Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
 
LIÇÃO 8, O COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS
Lições Bíblicas do 4º Trimestre de 2011 - CPAD - Jovens e Adultos
NEEMIAS - Integridade e Coragem em Tempos de Crise
Comentários da revista da CPAD: Pr. Elinaldo Renovato de Lima
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO
 
 
TEXTO ÁUREO
"Firmemente aderiram [...] de que guardariam e cumpririam todos os mandamentos do SENHOR, nosso Senhor, e os seus juízos e os seus estatutos" (Ne 10.29).
 
 
VERDADE PRATICA
O compromisso com a Bíblia é o requisito imprescindível para a Igreja de CRISTO seguir vitoriosa.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda-2 Co 9.7 - Contribuindo com alegria
Terça-Gn 2.18-25 - A formação da primeira família
Quarta-SI 122.1 - Alegria em ir à Casa do Senhor
Quinta-Gn 9.8-17 - Juramento de DEUS
Sexta - 2 Co 6.14 - Jugo desigual: um perigo para o crente
Sábado - Mt 23.23 - Não desprezais o juízo, a misericórdia e a fé
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Neemias 10.28-33
28- Eo resto do povo, os sacerdotes, os levitas, os porteiros, os cantores, os netineus e todos os que se tinham separado dos povos das terras para a Lei de DEUS, suas mulheres, seus filhos e suas filhas, todos os sábios e os que tinham capacidade para entender 29 - firmemente aderiram a seus irmãos, os mais nobres de entre eles, e convieram num anátema e num juramento, de que andariam na Lei de DEUS, que foi dada pelo ministério de Moisés, servo de DEUS; e de que guardariam e cumpririam todos os mandamentos do Senhor, nosso Senhor, e os seus juízos e os seus estatutos; 30 - e que não daríamos as nossas filhas aos povos da terra, nem tomaríamos as filhas deles para os nossos filhos; 31 - e de que, trazendo os povos da terra no dia de sábado algumas fazendas e qualquer grão para venderem, nada tomaríamos deles no sábado, nem no dia santificado; e livre deixaríamos o ano sétimo e toda e qualquer cobrança. 32 - Também sobre nós pusemos preceitos, impondo-nos cada ano a terça parte de um siclo, para o ministério da Casa do nosso DEUS; 33 - para os pães da proposição, e para a contínua oferta de manjares, e para o contínuo holocausto dos sábados, das luas novas, e para as festas solenes, e para as coisas sagradas, e para os sacrifícios pelo pecado, para reconciliar a Israel, e para toda a obra da Casa do nosso DEUS.
 
10.29 CONVIERAM... NUM JURAMENTO. O avivamento liderado por Esdras (8-10) conduziu a um firme compromisso do povo obedecer à vontade de Deus. O povo, uma vez dedicado, assim se manifestou:
(1) servirem fielmente ao Senhor, segundo os seus mandamentos (v. 29);
(2) conservarem-se puros e separados do mundo (vv. 30,31; cf. Tg 1.27); e
(3) sustentarem a obra de Deus, dando seu tempo, dinheiro e bens (vv. 32-39).

PALAVRA-CHAVE - Compromisso - Obrigação assumida por uma ou diversas partes; comprometimento.
 
Avivamento sem bíblia é fanatismo e avivamento sem pentecostes é formalismo, portanto somente a união entre Oração (e pentecostes) e Palavra trará um avivamento duradouro e frutificador.
Em todo legítimo avivamento existe uma liderança que pratica jejum, oração e estudo da Bíblia, bem como vive em vitória sobre Stanás e seus demônios.
 
Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? (2 Co 6.14,15)
 
Resposta: A pergunta sobre se um Cristão deve começar uma sociedade empresarial com um descrente ou se a Bíblia proíbe um crente e um descrente de fazerem parte de uma sociedade é bem comum. O versículo mais citado é “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?” (2 Coríntios 6:14). Muitas vezes, esse versículo é interpretado como uma proibição dos Cristãos de se casarem com não-Cristãos. Esse versículo com certeza se aplica ao casamento, mas não há nada no seu contexto que o limite apenas ao casamento. Todos os tipos de “jugo desigual” são proibidos – casamentos, amizades íntimas, laços eclesiásticos e sociedades empresariais.
O comando implica que existe uma grande diferença entre um crente e um descrente. Geralmente falando, as motivações, objetivos e métodos de um Cristão são incompatíveis com os do mundo. A fé muda o caráter de um homem. A ambição mais elevada na vida de um Cristão deve ser a de glorificar ao Senhor Jesus e agradá-lO em todas as coisas; um descrente é, ao máximo, indiferente a tais ambições. Mesmo se parecermos ter muito em comum com um descrente, o nosso coração reside em um reino totalmente diferente.
2 Coríntios 6:14 então pergunta: “E que comunhão tem a luz com as trevas?” Dizem que as pessoas estão “em comunhão” quando compartilham algo. Sócios estão unidos de tal forma que precisam compartilhar coisas – o que pertence a um também pertence ao outro. Isso é o que “comunhão” quer dizer. Nosso conselho é de seguir as Escrituras e de evitar unir-se com os não– Cristãos. “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” (Amós 3:3).
Fonte: Got Questions
 
Se fossemos fazer uma pesquisa sobre casamentos desfeitos por cristãos, certamente encontraríamos o motivo de julgo desigual em pelo menos 90% dos casos. Antes do casamento a pessoa é dócil, vai à igreja, frequenta as festas da igreja, cumprimenta e elogia a todos. Após o casamento acontece o contrário.

O Senhor, estabeleceu condições definidas com respeito à pessoa com quem o crente deve se casar. A Bíblia, indica claramente que o casamento do povo de Deus deve ficar limitado aos da mesma fé. A pessoa crente não deve casar-se com alguém que não faça parte do povo de Deus.

 
1. Os Ensinamentos do Velho Testamento
O Velho Testamento, contém exortações suficientes para confirmar que não devemos nos casar fora do povo de Deus (Deut 7:3-4).
Não foi permitido ao povo de Israel, que seus filhos se casassem com os filhos de seus vizinhos: cananeus, heteus, zebuzeus, filisteus, moabitas, amonitas, edomitas, sidônios etc, para que não se desviassem seguindo os costumes destes povos na adoração a outros deuses. Salomão cometeu abominação diante de Deus casando-se com mulheres estrangeiras (I Reis 11:1-9).
 
1.1 O Aviso de Josué
Josué, também avisou sobre o povo da terra, pois isso poderia tornar-se um laço, uma armadilha para eles. Esposas e maridos estrangeiros seriam como espinhos e os amarrariam até que eles fossem destruídos. (Josué 23:12-13).
 
1.2 A Volta de Neemias
Quando Neemias retornou à terra de Judá, depois de visitar a terra de seu cativeiro, ele descobriu que muitos dos filhos de Israel não podiam falar a língua dos judeus devido aos casamentos mistos que tinham contraído. Neemias contendeu com eles e os obrigou a se separarem completamente das mulheres estrangeiras (Neemias 13:23-27). O grande problema dos casamentos mistos é que mais cedo ou mais tarde os filhos tenderão mais a seguir o pai ou a mãe descrente, e deixarão de servir a Deus com o que é crente. Os casais mistos são testemunhas das lutas e dificuldades para criarem os seus filhos no evangelho.
 
1.3 A Época de Malaquias
Casar com a filha de um gentio, aos olhos de Deus, significa profanar a sua santidade. Portanto, o casamento cristão fica limitado aos crentes, principalmente aos que professam a mesma fé e ordem. (Malaquias 2:11).
Salomão foi o mais sábio dos reis, contudo, caiu na idolatria através de casamentos com mulheres estrangeiras.
 
2. O Ensino do Novo Testamento
No Novo Testamento, o apóstolo Paulo, escreve claramente com respeito a quem pode ser a outra parte na união conjugal.
 
2.1 Uma Palavra Para as Viúvas
Escrevendo a Igreja de Coríntios, Paulo recomendou em sua primeira carta que a mulher está ligada ao seu marido enquanto vive, contudo se vier a falecer o marido, a mulher está livre para casar-se novamente, mas somente no Senhor. (I Cor 7:39).
 
2.2 Não Vos Ponhais em Jugo Desigual
 Paulo, mostra implicitamente com quem o crente deve casar-se, em sua segunda carta a Igreja de Corintios – "Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos, porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo? Que ligação há entre o santuário de Deus e os ídolos? Porque nós somos santuário de Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles, serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. Por isso, retirai-vos, diz o Senhor; não toqueis em coisas impuras; e eu vos receberei; serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso. Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus" (II Cor 6:14 a 7:1). Para um crente e um incrédulo trabalharem juntos a fim de alcançarem um determinado alvo, seria como colocar juntos dois tipos opostos de animais, sob um único jugo, para ararem a terra. (Deut 22:10). O boi é lento e o jumento rápido. Um quer ir por um caminho e o outro por outro caminho. No caso do jugo desigual entre o crente e o descrente, um vai estar preocupado com as coisas espirituais e o outro com as coisas materiais. Um vai em busca das coisas eternas na direção do céu e o outro nas coisas passageiras do mundo.
 
2.3 Se For Casado Com Uma Pessoa Não-Salva e Este Quiser se Apartar
Escrevendo aos Coríntios, o apóstolo Paulo responde esta questão dizendo que se um cônjuge não crente quiser se apartar, que o cônjuge crente permita (I Cor. 7:15). A iniciativa da separação nunca deve ser do crente e sim dos descrente. Não é o crente que quer se apartar, mas o incrédulo. É o descrente que está descontente, pensando que não há mais futuro no lar para eles, desde que o crente se converteu ao Senhor. Jesus predisse que haveria problemas na família por causa do evangelho (Luc 12:51-52; 18:29-30; Mat 19:29; Mat 10:34-36).
 
2.4 Se ele ficar, o Espírito Santo vai trabalhar para sua conversão
Se a esposa ou o marido incrédulo consente em morar com o crente, Paulo diz que este não deve deixar o seu cônjuge. Deus nos chamou à paz. O incrédulo é santificado no convívio com o crente. Pode ser que a esposa ou o marido incrédulo seja salvo (I Cor 7:12-14).
Augusto Bello de Souza Filho - Bacharel em Teologia (http://www.bibliapage.com/casament.html)
 
 
 
NEEMIAS CAPÍTULO 9 - COMENTÁRIO BÍBLICO DO ANTIGO TESTAMENTO, VOL 1, Gênesis a Neemias - Matthew Henry
    • Versículos 1-3                 Um jejum solene
    • Versículos 4-38               Oração e confissão de pecado
 
Versículos 1-3
A palavra dirige e aviva a oração, porque por ela o ESPÍRITO SANTO ajuda em nossas fraquezas. O estudo cuidadoso da palavra de DEUS nos revela gradualmente nossa pecaminosidade e a abundância de sua salvação; de modo que isto nos chama a condoer-nos pelo pecado e a regozijar-nos nEle. Todo descobrimento da verdade de DEUS deveria fazer-nos mais atentos a sua santa palavra e dispostos a participar em seu culto.
Versículos 4-38
Aqui temos registrado o resumo de suas orações. Sem dúvida foi dito muito mais. Qualquer seja a habilidade que tenhamos para fazer algo na senda do dever, temos de servir e glorificar a DEUS conforme o melhor. Quando confessamos nossos pecados, bom é que percebamos as misericórdias de DEUS para sentir-nos mais humilhados e envergonhados. Os tratamentos do Senhor demonstravam sua bondade e paciência, e a dureza de seus corações. O testemunho dos profetas era o testemunho do ESPÍRITO nos profetas, que é o ESPÍRITO de CRISTO neles. Eles falaram movidos pelo ESPÍRITO SANTO e o que disseram deve ser recebido em forma conseqüente. Os resultados foram maravilhas pelas misericórdias do Senhor, e o sentimento de que o pecado os tinha conduzido a seu estado atual, do qual nada podia resgatá-los senão seu imerecido amor. Não é sua conduta uma amostra da natureza humana? Estudemos a história de nossa pátria e a nossa. Lembremo-nos de nossas vantagens da infância e perguntemos: quais foram nossas primeiras respostas? Façamos isso com freqüência, para mantermos a humildade, a gratidão e para que vigiemos. Todos devem lembrar que o orgulho e a obstinação são pecados que destroem a alma. porém, costuma ser tão difícil convencer o quebrantado de coração para que tenha esperança, como antes custou levá-lo a temer. É este seu caso? Atente para esta doce promessa. DEUS disposto a perdoar! Em lugar de manter-nos afastados de DEUS pelo sentido da própria indignidade. Vamos diretamente ao trono da graça para receber misericórdia e achar graça para o oportuno socorro. Ele é um DEUS disposto a perdoar.
 
 
RESUMO RÁPIDO
I - OBEDECENDO A PALAVRA DE DEUS
O povo e seus líderes tomaram a única decisão plausível de quem deseja um avivamento - decidiram obedecer à Palavra de DEUS.
Havia um preço a ser pago, um alto preço.
Essa decisão envolvia valorização maior das coisas de DEUS em detrimento de suas coisas pessoais.
1. Um concerto com DEUS.
Nesse tipo de concerto existiam regras a serem obedecidas para que ambas as partes saíssem ganhando.
2. Os líderes como exemplo (Ne 10.28.29).
os líderes estavam envolvidos e só haveria concerto se os mesmos se sujeitassem às ordenanças de DEUS, assim como o povo. Para DEUS todos são iguais quando se trata de humilhação em sua presença.
3. A instrução das Escrituras.
As escrituras exigiam que se cumprisse exatamente o que eles não estavam cumprindo. As escrituras trouxeram revelação de pecados que deveriam ser deixados.
II - UM POVO SEPARADO
DEUS escolheu aquele povo para ser exemplo no meio duma geração incrédula e pecadora. Em tudo deveriam ser santos. Em sua maneira de alimentar, de se comportar e de adorarem a DEUS.
1. A união reprovada por DEUS.
Existiam tanto líderes como pessoas do povo em geral unidos com povos estranhos ao concerto. Haviam já famílias de estranhos à aliança. era preciso deixá-los para que o concerto fosse firmado.
2. A dolorosa separação.
Imagine quantos pais, quantos filhos, quantas mães, quantas esposas, choravam naqueles dias. A dor era grande, mas a obediência a DEUS falou mais alto. o que os movia à obediência total e irrestrita era o ESPÍRITO SANTO que agora os guiava a toda verdade.
3. O jugo desigual.
DEUS não aceita seu povo comungar com pecadores. Somos templo do ESPÍRITO SANTO e não podemos participar dos pecados alheios. sede santos porque Eu, o Senhor, sou santo. Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá ao Senhor.
Ill - O CUIDADO COM O TEMPLO DO SENHOR
1. O Templo.
Nossa casa não pode ser mais importante que o templo - local de adoração a DEUS. O templo é local de estarmos com nossos irmãos e louvarmos e adoramos o nosso DEUS.
2. O dia de adoração.
Assim como no Domingo, hoje, podemos nos dedicar a ir ao templo aprender do Senhor na EBD, evangelizarmos, jejuarmos e adorarmos a DEUS; naqueles dias era consagrado o dia de ábado para que isso fosse realizado. Naqueles dias, esse dia estava sendo perturbado por comerciantes que levavam suas mercadorias para as proximidades do templo, pelo lado de fora do muro da cidade; assim os israelitas eram induzidos a profanarem o dia de adoração com o envolvimento com as coisas dessa vida. Neemias os proibiu de ali estarem e mandou que as portas dsa cidade fossem fechadas nesse dia. isso agradou a DEUS e levou o povo a total consagração a DEUS.
3. A manutenção da Casa do Senhor.
A casa do Senhor deve estar sempre limpa e com suas contas pagas em dia, como exemplo diante da sociedade ímpia. naqueles dias eram exigidos 4 gramas de prata, por ano, como taxa de manutenção do templo. Além disso eram exigidos animais e especiarias para os sacrifícios ali oferecidos, bem como ajuda na alimentação e sustento dos sacerdotes e levitas que estavam a cargo do serviço do templo. Hoje, precisamos nos lembrar da energia elétrica, limpeza, água, faxina, funcionários e liderança que está à disposição da obra de DEUS.
 
 
A PALAVRA DE DEUS - BEP - CPAD
Is 55.10,11 “Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus, e para lá não tornam, mas regam a terra e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.”

A NATUREZA DA PALAVRA DE DEUS. A expressão “a palavra de DEUS” (também “a palavra do Senhor”, ou simplesmente “a palavra”) possui várias aplicações na Bíblia. (1) Obviamente, refere-se, em primeiro lugar, a tudo quanto DEUS tem falado diretamente. Quando DEUS falou a Adão e Eva (e.g., Gn 2.16,17; Gn 3.9-19), o que Ele lhes disse era, de fato, a palavra de DEUS. De modo semelhante, Ele se dirigiu a Abraão (e.g., Gn 12.1-3), a Isaque (e.g., Gn 26.1-5), a Jacó (e.g., Gn 28.13-15) e a Moisés (e.g., Êx 3–4). DEUS também falou à totalidade da nação de Israel, no monte Sinai, ao proclamar-lhe os dez mandamentos (ver Êx 20.1-19). As palavras que os israelitas ouviram eram palavras de DEUS. (2) Além da fala direta, DEUS ainda falou através dos profetas.
Quando eles se dirigiam ao povo de DEUS, assim introduziam as suas declarações: “Assim diz o Senhor”, ou “Veio a mim a palavra do Senhor”. Quando, portanto, os israelitas ouviam as palavras do profeta, ouviam, na verdade, a palavra de DEUS. (3) A mesma coisa pode ser dita a respeito do que os apóstolos falaram no NT. Embora não introduzissem suas palavras com a expressão “assim diz o Senhor”, o que falavam e proclamavam era, verdadeiramente, a palavra de DEUS. O sermão de Paulo ao povo de Antioquia da Pisídia (At 13.14-41), por exemplo, criou tamanha comoção que, “no sábado seguinte, ajuntou-se quase toda a cidade a ouvir a palavra de DEUS” (At 13.44). O próprio Paulo assegurou aos tessalonicenses que, “havendo recebido de nós a palavra da pregação de DEUS, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo é, na verdade) como palavra de DEUS” (1Ts 2.13; cf. At 8.25). (4) Além disso, tudo quanto JESUS falava era palavra de DEUS, pois Ele, antes de tudo, é DEUS (Jo 1.1,18; 10.30; 1Jo 5.20). Lucas, escritor do terceiro evangelho, declara explicitamente que, quando as pessoas ouviam a JESUS, ouviam na verdade a palavra de DEUS (Lc 5.1). Note como, em contraste com os profetas do AT, JESUS introduzia seus ditos: Eu “vos digo...” (e.g., Mt 5.18,20,22,23,32,39; 11.22,24; Mc 9.1; 10.15; Lc 10.12; 12.4; Jo 5.19; 6.26; 8.34). Noutras palavras, Ele tinha dentro de si mesmo a autoridade divina para falar a palavra de DEUS. É tão importante ouvir as palavras de JESUS, pois “quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação” (Jo 5.24). JESUS, na realidade, está tão estreitamente identificado com a palavra de DEUS que é chamado “o Verbo” [“a Palavra”] (Jo 1.1,14; 1Jo 1.1; Ap 19.13-16; ver Jo 1.1). (5) A palavra de DEUS é o registro do que os profetas, apóstolos e JESUS falaram, i.e., a própria Bíblia. No NT, quer um escritor usasse a expressão “Moisés disse”, “Davi disse”, “o ESPÍRITO SANTO diz”, ou “DEUS diz”, nenhuma diferença fazia (ver At 3.22; Rm 10.5,19; Hb 3.7; 4.7); pois o que estava escrito na Bíblia era, sem dúvida alguma, a palavra de DEUS. (6) Mesmo não estando no mesmo nível das Escrituras, a proclamação feita pelos autênticos pregadores ou profetas, na igreja de hoje, pode ser chamada a palavra de DEUS. (a) Pedro indicou que, a palavra que seus leitores recebiam mediante a pregação, era palavra de DEUS (1Pe 1.25), e Paulo mandou Timóteo “pregar a Palavra” (2Tm 4.2). A pregação, porém, não pode existir independentemente da Palavra de DEUS. Na realidade, o teste para se determinar se a palavra de DEUS está sendo proclamada num sermão, ou mensagem, é se ela corresponde exatamente à Palavra de DEUS escrita. (b) O que se diz de uma pessoa que recebe uma profecia, ou revelação, no âmbito do culto de adoração (1Co 14.26-32)? Ela está recebendo, ou não, a palavra de DEUS? A resposta é um “sim”. Paulo assevera que semelhantes mensagens estão sujeitas à avaliação por outros profetas. Todavia, há a possibilidade de tais profecias não serem palavra de DEUS (ver 1Co 14.29). É somente em sentido secundário que os profetas, hoje, falam sob a inspiração do ESPÍRITO SANTO; sua revelação jamais deve ser elevada à categoria da inerrância (ver 1Co 14.31).

O PODER DA PALAVRA DE DEUS. A palavra de DEUS permanece firme nos céus (Sl 119.89; Is 40.8; 1Pe 1.24,25). Não é, porém, estática; é dinâmica e poderosa (cf. Hb 4.12), pois realiza grandes coisas (55.11). (1) A palavra de DEUS é criadora. Segundo a narrativa da criação, as coisas vieram a existir à medida que DEUS falava a sua palavra (e.g., Gn 1.3,4,6,7,9). Tal fato é resumido pelo salmista: “Pela palavra do SENHOR foram feitos os céus” (Sl 33.6, 9); e pelo escritor aos Hebreus: “Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de DEUS, foram criados” (Hb 11.3; cf. 2Pe 3.5). De conformidade com João, a Palavra que DEUS usou para criar todas as coisas foi JESUS CRISTO (Jo 1.1-3). (2) A palavra de DEUS sustenta a criação. Nas palavras do escritor aos Hebreus, DEUS sustenta “todas as coisas pela palavra do seu poder” (Hb 1.3; ver também Sl 147.15-18). Assim como a palavra criadora, essa palavra relaciona-se com JESUS CRISTO segundo Paulo insiste: “todas as coisas subsistem por ele [JESUS]” (Cl 1.17). (3) A palavra de DEUS tem o poder de outorgar vida nova. Pedro testifica que nascemos de novo “pela palavra de DEUS, viva e que permanece para sempre” (1Pe 1.23; cf. 2 Tm 3.15; Tg 1.18). É por essa razão que o próprio JESUS é chamado o Verbo da vida (1Jo 1.1). (4) A palavra de DEUS também libera graça, poder e revelação, por meio dos quais os crentes crescem na fé e na sua dedicação a JESUS CRISTO. Isaías emprega um expressivo quadro verbal: assim como a água proveniente do céu faz as coisas crescerem, assim a palavra que sai da boca de DEUS nos leva a crescer espiritualmente (55.10,11). Pedro ecoa o mesmo pensamento ao escrever que, ao bebermos do leite puro da palavra de DEUS, crescemos em nossa salvação (1Pe 2.2). (5) A palavra de DEUS é a arma que o Senhor nos proveu para lutarmos contra Satanás (Ef 6.17; cf.Ap 19.13-15). JESUS derrotou Satanás, pois fazia uso da Palavra de DEUS: “Está escrito” (i.e., “consta como a Palavra infalível de DEUS”; cf. Lc 4.1-11; ver Mt 4.1-11). (6) Finalmente, a palavra de DEUS tem o poder de nos julgar. Os profetas do AT e os apóstolos do NT freqüentemente pronunciavam palavras de juízo recebidas do Senhor. O próprio JESUS assegurou que a sua palavra condenará os que o rejeitarem (Jo 12.48). E o autor aos Hebreus escreve que a poderosa palavra de DEUS julga “os pensamentos e intenções do coração” (ver Hb 4.12). Noutras palavras: os que optam por desconsiderar a palavra de DEUS, acabarão por experimentá-la como palavra de condenação.

NOSSA ATITUDE ANTE A PALAVRA DE DEUS. A Bíblia descreve, em linguagem clara e inconfundível, como devemos proceder quanto a palavra de DEUS em suas diferentes expressões. Devemos ansiar por ouvi-la (1.10; Jr 7.1,2; At 17.11) e procurar compreendê-la (Mt 13.23). Devemos louvar, no Senhor, a palavra de DEUS (Sl 56.4,10), amá-la (Sl 119.47,113), e dela fazer a nossa alegria e deleite (Sl 119.16,47). Devemos aceitar o que a palavra de DEUS diz (Mc 4.20; At 2.41; 1Ts 2.13), ocultá-la nas profundezas de nosso coração (Sl 119.11), confiar nela (Sl 119.42), e colocar a nossa esperança em suas promessas (Sl 119.74,81,114; 130.5). Acima de tudo, devemos obedecer ao que ela ordena (Sl 119.17,67; Tg 1.22-24) e viver de acordo com seus ditames (Sl 119.9). DEUS conclama os que ministram a palavra (cf. 1Tm 5.17) a manejá-la corretamente (2Tm 2.15), e a pregá-la fielmente (2Tm 4.2). Todos os crentes são convocados a proclamarem a palavra de DEUS por onde quer que forem (At 8.4).
 
Sl 119.1-12
1 - Bem aventurados os que trilham caminhos retos e andam na lei do SENHOR. 2 - Bem aventurados os que guardam os seus testemunhos e o buscam de todo o coração. 3 - E não praticam iniqüidade, mas andam em seus caminhos. 4 - Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos. 5 - Tomara que os meus caminhos sejam dirigidos de maneira a poder eu observar os teus estatutos. 6 - Então, não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos. 7 - Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido os teus justos juízos. 8 - Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente. 9 - Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra. 10 - De todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos. 11 - Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. 12 - Bendito és tu, ó SENHOR! Ensina-me os teus estatutos. 
 
 
A TRANSMISSÃO DA BÍBLIA
Ao ordenar que a Sua palavra fosse escrita num livro, DEUS a fez herança e bênção para todos os povos.

 
 
 
 
Infelizmente milhões de pessoas ainda não têm uma linha sequer da bíblia em sua língua. Precisamos fazer algo a esse respeito e tornar conhecida a Palavra de DEUS. Ajude os grupos de apoio à fabricação de bíblias para serem doadas onde ainda não há.

 
 
CRISTO, DO GÊNESIS AO APOCALIPSE
Estudiosos da BÍBLIA têm calculado que mais de trezentos detalhes proféticos foram cumpridos em CRISTO. Aqueles que ainda não foram cumpridos referem-se à sua segunda vinda e ao seu reino, ainda futuros.
1. CRISTO no Pentateuco. O Pentateuco compreende os primeiros cinco livros da BÍBLIA, escrito por Moisés. Eles falam de CRISTO como o descendente da mulher, o nosso Cordeiro Pascal, o nosso Sacrifício pelo pecado, aquele que foi levantado para nossa cura e redenção, e o Verdadeiro Profeta.
2. CRISTO nos livros históricos. Os livros históricos agrupam os livros da BÍBLIA que vão desde Josué até o livro de Ester. Da dramaticidade dos seus relatos, sobressai a figura singular do Salvador como o Capitão da nossa salvação, o nosso Juiz e Libertador, o nosso Parente Resgatador, o nosso Rei Soberano, o Restaurador de nossas vidas, e a divina corte de apelação das causas perdidas.
3. CRISTO nos livros poéticos. O conjunto de livros que forma a seção dos livros poéticos compreende os livros de Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes e Cantares. Na BÍBLIA eles se irmanam na exaltação do Senhor JESUS CRISTO como o nosso Redentor que vive, o nosso socorro e Alegria, a Sabedoria de DEUS só achada pêlos diligentes madrugadores, o Alvo Verdadeiro, e o Amado da nossa alma.
4. CRISTO nos livros proféticos. Os livros proféticos do Antigo Testamento são os livros compreendidos desde Isaías até Malaquias. Neles o espírito profético vaticina a humanização, humilhação e glorificação do Messias de DEUS. Eles o apresentam como o Messias que há de vir, o Renovo da Justiça, o Filho do homem, o Soberano de toda a terra cujo trono jamais será removido, o Marido fiel, o restaurador benevolente, o Divino Lavrador, o nosso Salvador imutável, a nossa Ressurreição e Vida, a Testemunha fiel contra as nações rebeldes, a nossa Fortaleza no dia da angústia, o DEUS da nossa salvação, o Senhor Zeloso, o Desejado de todas as nações, o Pastor ferido, o Sol da Justiça.
5. CRISTO no Novo Testamento. O CRISTO vaticinado no Antigo Testamento encontra nos escritos do Novo Testamento a Sua maior expressão. Este o apresenta como o Messias manifesto, o Servo de DEUS, o Filho do homem, o Filho de DEUS, o Senhor redivivo, a divina causa da nossa justificação, o Senhor nosso, a nossa Suficiência, o nosso Libertador do jugo da lei, o nosso Tudo em todas as coisas, a nossa Alegria e Gozo, a nossa Vida, Aquele que há de vir, o Senhor que vai voltar, o nosso Mestre, o nosso Exemplo, o nosso Modelo, o nosso Senhor e Mestre, o nosso Intercessor junto ao trono do Pai, a Preciosa Pedra Angular da nossa fé, a nossa Força, a nossa Vida, o nosso Caminho, Aquele que há de vir com milhares dos seus santos e anjos, e o Triunfante Rei dos reis e Senhor dos senhores.
 
Lc 4.16 E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga e levantou-se para ler. 17 E foi-lhe dado o livro do profeta Isaías; e, quando abriu o livro, achou o lugar em que estava escrito: 18 O ESPÍRITO do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração, 19 a apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor. 20 E, cerrando o livro e tornando a dá-lo ao ministro, assentou-se; e os olhos de todos na sinagoga estavam fitos nele. 21 Então, começou a dizer-lhes: Hoje, se cumpriu esta Escritura em vossos ouvidos.
 Somente um louco desprezaria os escritos do Antigo Testamento, bem como diria que não é a pura e infalível Palavra de DEUS. O próprio JESUS testificou e ratificou o Antigo Testamento como sendo a Palavra de DEUS com cabal cumprimento Nele mesmo.

Poderíamos afirmar várias coisas sobre a BÍBLIA, mas que fique gravado na mente e no coração de seus alunos :que Ela é a inerrante e eterna Palavra de DEUS. 

Professor, que tal ensinar aos jovens e adultos de forma lúdica? Primeiro discuta com os alunos o que teria acontecido se a BÍBLIA houvesse sido transmitida apenas oralmente, de geração em geração. Sem perder muito tempo, faça a dinâmica do "telefone sem fio". Comece cochichando no ouvido do primeiro aluno a seguinte frase: "A BÍBLIA é a inspirada, infalível e inerrante Palavra de DEUS". A distorção que, com certeza, a frase sofrerá, até que o último aluno a repita, vai dar à classe a idéia do que teria acontecido, caso a Palavra de DEUS não fosse escrita, mas apenas transmitida oralmente. 
 
DEUS, o autor da BÍBLIA, inspirou os escritores sagrados.
A BÍBLIA é constituída de 66 livros, e foi escrita em um período de 1600 anos. DEUS usou cerca de 40 homens para compô-Ia. 
Os homens santos escreveram a Palavra de DEUS valendo-se do próprio estilo, vocabulário, cultura e da direção do ESPÍRITO SANTO. 
 
INTERAÇÃO
Ao aceitarmos a CRISTO como o nosso Senhor e Salvador, comprometemo-nos diretamente em seguir seus ensinamentos, pois não há possibilidade alguma de dizermos que somos seus seguidores sem vivê-los. Israel descobriu, após muito sofrimento que se tivesse guardado a Lei, o povo não terminaria no cativeiro, as cidades não teriam sido devastadas e os muros não necessitariam de reconstrução. Quando pautamos nossa vida nas Sagradas Escrituras, naturalmente passamos a ter comunhão com o Senhor e a sua boa mão permanece sobre nós.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Compreender que a Bíblia é o guia para que tenhamos uma vida vitoriosa e abundante.
Conscientizar-se de que o crente não pode se casar com idólatras.
Estabelecer um dia da semana para adorar ao Senhor.
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, converse com seus alunos explicando que o avivamento experimentado pelo povo de DEUS, fez com que os israelitas assumissem um compromisso de obedecer ao Senhor e à sua Palavra.
 
 
RESUMO DA LIÇÃO 8, O COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS
I - OBEDECENDO A PALAVRA DE DEUS
1. Um concerto com DEUS.
2. Os líderes como exemplo (Ne 10.28*29).
3. A instrução das Escrituras.
II - UM POVO SEPARADO
1. A união reprovada por DEUS.
2. A dolorosa separação.
3. O jugo desigual.
Ill - O CUIDADO COM O TEMPLO DO SENHOR
1. O Templo.
2. O dia de adoração.
3. A manutenção da Casa do Senhor.
 
SINOPSE DO TÓPICO (1)- Como fruto da leitura e entendimento da Lei os judeus experimentaram um verdadeiro avivamento e firmaram um compromisso de obedecer a Palavra de DEUS.
SINOPSE DO TÓPICO (2) - O povo é conclamado a desfazer as uniões com os pagãos, pois DEUS não aprova casamentos entre crentes e descrentes.
SINOPSE DO TÓPICO (3) - Após o concerto, os israelitas comprometeram-se a ofertar para a Casa do Senhor e manter a pureza do culto divino.
 
VOCABULÁRIO
Jugo: Opressão; sujeição.
Ventura: Boa Sorte; felicidade.
Oficiante: Celebrante.
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
PACKER, J. I. Neemias - Paixão Pela Fidelidade. Rio de Janei­ro: CPAD, 2010.
 
AUXILIO BIBLIOGRÁFICO - Subsídio Bibliológico
"Além do avivamento iniciado na Porta das Águas, o gesto mais significativo da resposta à graça e à visitação de DEUS ainda estava por vir. No vigésimo quarto dia daquele mês, três semanas e meia depois, foi estabelecido um dia nacional de arrependimento e renovação do compromisso. [Os judeus] comprometeram-se a cinco atitudes específicas: primeiro, proibir casamentos mistos tanto para homens como mulheres; segundo, preservar a santidade do sábado; terceiro, proteger os pobres, deixando a terra descansar no sétimo ano (quando, de acordo com Êx 23.11, os pobres poderiam servir-se de qualquer coisa que nela crescesse), e perdoando toda dívida no sétimo ano, de acordo com Deuteronômio 15.1-11; quarto, apresentar no Templo todo o primogênito, tanto dos humanos quanto dos animais, o que significaria pagar um preço pelo primeiro e entregar o segundo (veja Nm 18.14-19); e quinto, fornecer dinheiro (taxa do Templo), lenha e o dízimo para a manutenção do serviço do Templo, 'assim não desampararíamos a Casa do nosso DEUS' (Ne 10.39; veja w. 30-39). Além da intrínseca importância desses compromissos para uma vida nacional piedosa, eles tinham um claro significado de penhor, garantindo que toda a Lei seria fielmente guardada, e demonstrando a resolução de pôr DEUS acima de todas as coisas. Constituíam-se eles numa comovente expressão de fé, esperança e amor" (PACKER, J. I. Neemias - Paixão Pela Fidelidade. RJ: CPAD, 2010, pp.l80-81).
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II - Subsídio Bibliológico - "O Templo".
A principal palavra hebraica para 'templo' é hekal, 'palácio, edifício grande' (cf. 1 Rs 21.1; SI 45.8,15; Is 39.7). É uma palavra estrangeira incorporada do acádio ekallu, por sua vez importada do sumério E-CAL, 'casa grande'. Além de suas referências ao Templo em Jerusalém, a palavra é usada para o santuário de Siló (1 Sm 1.9; 3.3), para a morada de DEUS nos céus (2 Sm 22.7; SI 11.4; 18.6; Is 6.1), e para templos pagãos (Jl 3.5). O termo heb. bayith,'casa', é também frequentemente usado para templo, tanto para o templo de uma divindade pagã (Jz 9.46; 2 Rs 10.21 etc.) como para o Templo de DEUS em Jerusalém (1 Rs 6.2-10; 2 Cr 35.20 etc).
Em contraste com um 'lugar alto' (q.v.) ao ar livre, um templo era considerado principalmente a 'casa" ou local de morada de uma divindade, e apenas secundariamente um local de adoração. Assim sendo, o santuário mais interno, onde a imagem do deus (ou a arca da aliança do Senhor) era colocada, era geralmente uma pequena sala separada do povo.
Em grego, há 2 termos que significam 'templo'. O mais genérico é hieron, o local do sacerdote, que se aplicava a todo o complexo do Templo com todos os seus átrios e prédios auxiliares. O mais específico é naos, 'santuário, templo', o próprio prédio principal do Templo. O uso bíblico desses termos é principalmente em referência ao santuário nacional dos judeus em Jerusalém, localizado no monte Moriá.
[...] O Segundo Templo
Esse segundo prédio não poderia ser comparado, em esplendor, com o de Salomão, mas ocupava o mesmo local e foi construído, de forma geral, utilizando a mesma planta. Deduz-se de Zacarias 6.9ss. que esse trabalho foi apoiado de forma generosa por aqueles que haviam permanecido na Babilônia.
Esse Templo, às vezes chamado de Templo de Zorobabel de acordo com o Talmude, carecia de cinco itens que havia no Templo de Salomão. Estes eram a arca da aliança, o fogo sagrado para consumir a oferta queimada inicial e os sacrifícios, a glória Shekinah, o ESPÍRITO SANTO, e o Urim e Tumim. De acordo com Josefo, não havia nada no SANTO dos Santos, onde a arca da aliança havia estado. Uma pedra foi colocada ali para uso do sumo sacerdote, mas não havia nenhum móvel. Nessa pedra o sangue da expiação era aspergido no Dia da Expiação, ao invés de no propiciatório da arca, como no Templo anterior" (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1 .ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp.1893,1898).
 
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 8, O COMPROMISSO COM A PALAVRA DE DEUS
RESPONDA CONFORME A REVISTA DA CPAD DO 4º TRIMESTRE DE 2011
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas corretas e com "F" as falsas.
 
TEXTO ÁUREO
1- Complete:
"Firmemente _____________________________ [...] de que ____________________________ e ___________________________ todos os mandamentos do SENHOR, nosso Senhor, e os seus juízos e os seus estatutos" (Ne 10.29).
 
VERDADE PRATICA
2- Complete:
O compromisso com a _________________________ é o requisito __________________________ para a Igreja de CRISTO seguir ____________________________.
 
INTRODUÇÃO
3- Complete:
É urgente ____________________________ com o estilo de vida deste presente _________________________ e assumir, com temor e tremor, o que nos ________________________ o Livro dos livros.
 
I - OBEDECENDO A PALAVRA DE DEUS
4- O que experimentaram os judeus, após a restauração dos muros de Jerusalém?
(    ) Um repentino e passageiro arrependimento.
(    ) Um genuíno e profundo avivamento.
(    ) Um genuíno e profundo sentimento.
 
5- A que o avivamento levou os judeus, após a restauração dos muros de Jerusalém?
(    ) Levou-os a firmar o solene compromisso de obedecer rigorosamente a Palavra de DEUS: "E, com tudo isso, fizemos um firme concerto e o subescrevemos"
(    ) Levou-os a firmar o solene compromisso de obedecer rigorosamente a Palavra de DEUS: "E, com tudo isso, fizemos um firme concerto e o adotamos"
(    ) Levou-os a firmar o solene compromisso de obedecer rigorosamente a Palavra de DEUS: "E, com tudo isso, fizemos um firme concerto e o escrevemos"
 
6- Como se portaram os líderes judaicos, no concerto?
(    ) Os líderes judaicos portaram-se de maneira indiferente, pois sabiam que o povo não cumpriria seus compromissos.
(    ) Os líderes judaicos portaram-se exemplarmente e foram admirados pelo povo.
(    ) Quando o obreiro age com fidelidade e amor, todos o seguem com alegria e obedecem, com júbilo, o que DEUS nos ordena em sua Palavra.
(    ) Liderança é, acima de tudo, caráter e exemplo. Sem tais quesitos, os resultados são deploráveis.
 
7- De que depende o progresso da família, da igreja ou da nação?
(    ) Depende fundamentalmente da observância da Palavra de DEUS.
(    ) Depende da inteligência e do grau escolar.
(    ) A Bíblia Sagrada é o guia seguro e infalível que nos conduz a uma vida vitoriosa e abundante.
 
II - UM POVO SEPARADO
8- De que maneira a união com moradores da terra aonde entrariam foi reprovada por DEUS? Complete:
Ao tirar Israel do Egito, ordenou-lhe DEUS, de modo claro e veemente, que não se __________________________ com outros povos: "Guarda-te que não faças concerto com os moradores da terra aonde hás de entrar; para que não seja por ________________________ no meio de ti e tomes mulheres das suas filhas para os teus filhos, e suas filhas, prostituindo-se após os seus deuses, façam que também teus filhos se prostituam após os seus deuses" (Êx 34.12,16). Esse preceito é repetido em outros textos sagrados (Dt 7.3; Ed 9.12,14). Os israelitas, porém, distanciando-se de DEUS, fizeram justamente o contrário: uniram-se às mulheres _______________________. E o resultado não poderia ser mais desastroso. Mas, agora, avivados pela Palavra de DEUS, comprometeram-se a não mais se misturar com os __________________________ através do ____________________________ (Ne 10.30).
 
9- Como foi a dolorosa separação das famílias nesse tempo? Complete:
Antes de Neemias, Esdras já havia conclamado o povo a não se ____________________ com os gentios: "Agora, pois, vossas filhas não dareis a seus filhos, e suas filhas não tomareis para vossos filhos" (Ed 9.12,14). Apesar desta ordenação, os judeus mesclaram-se com os pagãos através de ____________________________ ilícitos. Tais uniões tiveram de ser desfeitas. Foi uma medida __________________________, mas necessária (Ne 10.28).
 
10- Como se configura o jugo desigual?
(    ) Atualmente, moram e até se comunicam com pessoas alheias à verdadeira fé cristã, contrariando, assim, a admoestação bíblica.
(    ) Atualmente, congregam com pessoas alheias à verdadeira fé cristã, contrariando, assim, a admoestação de seus pais.
(    ) Atualmente, namoram e até se casam com pessoas alheias à verdadeira fé cristã, contrariando, assim, a admoestação bíblica.
 
Ill - O CUIDADO COM O TEMPLO DO SENHOR
11- Qual a importância do Templo, ou casa de oração?
(    ) Os israelitas amavam o SANTO Templo, pois era o lugar em que adoravam ao Senhor.
(    ) Por causa disso, comprometeram-se a ofertar, voluntária e regularmente, os "dízimos da terra" para a manutenção do culto divino.
(    ) Para os israelitas, servir a DEUS naquele santuário era um ato de indizível ventura.
(    ) Apesar de se orgulharem do templo sabiam que ali não existia a manifestação legítima de DEUS.
(    ) A Bíblia, porém, exorta-nos a que não deixemos "a nossa congregação, como é costume de alguns"..
(    ) "Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor".
 
12- No Antigo Testamento, os judeus santificavam o sábado como o dia de adoração ao Senhor. O que uns vendilhões e mercadores fizeram para desviarem os judeus de sua devoção a DEUS?
(    ) Desprezando a lei divina, expunham suas mercadorias, nos pátios de Jerusalém, exatamente nesse dia.
(    ) Desprezando a lei divina, expunham suas mercadorias, no templo de Jerusalém, exatamente nesse dia.
(    ) Desprezando a lei divina, expunham suas mercadorias, nos portais de Jerusalém, exatamente nesse dia.
 
13- A fim de manter a pureza do culto divino, Neemias viu-se obrigado a tomar sérias medidas. O que fez ele?
(    ) Proibiu qualquer diversão no dia de culto..
(    ) Proibiu qualquer distração no dia de culto.
(    ) Proibiu qualquer comércio no dia de culto.
 
14- Complete segundo a manutenção da Casa do Senhor:
"Também sobre nós pusemos ______________________________, impondo-nos cada ano a terça parte de um siclo, para o ______________________ da Casa do nosso DEUS; para os pães da proposição, e para a contínua oferta de manjares, e para o contínuo holocausto dos sábados, das luas novas, e para as festas solenes, e para as coisas sagradas, e para os sacrifícios pelo pecado, para ________________________ a Israel, e para toda a obra da Casa do nosso DEUS" (Ne 10.32-34).
 
15- Em virtude do concerto estabelecido entre DEUS e o seu povo, os judeus, sob a liderança de Neemias, fizeram o que?
(    ) Restauraram a contribuição para a manutenção da Casa do Senhor no valor de "um terço de um siclo - quatro gramas de prata.
(    ) As ofertas eram trazidas com alegria aos oficiantes do culto.
(    ) Somente os sacerdotes, principes e levitas ficaram sem contribuirem.
 
CONCLUSÃO
16- Quando o povo de DEUS, avivado por sua Palavra, compromete-se com os supremos negócios de seu Reino, o que acontece?
(    ) O povo passa a reconhecer que sua salvação é inferior à sua posição social.
(    ) A igreja desdobra-se em adoração e serviços, para que o Evangelho chegue aos confins da terra.
(    ) Os crentes, então, passam a contribuir e a testemunhar com amor e intenso júbilo, porque sabem que "DEUS ama ao que dá com alegria" (2 Co 9.7).
(    ) Sem avivamento não pode haver verdadeira adoração.
 
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - BÍBLIA de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/
Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao,
Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.
www.portalebd.org.br (Caramurú)
BANCROFT, E. H. Teologia Elementar. São Paulo, IBR, 1975.
CEGALLA, D. P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1977.
BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Edição contemporânea. São Paulo, Vida, 1994.
McNAIR, S. E. A Bíblia Explicada. Rio de Janeiro, CPAD, 1994.
Espada Cortante 2 - Orlando S. Boyer - CPAD - Rio de Janeiro - RJ
CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. 5. ed. São Paulo: Hagnos, 2001. v. 1
JOSEFO, Flávio. História dos hebreus: de Abraão à queda de Jerusalém obra completa. 9. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005.
VOS, Howard F.; REA, John. Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR, William. Dicionário Vine. 2. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
(http://realizandoaobradosenhor.blogspot.com/2010/02/as-portas-de-jerusalem.html)
Coelho, Valnice Milhomens. Personalidades restauradas, São Paulo: Edição do autor, 1992. 244p.1. Palavra da Fé Produções Caixa Postal 60061 - CEP 05096-970 Av. Pompéia, 2110 - São Paulo - S. P. - Tel. :(011) 873-3117, FAX 62.4015
Neemias – COMENTÁRIO BÍBLICO DO ANTIGO TESTAMENTO, VOL 1, Gênesis a Neemias - Matthew Henry
NEEMIAS - INTEGRIDADE E CORAGEM EM TEMPOS DE CRISE - Pr. Elinaldo Renovato de Lima - CPAD - Rio de Janeiro - RJ
BÍBLIA, A CONSTITUIÇÃO DIVINA - REVISTA CPAD 4º TRIMESTRE DE 1986 - COMENTÁRIOS DE  Pr. RAIMUNDO F.DE OLIVEIRA
GILBERTO, Antonio. A BÍBLIA Através dos Séculos. Rio de Janeiro: CPAD, 1987. HORTON, Stanley. Teologia Sistemática. Rio de Janeiro: CPAD, 1996. 
 
 
Índex
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos