Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
 
LIÇÃO 9, LAODICEIA, UMA IGREJA MORTA
Lições Bíblicas do 2º Trimestre de 2012 - CPAD - Jovens e Adultos
“As Sete Cartas do Apocalipse — A mensagem Final de CRISTO à Igreja”.
Comentários da revista da CPAD: Pr. Claudionor Correa de Andrade
Consultor Doutrinário e Teológico da CPAD: Pr. Antonio Gilberto
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
QUESTIONÁRIO
 
 
TEXTO ÁUREO 
"Mas buscai primeiro o Reino de DEUS, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas" (Mt 6.33).
 
 
VERDADE PRÁTICA 
A igreja que não busca os interesses do Reino de DEUS está fadada ao fracasso, ao esquecimento e à indigência espiritual.
 
 
LEITURA DIÁRIA
Segunda - Sl 30.6 A prosperidade sem DEUS traz soberba
Terça - Sl 73.3 A prosperidade sem DEUS traz inveja
Quarta - Pv 1.32 A prosperidade sem DEUS traz destruição
Quinta - Jr 22.21 A prosperidade sem DEUS traz rebeldia
Sexta - Ec 7.14 A prosperidade requer juízo e reflexão
Sábado - 1 Co 16.2 A verdadeira prosperidade produz serviço ao Reino de DEUS
 
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Apocalipse 3.14-22
14 E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de DEUS. 15 Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente! 16 Assim, porque és morno e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca. 17 Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu), 18 aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com
colírio, para que vejas. 19 Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê, pois, zeloso e arrepende-te. 20 Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo. 21 Ao que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono. 22 Quem tem ouvidos ouça o que o ESPÍRITO diz às igrejas.
 
3.15,16 FRIO NEM QUENTE... MORNO. Esta é a descrição da condição espiritual da igreja de Laodicéia.
(1) A igreja morna é aquela que transige com o mundo e, em comportamento, se assemelha à sociedade ímpia ao seu redor; professa o cristianismo, mas, na realidade, é espiritualmente "desgraçada e miserável" (vv. 17,18).
(2) CRISTO faz a esta igreja uma séria advertência no tocante ao seu julgamento contra a mornidão espiritual (vv. 15-17).
(3) CRISTO faz também um convite sincero para que se arrependa e seja restaurada a uma posição de fé, justiça, revelação e comunhão (vv. 18,19).
(4) Nesta era de igreja morna, firmes são as promessas de CRISTO às igrejas vencedoras. Ele virá a elas com bênçãos e no poder do ESPÍRITO SANTO (vv. 20-22), e abrirá uma porta para que possam glorificar o seu nome e proclamar o evangelho eterno (v. 8).
3.20 SE ALGUÉM OUVIR A MINHA VOZ. A igreja de Laodicéia, em sua próspera auto-suficiência e seu mundanismo (vv. 15-18), tinha rejeitado o Senhor JESUS CRISTO. O convite de CRISTO, como estando fora da porta da igreja, é um apelo seu por comunhão com qualquer pessoa que se arrepender da mornidão espiritual (v. 21).
3.22 O ESPÍRITO... ÀS IGREJAS. Devemos sempre ter em mente a distinção entre as igrejas locais e o ESPÍRITO SANTO. As igrejas estão subordinadas ao ESPÍRITO de DEUS e à sua Palavra inspirada (2 Tm 3.15,16; 1 Pe 1.24,25; 2 Pe 1.20,21). Essa distinção entre o ESPÍRITO e as igrejas locais pode ser expressa através das seguintes verdades bíblicas:
(1) O ESPÍRITO não é propriedade das igrejas, nem de qualquer instituição humana. Ele é o ESPÍRITO de DEUS e de CRISTO, e não o ESPÍRITO das igrejas (v. 1). O ESPÍRITO é livre para operar onde quiser, de conformidade com os padrões justos de DEUS (Jo 1.33; 4.24; 7.39; 14.17).
(2) O ESPÍRITO SANTO representa o senhorio atual de CRISTO sobre as igrejas. O ESPÍRITO e a sua Palavra são a autoridade final. As igrejas devem constantemente julgar suas normas de fé e conduta pelo ESPÍRITO. Uma igreja não deve depositar fé noutra igreja; nem obedecer ou seguir outra igreja. O ESPÍRITO e a Palavra inspirada são maiores do que as igrejas históricas.
(3) O ESPÍRITO SANTO permanecerá em qualquer igreja, somente à medida que esta permanecer fiel a CRISTO e à sua Palavra e observar o que o ESPÍRITO disser às igrejas (2.5,16,22,23; 3.3,15,16).
 
 
SÉTIMA CARTA; À IGREJA DE LAODICÉIA ( Apocalipse - Versículo por Versículo Autor: Severino Pedro da Silva Editora: CPAD Ano: 2002)
14. “E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de DEUS”.
I. “...Ao anjo da Igreja”. O leitor deve observar que em todas as igrejas, a mensagem inicia-se com a expressão: “...ao anjo da igreja”, e concomitantemente, já estamos familiarizados com esses seres denominados de “anjos” (mensageiros), que no contexto divino são chamados de “estrelas” (cf. 1.20; 2.1, 8, 12, 18; 3.1, 7, 14). Podemos deduzir daquilo que é depreendido, de (Cl 4.12, 13), onde lemos: “Saúda-vos Epafras, que é dos vossos, servos de CRISTO, combatendo sempre por vós em oração, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de DEUS. Pois eu lhe dou testemunho de que tem grande zelo por vós, e pelos que estão em Laodicéia...”. Que Epafras, tenha sido pastor nesta igreja, é bem evidente, mas, não podemos afirmar que trinta anos depois, o mesmo ainda se encontrava ali.
1. LAODICÉIA. O nome significa “Laodice” (em alusão a Laodice esposa de Antíoco II). Outros, porém, vêm nessa palavra grega o significado de “poko”, “juízo”, ou “costume”. Situação Geográfica: Laodicéia era uma cidade da província romana da Ásia Menor. A cidade recebeu este nome em alusão à esposa de Antíoco II (Theos), que tinha o nome de Laodice. “Já que Laodice era nome feminino, nos tempos do Novo Testamento, seis cidades receberam tal nome, no período helenista. Por essa razão, a Laodicéia do presente texto, era chamada de “Laodicéia do Lico”, isto é, conforme asseverava Estrabão; 578”, in loc. O trecho de Colossenses 4.13-16 mostra-nos que, nos tempos de Paulo (talvez em 64 d. C.), Laodicéia já contava com uma igreja organizada e próspera.
2. Isto diz o Amém. Como já ficou demonstrado em comentário anterior a este, o Senhor JESUS, quando se apresenta a cada igreja, primeira faz uma pequena introdução, depois prossegue. A palavra “Amém” veio sem tradução do hebraico para o grego e do grego para o português. Seu significa original traz a idéia de cuidar ou de edificar. O sentido derivado, que chegou até nós, traz a idéia de alguma coisa que é afirmada, ou confirmada positivamente; este é o seu sentido original. O termo é aplicado aqui à pessoa de CRISTO, por ser Ele o sim de DEUS em todas as promessas (cf. 2 Co 1.19-20). Neste livro do Apocalipse, o termo “Amém” envolve quatro usos distintos:
(a) O “amém” inicial, em que as palavras de quem fala são tomadas como palavras daquele que profere o “amém” (cf. Ap 5.14; 7.12; 19.4 e 22.20). Nas páginas do Antigo Testamento há instâncias desse uso em 1Rs 1.26; Jr 11.5 e 28.6, e ss.
(b) O “Amém” isolado, em que qualquer sentença suplementar fora eliminado. Talvez isso é o que se tem em Ap 5.14, ver ainda tal uso, igualmente, em Dt 27.15, 26 e Ne 5.13, e ss.
(c) O “Amém” final, proferido pelo próprio orador (ver Ap 1.6, 7) isso também se acha no Antigo Testamento, somente nas quatro divisões dos salmos, nos subtítulos, em Sl 41.14; 72.19; 78.52 e 106.48, e ss.
(d) O “Amém” personificado, isto é, CRISTO (Ap 3.14), que talvez siga o mesmo, segundo se diz, fraseado de (Is 65.16), “o DEUS do Amém” ou “o DEUS da Verdade”, conforme algumas traduções traduzem aquela passagem de Isaías.
15. “Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente: Oxalá foras frio ou quente!”.
I. “...nem és frio nem quente”. “Somos informados que Laodicéia não tinha suprimento de água própria, mas que tinha de ser servida por um aqueduto. Nesse caso, a água chegava morna. Os laodicenses se assemelhavam à sua água. O simbolismo fala sobre a indiferença “religiosa”, sobre a superficialidade, sobre a falta de resolução” (cf. Hb 8.5 e 9.23).
1. Três coisas marcantes devem ser analisadas na carta a igreja de Laodicéia:
(a) O “tu és” da mornidão; (b) O “dizes” da autocomplacência (a igreja não tinha paixão nem emoção) e (c) O “és” da condenação infalível e terrível do Senhor. O Apóstolo Paulo, escrevendo aos colossenses cerca de 32 anos atrás, disse: “quero se saibais quão grande combate tenho por vós, e pelos que estão em Laodicéia...” Cl 2.1a. Ele observou que o quente ali estava ficando “morno”. Cerca de trinta e dois anos mais tarde, isso se concretizou. A mensagem à igreja de Laodicéia é a última às sete igrejas da Ásia Menor. Das sete cartas, é a mais triste, sendo o contrário da carta a Filadélfia. Enquanto Filadélfia não tem coisa alguma de censura, esta não tem qualquer coisa de aprovação. Laodicéia era totalmente desagradável ao Senhor, e isso não por causa de seus pecados (tais como os repreendidos em Pérgamo e Tiatira), mas por causa da sua apatia, seu indiferentismo. DEUS quer que seus filhos sejam “fervorosos no espírito” (cf. Rm 12.11).
16. “Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca”.
I. “...és morno”. Em toda a extensão da Bíblia, a palavra “morno” é usada somente aqui. Três temperaturas são mencionadas neste versículo: “Frio”, “Quente” e “Morno”. Mas intermediária foi considerado por JESUS CRISTO a pior de todas elas, pois expressa apatia espiritual”. JESUS predisse a primeira em (Mt 24.12); Paulo falou da terceira em (Rm 12.11), ver ainda (Sl 41.1 e At 18.25).
1. Vomitar-te-ei da minha boca. O estado de mornidão na criatura que aceita a CRISTO e não o segue com sinceridade, é muito triste sob vários aspectos: (a) Fica “coxeando entre dois pensamentos...” (1Rs 18.21), à semelhança da “onda do mar”. Ver Tg 1.6; (b) “O seu coração está dividido...”. Ver Os 10.2a; (c) Ele serve ao Senhor: “...porém não com o coração inteiro”. Ver 2 Cr 25.2b; (d) “É um bolo que não foi virado”. Ver Os 7.8b. São eles, em nossos dias, os que querem servir a DEUS e as riquezas (Mt 6.24), e por cuja razão ficam pendurados “entre o céu e a terra” como Absalão, o jovem ambicioso (cf. 2Sm 18.9). O resultado é ouvir do Senhor: “Vomitar-te-ei da minha boca”. O termo “vomitar” no grego é “emeo”, significa também “cuspir”. Desse termo é que deriva o vocábulo moderno: “emético”, um agente que causa vômito”. O organismo humano, não suporta substância morna; o Filho de DEUS também não suportará crentes rotulados; só os que forem fiéis (cf. Hb 6.4-8). Laodicéia em suma representa a igreja “morna” que JESUS “vomitará” no dia do arrebatamento. (Como contexto demonstrativo: Mt 25.10-12).
17. “Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”.
I. “...Rico sou”. O poder absoluto corrompe! Isto pode ser analisado tanto no campo secular como espiritual. Há criaturas que não se deixam mais admoestar; e vão a perdição (cf. Ec 4.13). A experiência do servo de DEUS deve está aquém da direção divina, pois sem ela jamais atingiremos o alvo (ver. Jr 9.1-14). O pastor de Laodicéia dizia consigo mesmo (à semelhança do fariseu): “Rico sou” (Cf. Lc 18.11 e Ap 3.17).
1. Estou enriquecido. O orgulho cegou-lhe os olhos da alma. Isso serve de advertência para todos: o orgulho é pecado (Pv 21.4); mas dificilmente existe algo mais importante para o indivíduo carnal. Consideremos os pontos seguintes: (a) O orgulho é odioso para CRISTO. Pv 8.13; (b) Origina-se na justiça própria. Lc 18.11; (c) Deriva da inexperiência espiritual. 1Tm 3.6; (d) Contamina o homem. Mt 7.20, 22; (e) Endurece a mente. Dn 5.20; (f) Impede a inquirição espiritual. Sl 10.4; (g) É uma das grandes características do diabo. 1 Tm 3.6, e também dos ímpios. Rm 1.30; (h) Impede o aprimoramento espiritual. Pv 26.12; (i) Os orgulhosos eventualmente serão humilhados por DEUS. Is 2.12; (j) O orgulho espiritual, segundo Paulo tornar-se-á muito comum nos últimos dias (2Tm 3.2). O anjo dessa igreja, tinha todas essas características em grua supremo.
18. “Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e vestidos brancos, para que te vistas, e não apareças a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas”.
I. “...unjas os teus olhos”. Transcrevemos aqui a oração feita por um justo para que DEUS guardasse seus olhos da cegueira espiritual: “Põe colírio nos meus olhos, Senhor (Ap 3.18). Eles são maus; e porque são maus, expõem-me o corpo a trevas mui perigosas (Mt 6.23). Ajuda-me, ó DEUS puro e santo, a erguê-los para CRISTO JESUS, autor e consumador da fé (Hb 12.2); a pô-los na brancura virginal dos lírios (Mt 6.28); a elevá-los para os montes e depois olhar para o alto donde vem socorro (Sl 121.1). Não quero apenas ouvir-te a voz, Senhor, mas verte-te (Jó 42.5). E como te verei com estes olhos? Aponta-me o Siloé (Jo 9.7), em cujas águas possa remover o lodo restaurador dos meus olhos enfermos. Porque hei de prender, apavorado, meus olhos às forças desta vida, se, fitando o Senhor, possa caminhar sobre ondas revoltas sem perigo de naufragar (Mt 14.29). Que consolo há em saber que os teus olhos repousam sobre os justos (1 Pd 3.12)”. Se o pastor de Laodicéia tivesse feito essa oração, há muito que se teria arrependido. É sabido, segundo alguns historiadores que, em Laodicéia havia uma Escola de Medicina que fabricava um pó oftálmico. Mas a “terra Frigia” (cinza da Frigia?) não curava a cegueira espiritual da Igreja.
19. “Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: Sê pois zeloso, e arrepende-te”.
I. “...arrepende-te”. DEUS exorta através de JESUS “a todos os homens, e em todo o lugar que se arrependam; Porquanto tem determinado um dia que com justiça há de julgar o mundo...” (At 17.30a). Sobre o “arrependimento”, o Novo Testamento usa o termo grego “metanoia” por sessenta vezes. Essa palavra tem diversos significados e diversas aplicações, sendo, porém, seu sentido primário: “uma mudança de parecer ou pensamento” para com o pecado e para com a vontade de DEUS. O “arrependimento” é o primeiro aspecto da experiência inicial da salvação experimentada pelo crente, experiência essa que é chamada de conversão. A conversão autêntica é uma parte essencial e a prova da regeneração. A regeneração é a obra de DEUS no íntimo e a conversão é a exteriorização, da salvação, por parte do homem, através do arrependimento e da fé. Pedleton dar a idéia de que a palavra: “arrependimento” e a tradução que tem, no Novo Testamento, abrange também o sentido primário de “reflexão posterior”, e, com sentido secundário, “mudança de pensamento”. No presente versículo a exortação de CRISTO, não é dirigida àqueles que estão sem salvação, mas aos que professam segui-lo, e são tidos como pertencentes a Ele. JESUS não lhes diz “arrepende-te e sê zeloso. E sim “sê”, pois, zeloso e arrepende-te”. Isto porque até diante de si próprios passavam por se terem arrependidos.
1. Eu repreendo e castigo. (Contexto reflexivo). “A aplicação da disciplina pode ser em forma de advertência pessoal (Mt 18.15); visitação acompanhada (1Co 4.19-21); advertência pública (1Tm 5.20); comunicação escrita (2Co 7.8-10); exortação pessoal (Gl 6.1); suspensão (2Ts 3.14, 15; Tt 3.10); exclusão do rol de membros. Mt 12.17b”.
20. “Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”.
I. “...Eis que estou a porta, e bato”. A porta à qual CRISTO bate é a porta da vida do indivíduo, da igreja, ou da comunidade.
1. “A famosa pintura de HOLMAN HUNT, em que CRISTO aparece diante da porta, a bate, não mostra a maçaneta do lado de fora. Quando Sir Noel Paton pintou o famoso quadro representando o Rei coroado de espinho batendo à porta, foi censurado por que se esquecera de incluir a maçaneta na porta. Mas o célebre pintou de propósito omitira a maçaneta. É que só pode ser aberta pelo lado de dentro. Um homem conhecido na cidade, levou, certa feita, seu filho pequeno, para ver esse quadro. O menino ficou ali pensando, por alguns momentos, e então perguntou: “Porque não abrem a porta?”. O pai respondeu que não podiam ouvi-lo batendo. O menino considerou a resposta por uns momentos mas não ficou satisfeito com a mesma. “Não”, disse o garoto? “é que estão ocupados no quartinho dos fundos, fazendo outras coisas, e nem sabem que JESUS está batendo à porta”. Nesta resposta há grande discernimento! Os crentes de Laodicéia viviam atarefados com seu comércio, com seus banquetes sociais, com suas riquezas introspectivas, e nem se quer ouviram JESUS bater e falar. O bater de CRISTO, na vida, se verifica de muitas maneiras: no testemunho tranqüilo da oração, no sermão do pregador, na lição da escola dominical, na leitura da Palavra de DEUS, mediante alguns tragédia, enfermidade, mediante abalo, mediante a razão, mediante a vitória, mediante a perda, mediante a alegria, mediante a felicidade, mediante a dor, mediante a morte – a última e contundente maneira de DEUS falar! (cf. Hb 1.1).
21. “Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono”.
I. “...no meu trono”. Até escritores pagãos e helenistas focalizaram essa idéia em seus escritos. O livro de Enoque conta com certo número de referências similares a esta em foco. O Eleito, o Messias, assentar-se-á em seu trono de Glória no porvir. Isso também pode ser comparado aos trechos de (Cl 3.1; Hb 1.8; ver: Fl 2.9-11: CRISTO está entronizado). E nas passagens de (Mt 19.28; 25.31 e Lc 22.29) vê-se que CRISTO será entronizado por sua “Parousia” ou segunda vinda. As Escrituras nos dão entender que, presentemente, JESUS não se encontra assentado no seu trono. Passagens como (Ap 3.21 e 12.5), reafirmam essa tese: “...seu filho (JESUS) foi arrebatado para DEUS e para o seu trono”. Por isso, essa promessa de JESUS, é escatológica: “Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono (de JESUS); assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono (de DEUS)”. O trono de CRISTO é o trono de seu Pai, Davi, durante o Milênio, em Jerusalém, Ele ocupará este trono. (2 Sm 7.12, 13; Lc 1.32; At 15.14-18). CRISTO não está atualmente nesse trono, mas à destra, segundo se diz, do Pai,no trono no céu, como o Grande Sumo Sacerdote de nossa confissão (cf. Mc 16.19; Hb 4.14).
22. “Quem tem ouvidos, ouça o que o ESPÍRITO diz às igrejas”.
I. “Quem tem ouvidos, ouça”. (O final). Pela última vez, no Apocalipse, temos, juntas, estas onze palavras: “Quem tem ouvidos ouça o que o ESPÍRITO diz às igrejas”. “O ouvir dos meus ouvidos...é ouvir meditação a voz de DEUS. (Cf. Jó 42.5 e Sl 85.8)”. Por cuja razão, nosso Senhor diz: “Vede pois como ouvis...” (Lc 8.18a).
1. “Às igrejas. A palavra “igreja” (gr. Ekklesia) nasceu pela primeira vez dos lábios de nosso Senhor JESUS CRISTO (Mt 16.18 e 18.17, duas vezes). Nesse sentido ocorre por 119 vezes no Novo Testamento (só três vezes nos Evangelhos: Mt 16.18 e 18.17). Nessas 119 vezes em que o termo aparece, 109 vezes, surge no texto bíblico como igreja local, e encontramos cerca de 10 vezes no Novo Testamento a palavra Igreja com o sentido Universal. “Nestes primeiros capítulos (isto é, 1, 2 e 3) do Apocalipse encontramos a palavra “igreja” (singular) ou “igrejas” (plural) 19 vezes (cf. 1.11, 20; 2.1, 7, 8, 11, 12, 17, 18, 23, 29; 3.1, 6, 7, 13, 14, 22, etc), mas agora, no presente versículo, ela desaparece, e só reaparecerá, no capítulo 22.16. Durante o tempo da Grande Tribulação, a Igreja não estará na terra e, sim, com CRISTO na recâmara celestial (cf. Ct 2.17; Ap 3.10).
 
 
APOCALIPSE 3:14-22 (Estudos no Livro de APOCALIPSE - Hernandes Dias Lopes)
TEMA: UMA CONVOCAÇÃO URGENTE AO FERVOR ESPIRITUAL
 
INTRODUÇÃO 
1. De todas as cartas às igrejas da Ásia, esta é a mais severa. JESUS não faz nenhum elogio à igreja de Laodicéia. 
2. A única coisa boa em Laodicéia era a opinião da igreja sobre si mesma e, ainda assim, completamente falsa. 
3. A cidade de Laodicéia foi fundada em 250 a.C, por Antíoco da Síria. A cidade era importante pela sua localização. Ficava no meio das grandes rotas comerciais. Era uma cidade rica e opulenta. 
4. A igreja tinha a cara da cidade. Em vez de transformar a cidade, ela tinha se conformado à cidade. Laodicéia era a cidade da transigência e a igreja tornou-se também uma igreja transigente. Os crentes eram frouxos, sem entusiasmo, débeis de caráter, sempre prontos a comprometerem-se com o mundo, descuidados. Eles pensavam que todos eles eram pessoas boas. Eles estavam satisfeitos com sua vida espiritual. 
5. A igreja de Laodicéia é a igreja popular, satisfeita com a sua prosperidade, orgulhosa de seus membros ricos. A religião deles era apenas uma simulação. 
6. A cidade de Laodicéia destacava-se por quatro características:
1) Centro bancário e financeiro - Era uma das cidades mais ricas do mundo. Lugar de muitos milionários. Em 61 d.C, foi devastada por um terremoto e reconstruída sem aceitar ajuda do imperador. Os habitantes eram jactanciosos de sua riqueza. A cidade era tão rica que não sentia necessidade de DEUS.
2) Centro de indústria de tecidos - Em Laodicéia produzia-se uma lã especial famosa no mundo inteiro. A cidade estava orgulhosa da roupa que produzia.
3) Centro médico de importância - Ali havia uma escola de medicina famosíssima. Fabricava-se ali dois ungüentos quase milagrosos para os ouvidos e os olhos. 0 pó frígio para fabricar o colírio era o remédio mais importante produzido na cidade.
4) Centro das águas térmicas - A região era formada por três cidades: Colossos, Hierápolis e Laodicéia. Em Colossos ficavam as fontes de águas frias e em Hierápolis havia fonte de água quente, que em seu curso sobre o planalto tornava-se morna, e nesta condição fluía dos rochedos fronteiros a Laodicéia. Tanto as águas quentes de Hierápolis, como as águas frias de Colossos eram terapêuticas, mas as águas mornas de Laodicéia eram intragáveis.
 
I. O DIAGNÓSTICO QUE CRISTO FAZ DA IGREJA
• O CRISTO que está no meio dos candeeiros e anda no meio dos candeeiros, sonda a igreja de Laodicéia e chega ao seguinte diagnóstico: A igreja tinha perdido seu vigor (v. 16-17), seus valores (v. 17-18), sua visão (v. 18b) e. suas vestimentas (v. 17-22). Vejamos o diagnóstico de CRISTO.
 
1. JESUS identificou a falta de fervor espiritual da igreja - v. 15
• Na vida cristã há três temperaturas espirituais: 1) Um coração ardente (Luc 24:32); 2) Um coração frio (Mt 24:12), e 3) Um coração morno (Ap 3:16). JESUS e Satanás conhecem a maré espiritual baixa da igreja. Nada se informa sobre tentação, perseguição, negação, apostasia ou abalos nessa igreja.
• O problema da igreja de Laodicéia não era teológico nem moral. Não havia falsos mestres, nem heresias. Não havia pecado de imoralidade nem engano. Não há na carta menção de hereges, malfeitores ou perseguidores. O que faltava à igreja era fervor espiritual.
• A vida espiritual da igreja era morna, indefinível, apática, indiferente e nauseante. A igreja era acomodada. O problema da igreja não era heresia, mas apatia.
• Nosso fogo espiritual íntimo está em constante perigo de enfraquecer ou morrer. O braseiro deve ser cutucado, alimentado e soprado até incendiar.
• Muitos fogem do fervor com medo do fanatismo. Mas fervor não é o mesmo que fanatismo. Fanatismo é um fervor irracional e estúpido. É um entrechoque do coração com a mente. Jonathan Édwards disse que precisamos ter luz na mente e fogo no coração. A verdade de DEUS é lógica em fogo.
• Muitos crentes têm medo do entusiasmo. Mas entusiasmo é parte essencial do Cristianismo. Não podemos ter medo das emocões, mas do emocionalismo.
 
2. JESUS identificou que um crente morno é pior do que um incrédulo frio - v. 15
• É melhor ser frígido do que tépido ou momo. E mais honroso ser um ateu declarado do que ser um membro incrédulo de uma igreja evangélica. A queixa de JESUS contra os fariseus era contra a hipocrisia deles. Alguém que nunca fez profissão de fé e tem a consciência de sua completa falta de vida moral é muito mais fácil de ser ajudado que algum outro que se julga cristão, mas não tem verdadeira vida espiritual.
• Uma pessoa morna é aquela em que há um contraste entre o que diz e o que pensa ser, de um lado, e o que ela realmente é, de outro. Ser morno é ser cego à sua verdadeira condição.
JESUS identificou que a autoconfiança da igreja era absolutamente falsa - v. 17
a) A tragédia do auto-engano (v. 17) - Laodicéia se considerava rica e era pobre. Sardes se considerava viva e estava morta. Esmirna se considerava pobre, mas era rica. Filadélfia tinha pouca força, mas JESUS colocara diante dela uma porta aberta. O fariseu deu graças por não ser como os demais homens. Muitos no dia do juízo vão estar enganados (Mt 7:21-23). A igreja era morna devido à ilusão que alimentava a respeito de si mesma.
b) A tragédia da auto-satisfação (v. 17) - A igreja disse: "Não preciso de coisa alguma". A igreja de Laodicéia era morna em seu amor a CRISTO, mas amava o dinheiro. O amor ao dinheiro traz uma falsa segurança e uma falsa auto-satisfação. A igreja não tinha consciência de sua condição. A lenda de Narciso.
c) A tragédia de não ser o que se projetou ser e ser o que nunca se imaginou ser (v. 17c) - Estava orgulhosa do seu ouro, roupas e colírio. Mas era pobre, nua e cega.
• A congregação de Laodicéia fervilhava de freqüentadores presunçosos. Eles diziam: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma. Os crentes eram ricos. Freqüentavam as altas rodas da sociedade. Eram influentes na cidade. A cidade era um poderoso centro médico, bancário e comercial.
• O orgulho de Laodicéia era contagioso. Os cristãos contraíram a epidemia. O espírito de complacência insinuou-se na igreja e corrompeu-a. Os membros da igreja tornaram-se convencidos e vaidosos.
• Eles achavam que estavam indo maravilhosamente bem em sua vida religiosa. Mas CRISTO teve de acusá-los de cegos e mendigos nus. Mendigos apesar de seus bancos, cegos apesar de seus pós frígios e nus apesar de suas fábricas de tecidos.
• São mendigos porque não têm como comprar o perdão de seus pecados. São nus porque não tem roupas adequadas para se apresentarem diante de DEUS. São cegos porque não conseguem enxergar a sua pobreza espiritual.
 
3. JESUS revelou que um crente morno em vez de ser o seu prazer, lhe provoca náuseas - v.16
• Você só vomita, o que ingeriu. Só joga fora o que está dentro. A igreja de Laodicéia era de CRISTO, mas em vez de dar alegria a CRISTO estava provocando náuseas nele. Uma religião morna provoca náuseas. JESUS tinha muito mais esperança nos publicanos e pecadores do que orgulhosos fariseus.
• Fomos salvos para nos deleitarmos em DEUS e sermos a delícia de DEUS. Somos filhos de DEUS, herdeiros de DEUS, a herança de DEUS, a menina dos olhos de DEUS, a delícia de DEUS. Mas, quando perdemos nossa paixão, nosso fervor, nosso entusiasmo, provocamos dor em nosso Senhor, náuseas no nosso Salvador.
• CRISTO repudiará totalmente aqueles cuja ligação com ele é puramente nominal e superficial. A igreja de Laodicéia desapareceu. Da cidade só restam ruínas. A igreja perdeu o tempo da sua oportunidade.
 
II. O APELO QUE CRISTO FAZ À IGREJA
1. CRISTO se apresenta à igreja como um mercador espiritual - v. 18
CRISTO prefere dar conselhos em vez de ordens - Sendo soberano do céu e da terra, criador do universo, tendo incontáveis galáxias de estrelas na ponta dos dedos, tendo o direito de emitir ordens para que lhe obedeçamos, prefere dar conselhos. Ele poderia ordenar, mas prefere aconselhar.
A suficiência está em CRISTO - A igreja julgava-se auto-suficiente, mas os crentes deveriam encontrar sua suficiência em CRISTO. "Aconselho-te que compres DE MIM...”.
CRISTO se apresenta como mascate espiritual - CRISTO se apresenta à igreja como um mercador, um mascate e um camelô espiritual. Seus produtos são essenciais. Seu preço é de graça. Há notícias gloriosas para os mendigos cegos e nus. Eles são pobres, mas CRISTO tem ouro. Eles estão nus, mas CRISTO tem roupas. Eles são cegos, mas CRISTO tem colírio para os seus olhos. CRISTO exorta a igreja a adquirir ouro para sua pobreza, vestimentas brancas para sua nudez e colírio para sua cegueira.
A preciosa mercadoria que CRISTO oferece - O ouro que CRISTO tem é o Reino do céu. A roupa que CRISTO oferece são as vestes da justiça e da santidade. O colírio que CRISTO tem abre os olhos para o discernimento.
• CRISTO está conclamando os crentes a não confiarem em seus bancos, em suas fábricas e em sua medicina. Ele os chama à ele mesmo. Só CRISTO pode enriquecer nossa pobreza, vestir nossa nudez e curar a nossa cegueira.
 
2. CRISTO chama a igreja a uma mudança de vida - v. 19
Vemos aqui uma explanação e uma exortação: "Eu disciplino e repreendo a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te".
Desgosto e amor andam juntos. CRISTO não desiste da igreja. Apesar da sua condição, ele a ama. Antes de revelar o seu juízo (vomitar da sua boca) ele demonstra a sua misericórdia (repreendo e disciplino aqueles que amo).
Disciplina como ato de amor - A pedra precisa ser lapidada para brilhar. A uva precisa ser prensada para produzir vinho. Inegavelmente é porque anseia salvá-los do juízo final é que os repreende e disciplina.
• A base da disciplina é o amor. Porque ele ama, disciplina. Porque ama chama ao arrependimento. Porque ama nos dá oportunidade de recomeçar. Porque ama está disposto a perdoar-nos.
Arrepender-se é dar as costas a esse cristianismo de aparências, de faz de conta, de mornidão. A piedade superficial nunca salvou ninguém. Não haverá hipócritas no céu. Devemos vomitar essas coisas da nossa boca, do contrário, ele nos vomitará. Devemos trocar os anos de mornidão pelos anos de zelo.
 
3. CRISTO convida a igreja para a ceia, uma profunda comunhão com ele - v. 20
Triste situação - CRISTO, o Senhor da igreja, está do lado de fora. A igreja não tem comunhão com ele. Ilustração: o homem que não conseguia ser membro da igreja.
• Este é um convite pessoal - A salvação é uma questão totalmente pessoal. Enquanto muitos batiam a porta no rosto de JESUS, outros são convidados por ele. CRISTO vem visitar-nos. Coloca-se em frente da porta do nosso coração. Ele bate. Ele deseja entrar. E uma visita do Amado da nossa alma.
Uma decisão pessoal - "Estou à porta e bato, se alguém abrir a porta entrarei...". JESUS bate através de circunstâncias e chama através da sua Palavra. Embora CRISTO tenham todas as chaves, ele prefere bater à porta. A PORTA - a famosa pintura de Holman Hunt, CRISTO batendo à porta, mas a porta não tinha maçaneta do lado de fora. Ilustração: O Pai e o Filho. O menino diz para o pai: eles não ouvem porque estão ocupados com outras coisas no quartinho dos fundos. Aqui vemos uma amostra sublime da soberania de CRISTO e da responsabilidade humana.
A insistência de JESUS - "Estou à porta e bato”. De que maneira ele bate? Através das Escrituras, sermão, hino, acidente, doença. É preciso ouvir a voz de JESUS.
Um convite para cear - Que ele nos convide a vir e cear com ele é demasiada honra; mas que ele deseje participar da nossa humilde mesa e cear conosco é tão admirável que ultrapassa nossa compreensão finita. O hóspede transforma-se em anfitrião. Não somos dignos que ele fique embaixo do nosso teto e ele ainda vai sentar-se à nossa mesa? Somos convidados para o banquete do casamento do Cordeiro.
 
III. A PROMESSA QUE CRISTO FAZ À IGREJA - V. 14,21,22
1. JESUS tem competência para fazer a promessa - v. 14
CRISTO é o Amém e a Testemunha Fiel e Verdadeira - Para uma igreja marcada pelo ceticismo, incredulidade, tolerância JESUS se apresenta como o Amém. Ele é a verdade, e fala a verdade e dá testemunho da verdade.
• Seu diagnóstico da igreja é verdadeiro. Seu apelo à igreja deve ser levado a sério. Suas promessas à igreja são confiáveis. Em face da vida morna e indiferente da igreja, JESUS é a verdade absoluta que tudo vê, tudo sonda, tudo conhece.
• Ele cumpre o que diz. Ele nunca é inconstante. É absolutamente consistente. Para uma igreja morna, inconstante, CRISTO se apresenta como aquele é preciso e confiável. JESUS não apenas jura, ele é o próprio juramento. Entre ele e sua palavra simplesmente não se pode meter nenhum cunha.
 
2. JESUS tem autoridade para tornar a promessa realidade - v. 14
CRISTO é o princípio da criação de DEUS - Em face da vida caótica da igreja, JESUS é aquele que é a origem da criação. Como ele deu ordem aos caos do universo, ele pode arrancar a igreja do caos espiritual.
 
3. JESUS tem poder para conduzir os vencedores ao seu trono de glória - v. 21.22
• Quando CRISTO entra em nossa casa recebemos a riqueza do Reino. Recebemos vestes brancas de justiça. Nossos olhos são abertos. Temos a alegria da comunhão com o Filho de DEUS. Mas temos, também, a promessa que excede em glória a todas as outras promessas ao vencedor. Reinaremos com .ele.. Assentaremos em tronos com Ele. Um Trono é símbolo de conquista e autoridade.
• A comunhão da mesa secreta é transformada em comunhão de trono pública.
• Como CRISTO participa do trono do Pai, também participaremos do trono de CRISTO. Quando abrimos a porta para CRISTO entrar em nossa casa, recebemos a promessa de entrar na Casa do Pai. Quando recebemos CRISTO à nossa mesa, recebemos a promessa de sentarmos com ele em seu trono.
 
CONCLUSÃO
• Mas a história não termina aqui. Com o capítulo 4 de Apocalipse passamos da Igreja sobre a terra à igreja no céu. Os olhos de João são arrancados dos companheiros em tribulação para o trono do universo. Diante desse trono estão querubins, os anjos e a igreja glorificada. O livro da história está nas mãos do Cordeiro e nenhuma calamidade pode sobrevir à humanidade enquanto CRISTO não quebrar os selos. Além disso, os ventos do juízo não recebem permissão para soprar sobre aqueles que foram selados pelo ESPÍRITO SANTO. A segurança da igreja está garantida
• Assim, depois de combatermos aqui o bom combate e completarmos a nossa carreira, emergiremos da grande tribulação e não mais sofreremos. Iremos nos juntar à Igreja triunfante, na grande multidão que ninguém poderá contar, vinda de toda nação, tribo, povo e língua e ali estaremos com eles perante o trono de DEUS. Ali nossas lágrimas serão enxugadas, depositaremos nossas coroas diante do trono e adoraremos Aquele que é digno, para sempre.
• Possa o Senhor nos ajudar a ouvir o que o ESPÍRITO diz às igrejas!
 
INTERAÇÃO 
A igreja de Laodiceia recebe a sétima e última carta. Infelizmente a situação espiritual dessa igreja era miserável. Uma igreja em que os bens materiais sobejavam, mas desprovida espiritualmente. Nem quente, nem fria, uma igreja morna, indiferente a Palavra de DEUS. Porém, o Senhor JESUS a amava e por isso aconselhou que buscasse um genuíno avivamento (Ap 3.18). O Senhor JESUS não quer que seus filhos se percam. Ele é aquele que traz o nosso pecado  tona, nos ensina como abandoná-lo e nos perdoa quando de coração sincero nos arrependemos.
 
OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
Descrever a situação espiritual da Igreja de Laodiceia.
Conscientizar-se de que a riqueza da igreja está em manter comunhão com o Senhor. 
Saber como manter a igreja fervorosa espiritualmente. 
 
ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Professor, escreva no quadro de giz o texto Bíblico de Apocalipse 3.15: "Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente!"
Converse com os alunos sobre de que maneira podemos nos manter fervorosos. Anote no quadro as respostas e comente-as. Lembre-os que a prática da Palavra de DEUS nos faz fortes e fervorosos. Ore com os alunos pedindo ao Senhor que jamais sejam afetados pela mornidão espiritual.
 
RESUMO DA LIÇÃO 9, LAODICEIA, UMA IGREJA MORTA
I. A IDENTIFICAÇÃO DE JESUS 
1. A testemunha fiel e verdadeira.
2. O princípio da criação de DEUS.
II. A SITUAÇÃO ESPIRITUAL DA IGREJA DE LAODICEIA
1. Mornidão espiritual.
2. Arrogância espiritual.
3. Falta de percepção do próprio eu.
III. COMO REAVIVAR UMA IGREJA MORNA
1. Ouro refinado pelo fogo.
2. Vestiduras brancas.
3. Colírio.
 
SINOPSE DO TÓPICO (1) A riqueza da igreja não está em seus bens materiais, mas em sua comunhão com o Senhor
SINOPSE DO TÓPICO (2) A igreja de Laodiceia vivia de aparência e mentiras. Ela era morna e arrogante espiritualmente.
SINOPSE DO TÓPICO (3) O Senhor JESUS não desistiu de Laodiceia Ele a aconselha a buscar um grande e poderoso avivamento. 
 
AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO - Subsídio Teológico
"Laodiceia era um rico centro de comércio. A prosperidade era a causa da mornidão daquela igreja. Eles haviam se tornado ricos e cheios de bens materiais. Com o dinheiro que já tinham, multiplicavam ainda mais suas posses. Estavam, agora, tão envolvidos com a vida material que eram induzidos a negligenciar a espiritual (Mt 13.22). Esta igreja não havia sofrido nenhuma perseguição. Não havia sido invadida pelas falsas doutrinas nem pelos falsos apóstolos. Para as outras igrejas, sua situação era excelente, ideal. Os cristãos de Laodiceia  haviam se tornado tão satisfeitos e eufóricos com as coisas que o dinheiro pode comprar, que foram levados a perder o desejo pelas coisas de DEUS. Infelizmente , não haviam aprendido ainda a 'viver em prosperidade' (Fp 4.12) Como resultado, sua satisfação era falsa por ignorarem as coisas de DEUS" (HORTON, Stanley M. Apocalipse. As coisas que brevemente devem acontecer. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2001, pp.57,58).
 
VOCABULÁRIO
Indigência: Penúria, miséria, pobreza.
Sobejava: Sobrava, excedia o limite necessário.
Irrecorríveis: Das coisas que não se podem recorrer; inapeláveis.
Esmoler: Quem vive de esmolas.
Ornado: Adornado, abrilhantado.
Coseu: Costurou, bordou.
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
HORTON, Stanley M. Apocalipse. As coisas que brevemente devem acontecer. 2. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2001.
SAIBA MAIS
Revista Ensinador Cristão
CPAD, nº 50, p.40.
 
QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 9, LAODICEIA, UMA IGREJA MORTA
Responda conforme a revista da CPAD do 2º Trimestre de 2012
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO 
1- Complete:
"Mas buscai _____________________________ o Reino de DEUS, e a sua__________________________, e todas essas coisas vos serão ________________________________" (Mt 6.33).
 
VERDADE PRÁTICA 
2- Complete:
A igreja que não busca os __________________________________ do Reino de DEUS está ____________________________ ao fracasso, ao esquecimento e à ______________________________ espiritual.
 
I. A IDENTIFICAÇÃO DE JESUS 
3- Por que JESUS se apresenta como a testemunha fiel e verdadeira à igreja de Laodicéia?
(    ) Se Laodiceia vive de mentiras e de aparências, JESUS não tem outra alternativa senão a de apresentar-se, ao seu pastor, como a Testemunha Fiel e Verdadeira.
(    ) A Igreja de CRISTO tem a obrigação de sustentar a história evangélica neste século tão cheio de graça.
(    ) Como poderá uma igreja morna e que tem a cara do mundo levantar-se como a voz profética de DEUS?
(    ) A Igreja de CRISTO tem a obrigação de sustentar a verdade evangélica neste século maligno e mentiroso.
 
4- Por que JESUS se apresenta como o princípio da criação de DEUS?
(    ) Porque o anjo da igreja em Laodiceia terá de saber que tudo quanto há no mundo existe por causa da igreja e é tudo para ela..
(    ) Porque o anjo da igreja em Laodiceia, ignorando a suficiência divina, extravasa-se em presunções: "Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta".
(    ) Porque o anjo da igreja em Laodiceia terá de saber que JESUS, como o princípio da criação de DEUS, é o dono de todas as coisas, porque todas as coisas foram por Ele criadas.
(    ) Porque o anjo da igreja em Laodiceia terá de saber que tudo quanto há no mundo existe por causa de JESUS e para Ele.
 
5- O que é uma igreja rica para JESUS?
(    ) Igreja rica não é aquela que tem ouro e prata, mas aquela que ainda pode declarar no poder do ESPÍRITO SANTO: "Em nome de JESUS CRISTO, o Nazareno, levanta-te e anda".
(    ) Igreja rica não é aquela que tem só ouro e prata, mas aquela que ainda tem o nome de JESUS CRISTO estampado em sua porta.
(    ) Igreja abastada é aquela que, embora pobre, consagra ao Senhor preciosas almas.
 
II. A SITUAÇÃO ESPIRITUAL DA IGREJA DE LAODICEIA
6- Por que JESUS declara a situação espiritual da igreja de Laodiceia como "mornidão espiritual"?
(    ) Igreja fria que era, Laodiceia faz-se indiferente a DEUS e à sua Palavra. Por isto, o Senhor repreende-a: "Eu sei as tuas obras, que nem és morno nem quente. Tomara que foras morno ou quente!".
(    ) Se Laodiceia fosse fria, buscaria o calor de um avivamento; se quente, espalharia esse mesmo avivamento até aos confins da terra.
(    ) Igreja Morna que era, Laodiceia faz-se indiferente a DEUS e à sua Palavra. Por isto, o Senhor repreende-a: "Eu sei as tuas obras, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente!".
 
7- Como era a arrogância espiritual do anjo da igreja de Laodicéia?
(    ) A falta de prosperidade levara o anjo da igreja em Laodiceia ao orgulho fatal.
(    ) Além da indiferença doentia e crônica às coisas de DEUS, o anjo da Igreja em Laodiceia era soberbo e arrogante.
(    ) O anjo da igreja de Laodicéia supunha que, por ser rico e de nada ter falta, achava-se acima das providências divinas. A prosperidade levara-o ao orgulho fatal.
 
8- O que nos lembra esse discurso - "Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta" (Ap 3.17)?
(    ) A retórica do serafim ungido ao apostatar-se de sua posição junto ao trono do Altíssimo.
(    ) A retórica do querubim ungido ao apostatar-se de sua posição junto ao trono do Altíssimo.
(    ) Comportam-se assim as igrejas que, por causa de sua prosperidade material, julgam-se ricas, mas espiritual e ministerialmente são paupérrimas. 
 
9- A que pode levar a falta de percepção do próprio eu? Complete:
Apesar de todos os seus bens ______________________________, Laodiceia em nada diferia de um _________________________________ espiritual: "e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu" (Ap 3.17). Se _____________________________ logo após a Queda percebeu-se nu, o pastor da igreja em Laodiceia julgava-se bem __________________________ e ornado. Se o primeiro homem teve os olhos abertos para enxergar a própria _____________________________, o anjo de Laodiceia achava-se, mesmo despido, em trajes de ______________________________. E se Adão, reconhecendo a própria carência, coseu __________________________ da figueira, aquele obreiro, embora descoberto, desfilava toda a sua nudez diante das ______________________________. Infelizmente, ninguém tinha coragem de dizer que o _______________________ estava nu. Foi preciso que o Pastor dos pastores endereçasse-lhe uma enérgica carta apontando-lhe a nudez, a pobreza e a _______________________________ espiritual. Como estão as suas vestes espirituais? São ainda alvas? Ou anda você nu sem o saber? "Em todo tempo sejam ______________________________ as tuas vestes, e nunca falte o __________________________ sobre a tua cabeça" (Ec 9.8).
 
III. COMO REAVIVAR UMA IGREJA MORNA
10- Como reavivar uma igreja morna?
(    ) Ela deveria passar pelo fogo de DEUS para se aquecer.
(    ) deveria seus membros deixar de lado a oração e se dedicarem à bíblia.
(    ) Deveria se arrepender para ter os pecados lavados pelo sangue de JESUS.
(    ) Deveria buscar a Palavra de DEUS para passar a enxergar as coisas espirituais.
 
11- O que quer dizer "Ouro refinado pelo fogo"? Complete:
A menos que o anjo da Igreja em Laodiceia _______________________________ os tesouros da sabedoria e da ciência em CRISTO, continuaria a levar uma vida _____________________________ (Cl 2.2,3). Como adquirir tais tesouros? CRISTO no-los coloca à ___________________________________. Não quer você apossar-se desses tesouros e ter uma comunhão mais ________________________________ com o Senhor?
 
12- O que quer dizer "Vestiduras brancas"? Complete:
Redimidos pelo ________________________________ do Cordeiro, nossas vestes tornaram-se mais alvas que a neve (Is 1.18). Sim, Ele mudou-nos as vestiduras que, _________________________________ pela iniqüidade, envergonhavam-nos diante de sua justiça e santidade (Zc 3.1-10).  Como está você diante de DEUS? Nu? Ou ____________________________________ da graça divina?
 
13- O que quer dizer a necessidade de colírio para a igreja de Laodicéia?
(    ) Quer dizer que na igreja de Laodicéia havia muitos cegos de nascença precisando de cura.
(    ) A cegueira espiritual era o grande problema da igreja em Laodiceia: não conseguia ver a própria miséria nem podia perceber a sua nudez.
(    ) O Senhor JESUS aconselha o seu anjo: "aconselho-te que de mim compres [...] colírio, para que vejas".
 
14- Onde poderá você encontrar o colírio recomendado pelo Senhor?
(    ) Na moderna Laodiceia.
(    ) Nas Sagradas Escrituras.
(    ) Lendo as Sagradas Escrituras, conseguimos ver todas as coisas perfeitamente.
 
CONCLUSÃO
15- Complete:
Embora abastada e próspera, a orgulhosa Laodiceia não era ________________________________ diante de DEUS. Voltemos à manjedoura! Enriqueçamo-nos daquEle que se fez pobre por amor de nós. Vençamos a ____________________________________ espiritual, pois o Senhor JESUS promete-nos uma grande e verdadeira __________________________________: "Ao que vencer, lhe concederei que se _________________________________ comigo no meu trono, assim como eu venci e me assentei com meu Pai no seu trono" (Ap 3.21).
 
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
BANCROFT, E. H. Teologia Elementar. São Paulo, IBR, 1975.
CEGALLA, D. P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1977.
BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Edição contemporânea. São Paulo, Vida, 1994.
McNAIR, S. E. A Bíblia Explicada. Rio de Janeiro, CPAD, 1994.
Espada Cortante 1 e 2 - Orlando S. Boyer - CPAD - Rio de Janeiro - RJ
CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. 5. ed. São Paulo: Hagnos, 2001. v. 1
VOS, Howard F.; REA, John. Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR, William. Dicionário Vine. 2. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.
GILBERTO, Antonio. A BÍBLIA Através dos Séculos. Rio de Janeiro: CPAD, 1987. HORTON, Stanley. Teologia Sistemática. Rio de Janeiro: CPAD, 1996. 
Benjamin F. GUTIÉRREZ e Leonildo S. CAMPOS, Na força do ESPÍRITO, p. 286.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Introdução e Comentários de Francis I.Andersen - Sociedade Religiosa Edições Vida Nova - S.Paulo - SP
Mateus, introdução e comentário - Série cultura bíblica - R. V. G. Tasker - Editora: Vida Nova
Apocalipse - Versículo por Versículo Autor: Severino Pedro da Silva Editora: CPAD Ano: 2002
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/imagens_do_apocalipse.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao1-vemofim-ofimvemadoutrinadasultimascoisas.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao6-dlld-deuscomandafuturo.htm
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/licao13-mii-3tr11-aplenitudedoreinodedeus.htm
Estudos no Livro de APOCALIPSE - Hernandes Dias Lopes
 
 
Index
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos