Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
 
LIÇÃO 6 - O DEUS QUE COMANDA O FUTURO
Lições Bíblicas Aluno - Jovens e Adultos - 4º tRIMESTRE DE 2008
O DEUS DO LIVRO E O LIVRO DE DEUS
Comentários do Pr. Elinaldo Renovato de Lima
Consultor Doutrinário e Teológico: Pr. Antônio Gilberto
Complementos e questionários: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO
 
 
 
 
TEXTO ÁUREO
"Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais". (Jr 29.11)
 
 
 
VERDADE PRÁTICA
O DEUS da Bíblia tem o tempo nas suas mãos. Ele conhece o passado, controla o presente, e anuncia o futuro.
 
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Isaías 44
6 - Assim diz o SENHOR, Rei de Israel e seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e fora de mim não há DEUS.
7 - E quem chamará como eu, e anunciará isso, e o porá em ordem perante mim, desde que ordenei um povo eterno? Este que anuncie as coisas futuras e as que ainda hão de vir.
Isaías 45 
21 Anunciai, e chegai-vos, e tomai conselho todos juntos; quem fez ouvir isso desde a antiguidade? Quem, desde então, o anunciou? Porventura, não sou eu, o SENHOR? E não há outro DEUS senão eu; DEUS justo e Salvador, não há fora de mim.

Isaías 46
9 - Lembrai-vos das coisas passadas desde a antiguidade: que eu sou DEUS, e não há outro semelhante a mim;
10 - que anuncio o fim desde o princípio e, desde a antiguidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho será firme, e farei toda a minha vontade;
11 - que chamo a ave de rapina desde o Oriente e o homem do meu conselho, desde terras remotas; porque assim o disse, e assim acontecerá; eu o determinei e também o farei.
12 - Ouvi-me, ó duros de coração, vós que estais longe da justiça.
13 - Faço chegar a minha justiça, e não estará ao longe, e a minha salvação não tardará; mas estabelecerei em Sião a salvação e em Israel, a minha glória.
 
ETERNIDADE:
A. Significado - DEUS não está sujeito à sucessão do tempo.
B. Texto
- Gn 21.33; Sl 90.2; 12
C. Problema
- Seria o tempo irreal para DEUS? Não, Ele reconhece a continuidade dos acontecimentos, mas todos os acontecimentos, passados, presentes e futuros, são igualmente vívido pra Ele.
 
Sl 90.2 Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és DEUS.
DE ETERNIDADE A ETERNIDADE. Esta expressão refere-se à existência eterna de DEUS, que não tem começo nem fim. 
(1) Eternidade (hb. olam) não significa em primeiro lugar que DEUS transcende o tempo mas, sim, que é infindável no tempo (cf. 48.14; Gn 21.33; Jó 10.5; 36.26). As Escrituras não ensinam que DEUS existe num tipo de eterno tempo presente, onde não há nem o passado nem o futuro. 
(2) Os trechos das Escrituras que declaram a eternidade de DEUS, fazem-no em termos de continuidade, e não de intemporalidade, i.e., DEUS conhece o passado como passado, o presente como presente e o futuro como futuro.
 
Sl 90.12 Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio.
ENSINA-NOS A CONTAR OS NOSSOS DIAS. Nossos dias neste mundo, que na maioria das pessoas não chegam a mais de setenta ou oitenta anos (cf. v. 10), são poucos em relação à eternidade. Devemos orar por uma sábia compreensão da brevidade da nossa vida, para termos diante de DEUS um coração sábio no emprego de cada dia que Ele nos concede (cf. 39.4). Considerando que esta vida é uma preparação para a outra, devemos entender o que DEUS deseja realizar para si mesmo, para nossa família e para o próximo, através do nosso serviço fiel. Quando terminar aqui o nosso tempo, e chegarmos ao céu, será avaliado como foi (ou deixou de ser) a nossa dedicação a DEUS. Com isto em vista, devemos orar pedindo um coração sábio e um santo temor de DEUS (v. 11), e o seu favor em nossa vida e em nosso trabalho para Ele (vv. 13-17)
 
Jó 10.5 São os teus dias como os dias do homem? Ou são os teus anos como os anos de um homem,
 
Jó 36.26 Eis que DEUS é grande, e nós o não compreendemos, e o número dos seus anos não se pode calcular.
 
Palavra Chave: Tempo: Sucessão de dias, meses e anos; uma dimensão puramente humana.
 
CURIOSIDADE BÍBLICA:  
Tempo para os judeus, no tempo de JESUS aqui na Terra:
Vigília:
Os hebreus tinham três vigílias noturnas, de duração aproximadamente igual. 
Hora:
Contava-se o dia desde o raiar até o pôr-do-sol. O dia era dividido em doze horas (Jo 11:9). De igual modo, dividia-se a noite em doze horas, que se contavam desde o pôr-do-sol até seu nascimento na manhã seguinte (At 23:23). A duração das horas variava de acordo com as estações do ano.
Vigília:
Cada uma das quatro partes em que se dividia a noite. Sua duração variava com as estações do ano.
 
De 06:00h da manhã até as 18:00 horas era contada a hora assim:
1ª hora de 06:00 às 07:00 h; 
2ª hora de 07:00 às 08:00 h; e assim por diante até a 12ª hora ou 18:00 horas para nós. 
Daí em diante se contava de três em três horas para cada vigília, ou seja: 
1ª  vigília, de 18:00 às 21:00 horas; 
2ª  vigília de 21:00 h às 24:00 h;
3ª  vigília de 24:00 h às 03:00 h
4ª  vigília de 03:00 h às 06:00 h
 
TEMPO, USO CORRETO 
1. Como obtê-lo

Ao compreender a brevidade da vida Sl 90:12
Lembrando-se de DEUS na juventude Ec 12:1
Subordinando os deveres terrenos aos celestiais 1Co 7:29; 1Co 7:31
Vivendo sabiamente Ef 5:15; Ef 5:16
Dando bom exemplo perante o mundo Cl 4:5

2. Cronologia da Bíblia
As datas comumente usadas por muitos editores da Bíblia foram tiradas do sistema cronológico do arcebispo Usher: Embora a maioria dos eruditos não as considere precisas, elas têm certo valor porque proporcionam um arranjo sistemático dos fatos da história sagrada: As datas seguintes são dadas para alguns dos principais eventos.
Criação do homem, 4004 a.C.
O Dilúvio, 2348 a.C.
O chamado de Abraão, 1921 a.C.
Descida para o Egito, 1706 a.C.
O Êxodo, 1491 a.C.
A travessia do Jordão, 1451 a.C.
A coroação de Saul, 1095 a.C.
A divisão do reino, 975 a.C.
A queda de Samaria, 721 a.C.
O cativeiro babilônico, 587 a.C.
A restauração dos judeus, 536 a.C.
O nascimento de CRISTO, 4 a.C.
A ascensão, 30 d.C.
A conversão de Paulo, 37 d.C.
A destruição de Jerusalém, 70 d.C.
 
A INFINIDADE DE DEUS
Infinidade é a perfeição de DEUS pela qual Ele é isento de toda e qualquer limitação. Ao atribuí-la a DEUS, negamos que haja ou que possa haver quaisquer limitações do Ser divino e dos Seus atributos. Isto implica que Ele não é limitado de maneira nenhuma pelo universo, por este mundo caracterizado pela relação tempo-espaço, e que Ele não fica encerrado no universo. Isto não implica Sua identidade com a soma total das coisas existentes, nem exclui a coexistência das coisas finitas e derivadas, com as quais Ele mantém relação. A infinidade de DEUS deve ser concebida como intensiva, antes que extensiva, e não deve ser confundida com extensão ilimitada, como se DEUS estivesse espalhado pelo universo todo, uma parte aqui, outra ali, pois DEUS não tem corpo físico e, portanto, não tem extensão espacial. Tampouco deve ser considerada como um conceito meramente negativo, embora seja perfeitamente verdadeiro que não podemos formar uma idéia positiva da infinidade. É uma realidade em DEUS e só por Ele compreendida plenamente. Distinguimos vários aspectos da infinidade de DEUS.
 
1. SUA PERFEIÇÃO ABSOLUTA. Esta é a infinidade do Ser Divino considerada em si mesma. Não deve ser considerada num sentido quantitativo, mas qualitativo; ela qualifica todos os atributos comunicáveis de DEUS. O poder infinito não é um quantum absoluto, mas sim, uma santidade qualitativamente livre de toda limitação ou defeito. O mesmo se pode dizer do conhecimento infinito, da sabedoria infinita, do amor infinito e da justiça infinita. 
“Talvez possamos dizer que, em última análise a infinidade de DEUS é: 
(a) interna e qualitativamente, ausência de toda limitação e defeito;
(b) potencialidade ilimitada”. Neste sentido da palavra, a infinidade de DEUS é simplesmente idêntica à perfeição do Seu divino Ser. A prova bíblica disto acha-se em Jó 11.7-10; Sl 145.3; Mt 5.48.
 
2. SUA ETERNIDADE. A infinidade de DEUS em relação ao tempo é denominada eternidade – Sua eternidade. A forma em que a Bíblia apresenta a eternidade de DEUS é simplesmente a de duração pelos séculos sem fim, Sl 90.2; 102.12; Ef 3.21. Devemos lembrar, porém, que ao falar como fala, a Bíblia emprega linguagem popular, e não a linguagem da filosofia. Geralmente pensamos na eternidade de DEUS da mesma maneira, a saber, como duração infinitamente prolongada, para trás e para diante. Mas este é apenas um modo popular e simbólico de representar aquilo que, na realidade, transcende o tempo e dele difere essencialmente. A eternidade, no sentido estrito da palavra, é adstrita àquilo que transcende todas as limitações temporais. Que o termo se aplica a DEUS nesse sentido é ao menos ensinado em 2 Pe 3.8. “O tempo”, diz o Dr. Orr, “estritamente falando, tem relação com o mundo de objetos existentes em sucessão. DEUS preenche o tempo; Ele está em cada partícula dele; mas a Sua eternidade , todavia, não é realmente este estar no tempo. É antes, aquilo com o que o tempo forma um contraste”. Nossa existência é assinalada por dias, semanas, meses e anos; não é assim a existência de DEUS. A nossa vida se divide em passado, presente e futuro, mas não há essa divisão na vida de DEUS. Ele é o eterno “Eu Sou”. A sua eternidade pode ser definida como a perfeição de DEUS pela qual Ele é elevado. Acima de todos os limites temporais e de toda sucessão de momentos, e tem a totalidade da Sua existência num único presente indivisível. A relação da eternidade com o tempo constitui um dos mais difíceis problemas da filosofia e da teologia, talvez de impossível solução em nossa condição atual.
 
3. SUA IMENSIDADE. A infinidade de DEUS também pode ser vista com referência ao espaço, sendo, então, denominada imensidade. Esta pode ser definida como a perfeição do Ser Divino pela qual Ele transcende todas as limitações espaciais e, contudo, está presente em todos os pontos do espaço com todo o Seu Ser. Ela tem um lado negativo e um lado positivo, negando todas as limitações do espaço ao Ser Divino, e afirmando que DEUS está acima do espaço e ocupa todas as partes deste com todo o Seu Ser. As últimas palavras são acrescentadas para evitar a idéia de que DEUS se difunde pelo espaço, como se uma parte do Seu Ser estivesse num lugar e outra parte noutro. Distinguimos três modos de presença no espaço. Os corpos ocupam o espaço circunscritivamente, porque são limitados por ele; os espíritos finitos ocupam o espaço definidamente, visto que não estão em toda parte, mas somente num dado e definido lugar; e, em distinção de ambos estes modos, DEUS ocupa o espaço repletivamente, porque ele preenche todo o espaço. Ele não está ausente de nenhuma parte do espaço, nem tampouco está mais presente numa parte que noutra.
Em certo sentido, os termos “imensidade” e “onipresença”, como são aplicados a DEUS, denotam a mesma coisa e, portanto, podem ser considerados sinônimos. Todavia, há um ponto de diferença que deve ser observado cuidadosamente. “Imensidade” aponta para o fato de que DEUS transcende todo o espaço e não está sujeito às suas limitações, ao passo que “onipresença” denota que, não obstante, Ele preenche todas as partes do espaço com todo o Seu Ser. O primeiro salienta a Transcendência, e o último, a imanência de DEUS. DEUS é imanente em todas as Suas criaturas, na Sua criação inteira, mas de modo nenhum é limitado a esta. No que diz respeito à relação de DEUS com o mundo, devemos evitar, por um lado, o erro do panteísmo, tão característico de grande parte do pensamento atual, com a sua negação da transcendência de DEUS e a sua suposição de que o Ser de DEUS é realmente substância de todas as coisas; e, por outro lado, o conceito deísta de que DEUS está de fato presente na criação per potentiam (com o Seu poder), não porém per essentiam et naturam (com a essência e natureza do Seu Ser), e age sobre o mundo à distância. Apesar do fato de que DEUS é distinto do mundo e não pode ser identificado com ele, não obstante está presente em cada parte da Sua criação, não somente per potentiam, mas também per essentiam. Não significa, porém, que ele está igualmente presente, e presente no mesmo sentido em todas as Suas criaturas. A natureza da Sua permanência está em harmonia com a das Suas criaturas. Ele não habita na terra do mesmo modo como habita no céu, nem nos animais como habita no homem, nem na criação inorgânica como na orgânica, nem dos ímpios como nos piedosos, nem na Igreja como em CRISTO. Há uma infinda variedade nas maneiras pelas quais ele é imanente em Suas criaturas, e na medida em que elas revelam DEUS aos que têm olhos para ver. A onipresença de DEUS é revelada claramente na Escritura. O céu e aterra não podem contê-lo, 1 Rs 8.27; Is 66.1; At 7.48, 49; e ao mesmo tempo Ele preenche ambos e é DEUS acessível, Sl 139.7-10; Jr 23.23, 24; At 17.27, 28
 
O tempo é uma presença transitória em contraste com a eternidade que é uma presença permanente. Visto que o tempo presentemente coexiste com a eternidade, o homem, que é uma criatura do tempo, tem dificuldade em diferenciá-los. Os puritanos falavam da eternidade como uma “eterna duração”. Duração, contudo, pode ser medida; mas a eternidade é imensurável. O dicionário define “duração” como continuação no tempo ou o comprimento de tempo durante o qual algo continua ou existe. A eternidade não pode ser explicada pelo uso de um termo que fala “do comprimento de tempo”. Ela não pode ser medida por um termo mensurável. Se a eternidade fosse composta do que os puritanos chamavam de “a extensão da duração”, ela seria composta de uma sucessão sem fim de unidades mensuráveis de tempo. Assim, a eternidade estaria gradualmente acabando no tempo. Contudo, a eternidade não pode ser nem diminuída, nem alongada.
O conceito de Martinho Lutero de eternidade era “a coisa completa ao mesmo tempo”. Agostinho tinha mostrado que não podia existir cem anos presentes. Sua ilustração era que se o primeiro daqueles anos está acontecendo agora, ele é presente, mas os noventa e nove anos futuros ainda não existem. Ele concluiu que se o segundo ano está acontecendo, o primeiro se foi, o outro é presente, e o resto são futuros; portanto, não pode haver cem anos presentes. Quando alguém considera a veracidade desta declaração, ele pode substituir por mês, dia, hora, minuto e segundo, e a conclusão é que o presente não tem comprimento de forma alguma. Além do mais, alguém não pode falar de passado ou futuro como tendo alguma realidade. Somente o presente tem realidade, e a eternidade pode ser expressa como “o imensurável presente”.
Quando DEUS fala de Sua eternidade, Ele diz, “EU SOU” (Êxodo 3:14). Se ele tivesse dito, “EU ERA”, o significado seria que Ele foi e agora já não é mais. Além do mais, se Ele tivesse dito, “EU SEREI”, o significado seria que Ele ainda não é o que Ele será. Einstein brigou com o problema de que não pode haver uma medida de tempo, porque ele não fica parado o suficiente para que se possa medi-lo. Por conseguinte, a conclusão é que a eternidade não é tempo, como um arco-íris, desaparecendo na eternidade em ambos os lados. A eternidade não corre à partir do passado, ou uma certa quantia já teria sido gasta. Portanto, a eternidade é o permanente e imensurável presente.
O homem sempre está buscando um entendimento melhor da eternidade e uma maneira mais concisa de expressar sua crença em tal assunto infinito. Vários modos de ilustrar a eternidade têm sido sugeridos, mas muitos deles são extremamente inadequados.
A eternidade e o tempo diferem. O tempo é uma duração mensurável, mas a eternidade não é uma duração que é imensurável. Um estudo do significado bíblico de eternidade revelará que duração nunca deve ser usada em sua descrição. Quando alguém estuda o assunto da vida eterna, ele aprende que o termo é usado qualitativamente e não quantitativamente. O termo “eterno” carrega mais a idéia de intensidade ou profundidade do que de extensidade de comprimento. A melhor forma de declarar isto é que o tempo é a presença transitória e a eternidade é a presença permanente. 
A eternidade não pode ser confundida com o tempo, embora ambos coexistam presentemente. O tempo tem tanto princípio como fim. Mas a eternidade não tem nenhum dos dois. O tempo se move do futuro, através do presente para o passado, mas a eternidade é constante. Quando o futuro depósito de tempo tiver passado através do presente, nada será deixado para correr através do “agora”. O tempo do tempo terá esgotado. Assim, nada será deixado senão a eterna constância.
CRISTO disse, “...Eu vim para que possam ter vida, e para que a possam ter mais abundantemente” (João 10:10). Dizer que a nova vida começa com o novo nascimento pode parecer uma observação banal. Mas é pior do que superficialidade. É uma meia-verdade. Esta vida vem de DEUS, e é eterna. Estritamente de um ponto de vista humano, esta vida se estende tanto para o passado (2 Timóteo 1:9) como para o futuro (João 6:51). Os eleitos a quem foram dados a graça em CRISTO antes do mundo começar, viverão para sempre.
Se a eternidade de DEUS pudesse ser medida, Ele não seria imenso, imutável e perfeito (2 Pedro 3:8).
A vida eterna obtida pela graça é a maior de todas - qualitativamente e quantitativamente. A qualidade desta vida lhe dá quantidade. Embora o crente esteja neste mundo do tempo, pela graça ele não é deste mundo do tempo. Sua riqueza não é uma duração inexaurível, mas a vida eterna, que é sem fim. Quando o cristão passa do tempo para eternidade, a extensidade de sua experiência é substituída pela intensidade.
 
 
A fim de saber o futuro os homens recorrem às mais diversas religiões e suas práticas ocultas condenadas por DEUS
Sobre o fim do mundo existem várias e variadas profecias:
 
Os Fins do Mundo
Uma lista de profecias de fins do mundo.
Penso que esta talvez tenha sido a primeira profecia. Quando um dos homens descobriram o fogo, houve um que olhou para as chamas e viu o fim do seu mundo. A parte boa desta lista é que até agora todos falharam...
992 d.C.  Em 960, Bernard de Thurings anunciou, com alarme na Europa, que o mundo só tinha mais 32 anos de existência. Felizmente para ele morreu antes da data anunciada.
31.12.999 O mundo acabaria 1000 anos após o nascimento de Cristo. Parece não ter havido tanto "barulho" como se pensa. Mas é significativo que o Papa Silvestre II e o imperador Otão III tenham terminado as suas quizílias políticas.
31.12.1033 Afinal não se devia contar a partir do nascimento mas sim da morte de Cristo...
Setembro de 1186  O astrólogo João de Toledo, em 1179, anuncia o fim do mundo quando todos os planetas estiverem em conjunção em Libra. Se incluirmos o Sol, isso aconteceu em 23 de Setembro de 1186 às 16:15 TMG, ou a 3 de Outubro do novo calendário. O arcebispo de Cantuária pediu um dia de oração, o alinhamento ocorreu, o Fim do Mundo não.
1260 Joaquim de Fiore apontou para 1260. O ponteiro não estava bom.
 1 Fevereiro 1524 Uma das datas mais espetaculares. O fim seria pela água. Em Junho de 1523 os astrólogos calcularam que o Fim se iniciaria em Londres com um dilúvio. 20.000 pessoas abandonaram as suas casas. O pároco de S. Bartolomeu construiu uma fortaleza com água e comida para dois meses de espera. Quando nada aconteceu fizeram-se novos cálculos que apontaram para mais cem anos. Mas esse ano foi mesmo especial! Nicolaus Pere previu que a conjunção dos principais planetas em Peixes (um símbolo da água), o que reforçava a idéia do dilúvio. Uma das vozes que se levantou contra foi George Tannstetter, astrólogo e matemático. No seu horóscopo previu que viveria para lá de 1524, o que o levou a negar os outros calculos. Era um céptico. Uma inundação gigante foi prevista para 20 de Fevereiro (ou 2 de Fevereiro) pelo astrólogo Johannes Stroeffler em 1499. A conjunção envolvia Mercúrio, Venus, Marte, Júpiter e Saturno, mais o Sol, todos em Peixes. Mas foi em 23 e não em 20. Em resposta a estas profecias, na Alemanha, as pessoas construíam barcos, e um Conde Von Iggleheim construiu uma arca com 3 andares. O mesmo se passava em Toulouse. Quando choveu ligeiramente na data prevista as pessoas atacaram a arca do Conde. Pessoas morreram.
1532 Frederick Nansea, bispo de Viena, achou que um grande desastre estava próximo. Acreditou nas testemunhas que o informavam do que viam: cruzes sangrentas no céu, um cometa, três sóis, um castelo no céu.
13 Outubro 1533, 8h00 Michael Stifel (também conhecido por Stifelius) calcula a data e hora a partir do Livro das Revelações. Quando o mundo não se evaporou, perdeu as suas vestes eclesiásticas.
1537 e 1544 Uma lista de profecias surge em Dijon, França, atribuidos ao astrólogo Pierre Turrel, a titulo póstumo. Ele usou 4 métodos diferentes de cálculo, chegando a 4 datas diferentes espalhadas por 277 anos.
1572 Eclipse solar em Londres e espetaculares novas no céu. Pânico geral.
1584 O astrólogo Ciprian Leowitz, incluído em 1559 no index de autores proibidos por Paulo IV, prediz o fim para 1584. Pelo sim, pelo não, calcula cartas astrológicas até 1614. Fez bem.
1704 O Cardeal Nicholas de Cusa, sem autorização do Vaticano, declara o Fim para 1704.
13.10. 1736 ovo fim do mundo a começar em Londres. Desta vez previsto por William Whiston. Nem sequer choveu.
1648 O rabi Sabbati Zevi, de Smyrna, interpreta a cabala mostrando que o Messias e o seu advento chegam em 1648. Em 1665, apesar de nada ter acontecido, os seus seguidores tinham aumentado, e a nova data é marcada para 1666. Cidadãos de Smyrna abandonam o trabalho e preparam-se para o regresso a Jerusalém. Os problemas aumentam quando Zevi é preso pelo sultão de Constantinopla. Este converte Zevi ao Islamismo e o movimento acaba.
1704 O Cardeal Nicholas de Cusa, sem autorização do Vaticano, declara o Fim para 1704.
13.10. 1736 Novo fim do mundo a começar em Londres. Desta vez previsto por William Whiston. Nem sequer choveu.
1757 Emanuel Swedenberg anuncia o fim do mundo, informado por um anjo, segundo ele. Ninguem lhe ligou, nem os anjos.
1801 Uma das datas (foram 4) previstas pelo astrólogo Pierre Turrel. Nada... (como nas outras 3)
1814 Mais uma data de Pierre Turdel. Charles Mackay escreveu que "o mundo acenou tão contente como antes".
1874 Data calculada por Charles Taze Russel das Testemunhas de Jeová para o Fim.
1881 Data obtida através de medições na Grande Pirâmide de Gizé, no túmulo de Cheops. Novos cálculos, mais "precisos" alteram a data para 1936. Melhorando-se ainda a medição e os cálculos, obteve-se 1953. Continuam a ser feitas medições.
1914 A segunda das datas das Testemunhas de Jeová.
1936 Novas medições na Grande Pirâmide.
1953 Novas medições na Grande Pirâmide.
1975 A terceira data das Testemunhas de Jeová. Errada como as outras.
1999 Jeane Dixon (1918-1997): "Em 1999, os E.U.A. e os seus aliados estarão em guerra como a Russia e os seus satélites. Misseis russos provocarão um holocausto nuclear nas cidades dos EUA".
Julho de 1999 : Nostradamus, em X-72 afirma: L'an mil neuf cens nonante neuf sept mois. Du ciel viendra grand Roy deffaieur. Ressusciter le grand Roy d'Angolmois. Avant aprés Mars regner par bon heur
O ano mil novecentos noventa nove, mês sete. Do céu virá grande Rei assustador. Ressuscitar o grande Rei dos Mongóis. Antes e depois de Marte reinar por boa hora
18 de Agosto de 1999 Criswell (1907-1982): Um Arco Iris Negro (uma perturbação magnética na atmosfera causada por atrações gravitacionais no universo) retirará oxigênio da Terra. Esta deixará a sua órbita e encaminhar-se-á para o Sol.
 
 
 
 
 
DEUS proibiu ao homem o saber o futuro a não ser por Sua revelação.
Hb 1.1 Havendo DEUS outrora falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, 2a nós falou nos nestes últimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez o mundo.
Dt 18.9Quando tiveres entrado na terra que o Senhor teu DEUS te dá, não imitarás as abominações dessas nações. 10 Não haja no teu meio quem faça passar pelo fogo o filho ou a filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, 11 nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos. 12 O Senhor abomina todo aquele que faz essas coisas. É por causa dessas abominações que o Senhor teu DEUS expulsa essas nações de diante de ti.

No Dicionário Aurélio, significado de Necromacia. 
Necro : Do gr. nekro- < gr. nekrós, oû >. O que significa 'morte'; 'cadáver'; 'extinto'.
Mancia : Do gr. -manteía. O que significa 'adivinhação', 'predição'. 
Necromancia tem a mesma formação das palavras Cartomancia, que significa Adivinhação por meio de cartas de jogar, ou então Quiromancia que é a Adivinhação pelo exame das linhas da palma da mão; quiroscopia.
"nem quem consulte os mortos" - É terminantemente proibido por DEUS a consulta a mortos. 
DEUS sempre procurou mostrar o futuro ao seu povo através dos profetas.
O maior problema é que muitas vezes os profetas não são de DEUS e falam por si mesmos a respeito do que não conhecem.
O homem sempre desejou saber o futuro, mas somente DEUS o conhece.
 
Exemplo da tentativa do homem em saber o futuro vemos em Charles Taze Russell (Testemunhas de Jeová ) e em Guilherme Miller (Adventistas):
Os Testemunhas de Jeová previram que governos acabariam, bancos fechariam as portas, que o Armagedon aconteceria entre 1915 a 1984 e várias outras previsões que nunca aconteceram.
Charles Taze Russel. Fundador do movimento “Testemunhas de Jeová”
a. Origem. Fundador do russelismo, nasceu em 1852 nos Estados Unidos. Seus pais eram presbiterianos. Russell pertenceu à Igreja Congregacional e a seguir, à Igreja Adventista. Em 1874, fundou formalmente o movimento russelita. Em 1879, começou a publicação do periódico Torre de Vigia de Sião, hoje chamada A Sentinela. O sucessor de Russell, Joseph Rutherford, efetuou 148 alterações doutrinárias no sistema de crença da seita. Publicou a obra póstuma de Russell intitulada O Mistério Consumado, e o sétimo volume de Estudos das Escrituras, como meio de consolidar em torno de si o domínio e o controle da organização.
b. No Brasil. Eles começaram em 1920. Sua sede nacional permaneceu em São Paulo, capital, até 1980. Atualmente a sede nacional encontra-se em Cesário Lange, interior do Estado.
FALSAS PROFECIAS dos “Testemunhas de Jeová”
a. Falsas profecias de Russell.
Russell profetizou que a batalha do Armagedom ocorreria em 1914. Neste ano, segundo ele, dar-se-ia também a vinda de Cristo. Mas na referida data, nada aconteceu. Depois ele mesmo refez o cálculo, e estabeleceu o ano de 1915 e depois o de 1918. Como das vezes anteriores, nada aconteceu. Ele veio a falecer em 1916.
Profetizou que até 1914 viria um tempo de tribulação tal qual nunca houve desde que há nação para que fosse estabelecido o Reino de DEUS. Os judeus seriam restaurados, os reinos gentios seriam quebrantados em pedaços como um vaso de oleiro, e os reinos deste mundo passariam para o nosso Senhor e para o seu Cristo. Nada, absolutamente, se cumpriu.
b. Falsas profecias de Rutherford. Rutherford também refez o cálculo, e estabeleceu o ano de 1925 como o início do milênio. Isso também não se cumpriu.
c. Falsas profecias de Knorr e Franz. Em 1946, a organização lançou o livro "A Verdade vos Tornará Livres", contendo a base da profecia do Armagedom para 1975. Muitos venderam propriedades; outros abandonaram estudos e carreira profissional. Nada aconteceu.
 
 
 
Os Adventistas que sucederam Guilherme Miller previram a volta de CRISTO mais de 10 vezes e erraram todas como seu líder.
O próprio Senhor adverte solenemente: "Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas e farão tão grandes sinais e prodígios, que, se possível fora, enganariam até os escolhidos"
NÃO SABEIS A QUE HORA. A advertência de Cristo aos seus discípulos para estarem sempre apercebidos para a sua vinda, por não saberem quando ela se dará, cremos ser uma referência à volta de Cristo, vindo do céu, para tirar do mundo os santos da Igreja, i.e., o arrebatamento (ver Jo 14.3 ). 
JESUS afirma claramente que sua vinda para levar os santos antes da tribulação será numa ocasião inesperada. Ele não somente declara que eles não sabem a hora (v. 42), mas também que Ele voltará à hora em que não pensais (v. 44). Isto indica claramente que haverá surpresa, espanto, e que os fiéis não saberão o momento certo da sua vinda. Assim sendo, para os santos da igreja, JESUS virá num momento inesperado (v. 44). Isto claramente fala de surpresa, pasmo e rapidez nesta específica fase da vinda de Cristo. Este evento é chamado de primeira fase da segunda vinda de Cristo.
 
 
a. William Miller. Nasceu em 1782, em Pittsfieid, estado de Massachussetts, EUA, Era de família batista. Em 1818. ele começou a anunciar que Cristo voltaria à terra nos próximos 20 anos. Em 1831, Miller proclamou que esse evento ocorreria em 23 de março de 1843. Tentou justificar a sua "profecia" em Daniel 8.13,14. interpretando as 2.300 tardes e manhãs como que correspondendo a 2.300 anos a partir do retorno de Esdras a Jerusalém em 457 a. C
b. William Miller e seu fracasso. Todavia, nenhuma de suas previsões se cumpriu Procurando justificar-se, Miller explicou que se enganara nos cálculos. Em seguida, marcou nova data - 22 de outubro de 1984. Esta data também falhou.
c. Origem dos adventistas do sétimo dia. Miller arrependeu-se e procurou a igreja Já reconciliado, foi servir a DEUS, vindo a falecer em 1849. O mal, porém já estava feito. Vários grupos começaram a aparecer, Hiram Edson. Joseph Bates e James White com sua esposa Ellen Gould White eram os mais proeminentes dos movimentos adventistas. Joseph Bates, de New Hampshire, Washington, instituiu a observância do sábado. Enquanto isto, Ellen Gould White ia, na região de Portiand, Maine, ganhando notoriedade com as suas "revelações e visões". Os três grupos juntos deram origem, em 1860, ao movimento conhecido como o Adventismo do Sétimo Dia.
 
O mais importante é o presente, pois o passado já passou e não tem como vivê-lo outra vez, o futuro ainda não chegou e não sabemos o dia de amanhã, o presente está ai para ser construído e com amor, dedicação e esmero na obra do Senhor.
Ec 9.10 Tudo o que te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, pois na sepultura, para onde vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.
A igreja aguarda ansiosa pela vinda do Senhor para levá-la para o céu. Nesse tempo saberemos realmente o que é eternidade.
O ARREBATAMENTO DA IGREJA (BEP- CPAD)
1Ts 4.16,17 “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de DEUS; e os que morreram em CRISTO ressuscitarão primeiro; depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.”
O termo “arrebatamento” deriva da palavra raptus em latim, que significa “arrebatado rapidamente e com força”. O termo latino raptus equivale a harpazo em grego, traduzido por “arrebatado” em 4.17. Esse evento, descrito aqui e em 1Co 15, refere-se à ocasião em que a igreja do Senhor será arrebatada da terra para encontrar-se com Ele nos ares. O arrebatamento abrange apenas os salvos em CRISTO.
 
VEJA A DIFERENÇA ENTRE A VOLTA DE CRISTO PARA A IGREJA NO ARREBATAMENTO E SUA SEGUNDA VINDA:
 
ARREBATAMENTO E SEGUNDA VINDA
ARREBATAMENTO
SEGUNDA VINDA
Será em segredo (Mt 24.36)
Será pública (Ap 1.7)
CRISTO vem para a Igreja (1 Ts 4.17)
CRISTO vem com a Igreja (Judas 14)
Antes da Grande Tribulação (Ap 3.10)
Após a Grande Tribulação (Mt 24.29-30)
JESUS vem nos ares (1 Ts 4.17)
JESUS pisa no Monte das Oliveiras (Zc 14.4)
Os santos o verão (1 Ts 4.17)
Todo olho verá (Ap 1.7)
Tempo de Alegria (I Jo 3.2 Ap 1.6)
Tempo de Lamentação (Mt 24.30 Sf 1.17)
Incrédulos deixados (Mt 24.40)
Incrédulos destruídos (Mt 25. 41-46 Sf 1.17)
Em todo o Planeta
Fisicamente em Israel
 
Como se dará o retorno triunfal de CRISTO.
 
O Glorioso Aparecimento de CRISTO do Céu para Julgar e Guerrear
CRISTO voltará com os crentes e com seus anjos
2 Ts 1.7-10; Jd 14, 15; Ap 19.14
CRISTO reunirá os santos da tribulação
Mt 24.31; 25.31-40; Mc 13.27; Ap 20.4
Os incrédulos não estarão preparados para isso
Mt 24.38,39,43
CRISTO separará os homens na terra
Mt 13.40,41, 47-50; 25.31-46
As nações ficarão enfurecidas diante desse evento
Ap 11.18
Os santos se regozijarão diante desse evento
Ap 19.1-8
CRISTO julgará e destruirá os ímpios, inclusive o Anticristo, e Satanás será aprisionado por mil anos
Is 13.6-12;Ez 20.34-38; Mt 13.41-50; 24.30; 25.41-46;Lc 19.11-17;1Ts 5.1-11;
2Ts 2.7-10,12;Ap 6.6,17; 11.18; 17.14; 18.1-24; 19.11-20.3
Os santos da tribulação receberão galardões
Mt 5.11,12; 1Co 3.12-14; 9.25-27; Gl 6.9,10; 2Tm 4.8; Ap 20.4
Os santos da tribulação compartilharão da glória de CRISTO e do seu Reino
Mt 25.31-40; Rm 8.29; 2Ts 2.13,14; Ap 20.4
 
 
 
A SEGUIR VEM O TRIBUNAL DE CRISTO
O julgamento se dará pela quantidade e pela qualidade das obras realizadas pelos crentes, embora individual, o motivo das mesmas e as intenções das mesmas será de suma importância para o resultado do trabalho do corpo de CRISTO, enquanto aqui na Terra.
"Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de CRISTO, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal." [2 Coríntios 5:10]
A imagem mental que Paulo está projetando para nós diz respeito a um de seus métodos favoritos de ilustração — o esporte da época — os jogos greco-romanos. Bema era uma plataforma elevada na qual os juízes das diversas competições atléticas ficavam para premiar os vencedores. Isso se parece com o assento elevado de um juiz — alguém que detém o poder da vida e da morte em suas mãos? De forma alguma! É uma imagem de grande consolação para o cristão, pois combina o aspecto solene do julgamento com o de uma recompensa em potencial. Nosso grande, misericordioso e gracioso DEUS prometeu que o serviço fiel não ficará sem recompensa!
"Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é JESUS CRISTO. E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará; na verdade o dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo." [ênfase adicionada]
JESUS CRISTO se assentará para julgar as obras dos membros do seu corpo, a sua noiva, a igreja, provando-os pelo fogo. Observe a ordem descendente do seu valor relativo: "Ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno e palha". O ouro, a prata e as pedras preciosas resistem ao calor, mas a madeira, o feno e a palha são queimados. O Senhor determina o grau de valor e o fogo revelará o resultado. Se as obras de um cristão forem inteiramente consumidas no processo e assim se revelarem inúteis, ele sofrerá a perda de não ser o "vencedor da corrida", porém sua salvação nunca estará em questão. Esse ponto foi definitivamente estabelecido na cruz do Calvário.
 
 
A SEGUIR VEM AS BODAS DO CORDEIRO
O REI
 É o próprio JESUS
PARTICIPANTES DA FESTA
 JESUS, a Igreja, os Anjos e os Santos do AT
A FESTA NUPCIAL
Os benefícios e as delícias do reino messiânico
TRAJE EXIGIDO
Vestes santas de pureza e justiça de DEUS
OCASIÃO
Após o Arrebatamento e o Tribunal de CRISTO
 
As bodas ou casamento é do filho do Rei, que para nós significa o Senhor JESUS CRISTO e sua noiva, a Igreja, sendo o local do casamento o grande dia final do Tribunal de CRISTO, enquanto na Terra, estará se findando a Grande Tribulação.
O termo “bodas” vem do latim “vota”, isto é, “votos”, em alusão aos votos matrimoniais por ocasião do casamento. É uma festa de casamento. O termo é também plural porque tal festa durava sete dias e até 14 dias (Jz 14.12). Na festa, a alegria, solidariedade, entrega de presentes, paz, comunhão, comida farta, quebra copos e todos os costumes judaicos numa festa de casamento aconteciam ao som de muita música e com danças típicas. Isto nos leva a pensar na alegria e gozo imensuráveis que experimentaremos logo após o Tribunal de CRISTO, quando nos sentaremos à mesa com CRISTO, o nosso salvador.
 
A SEGUIR O DESTINO DOS CRENTES
 
A VIDA GLORIOSA NA DITOSA CIDADE
REFERÊNCIA
Será de Comunhão com CRISTO
Ap 21.22; 1Jo 3.2
Será de Plena Santidade
Ap 21.27
Será de Glória Inaudita
Ap 21.11
Será de Riquezas Imensuráveis
Ap 21.11,18-21
Será de Completo Conhecimento de DEUS
Ap 21.14; 22.4
Será de Infinita Adoração
Ap 22.3
Será de Contemplação da Face Divina
Ap 22.4
Será de Incomensurável Governo
Ap 22.5
 
 
A SUMA ESPERANÇA DO CRENTE
A suprema esperança e confiança do crente não deve estar em seres humanos (Sl 33.16, 17; 147.10,11), nem em bens materiais, nem em dinheiro (Sl 20.7; Mt 6.19-21; Lc 12.13-21; 1Tm 6.17; ver Nm 18.20), antes deve estar em DEUS, no seu Filho JESUS e na sua Palavra. E em que consiste esta esperança? (1) Temos esperança na graça de DEUS e no livramento que Ele nos oferece, nas tribulações desta vida presente (Sl 33.18,19; 42.1-5; 71.1-5,13-14; Jr 17.17,18). (2) Temos esperança de que chegará o dia em que nossas tribulações cessarão aqui na terra, quando esta não estará mais sujeita à corrupção, e terá lugar a redenção (ressurreição) do nosso corpo (Rm 8.18-25; cf. Sl 16.9,10; 2Pe 3.12; ver At 24.15). (3) Temos esperança da consumação da nossa salvação (1Ts 5.8). (4) Temos a esperança de uma casa eterna nos novos céus (2Co 5.1-5; 2Pe 3.13; ver Jo 14.2), naquela cidade cujo arquiteto e edificador é DEUS (Hb 11.10). (5) Temos a bendita esperança da vinda gloriosa do nosso grande DEUS e Salvador, JESUS CRISTO (Tt 2.13), quando, então, os crentes serão arrebatados da terra, para o encontro com Ele nos ares (1Ts 4.13-18), e, quando, então, nós o veremos como Ele é e nos tornaremos semelhantes a Ele (Fp 3.20,21; 1Jo 3.2,3). (6) Temos a esperança de receber a coroa da justiça (2Tm 4.8), de glória (1Pe 5.4) e da vida (Ap 2.10). Finalmente, temos a esperança da vida eterna (Tt 1.2; 3.7); da vida garantida a todos que confiam no Senhor JESUS CRISTO e o obedecem (Jo 3.16,36; 6.47; 1Jo 5.11-13). Com promessas tão grandes reservadas àqueles que esperam em DEUS e no seu Filho JESUS, Pedro nos conclama: “estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1Pe 3.15).
 
 
 
 
QUANTO AOS ÍMPIOS:
"E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de DEUS, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo." [Apocalipse 20:12-15, ênfase adicionada].
 
Minha opinião pessoal é que a aplicação precípua dessa passagem trata dos perdidos de todos os tempos, por causa da ênfase repetida na palavra "mortos". Essa interpretação constituiu a crença e o ensino de pastores conservadores por séculos, mas ficamos com o problema dos santos do Milênio! O que acontecerá com eles? Permita-me sugerir que outra trasladação instantânea — outro arrebatamento — poderá ocorrer nesse ponto com os justos eleitos recebendo seus corpos glorificados e sendo julgados ao mesmo tempo? Observe a construção do versículo 15 — como deixa aberta a possibilidade de que o nome de alguém seja encontrado no Livro da Vida.
"E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo."
O "aquele" é importante, porque caso 100% dos que serão julgados fossem perdidos, parece provável que o ESPÍRITO SANTO teria afirmado "Uma vez que ninguém foi achado..."
Antes que esqueçamos, observe que o versículo 12 menciona dois tipos de livros: "... os livros foram abertos e outro livro foi aberto..." O outro livro é identificado como sendo o livro da vida que contém os nomes de todos os eleitos por DEUS para a vida eterna. Mas o que são os livros, plural? Aparentemente eles contêm o registro completo da vida de cada indivíduo, de acordo com a seguinte declaração do Senhor:
"Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo." [Mateus 12:36]
Isso se refere necessariamente aos perdidos, porque a palavra do Senhor em João 5:24 diz:
"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida."
 
O Inferno é descrito como:
a) Castigo eterno:
"E irão estes para o castigo eterno, porém os justos, para a vida eterna." Mt 25.46
b) Fogo eterno: "Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos." Mt 25.41
c) Chamas eternas e Fogo devorador: "Os pecadores em Sião se assombram, o tremor se apodera dos ímpios; e eles perguntam: Quem dentre nós habitará com o fogo devorador? Quem dentre nós habitará com chamas eternas?" Is 33.14
d) Fornalha acesa: "Mandará o Filho do Homem os seus anjos, que ajuntarão do seu reino todos os escândalos e os que praticam a iniqüidade e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes... Assim será na consumação do século: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos, e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes." Mt 13.41,42,49,50
e) Lago de fogo: "E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado para dentro do lago de fogo." Ap 20.15
f) Fogo e enxofre: "Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de DEUS, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro." Ap 14.9,10
g) Fogo que não apaga: "A sua pá, ele a tem na mão e limpará completamente a sua eira; recolherá o seu trigo no celeiro, mas queimará a palha em fogo inextinguível." Mt 3.12
h) Lugar de punição: "Ora, se DEUS não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo;" 2Pe 2.4
i) Lugar de tormento: "No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio." Lc 16.23
Veja mais:
a)
"Porque um fogo se acendeu no meu furor e arderá até ao mais profundo do inferno, consumirá a terra e suas messes e abrasará os fundamentos dos montes."Dt 32.22
b) "Os perversos serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de DEUS." Sl 9.17
e) "Os seus pés descem à morte; os seus passos conduzem-na ao inferno." Pv 5.5
f) "Eles, porém, não sabem que ali estão os mortos, que os seus convidados estão nas profundezas do inferno." Pv 9.18
g) "O inferno e o abismo nunca se fartam, e os olhos do homem nunca se satisfazem." Pv 27.20;
h) "Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno." Pv 23.14
i) "Eu os remirei do poder do inferno e os resgatarei da morte; onde estão, ó morte, as tuas pragas? Onde está, ó inferno, a tua destruição? Meus olhos não vêem em mim arrependimento algum." Os 13.14
j) "Eu, porém, vos digo que todo aquele que sem motivo se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo... Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno." Mt 5.22,29;
k) "Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo." Mt 10.28;
l) "Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, teria ela permanecido até ao dia de hoje." Mt 11.23;
m) "Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela." Mt 16.18;
n) "Se um dos teus olhos te faz tropeçar, arranca-o e lança-o fora de ti; melhor é entrares na vida com um só dos teus olhos do que, tendo dois, seres lançado no inferno de fogo." Mt 18.9;
o) "Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós!... Serpentes, raça de víboras! Como escapareis da condenação do inferno?" Mt 23.15;33
p) "Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno." Lc 10.15;
q) "Eu, porém, vos mostrarei a quem deveis temer: temei aquele que, depois de matar, tem poder para lançar no inferno. Sim, digo-vos, a esse deveis temer." Lc 12.5;
r) "No inferno, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e Lázaro no seu seio." Lc 16.23
s) "Ora, a língua é fogo; é mundo de iniqüidade; a língua está situada entre os membros de nosso corpo, e contamina o corpo inteiro, e não só põe em chamas toda a carreira da existência humana, como também é posta ela mesma em chamas pelo inferno." Tg 3.6
t) "Ora, se DEUS não poupou anjos quando pecaram, antes, precipitando-os no inferno, os entregou a abismos de trevas, reservando-os para juízo." 2Pe 2.4
u) "e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno." Ap 1.18; e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno.
v) "E olhei, e eis um cavalo amarelo e o seu cavaleiro, sendo este chamado Morte; e o Inferno o estava seguindo, e foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra para matar à espada, pela fome, com a mortandade e por meio das feras da terra." Ap 6.8;
w) "Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo." Ap 20.14
 
 
DEUS julgará as obras de cada crente e concederá galardões se eles forem merecidos, mas a vida do incrédulo será julgada e a punição aplicada de imediato. Em que grupo você estará? 
 
 
 
 
RESUMO DA LIÇÃO 6 - O DEUS QUE
COMANDA O FUTURO
I - DEUS, O TEMPO E O FUTURO IMEDIATO
1. DEUS é eterno. DEUS é a origem do tempo.
2. O tempo e a eternidade. Eternidade passada e eternidade futura.
3. O futuro. O futuro longínquo, somente o Senhor pode prevê-Io, designá-Io e anunciá-Io.
4. DEUS conhece o nosso futuro. Tudo é vosso, e vós, de CRISTO, e CRISTO de DEUS" (l Co 3.22).
II - O GLORIOSO FUTURO DA IGREJA
DEUS é presciente e onisciente.
1. Salvação eterna e gloriosa. "com a glória que em nós há de ser revelada".
2. Galardão e júbilo. Galardoada no Tribunal de CRISTO.
III - O TENEBROSO FUTURO DOS ÍMPIOS
DEUS conhece o futuro inglório dos ímpios, pois o planejou e o executará com justiça.
CONCLUSÃO
DEUS conhece, controla e comanda o porvir.
 
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 6 - O DEUS QUE COMANDA O FUTURO
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD - 4º TRIMESTRE DE 2008
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Porque eu bem sei os ______________________________ que penso de vós, diz o Senhor; pensamentos de _______________________ e não de mal, para vos dar o ______________________________ que esperais". (Jr 29.11)
 
VERDADE PRÁTICA
2- Complete:
O DEUS da ________________________________ tem o _________________________ nas suas mãos. Ele conhece o passado, controla o presente, e ___________________________________ o futuro.
 
INTRODUÇÃO
3- A fim de conhecer o tempo futuro, a que recorre o homem, desde a Antigüidade?
(    ) Às mais diversas práticas de adoração a DEUS.
(    ) Às mais diversas religiões aprovadas por DEUS.
(    ) Às mais diversas religiões e suas práticas ocultas condenadas por DEUS.
 
I . DEUS, O TEMPO E O FUTURO IMEDIATO
4- A que está subordinado o tempo para os homens? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso:
(    ) Está subordinado à duração da vida.
(    ) Aos fatos históricos.
(    ) À eternidade.
(    ) Às comemorações.
(    ) À seqüência e designação dos dias.
(    ) A DEUS.
(    ) À sucessão das coisas e da vida humana.
(    ) Ao passado.
(    ) Ao presente.
(    ) Ao futuro.
 
5- Quais as três verdades acerca da eternidade de DEUS que podem ser afirmadas? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso:
(    ) Ele existe por si mesmo.
(    ) Ele é mensurável.
(    ) É autor do tempo e não está condicionado a ele.
(    ) É imutável.
 
6- Complete:
Portanto, embora o Todo-Poderoso tenha criado o tempo, este não o ________________________________. Ele é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente (Hb 13.8; 1 Tm 1.17). A Bíblia nos ensina que DEUS é a _____________________________ do tempo, da história, das coisas visíveis e invisíveis «(I 1 .16. Ver Is 43.15; 45.9; Jo 1.1). Ele não teve ___________________________ e nem terá fim (1 Tm 1.17; Ap 1.8; 21.6).
 
7- Complete:
O tempo está na dimensão ____________________________, as coisas eternas fazem parte da realidade ______________________.DEUS não está limitado à ordem ____________________________ natural do tempo. DEUS não está condicionado ao tempo, razão pela qual conhece perfeitamente o passado, o presente e o futuro, e não é afetado por eles (ls 40.28; 57.15; 1 Tm 1.17; 2 Pe 3.8).
 
8- Quais os dois aspectos da eternidade na Bíblia?
(    ) Eternidade presente e eternidade futura.
(    ) Eternidade passada e eternidade futura.
(    ) Eternidade passada e eternidade presente.
 
9- Quais tipos de futuro sempre trouxe inquietações ao homem? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso:
(    ) O imediato.
(    ) O passado.
(    ) O dia de amanhã.
(    ) O longínquo.
(    ) O escatológico.
(    ) O futuro de DEUS.
(    ) O profético.
 
10- O que acontece quanto ao futuro longínquo?
(    ) Somente o Senhor pode prevê-Io, designá-Io e anunciá-Io.
(    ) Os homens podem prevê-Io, designá-Io e anunciá-Io.
(    ) Os homens e o Senhor podem prevê-Io, designá-Io e anunciá-Io.
 
11- Cite algumas práticas de adivinhação que DEUS proíbe? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso:
(    ) Astrologia.
(    ) Bíblia.
(    ) Hidromancia.
(    ) Quiromancia.
(    ) Profecia.
(    ) Tarô.
(    ) Mapa astral.
 
12- DEUS conhece o nosso futuro. Complete:
Seja o ___________________________, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o _______________________, tudo é vosso, e vós, de ______________________, e CRISTO de DEUS" (l Co 3.22).
 
II - O GLORIOSO FUTURO DA IGREJA
13- O que abrange a onisciência divina?
(    ) O presente e o futuro
(    ) O passado, o presente e o futuro
(    ) O passado e o futuro
 
14- O que revela a a presciência de DEUS?
(    ) O discernimento que Ele possui de todas as coisas, finitas quanto eternas; de modo que nada acontece sem que o Todo Poderoso tenha plena ciência.
(    ) O conhecimento que Ele possui de todas as coisas, finitas quanto eternas; de modo que nada acontece sem que o Todo Poderoso tenha plena ciência.
(    ) O arrependimento que Ele demonstra nas coisas tanto finitas quanto eternas; de modo que nada acontece sem que o Todo Poderoso tenha plena ciência.
 
15- Complete:
"Porque para mim tenho por certo que as ______________________ deste tempo ________________________________ não são para com parar com a __________________________________ que em nós há de ser revelada" (Rm 8.18). "Consolai-vos uns aos outros com estas palavras" (1 Ts 4.18).
 
16- Onde se dará o Tribunal de CRISTO, onde será galardoada a Igreja gloriosa de CRISTO?
(    ) Na Jerusalém celeste, tão logo termine a grande tribulação.
(    ) No céu, tão logo se inicie o milênio, logo após o arrebatamento da Igreja.
(    ) Nas nuvens, tão logo tenha lugar o arrebatamento da Igreja.
 
17- O que ocorrerá no Tribunal de CRISTO? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso:
(    ) Seremos recompensados por CRISTO segundo as nossas obras.
(    ) É a outorga de galardões, por aquilo que tivermos feito por meio do corpo, bem ou mal.
(    ) Alguns serão expulsos, pois não realizaram obras aproveitáveis para DEUS enquanto aqui na Terra.
(    ) A Bíblia nos assevera que o "fogo provará qual seja a obra de cada um.
(    ) Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.
(    ) Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo" (1 Co 3.1215).
 
III - O TENEBROSO FUTURO DOS ÍMPIOS
18- Qual é o futuro dos ímpios? Coloque "V" para Verdadeiro e "F" para Falso:
(    ) Sofrerão as conseqüências de sua rebeldia e rejeição contra DEUS. 
(    ) Os que rejeitam o Filho de DEUS sofrerão, inicialmente, na Grande Tribulação.
(    ) Ficarão na Terra para sempre, sem direito à ressurreição.
(    ) Os que rejeitam o Filho de DEUS sofrerão por toda a eternidade.
 
CONCLUSÃO
19- Complete:
DEUS conhece, controla e comanda o _______________________. Uma vez que o _____________________________ da Igreja será glorioso, todo crente deve regozijar-se; mesmo quando as circunstâncias o impedem de vislumbrar a _________________________________ que "em nós há de ser revelada" (Rm 8.18).
 
 
Subsídio Devocional "O Tempo - A palavra tempo aparece na Bíblia 446 vezes. O termo mais usado no grego para tempo é cronos, daí as palavras cronômetro, cronologia, crônica, etc. No entanto, quando a Bíblia se refere a DEUS, costuma usar no grego, para sua dimensão, o termo aiónios, que é similar aos vocábulos hebraicos 'adh e 'ôãm. De acordo com os dicionários bíblicos, esses dois termos falam de eternidade. Eles surgem no Antigo Testamento para descrever a longevidade dos montes e, quando isso acontece, muitas vezes estão em um sentido poético, para referir-se à eternidade; surgem para se falar de um tempo de duração desconhecida e, na maioria das vezes, para serem relacionados à pessoa de DEUS, que é eterno e não está sujeito ao tempo, ou às coisas relacionadas a este.
O termo grego aiónios sugere no Novo Testamento e significa, geralmente, tempo indefinido no passado ou no futuro. Justamente por isso, além de seu significado temporal, que é eterno, significa também divino ou imortal. Portanto, aiônios é o tempo de DEUS, é a dimensão imensurável, é o ambiente Dele. O nosso é cronos." (Daniel, Silas. Reflexões sobre a alma e o tempo. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, pp. 123-4).
 
 
Ajuda:
CPAD - www.cpad.com.br - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm   (VÍDEOS da EBD na TV, DESTA LIÇÃO INCLUSIVE)
BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD.  
http://www.monergismo.com/textos/tempo/tempo_2_best.htm  
Teologia Sistemáticado autor, Editora Cultura Cristã , Louis Berkhof
http://www.espada.eti.br/p195.asp
Nosso novo endereço: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos
Veja vídeos em www.ebdweb.com.br em http://www.ieadnovocacoal.com.br/ebd-henr.htm em http://www.idbpa.net/joomla/index - Ou nos sites seguintes:
4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube. 
 
 
 
Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos