvação em CRISTO JESUS.
A PORTA
Todas as vezes que era armado, sua única porta (10m x 2,5m) ficava para o nascente. As 12 tribos faziamacampamento ao redor do Tabernáculo, formando grupos de 03 tribos à frente, 03 do lado direito, 03 do ladoesquerdo e 03 na retaguarda. O Tabernáculo ficava sempre no meio do acampamento, indicando que Deusdeseja estar no centro do nossas vidas.
"Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”.
- João 14:6.
"Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, trazendo curasnas suas asas; e vós saireis e saltareis como bezerros da estrebaria."
- Ml 4:2.Uma cortina muito bonita, também chamado de "reposteiro" nas cores púrpura, carmesim, estofo azul e fundo branco, davam as boas vindas para os judeus ao adentrarem no átrio. Estas cores falam da santidade, realeza,servidão e divindade de JESUS CRISTO. JESUS CRISTO é a única porta para se chegar a DEUS.Disse JESUS em João 10:9:
"Eu sou a porta; se alguém entrar a casa; o filho fica entrará e sairá, e achará pastagens."
Outras referências: Ex. 27:9-19, 38:9-20, Hb 10:19-22, Ef. 2:11-13, Sl. 65-4, 96:8, Lv. 9:1-6, 6:9
 
Vejamos:
 
 
 
 
Falando sobre os véus da entrada do pátio e da entrada do Lugar Santo
 
2. A cor azul celeste (Êx 27.16). É uma cor que remete ao céu e indica a origem celestial de Cristo e sua divindade. Nosso Senhor era verdadeiramente homem e verdadeiramente Deus. Ele veio do céu, mas fez-se homem na Terra (Jo 1.14). Depois da sua ressurreição e vitória contra a morte, Ele foi recebido no céu, reavendo aquela mesma glória de antes que o mundo existisse (Jo 17.5 cf. Fp 2.5-11; Ef 1.20-23). Por intermédio do Espírito Santo, nosso Senhor edifica e zela pela sua Igreja, a Noiva em que um dia brevemente buscará (Hb 12.24; Jo 17.9,20; Rm 8.34; 1 Ts 4.16,17).
3. A cor púrpura (Êx 27.16). A púrpura era um tecido roxo obtido de moluscos que estão no fundo dos mares. É uma cor que remete à ideia de realeza e que aponta para o futuro. Em relação a Cristo, a cor é uma figura da realeza e divindade de Jesus (Ef 1.20,21), bem como a sua manifestação triunfal para implantar o Reino Milenial (Sl 110; Is 9.6; Lc 1.32). O nosso Deus jamais perdeu o controle da história!
4. A cor escarlate (carmesim) (Êx 27.16). O carmezim é uma cor de sangue, vermelho vivo. Se, por um lado, a cor projeta o vitupério do Calvário e o triunfo da obra salvífica de Cristo, por outro, ela aponta para a glória vindoura do reinado do “Rei dos reis e Senhor dos senhores” (Zc 14.9; 1 Tm 6.14,15; Ap 19.11-16). Nosso Senhor sofreu, foi ferido e derramou seu sangue remidor como nos revela Apocalipse 19.13: “E estava vestido de uma veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus”.
5. A cor branca do linho torcido. Em ponto anterior, tratamos dessa cor para falar da santidade de Cristo. Num sentido especial, o linho torcido é o tecido rústico e batido que lembra a humanidade de Jesus e seu sofrimento em nosso lugar. Lembra também o fato de que a morte de Cristo tornou-se o fundamento da justiça em nosso favor (1 Pe 1.18,19; Ap 1.5).
 
 
 
A COBERTURA DO TABERNÁCULO- Êxodo 26:1-3

1. A 1ª. Cobertura 
era feita de LINHO BRANCO, entrelaçado e bordado com fios de AZUL, PÚRPURA e ESCARLATA com bordados de desenhos dos querubins.
Os querubins só eram vistos nesta cortina e nas da entrada do SANTO LUGAR e no SANTÍSSIMO LUGAR ou SANTO DOS SANTOS (também na tampa da arca - o propiciatório). Os querubins estão sempre associados à santidade de DEUS. Eles foram colocados na entrada do Éden, quando Adão pecou, para guardarem o caminho que levava à árvore da vida (Gn.3:24). Os sacerdotes que ministravam no SANTO lugar, viam em toda a sua volta os querubins, levando-os à humilhação e quebrantamento. O temor de DEUS estava neles o tempo todo e o medo de morrer também . Uma campainha de ouro, e uma romã, outra campainha de ouro, e outra romã, haverá nas bordas do manto ao redor, E estará sobre Arão quando ministrar, para que se ouça o seu sonido, quando entrar no santuário diante do Senhor, e quando sair, para que não morra. Êxodo 28:34,35.
2. A 2ª. Cobertura era colocada sobre a primeira e era maior atrás do que aquela. Era feita de pelos de cabras (Branco). Eram duas grandes metades entrelaçadas. Levíticos 16: fala da ordem dada por DEUS para separar 2 bodes: um para o sacrifício e outro para ser enviado ao deserto. O primeiro sacrificado, o da expiação, tinha o seu sangue derramado “…sem derramamento de sangue não há remissão.” Heb.9:22; o segundo bode, o emissário - Levítico 16:10, era enviado ao deserto, para longe da presença de DEUS, longe do santuário. Este ato revelava que DEUS iria providenciar que os pecados seriam afastados para sempre: “…quanto dista o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões.” (Sal. 103:12), o primeiro representava a CRISTO: o segundo, o que sucederá ao causador do pecado, este enviado ao deserto “lugar não habitado”. Branco fala de Justiça, Paz e Alegria no ESPÍRITO SANTO -  Porque o reino de DEUS não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no ESPÍRITO SANTO. Romanos 14:17. Não confundir pêlos de cabra com peles de cabra.
3. A 3ª Cobertura era feita de peles de carneiro, tingidas de vermelho. Era a primeira das duas últimas que seriam resistentes às intempéries. Ë interessante notar que nenhuma medida foi dada para esta cobertura. Esta cobertura revela a obediência e a consagração. É sem medida o preço pago por JESUS por nós. Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de CRISTO, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, 1 Pedro 1:18,19
As peles não eram vermelhas, originalmente. Assim também JESUS precisou anular-se ao tornar-se homem e aprender a obediência e consagra-se, sem o que nada valeria o seu sacrifício - Fil.2:8-11.
É interessante que, a medida que se afasta da primeira cobertura e do SANTO dos Santos, menor era a preciosidade dos materiais utilizados nas demais coberturas. Se nos afastamos da cobertura que DEUS nos deu, ficamos mais expostos às forças rudes deste mundo.
4. A 4ª. Cobertura era feita de peles de Texugo que encontrava-se às margens do Mar Vermelho. A coberta final de peles não tinha uma aparência agradável. Quem passava ao longe via uma tenda não muito atrativa. Mas ali era o ponto central da adoração a Yaweh. Semelhantemente como é no Reino de DEUS, quanto mais aprofundamos, buscando as coisas de DEUS, mais beleza e esplendor nós encontramos. Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da purificação dos seus pecados de outrora.´ (IIPed.1:9). Não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que o desejássemos. (Is.53:2). A beleza do crente está em seu interior - Não sabeis vós que sois o templo de DEUS e que o ESPÍRITO de DEUS habita em vós? 1 Coríntios 3:16
 
CONCLUSÃO
O autor da Epístola aos Hebreus exorta-nos a chegar com confiança ao trono da graça, pois assim alcançaríamos misericórdia e acharíamos graça para, num tempo oportuno, sermos auxiliados (4.16). JESUS, o Sumo Sacerdote perfeito, deu-nos esse privilégio para desfrutarmos da presença santa de DEUS mediante a fé. Não tenhamos receio de adentrar a presença santa do Pai!
IMPORTANTE - SOMENTE OS SACERDOTES PODIAM ENTRAR NO TABERNÁCULO, OS DEMAIS LEVITAS OS AUXILIAVAM. SOMENTE OS REMIDOS PELO SANGUE DE JESUS TÊM ACESSO AO PAI.
SOMOS SACERDOTES DO DEUS ALTÍSSIMO POR MEIO DE JESUS CRISTO. SOMOS SACERDOTES DE UMA NOVA ORDEM SACERDOTAL, A DE JESUS, NÃO DA DE ARÃO. (SE PREFERIR - DE MELQUISEDEQUE).
E nos fez reis e sacerdotes para DEUS e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém. Apocalipse 1:6
Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque. Hebreus 7:17
Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno. Hebreus 4:16
 

 
Comentários extras
 
O Tabernáculo. 26:1-37. Comentario Biblico Moody
1-6. As Cortinas Ornamentais que Formavam o Tabernáculo Propriamente Dito. Eram dez cortinas, cada uma com 12,80 ms de comprimento por 1,83 ms de largura. Quando reunidas, formavam uma só grande cortina de 18,29 ms por 11,80 ms. As cortinas eram tapeçarias lindamente tecidas em linho branco e fazenda azul, roxa e vermelha. com figuras de querubins tecidas ou bordadas nelas. Armadas sobre a estrutura de madeira (vs. 15-30), as cortinas formavam o Tabernáculo propriamente dito. A não ser que entendamos que este lindo trabalho, ficasse completamente escondido, devemos supor que as tábuas da estrutura formavam quadrados vazios e não uma cerca sólida (Kennedy, "Tabernacle", HDB), ou então que as cortinas ficavam do lado de dentro da estrutura (James Strong, The Tabernacle). Strong crê que elas não eram usadas como uma tenda, mas que pendiam como cortinas do lado de dentro da estrutura.
Obra de artista (v. 1). Trabalho de desenhista ou projetista. As cortinas (vs. 3-6) eram reunidas em dois conjuntos de três cada, por meio de alças de fazenda azul com colchetes de ouro. Os dois conjuntos eram, então, reunidos da mesma maneira, formando assim uma grande cortina. Considerando que a estrutura do Tabernáculo era de 13,72 ms x 4,57 ms x 4,57 ms, as cortinas de 18,29 ms deviam pender até o chão na parte de trás (entendendo-se que a frente ficava descoberta), e os 12,80 ms de largura alcançariam até quase 47 cms do chão.
7-14. As Cortinas Externas. A tenda sobre a habitação era feita de pelo de cabra, como as tendas dos beduínos ainda são feitas hoje, e provavelmente como as dos israelitas eram feitas naquele tempo. Enquanto as cortinas de linho formavam um findo interior, o pelo das cabras formavam uma cobertura resistente do lado de fora. Esta coberta era feita de onze cortinas, cada uma com 13,72 ms x 1,83 ms, reunidas por colchetes de bronze (vs. 10,11), do mesmo modo como as cortinas de linho; isto formava uma grande coberta de 20,12 ms x 13,72 ms. Uma vez que as cortinas de pelo de cabra eram 91 cms mais largas do que as de linho, estas últimas deviam ficar completamente ocultas dos lados (v.13). Eram 1,83 ms mais compridas que a tapeçaria, e este excedente era usado para fazer uma dobra (v. 9) que pendia sobre a abertura, como uma espécie de dossel para proteger a cortina da entrada. O restante do excesso provavelmente pendia no lado de trás. Qualquer folga desta cobertura seria aproveitada, como nas demais tendas, pelas cordas e estacas que a mantinham firme e estendida. Alguns acham que devia haver um pau de cumeeira que formava uma espécie de telhado, mas não podemos determiná-lo pela leitura do texto. Mais duas cobertas externas de couro (v. 14; cons. 25: 5) vinham por cima do pelo de cabra e protegiam do mau tempo.
15-30. A Estrutura de Madeira. Uma estrutura feita de tábuas de acácia cobertas de ouro, cada tábua tendo 4,57 ms de comprimento e 69cms de largura. Kennedy defende que esta estrutura era aberta e não fechada ("Tabernacle", HDB). Não sabemos a espessura das tábuas, mas Josefo diz que era de 7,62 cms (Antiq. III 6.3), o que tornaria a cerca muito sólida e excessivamente pesada, em lugar da estrutura resistente exigida. Também, como já mencionamos acima, se não imaginarmos a tapeçaria como um cortinado, a beleza ficaria completamente escondida por uma estrutura sólida. As Escrituras não nos fornecem detalhes suficientes para termos uma idéia de como era a estrutura exatamente. Cada tábua tinha duas saliências (lit., mãos) projetadas para baixo (v.17) que se encaixavam em concavidades nas bases de prata (v. 19). As bases de prata pesavam um talento (43,18 kgs) cada uma, peso suficiente para manter a firmeza da estrutura (38:27). A estrutura formava os lados e o fundo do Tabernáculo. Vinte tábuas formavam cada lado, 13,72 ms de comprimento, e seis tábuas formavam os lados. Nos dois cantos onde os lados se encontravam com os fundos, duas tábuas extras foram acrescentadas para bem da firmeza. Embora a maneira exata da formação dos cantos seja obscura (v. 24), sabemos que as tábuas extras serviam para de alguma forma reforçar a estrutura. Para maior firmeza, cinco travessas passavam horizontalmente ao longo de cada lado e dos fundos, encaixando-se em argolas de ouro nas tábuas. A travessa do meio ia de ponta à ponta (v. 28); as outras presumivelmente eram mais curtas, cada uma talvez a metade da central.
Tábuas (v. 15). Armação vertical (RSV ). Dois encaixes, travados um com o outro (v. 17). Dois pinos presos à base (Moffatt). Cada uma dessas duas armações formando um suporte duplo e estando presas à argola de cima (v. 24; Moffatt).
31-35. O Véu do SANTO dos Santos. A "Habitação" era dividida em duas seções chamadas de "o SANTO Lugar" e "o SANTO dos Santos" ou "Lugar Santíssimo". O véu era feito da mesma tapeçaria ricamente tecida das cortinas internas. Pendia de ganchos de ouro presos a quatro colunas de madeira dourada, as quais estavam fixas em soquetes de prata, tal como as tábuas da estrutura. Colchetes (v. 33). Ganchos ou fechos.
36,37. O Véu da Entrada. A entrada estava coberta por um véu de acabamento menos elaborado do que o do SANTO dos Santos, que pendia, como os outros, sobre colunas fixas (5) em soquetes de bronze.
 
 
CORTINAS - Comentário do Velho Testamento de Adam Clarke
As dez cortinas do tabernáculo, e de que composto, 1.Seu comprimento, 2,3; seus laços, 4,5; seus colchetes, 6. As cortinas de pêlos de cabras para uma cobertura, 7; seu comprimento e largura, 8. Juntamente com laços, 9,10, e colchetes, 11. O resto das cortinas, como para ser empregado, 12,13. A cobertura de peles de carneiro, 14. As tábuas do tabernáculo, para o lado sul, 15, o seu comprimento, 16, encaixes, 17, número, 18, ​​soquetes, 19. Quadros,  20,21. Quadros, de 22, para os cantos, 23; seus anéis e tomadas. 24,25 Os barras do tabernáculo, 26-30. O véu, seus pilares, ganchos e colchetes, 31-33. Como colocar o propiciatório, 34 A mesa e o candelabro, 35. A Cortina da porta da tenda, 36 e as cortinas para os pilares, 37.
Notas sobre o Capítulo 26
Versículo 1 . Farás o tabernáculo 
משכן mischan, de שכן Shachan, para habitar, significa simplesmente um lugar de habitação ou habitação de qualquer tipo, mas aqui isso significa que a morada de DEUS, que, como um rei em seu acampamento, teve sua residência ou pavilhão entre o seu povo, a sua mesa sempre farta, as suas lâmpadas acesas, e os sacerdotes, seus atendentes, sempre em espera. A partir da descrição minuciosa e rigorosa dada aqui, um bom estudante pode fazer uma perfeito comparação entre o antigo tabernáculo e o novo, ele mesmo, o crente. Era um edifício móvel, e construído de tal forma que podia ser facilmente levado em pedaços, para a maior comodidade de transporte, como muitas vezes eles foram obrigados a transportá-lo de um lugar para outro, nas suas diversas jornadas. .
Querubins 
Veja Êxodo 25:18.
Obra esmerada 
חשב chosheb provavelmente significa uma espécie de tecido, em que as figuras parecem igualmente perfeitas em ambos os lados, o que foi provavelmente formado no tear. Outro tipo de trabalho curioso é mencionado, Êxodo 26:36, רקם Rokem, o que chamamos de agulha de trabalho, o que foi provavelmente semelhante ao nosso bordado, tapeçaria, ou pano de arras. Paraecia improvável que essas obras curiosas fossem todas fabricadas no deserto: feitas no tear, porém, é fcilemnte compreendido pelo fato de terem os teares sido trago por eles do Egito, o que poderia ser feito à mão, sem o uso de máquinas complexas. As as mulheres israelitas podiam prontamente realizar com suas agulhas, durante a sua estadia no deserto toda esta obra. É provável sim que elas trouxeram até seus teares com elas. Assim esta arte ornamental teria uma considerável perfeição, tanto para os israelitas quanto para os egípcios.
As cortinas internas do tabernáculo foram dez em número, e cada uma tinha de comprimento, vinte e oito côvados, e quatro de largura, cerca de 12,6 m por 1,8 m de largura. As cortinas eram para ser acopladas em conjunto, cinco e cinco de um lado, por cinqüenta laçadas, Êxodo 26:5, e como muitos fechos dourados, Êxodo 26:6, cada uma podendo parecer uma cortina, e com o todo fazer uma cobertura.
Versículo 7 . Cortinas de pêlos de  cabra  - material feito de cabelo de cabra . Veja em Êxodo 25:4. Esta foi a segunda cobertura. Brancos então.
Versículo 14 . peles de carneiro tingidas de vermelho
Veja em Êxodo 25:5. Esta foi a terceira coberta, e que é chamado de peles de texugos, foi o quarto. Veja em Êxodo 25:5. Por que deveria ter havido quatro coberturas não aparece. Eles poderiam ter sido concebidas em parte por respeito, e em parte para afastar a poeira, a sujeira e a areia extremamente fina que naquele deserto sobe em cada brisa, e em parte para afastar o intenso calor do sol, o que poderia estragar a beleza dos postes, barras, placas, e todo o trabalho de madeira. Também chuvas existiam, embora raríssimas.
O versículo 15 . Farás placas 
Estes formaram o que poderia ser chamado de as paredes do tabernáculo, e eram feitas de madeira de acácia, a acácia nilótica, que o Dr. Shaw diz que crescia ali em abundância. Para trabalharem a acácia para estas placas ou pranchas, os israelitas devem ter possuído serradores, marceneiros e ferramentas tragas do Egito, afinal os israelitas eram os operários gerais do Egito, e foram usados para todo o tipo de serviço dos seus opressores. Naturalmente, podemos supor que cada artífice trouxe com ele algumas de suas ferramentas. Provavelmente não carregavam armas defensivas, mas utensílios, que eram necessárias para os seus respectivos negócios, sim.
Êx 26 Versículo 16 . dez côvados será o comprimento de uma tábua 
O comprimento de uma tábua será de dez côvados, e a largura de cada tábua será de um côvado e meio. Êxodo 26:16 - 4,5 metros de comprimento por 0,675 m de largura.
Versículo 31 . Farás um véu. 
פרכת parocheth, de פרך parach, nunca quebrar ou rasgar, o véu interior do tabernáculo ou templo, 3:14), dividia o lugar santo e o santíssimo. Com isso o ESPÍRITO SANTO, queria dizer que o caminho para o SANTO dos Santos ainda não estava aberto, enquanto a primeira tenda ou tabernáculo estivesse de pé. Compare com Hebreus 9:8. Dando nisto a entender o ESPÍRITO SANTO que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo, Hebreus 9:8 O segundo Tabernáculo é o próprio CRISTO.
A Septuaginta identifica-o por καταπετασμα. Não é o nome hebraico פרכת parocheth que remonta ao véu para o corpo ou a carne de CRISTO. Por isso καταπετασμα ou véu era a sua carne, 10:20), que, sendo rasgada, nos proporciona um novo e vivo caminho para o SANTO dos Santos, ou seja, entrarmos no céu pelo rasgar do corpo de JESUS - Véu aqui significa corpo. Compare Hebreus 10:19,20; - Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de JESUS, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, Hebreus 10:19,20
 9:24. Porque CRISTO não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de DEUS; Hebreus 9:24 (το καταπετασμα του ἱερου) εσχισθη, foi fendido em dois, de alto a baixo; Mateus 27:51. - E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras; Mateus 27:51
O véu no tabernáculo era extremamente caro, que foi feito com os mesmos materiais com o revestimento interno, azul, púrpura, carmesim, linho fino torcido, bordado com querubins, serviu para dividir o tabernáculo em duas partes: uma, a mais externa, chamada o lugar santo, o outro, ou mais profundo, chamado de SANTO dos Santos, ou o lugar mais santo. Neste foi depositada a arca da aliança contendo as Tábuas da Lei, o vaso com o Maná e a vara de Arão que floresceu. Dentro dessa parte só o sumo sacerdote podia entrar, e só um dia no ano, no grande dia da expiação. Foi nesse lugar interior que o Senhor se manifestou entre os querubins.      
Versículo 32 . seus colchetes serão de ouro
וויהם vaveyhem, que traduzimos seus ganchos, é processado κεφαλιδες, capiteis, pela Septuaginta, e percapita pela Vulgata. Como a palavra וו vav ou vau, plural ווים vavim, ocorrem somente neste livro, Êxodo 26:32,37;   27:10,11, 17;36:36,38;   38:10-12,17, 19, 28, e é utilizada nestes locais em referência ao mesmo sujeito, é muito difícil determinar o seu significado preciso. A maioria dos comentaristas e lexicógrafos pensam que o significado da palavra ideal é ligar, unir, juntar-se a, gancho , e que a letra ו vau tem o nome de seu gancho como  forma, e seu uso como uma partícula, na língua hebraica, porque serve para ligar as palavras e os membros de uma frase, e as sentenças de um discurso juntos , e que, portanto, gancho deve ser o sentido óbvio da palavra.
No geral, parece muito mais razoável para traduzir o original por capiteis que por ganchos.
Após este versículo do Pentateuco Samaritano apresenta os dez primeiros versículos do cap 30, e este parece ser o seu lugar. Aqueles dez versos não se repitam no capítulo trigésimo do Samaritano, o capítulo começa com o versículo 11.
Versículo 36 . Uma cortina da porta da tenda 
Isto pode ser chamado de primeiro véu, pois ocupava a porta ou a entrada do tabernáculo, o véu que separava o lugar santo do santo dos santos é chamado o segundo véu, Hebreus 9:3. Estes dois véus e revestimento interno do tabernáculo eram todos do mesmo material e da mesma obra. Ver Êxodo 27:16.
O leitor está impressionado com a natureza curiosa e cara deste edifício, como descrito por Moisés, que ele considera como puro e santo que Igreja deve ser de que era um tipo muito expressivo, e que tipo de pessoa ele deve ser em santidade e piedade, que professa ser um membro dessa Igreja para a qual, está escrito: CRISTO se entregou, para a santificar, purificando ele, para que ele possa apresentá-la a si mesmo uma Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas que deve ser santa e sem defeito. Ver Efésios 5:25-27.
No tabernáculo judeu quase tudo foi colocado para fora de vista das pessoas. O SANTO dos Santos era inacessível, o depoimento foi relativamente escondido, como também o propiciatório e a glória divina. De acordo com o Evangelho de todas estas coisas for aberto, o caminho para o mais sagrado se manifesta, o véu é renda, e nós temos uma entrada para o santuário, pelo sangue de JESUS, por um novo e vivo caminho, que ele nos consagrou, através do véu, isto é, pela sua carne, Hebreus 10:19,20. DEUS trouxe vida e imortalidade à luz pelo Evangelho! A terrível distância é abolida, o ministério da reconciliação é proclamado, o reino dos céus é aberto a todos os crentes, e o Senhor está no seu santo templo. Pecador, cansado de ti mesmo e tuas transgressões, desmaiando sob o peso das tuas iniqüidades, olhe para JESUS, ele morreu por ti, e te salvar. Crente, firmes na liberdade com que DEUS te fez livre, e não seja preso novamente no jugo de escravidão.
 
 
Êxodo 26. 31-37 - Com. Bíblico - Matthew Henry (Exaustivo) AT e NT
Aqui há a instrução para a confecção de dois véus: 1. Uma, para a separação entre o Santuário e o Lugar Santíssimo, onde não somente não se podia entrar, mas era proibido até mesmo olhar, vv. 31,33. Sob esta dispensação, a graça divina ficava oculta, mas agora nós a contemplamos com a cara descoberta, 2 Coríntios 3.18. O apóstolo nos diz (Hb 9.8,9) qual era o significado deste véu; é sugerido que a lei cerimonial não podia tornar perfeitos os visitantes, nem a obediência a ela podia levar os homens ao céu. O caminho do Santuário não estava descoberto, enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo. A vida e a imortalidade ficaram ocultas até que fossem trazidas à luz pelo Evangelho, o que, portanto, foi representado pelo rasgar deste véu, na morte de CRISTO, Mateus 27.51. Não teríamos a coragem de entrar no SANTO dos Santos nem mesmo para praticar todos os atos de devoção, a não ser pelo sangue de JESUS. E isto nos obriga a uma santa reverência e a uma humilde percepção da distância a que estamos das coisas sagradas. 2. Outro véu se destinava à porta externa do tabernáculo, vv. 36,37. Passando por este primeiro véu, os sacerdotes entravam todos os dias para ministrar no santuário, mas não o povo, Hebreus 9.6. Este véu, que era toda a defesa que o tabernáculo tinha contra ladrões e salteadores, poderia ser facilmente transposto pois não era trancado nem bloqueado, e a abundância de riquezas no tabernáculo, poderíamos pensar, poderia ser uma tentação. Mas ao deixá-lo assim exposto: (1) Os sacerdotes e levitas eram ainda mais obrigados a manter uma rígida vigilância ao tabernáculo, e: (2) DEUS mostraria os seus cuidados para com a sua igreja na terra, que parecia fraca e indefesa, e continua.
 
 
SUBSÍDIOS DA REVISTA DA CPÁD - LIÇÃO 6 - 2 TRIMESTRE DE 2019
 
PARA REFLETIR - A respeito de “As Cortinas do Tabernáculo”, responda:
De que era feita a coberta exterior? A coberta era feita de peles de animais marinhos (texugos ou golfinhos). Tratava-se de um material para resistir as intempéries do deserto; era rústico.
Cite alguns símbolos importantes que as cortinas internas nos apresentam. 1) a coberta tingida de vermelho aponta para CRISTO e seu sacrifício na cruz, pois o vermelho é o símbolo do sangue de CRISTO para a remissão do pecado; 2) as cortinas feitas de peles de cabras brancas sem serem tingidas revela uma ideia de pureza e justiça do nosso Salvador (2 Co 5.21; Fp 3.9); 3) a última cortina revela a natureza dos seres angelicais que servem junto ao Trono de DEUS.
A que remontam a madeira, metais, tecidos e tintas especiais usadas no Pátio do Santuário? A madeira, metais, tecidos e tintas especiais usadas no Pátio do Santuário remontam a uma tipologia singular com relação à pessoa e obra de JESUS, o Senhor e Redentor nosso.
O que é santidade e como podemos obtê-la? Santidade é a separação absoluta do pecado e dedicação exclusiva a DEUS. Assim, Ter a consciência da santidade bíblica significa ter a disposição para viver na contramão do mundo (1 Jo 2.15).
Cite ao menos duas cores das cortinas do Tabernáculo e seus respectivos significados. A cor azul celeste remete ao céu e indica a origem celestial de CRISTO e sua divindade. E a cor púrpura remete à ideia de realeza e que aponta para o futuro.
 
 
SÍNTESE DO TÓPICO I - A coberta e as cortinas do Tabernáculo estavam classificadas em “coberta exterior” e “cortinas internas”.
O Tabernáculo tipificava a morada de DEUS e as características redentoras e salvíficas expressas na obra expiatória de JESUS CRISTO
Para adentrar ao Pátio, o pecador deveria levar a sua oferta pelo pecado. Assim, as cortinas faziam a separação entre o santo e o profano.
SÍNTESE DO TÓPICO II - A simbologia das cortinas do pátio traz o ensino bíblico da separação entre o santo e o profano.
Em relação a CRISTO, a cor é uma figura da realeza e divindade de JESUS (Ef 1.20,21), bem como a sua manifestação triunfal para implantar o Reino Milenial.
SÍNTESE DO TÓPICO III - As múltiplas cores das cortinas do Tabernáculo apontam para a obra completa da salvação.
Para nós, os discípulos de CRISTO, essas cores apontavam para a obra de CRISTO que envolve a remissão do passado, do presente e do futuro. É a obra completa da salvação.
 
 
SUBSÍDIO DIDÁTICO - PEDAGÓGICO TOP1
Ao introduzir o assunto acerca da coberta e das cortinas, reproduza a imagem abaixo. Enfatize aos alunos o cortinado do pátio, a coberta exterior sobre o santuário e as cortinas internas. Essa imagem reforçará a ideia sobre a estética do santuário divino.
Todo o cortinado do Tabernáculo era colorido. As cores sempre tiveram uma significação especial na cultura do povo judeu. A diversidade dessas cores, bem como a matéria-prima material, apontava para uma completude salvívica.
Refletir sobre a completa obra da salvação é o nosso objetivo. Por isso a a imagem abaixo está disponível para guiar os alunos neste entendimento. É uma maravilhosa oportunidade para refletir sobre a salvação.
 
 
“Santificados pela Cruz TOP2
JESUS ainda faz a mesma oração hoje em dia, para que todo crente seja santificado. A santificação nos torna um com o Senhor JESUS (Hb 2.11) e nos faz santos como JESUS.
Paulo escreve em 1 Tessalonicenses 4.3: ‘Esta é a vontade de DEUS, a vossa santificação’. Assim, é da vontade de DEUS que todas as almas sejam salvas de todos os pecados – os atuais e o original. Os pecados atuais são os que cometemos voluntariamente, ao passo que o pecado original é o que herdamos do primeiro Adão. Todo pecado é limpo pelo sangue de JESUS CRISTO. Temos de morrer para o velho homem. ‘Sabendo isto: que o corpo do pecado seja desfeito, a fim de que não sirvamos mais ao pecado’ (Rm 6.6). DEUS está chamando o seu povo à verdadeira santidade nestes dias. Agradecemos a Ele pela bendita luz que está nos dando. ‘De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor e preparado para toda boa obra’ (2 Tm 2.21). Ele quer dizer que temos de ser purgados da impureza e de todos os tipos de pecado. A santificação nos torna santos e destrói a linhagem do pecado, o amor ao pecado e a carnalidade. Ela nos purifica e tornamos mais brancos que a neve” (SEYMOUR. Devocional: O Avivamento da Rua Azusa. Série: Clássicos do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, pp.123-22).
 
 
SUBSÍDIO VIDA CRISTÃ TOP3
“Até à Morte
Chegamos à última noite da vida do Senhor. Ele está com os discípulos no Cenáculo. Aqui acontecerá o ato final entre eles, a consumação de toda a sua vida. Há um detalhe nesse ato que o Senhor não deixou claro para muitos.
Eles se sentaram em volta da mesa para cearem. JESUS tomou o pão, partiu-o e os instruiu a tomar e comer. O que Ele quis dizer com isso? Considerando que Ele estava presente na carne, qual foi o significado de partir o pão?
Através deste ato, o Senhor JESUS CRISTO declarou diante de DEUS, diante dos anjos e diante dos homens que Ele não hesitaria em morrer pelo mundo. Não havia limites. Ele seria fiel até à morte.
Assim como Ele tinha sido fiel em vida e vivido cada dia consciente de tudo o que acontecia ao seu redor, agora Ele cravaria o seu inteiro na cruz. Seria fiel até à morte.
O real propósito de tornar-se cristão não é tão somente ser salvo do inferno e ir para o céu. É tornar-se filho de DEUS, assumir o caráter de JESUS CRISTO para permanecer diante dos homens, e, caso necessário, até ser sentenciado à pena máxima, à morte, recusando-se a pecar, não aceitando curvar a cabeça diante de Satanás, preferindo morrer a desonrar o Filho de DEUS.
Se o caráter de JESUS CRISTO entrou em você e em mim, então, em termos de propósito, isso nos tornou como Ele. Fez-nos de fato como Ele. Bendito seja DEUS! O seu ESPÍRITO nos é dado. Bendito seja DEUS! O seu ESPÍRITO nos é dado. Bendito seja DEUS por essa mesma fidelidade inextinguível que caracterizou o Filho de DEUS” (LAKE, John G. Devocional. Série: Clássicos do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, pp.51-52).
 
 
 
AJUDA BIBLIOGRÁFICA
Veja Lição 1, 2, 3, 4 e 5
Abraão de Almeida - O TABERNÁCULO E A IGREJA - CPAD (principal fonte)
O Tabernaculo - Martyn Barrow
Os segredos do Tabernáculo de Moisés- Kevin J. Conner
O Tabernáculo e as suas lições por Gunnar Vingren - Gunnar Vingren
A Pessoa de CRISTO no Tabernáculo - Floyd Lee Gilbert
Dicionário Wycliffe - CPAD
 
Home
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos