Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
    Eu
 
 
 
ABRAÃO - ÊXITOS E FRACASSOS DO AMIGO DE DEUS
4º TRIMESTRE DE 2002 - COMENTÁRIOS DE Pr.ELIENAI CABRAL
(CONSULTORIA DOUTRINÁRIA E TEOLÓGICA DE Pr.ANTÔNIO GILBERTO)
 
Lição 10 - O PODER DA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA - 08/12/2002
 
 
TEXTO ÁUREO:
“Exorto, pois, antes de tudo, que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens” (1 Tm 2.1).
EXORTAR É ADVERTIR, É CHAMAR A ATENÇÃO, É INSISTIR NO RETORNO;
ANTES DE TUDO QUER DIZER ANTES DE SE PREOCUPAR COM AS COISAS MATERIAIS;
SÚPLICAS QUER DIZER PEDIDOS COM ROGOS, PEDIDOS INCESSANTES, COM INSISTÊNCIA, COM CHORO, COM PERSISTÊNCIA;
ORAÇÕES QUER DIZER CONVERSANDO COM DEUS, DIALOGANDO, APRESENTANDO RAZÕES, PEDIDNDO COM ROGOS;
INTERCESSÕES QUER DIZER COMBATENDO EM ORAÇÃO, ENTRANDO NA LUTA EM FAVOR DE ALGUÉM OU DE PESSOAS, EM LUTA CONTRA SATANÁS E SUAS HOSTES;
AÇÕES DE GRAÇA QUER DIZER AGRADECENDO COM FÉ PELA VITÓRIA E CRENDO NA MESMA; POR TODOS OS HOMENS QUER DIZER SEM ACEPÇÃO, ATÉ PELOS INIMIGOS. (Mt 5.44)
 
VERDADE PRÁTICA:
O crente, em seu ministério sacerdotal, deve interceder por todos, sem distinção social, racial, política, religiosa ou filosófica.
 
A INTERCESSÃO
Dn 9.3 “E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração, e rogos, e jejum, e pano de saco, e 
cinza.”
Pode-se definir a intercessão como a oração contrita e reverente, com fé e perseverança, mediante a qual o crente suplica a Deus em favor de outra pessoa ou pessoas que extremamente necessitem da intervenção divina. A oração de Daniel no cap. 9 é uma oração intercessória, pois ele ora contritamente em favor da restauração de 
Jerusalém e de todo o povo de Israel. A Bíblia nos fala da intercessão de Cristo e do Espírito Santo, e de numerosos santos, homens e mulheres do antigo e do novo concerto. 
A INTERCESSÃO DE CRISTO E DO ESPÍRITO SANTO. 
(1) Jesus, no seu ministério terreno, orava pelos perdidos, os quais Ele viera buscar e salvar (Lc 19.10). Chorou, quebrantado, por causa da indiferença da cidade de Jerusalém (Lc 19.41). Orava pelos seus discípulos, tanto 
individualmente (ver Lc 22.32) como pelo grupo todo (Jo 17.6-26). Orou até por seus inimigos, quando pendurado na cruz (Lc 23.34). 
(2) Um aspecto permanente do ministério atual de Cristo é o de interceder pelos crentes diante do trono de Deus (Rm 8.34; Hb 7.25; 9.24; ver 7.25); João refere-se a Jesus como “um Advogado para com o Pai” (ver 1Jo 2.1). A intercessão de Cristo é essencial à nossa salvação (cf. Is 53.12). Sem a sua graça, misericórdia e ajuda, que recebemos mediante a sua intercessão, nós nos desviaríamos de Deus e voltaríamos à escravidão do pecado. 
(3) O Espírito Santo também está empenhado na intercessão. Paulo declara: “não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis” (Rm 8.26). O 
Espírito Santo, através do espírito do crente, intercede “segundo Deus” (Rm 8.27). Portanto, Cristo intercede pelo crente, no céu, e o Espírito intercede dentro do crente, na terra. 
A INTERCESSÃO DO CRENTE. A Bíblia refere-se constantemente às orações intercessórias do crente e registra numerosos exemplos de orações notáveis e poderosas. 
(1) No AT, os líderes do povo de Deus, tais como os reis (1Cr 21.17; 2Cr 6.14-42), profetas (1Rs 18.41-45; Dn 9) e sacerdotes (Ed 9.5-15; Jl 1.13; 2.17,18), deviam ser exemplos na oração intercessória em prol da nação. Exemplos marcantes de intercessão no AT, são as orações de Abraão em favor de Ismael (Gn 17.18) e de Sodoma e Gomorra (Gn 18.23-32), as orações de Davi em favor de seus filhos (2Sm 12.16; 1Cr 29.19), e as de Jó em favor de seus filhos (Jó 1.5). Na vida de Moisés, temos o exemplo supremo no AT, quanto ao poder da oração intercessória. 
Em várias ocasiões ele orou intensamente para Deus alterar a sua vontade, mesmo depois de o Senhor declarar-lhe aquilo que Ele já resolvera executar. Por exemplo, quando os israelitas se rebelaram e se recusaram a entrar em Canaã, Deus falou a Moisés que iria destruí-los e fazer de Moisés uma nação maior (Nm 14.1-12). Moisés, então, levou o assunto ao Senhor em oração e implorou em favor dos israelitas (Nm 14.13-19); no fim da 
sua oração, Deus lhe disse: “Conforme à tua palavra, lhe perdoei” (Nm 14.20; ver também Êx 32.11-14; Nm 11.2; 12.13; 21.7; 27.5). Outros poderosos intercessores do AT são Elias (1Rs 18.21-26; Tg 5.16-18), Daniel (9.2-23) e Neemias (Ne 1.3-11). 
(2) O NT apresenta mais exemplos, ainda, de orações intercessórias. Os evangelhos registram como os pais e outras pessoas intercediam com Jesus em favor dos seus entes queridos. Os pais rogavam a Jesus para que curasse seus filhos doentes (Mc 5.22-43; Jo 4.47-53); um grupo de mães pediu que Jesus abençoasse seus filhos (Mc 10.13). Certo homem de posição implorou, pedindo a cura de seu servo (Mt 8.6-13), e a mãe de Tiago e João intercedeu diante de Jesus em favor deles (Mt 20.20,21). 
(3) A igreja do NT intercedia constantemente pelos fiéis. Por exemplo, a igreja de Jerusalém reuniu-se a fim de orar pela libertação de Pedro da prisão (At 12.5, 12). A igreja de Antioquia orou pelo êxito do ministério de 
Barnabé e de Paulo (At 13.3). Tiago ordena expressamente que os presbíteros da igreja orem pelos enfermos (Tg 5.14) e que todos os cristãos orem “uns pelos outros” (Tg 5.16; cf. Hb 13.18,19). Paulo vai mais além, e pede 
que se faça oração em favor de todos (1Tm 2.1-3). 
(4) O apóstolo Paulo, quanto à intercessão, merece menção especial. Em muitas das suas epístolas, discorre a respeito das suas próprias orações em favor de várias igrejas e indivíduos (e.g., Rm 1.9,10; 2Co 13.7; Fp 1.4-11; Cl 1.3,9-12; 1Ts 1.2,3; 2Ts 1.11,12; 2Tm 1.3; Fm .4-6). Vez por outra fala das suas orações intercessórias (e.g., Ef 1.16-18; 3.14-19; 1Ts 3.11-13). Ao mesmo tempo, também pede as orações das igrejas por ele, pois sabe que somente através dessas orações é que o seu ministério terá plena eficácia (Rm 15.30-32; 2Co 1.11; Ef 6.18-20; Fp 1.19; Cl 4.3,4; 1Ts 5.25; 2Ts 3.1,2). 
PROPÓSITOS DA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA. Nas numerosas orações intercessórias da Bíblia, os santos de 
Deus intercediam para que Deus sustasse o seu juízo (Gn 18.23-32; Nm 14.13-19; Jl 2.17), que restaurasse o seu povo (Ne 1; Dn 9), que livrasse as pessoas do perigo (At 12.5,12; Rm 15.31), e que abençoasse o seu povo (Nm 6.24-26; 1Rs 18.41-45; Sl 122.6-8). Os intercessores também oravam para que o poder do Espírito Santo viesse 
sobre os crentes (At 8.15-17; Ef 3.14-17), para que alguém fosse curado (1Rs 17.20-23; At 28.8; Tg 5.14-16), pelo perdão dos pecados (Ed 9.5-15; Dn 9; At 7.60), para Deus dar capacidade às pessoas investidas de autoridade para governarem bem (1Cr 29.19; 1Tm 1.1,2), pelo crescimento na vida cristã (Fp 1.9-11; Cl 1.10,11), por pastores para 
que sejam capazes (2Tm 1.3-7), pela obra missionária (Mt 9.38; Ef 6.19,20), pela salvação do próximo (Rm 10.1) e para que os povos louvem a Deus (Sl 67.3-5). Qualquer coisa que a Bíblia revele como a perfeita vontade de Deus para o seu povo pode ser um motivo apropriado para a oração intercessória.
 
LEITURA DIÁRIA:
Segunda Gn 18.23-33 A oração intercessória de Abraão
23 E chegou-se Abraão, dizendo: Destruirás também o justo com o ímpio?24 Se, porventura, houver cinqüenta justos na cidade, destruí-los-ás também e não pouparás o lugar por causa dos cinqüenta justos que estão dentro dela?25 Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio; que o justo seja como o ímpio, longe de ti seja. Não faria justiça o Juiz de toda a terra?26 Então, disse o SENHOR: Se eu em Sodoma achar cinqüenta justos dentro da cidade, pouparei todo o lugar por amor deles.27 E respondeu Abraão, dizendo: Eis que, agora, me atrevi a falar ao Senhor, ainda que sou pó e cinza.28 Se, porventura, faltarem de cinqüenta justos cinco, destruirás por aqueles cinco toda a cidade? E disse: Não a destruirei, se eu achar ali quarenta e cinco.29 E continuou ainda a falar-lhe e disse: Se, porventura, acharem ali quarenta? E disse: Não o farei, por amor dos quarenta.30 Disse mais: Ora, não se ire o Senhor, se eu ainda falar: se, porventura, se acharem ali trinta? E disse: Não o farei se achar ali trinta.31 E disse: Eis que, agora, me atrevi a falar ao Senhor: se, porventura, se acharem ali vinte? E disse: Não a destruirei, por amor dos vinte.32 Disse mais: Ora, não se ire o Senhor que ainda só mais esta vez falo: se, porventura, se acharem ali dez? E disse: Não a destruirei, por amor dos dez.33 E foi-se o SENHOR, quando acabou de falar a Abraão; e Abraão tornou ao seu lugar.

Terça Êx 8.8-13 Moisés intercede por Faraó
8 E Faraó chamou a Moisés e a Arão e disse: Rogai ao SENHOR que tire as rãs de mim e do meu povo; depois, deixarei ir o povo, para que sacrifiquem ao SENHOR.9 E Moisés disse a Faraó: Tu tenhas glórias sobre mim. Quando orarei por ti, e pelos teus servos, e por teu povo, para tirar as rãs de ti e das suas casas, de sorte que somente fiquem no rio?10 E ele disse: Amanhã. E Moisés disse: Seja conforme a tua palavra, para que saibas que ninguém há como o SENHOR, nosso Deus.11 E as rãs apartar-se-ão de ti, e das tuas casas, e dos teus servos, e do teu povo; somente ficarão no rio.12 Então, saiu Moisés e Arão de Faraó; e Moisés clamou ao SENHOR por causa das rãs que tinha posto sobre Faraó.13 E o SENHOR fez conforme a palavra de Moisés; e as rãs morreram nas casas, nos pátios e nos campos.

Quarta Dt 9.24-29 Moisés intercede pelo povo
24 Rebeldes fostes contra o SENHOR, desde o dia em que vos conheci.25 E prostrei-me perante o SENHOR aqueles quarenta dias e quarenta noites em que estava prostrado; porquanto o SENHOR dissera que vos queria destruir.26 E eu orei ao SENHOR, dizendo: SENHOR Deus, não destruas o teu povo e a tua herança, que resgataste com a tua grandeza, que tiraste do Egito com mão forte.27 Lembra-te dos teus servos Abraão, Isaque e Jacó; não atentes para a dureza deste povo, nem para a sua impiedade, nem para o seu pecado,28 para que o povo da terra donde nos tiraste não diga: Porquanto o SENHOR os não pôde introduzir na terra de que lhes tinha falado e porque os aborrecia, os tirou para os matar no deserto.29 Todavia, são eles o teu povo e a tua herança que tu tiraste com a tua grande força e com o teu braço estendido.
Quinta Nm 12.1-15 Moisés intercede por Miriã
1 E falaram Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cuxita, que tomara; porquanto tinha tomado a mulher cuxita.2 E disseram: Porventura, falou o SENHOR somente por Moisés? Não falou também por nós? E o SENHOR o ouviu.3 E era o varão Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra.4 E logo o SENHOR disse a Moisés, e a Arão, e a Miriã: Vós três saí à tenda da congregação. E saíram eles três.5 Então, o SENHOR desceu na coluna de nuvem e se pôs à porta da tenda; depois, chamou a Arão e a Miriã, e eles saíram ambos.6 E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, o SENHOR, em visão a ele me farei conhecer ou em sonhos falarei com ele.7 Não é assim com o meu servo Moisés, que é fiel em toda a minha casa.8 Boca a boca falo com ele, e de vista, e não por figuras; pois, ele vê a semelhança do SENHOR; por que, pois, não tivestes temor de falar contra o meu servo, contra Moisés?9 Assim, a ira do SENHOR contra eles se acendeu; e foi-se.10 E a nuvem se desviou de sobre a tenda; e eis que Miriã era leprosa como a neve; e olhou Arão para Miriã, e eis que era leprosa.11 Pelo que Arão disse a Moisés: Ah! Senhor meu! Ora, não ponhas sobre nós este pecado, que fizemos loucamente e com que havemos pecado!12 Ora, não seja ela como um morto, que, saindo do ventre de sua mãe, tenha metade da sua carne já consumida.13 Clamou, pois, Moisés ao SENHOR, dizendo: Ó Deus, rogo-te que a cures.14 E disse o SENHOR a Moisés: Se seu pai cuspira em seu rosto, não seria envergonhada sete dias? Esteja fechada sete dias fora do arraial; e, depois, a recolham.15 Assim, Miriã esteve fechada fora do arraial sete dias, e o povo não partiu, até que recolheram a Miriã.
12.1 MULHER CUXITA. O casamento de Moisés com uma mulher etíope ("cuxita") não era nem moral nem legalmente errado. A queixa de Miriã e de Arão era um pretexto fingido para encobrir a inveja que nutriam devido à autoridade de Moisés (v. 2).
12.3 MOISÉS... MANSO. Esta referência a Moisés como o homem mais manso da terra é provavelmente uma explanação complementar escrita por Josué após a morte de Moisés. O termo original aqui (hb. ãnãw) significa tanto manso como humilde. A humildade de Moisés consistia em sua confiança em Deus como Senhor; daí ser ele isento de egoísmo e ambições carnais. Quando sob afronta ou ameaça, Moisés dependia de Deus e nEle confiava como seu socorro e defesa. As Escrituras afirmam que Deus se compraz em assistir ao humilde (Sl 22.26; 25.9; 147.6; 149.4; Mt 5.5; 1 Pe 5.6). Jesus, como profeta semelhante a Moisés (At 7.37), foi manso e humilde de coração (Mt 11.29) e entregava-se a Deus ao ser maltratado (1 Pe 2.23).
 
Sexta 1 Sm 12.18-23  Samuel intercede pelo povo
18 Então, invocou Samuel ao SENHOR, e o SENHOR deu trovões e chuva naquele dia; pelo que todo o povo temeu em grande maneira ao SENHOR e a Samuel.19 E todo o povo disse a Samuel: Roga pelos teus servos ao SENHOR, teu Deus, para que não venhamos a morrer; porque a todos os nossos pecados temos acrescentado este mal, de pedirmos para nós um rei.20 Então, disse Samuel ao povo: Não temais; vós tendes cometido todo este mal; porém não vos desvieis de seguir ao SENHOR, mas servi ao SENHOR com todo o vosso coração.21 E não vos desvieis; pois seguiríeis as vaidades, que nada aproveitam e tampouco vos livrarão, porque vaidades são.22 Pois o SENHOR não desamparará o seu povo, por causa do seu grande nome, porque aprouve ao SENHOR fazer-vos o seu povo.23 E, quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o SENHOR, deixando de orar por vós; antes, vos ensinarei o caminho bom e direito.
12.21 E NÃO VOS DESVIEIS; POIS SEGUIRÍEIS AS VAIDADES. "Vaidades", aqui, têm o sentido de ídolos. Samuel advertiu os israelitas contra a adoração a deuses pagãos e vazios de poder. Somente o Senhor Deus poderia lhes socorrer em qualquer dificuldade. 
12.22 O SENHOR NÃO DESAMPARARÁ O SEU POVO. Deus continuou a assistir Israel, apesar de os israelitas terem feito uma má escolha e se afastado da perfeita vontade divina para eles. Na sua misericórdia e paciência, Deus constantemente nos abençoará, mesmo quando fazemos escolhas erradas e entramos por um caminho que não é totalmente o da sua vontade para a nossa vida. Quando saímos fora da vontade do Senhor, devemos buscar o seu perdão e retornar à obediência e ao seu serviço, de todo o coração (v. 24). Se fizermos assim, Deus nos abençoará em nossa condição atual. Se, no entanto, persistirmos em seguir o nosso próprio caminho, isso 
vai resultar em nossa ruína (v. 25).
12.23 LONGE DE MIM QUE EU PEQUE CONTRA O SENHOR, DEIXANDO DE ORAR. Samuel era um homem de oração. 
(1) Nasceu em resposta à oração da sua mãe (1.10-20); orava em favor do povo de Deus e, através da oração, viu Israel liberto do inimigo (7.5-14); orou quando Israel rejeitou a Deus (8.6); orou continuamente para que o seu povo temesse ao Senhor e o servisse fielmente (12.23,24). 
(2) O Salmo 99.6 declara que Samuel estava "entre os que invocam o seu [de Deus] nome". Jeremias 15.1 esclarece que, como intercessor, Samuel equipara-se diante de Deus a Moisés. 
(3) Samuel compreendia tão bem as virtudes, o poder e a relevância da oração intercessória, que considerava pecado o deixar de interceder em oração.
Sábado Hb 7.22-25  Jesus intercede por todos
22 de tanto melhor concerto Jesus foi feito fiador.23 E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque, pela morte, foram impedidos de permanecer;24 mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.25 Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:
GÊNESIS 18.17-25,33
17 E disse o SENHOR: Ocultarei eu a Abraão o que faço,18 visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra?19 Porque eu o tenho conhecido, que ele há de ordenar a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do SENHOR, para agirem com justiça e juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que acerca dele tem 
falado.20 Disse mais o SENHOR: Porquanto o clamor de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e porquanto o seu pecado se tem agravado muito,21 descerei agora e verei se, com efeito, têm praticado segundo este clamor que é vindo até mim; e, se não, sabê-lo-ei.22 Então, viraram aqueles varões o rosto dali e foram-se para Sodoma; mas Abraão ficou ainda em pé diante da face do SENHOR.Abraão intercede junto a Deus pelos homens 23 E chegou-se Abraão, dizendo: Destruirás também o justo com o ímpio?24 Se, porventura, houver cinqüenta justos na cidade, destrui-los-á também e não pouparás o lugar por causa dos cinqüenta justos que estão dentro dela?25 Longe de ti que faças tal coisa, que mates o justo com o ímpio; que o justo seja como o ímpio, longe de ti seja. Não faria justiça o Juiz de toda a terra?
 
A intercessão é tão importante que DEUS quando vai fazer algo que influencie o quotidiano humano, ELE primeiro fala aos seus servos na terra para que estes intercedam para que aconteça, caso seja bom, ou intercedam para que não aconteça, caso seja mau. (2 Rs 24.2; Jr 25.4; Jn ) Amós 3.7 = Certamente o Senhor JEOVÁ não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas.
Exemplo: Quando DEUS quis destruir Sodoma, Gomorra e cidades circunvizinhas primeiro falou com Abraão (Gn 18.17), quando DEUS quis destruir o povo hebreu, primeiro falou com Moisés (Ex 32.9,10), Quando quis enviar libertação do cativeiro primeiro falou com Daniel (Dn 9.2), quando quis castigar o povo de Israel primeiro falou com seus profetas (Jr 7.25; 11.7; Jr 25.4; 26.5; 29.19; 35.15; 44.4). Quando quis mandar o salvador, primeiro falou com os profetas (Dt 18.15; At 28.25; Hb 1.1). 
Note que ao pensar em destruir Sodoma e Gomorra, DEUS não se lembrou de Ló e sua família, mas de Abraão, porque Abraão era um Intercessor (Gn 19.29). 
Quando nosso filho, ou filha, ou mãe, ou pai, ou marido, ou esposa, ou parente, ou amigo, ou conhecido, ou desconhecido, qualquer pessoa estiver em perigo, DEUS recorrerá a nós para orarmos intercedendo, isso se nós estivermos ali na brecha (Ez 22.30), para interceder, ou seja estivermos prontos para orar costumeiramente todos os dias em favor daqueles que precisam de nossas orações.
VEJA Lc 13.1-9 = É por isso que às vezes cai um avião, ou outra catástrofe acontece e escapa uma pessoa só, ela tinha um intercessor orando por ela e os outro não.
 
Ez 22.30 "E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei".
 
Note que Jó necessitava de alguém que estivesse entre ele e DEUS, alguém que colocasse a mão no ombro de DEUS e em seu ombro e ali intercedesse por ele. (Jó 9.33)
"Não há entre nós árbitro que ponha a mão sobre nós ambos" Nós temos JESUS.
 
 
18.19 ELE HÁ DE ORDENAR A SEUS FILHOS... PARA QUE GUARDEM O CAMINHO DO SENHOR. De vital importância na chamada de Abraão foi o propósito de Deus para que ele fosse um líder espiritual em casa e ensinasse a seus filhos o caminho do Senhor. Com a chamada de Abraão, Deus estabeleceu o pai como o responsável na família para ensinar os filhos para que guardem o caminho do SENHOR, para agirem com justiça e juízo (Dt 6.7).
Dt 6.7 = E AS INTIMARÁS AOS TEUS FILHOS. Uma forma vital de expressar amor a Deus (v. 5) é cuidar do bem-estar espiritual dos filhos e esforçar-nos para levá-los a um real relacionamento com Deus. 
(1) O ensino da Palavra de Deus aos filhos deve ser uma tarefa altamente prioritária dos pais (cf. Sl 103.13; ver Lc 1.17; 2 Tm 3.3). 
(2) O ensino das coisas de Deus deve partir do lar, e nisso, tanto o pai como a mãe deve participar. Cultuar a Deus no lar não é uma opção; pelo contrário, é um mandamento direto do Senhor (vv. 7-9; Êx 20.12; Lv 20.9; Pv 1.8; 6.20; cf. 2 Tm 1.5).
(3) O propósito da instrução bíblica pelos pais é ensinar os filhos a temer ao Senhor, a andar em todos os seus caminhos, a amá-lo e ser-lhe grato e a servi-lo de todo o coração e alma (10.12; Ef 6.4). 
(4) O crente deve proporcionar sabiamente aos seus filhos uma educação teocêntrica, em que tudo se relacione com Deus e às suas coisas (cf. 4.9; 11.19; 32.46; Gn 18.19; Êx 10.2; 12.26,27; 13.14-16; Is 38.19)

18.20 O SEU PECADO SE TEM AGRAVADO MUITO. Deus não faz concessão ao pecado; Ele observa cada maldade, injustiça e imoralidade que é cometida (4.10; Sl 34.17; Tg 5.4). No tempo certo, não havendo arrependimento do pecado, Deus o julgará. A própria natureza de Deus requer que a iniqüidade seja castigada.
18.22 ABRAÃO FICOU AINDA EM PÉ DIANTE DA FACE DO SENHOR. Preocupado com Ló e sua família, Abraão intercedeu diante de Deus para Ele não destruir as cidades (vv. 22-32). Deus respondeu à oração de Abraão, embora não como este esperava. Deus não destruiu os justos com os ímpios. Ele salvou os justos, porém destruiu os ímpios. No dia da ira futura de Deus, que há de vir sobre o mundo (ver 1 Ts 5.2; 2 Ts 2.2), Deus já prometeu que salvará os justos (ver Lc 21.34-36; Ap 3.10).
 
33 E foi-se o SENHOR, quando acabou de falar a Abraão; e Abraão tornou ao seu lugar.
Note que os anjos não puderam fazer nada enquanto Ló não saiu da cidade, tudo isso por causa da Intercessão de Abraão: 
Gn 19.22 Apressa-te, escapa-te para lá; porque nada poderei fazer enquanto não tiveres ali chegado. Por isso se chamou o nome da cidade Zoar.
OBJETIVOS:
Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:
Destacar a importância e eficácia da oração intercessória.
Relatar o ministério de intercessão no Novo Testamento. 
Reconhecer que a justiça divina não se baseia nos padrões e sentimentos humanos.

COMENTÁRIOS
INTRODUÇÃO

A vida de Abraão quanto à fé é um exemplo para o cristão atual. Sua fé, coragem, amor, fraternidade, desprendimento e comunhão com Deus torna-o um protótipo ideal para a nossa vida espiritual. No episódio do capítulo 18 de Gênesis, temos uma demonstração dessas qualidades, acrescidas de uma grande sensibilidade espiritual para com as pessoas sob sofrimento e provação, mesmo os culpados e reincidentes como o caso de Ló.
 
  TIPOS DE ORAÇÃO:
1-    ARREPENDIMENTO:
(CONFISSÃO, CONTRIÇÃO) 2 Cr 6:27; 1 Jo 1:9; At 11:18; Jó 42:6; Ez 18:32; Mt 4:17; Lc 13:3,15:7
2-    AGRADECIMENTO: 
(AÇÃO DE GRAÇAS) Cl 3:15, 4:2; 1 Tm 2:1,2, 4:3,4; Ef 5:20; Fp 4:6; 2 Ts 1:3; Ap 7:12
3-    LOUVOR: 
(PELO QUE DEUS FEZ, FAZ E FARÁ) Sl 100:4; Sl 150:2,6; Sl 67:3; Hb 13:15; At 2:47; Ap 5:12, 19:5
4-    ADORAÇÃO:
(PELO QUE DEUS É ) Sl 29:2; Ap 7:11,12; Jo 4:24; Sl 89:9; Sl 93 Todo
5-    PETIÇÃO: 
(PEDIDO POR SI MESMO, COM SÚPLICA) Tg 4:3; 1 Tm 2:1; Lc 11:9; Jo 15:7; Fp 4:6 VONTADE DEUS 1 Jo 5:14
6-    ENTREGA: 
(LANÇAMENTO, TRANSFERÊNCIA DE PROBLEMAS) Lc 23:46; At 4:34; 1 Pe 5:7
7-    CONSAGRAÇÃO: 
(A VONTADE DE DEUS É PERFEITA) Lc 22:42; At 4:29; 13:2
8-    INTERCESSÃO: 
(ORANDO PELOS OUTROS, COLOCANDO-SE NO LUGAR DE OUTREM, INDO A DEUS A FAVOR DE E RESISTINDO A SATANÁZ QUE ESTÁ CONTRA). É UM ENCONTRO COM DEUS E UM CONFRONTO COM SATANÁZ.Is 53:12; Jo 17:9; Rm 8:34 ; Hb 7:25 ; 1 Tm 2:1; 1 Sm 19:4, 25:24; Fm 10; Jó 9:32 -35; Is 62:6, 59:16;
Ez 22:30,31: SE NÃO TIVER INTERCESSOR A IGREJA FECHA
EXEMPLO:
DE ABRAHÃO: Gn 18:17, 19:29 
DE MOISÉS: Gn 32:10-14; 32:32, 33:18
DA IGREJA EM FAVOR DE PEDRO: At 12.12
DE PAULO EM FAVOR DA IGREJA: Cl 1.3
OBS.: VEJA ESTUDO SOBRE ORAR EM LÍNGUAS
QUEM ORA EM LÍNGUAS EDIFICA-SE A SI MESMO E PODE CHEGAR A SER USADO PELO ESPÍRITO SANTO NA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA COM GEMIDOS INEXPRIMÍVEIS. 
JESUS É INTERCESSOR COMO HOMEM E COMO DEUS.
DEUS ESTÁ NA TERRA, DENTRO DE NÓS (ESPÍRITO SANTO); O HOMEM ESTÁ NO CÉU NUM CORPO DE HOMEM (GLORIFICADO. EM JESUS CRISTO, NOSSO INTERCESSOR)


I. A INTERCESSÃO DIANTE DO SENHOR VEJA ORAÇÃO

1. Deus revela os fatos a Abraão (18.17). 
Is 41.21 = Apresentai a vossa demanda, diz o SENHOR; trazei as vossas firmes razões, diz o Rei de Jacó.
Is 43.26 = Procura lembrar-me; entremos em juízo juntamente; apresenta as tuas razões, para que te possa justificar.
DEUS chama Abraão a discussão para ver quem tem razão; se realmente as cidades deveriam ou não ser destruídas.
Cabe aqui nesse julgamento que o advogado de defesa (Abraão), apresente ao Juiz (DEUS) a defesa.

2. Deus revela a Abraão a destruição de Sodoma e Gomorra (Gn 18.20-22). 
O juízo de DEUS é eminente, as razões são suficientes; o que fazer senão apelar para a misericórdia divina? (misericórdia é dar sem olhar a quem, por causa do amor e não do merecimento), só resta apelar para a graça (favor imerecido).
O pecado daquelas cidades era tão grave que subiu até DEUS o clamor das almas se enredando pelas fendas do inferno.

II. A RAZÃO DA INTERCESSÃO DE ABRAÃO

1. O clamor de Sodoma e Gomorra (vv.20,21). 
Poderia ser um clamor de Ló em favor de sua família? Poderia ser um clamor das orações de Abraão em favor de Ló? Ou poderia ser o clamor de almas que ansiavam por libertação, mas estavam perdidas em seus desvarios.

2. A intercessão de Abraão (vv. 22-33). 
O amigo de DEUS estava pronto para interceder. Como é agradável a DEUS quando ELE pode contar com um intercessor que sempre está pronto a orar em favor dos oprimidos.
Ali estava o SENHOR a falar com Abraão e esperar dele uma intercessão em favor de pelo menos seus parentes. Não tinha mais solução para as almas daquele lugar, mas DEUS sabia que Abraão não desistiria de seu amigo e sobrinho Ló por quem sempre orava, por isso mesmo revelou a Abraão o que haveria de acontecer àquelas pessoas que ali viviam. 

3. Abraão interroga a Deus. Sua pergunta girava em torno do juízo divino sobre Sodoma e Gomorra (vv. 24-32). 
A advocacia de Abraão é fantástica, ele apela para a justiça divina: DEUS haveria de considerar que seu sobrinho não era como os demais habitantes, embora tivesse seus defeitos, e assim teria misericórdia dele e de sua família nem que fosse por causa de Abraão, o que era a realidade. 
Veja Gn 19.29 E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da campina, Deus se lembrou de Abraão e tirou Ló do meio da destruição, derribando aquelas cidades em que Ló habitara.
III. A EFICÁCIA DA ORAÇÃO INTERCESSÓRIA

1. O intercessor é um sacerdote do Senhor. A Bíblia nos fala do ministério sacerdotal do crente. 
No AT: Só a família de Arão deveria exercer o sacerdócio e os levitas da tribo de Levi foram escolhidos para servirem na tenda ou santuário em seu serviço diário (Nm 3.1-10). 
No NT: SACERDOTES UNGIDOS. Os sacerdotes eram ungidos com azeite para consagrá-los ao serviço de Deus.(1) Semelhantemente, no NT, quando os crentes são ungidos pelo Espírito Santo, são consagrados e capacitados com poder, para serviço e testemunho no reino de Deus (At 1.8; 2.4). 
(2) Os nomes "Messias" (hebraico), e "Cristo" (grego) significam ambos "o Ungido" (ver Mt 1.1). Tudo quanto Cristo fazia era pela unção do Espírito Santo.

2. O ministério da intercessão no Novo Testamento. No capítulo 17 do evangelho de João, temos a sublime oração intercessória de Jesus, em prol dos seus discípulos, que é eficaz por todos os séculos. 
17.1 É CHEGADA A HORA; GLORIFICA A TEU FILHO. O cap. 17 contém a oração final de Jesus por seus discípulos. Este texto revela os desejos e anseios mais profundos de nosso Senhor por seus seguidores, tanto naquela ocasião como agora. Além disso, esta oração é um exemplo inspirado pelo Espírito de como todo pastor deve orar por seu povo e como todo pai deve orar por seus filhos. Ao orarmos pelos que estão sob nossos cuidados, nossos propósitos principais devem ser: 
(1) para que conheçam intimamente a Jesus Cristo e à sua Palavra (vv. 2,3,17,19; ver v. 3 nota); 
(2) para que Deus os preserve do mundo, da apostasia, de Satanás, do mal e das falsas doutrinas (vv. 6,11,14-17); (3) para que tenham continuamente a alegria de Cristo (v. 13); 
(4) para que sejam santos em pensamento, ações e caráter (ver v. 17 nota); 
(5) para que sejam um (vv. 11, 21, 22, ver v. 21 nota); 
(6) para que levem outros a Cristo (vv. 21,23); 
(7) para que perseverem na fé e, finalmente, habitem com Cristo no céu (v. 24); 
(8) para que permaneçam constantemente no amor e na presença de Deus (v. 26). 
17.3 A VIDA ETERNA. A vida eterna é mais do que a existência sem fim. É uma qualidade especial de vida que o crente recebe à medida que ele compartilha da vida de Deus por meio de Cristo. Isso permite ao crente um crescente conhecimento de Deus em comunhão com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. No NT, a vida eterna é descrita como: 
(1) Uma realidade presente (5.24; 10.27,28; 17.3). A possessão atual da vida eterna requer uma fé viva. A vida eterna não é obtida e mantida meramente por meio de um ato de arrependimento e fé ocorrido no passado (ver 5.24 nota 1). Abrange, também, união e comunhão constante e viva com Cristo (1 Jo 5.12). Não existe 
vida eterna à parte dEle (10.27,28; 11.25,26; 1 Jo 5.11-13). 
(2) Uma esperança futura. A vida eterna está associada à vinda de Cristo para levar os seus fiéis (ver 14.3; cf. Mc 10.30; Tt 1.2; 3.7; 2 Tm 1.10), e depende do viver no Espírito (Rm 8.12-17; Gl 6.8).
17.6 GUARDARAM A TUA PALAVRA. A oração de Cristo pela proteção, pela alegria, pela santificação, pelo amor e pela união, refere-se somente àqueles que pertencem a Deus (v. 6), que creram em Cristo (v. 8), que se separaram do mundo (vv. 14-16) e que guardam a Palavra de Cristo e crêem nos seus ensinos (vv. 6,8).
17.17 SANTIFICA-OS NA VERDADE. Santificar significa tornar santo, separar. Jesus ora na noite da véspera da sua crucificação, para que seus discípulos sejam um povo santo, separados do mundo e do pecado, para adorar a Deus e servi-lo. Devem separar-se para estarem perto de Deus, para viverem para Ele e para serem semelhantes a Ele. Essa santificação vem pela dedicação à verdade revelada pelo Espírito da verdade (cf. 14.17; 16.13). A verdade é tanto a Palavra viva de Deus (ver 1.1), como a revelação da Palavra escrita de Deus.
17.19 ME SANTIFICO A MIM MESMO. Jesus se "santifica" separando-se exclusivamente para cumprir a vontade de Deus, i.e., morrer na cruz. Jesus sofreu no Calvário a fim de que seus seguidores pudessem separar-se do mundo e se dedicarem a Deus (ver Hb 13.12).
17.21 PARA QUE TODOS SEJAM UM. A união em favor da qual Jesus orou não era a união de igrejas e organizações, mas a espiritual, baseada na permanência em Cristo (v. 23); amor a Cristo (v. 26); separação do mundo (vv. 14-16); santificação na verdade (vv. 17-19); receber a verdade da Palavra e crer nela (vv. 6,8,17); obediência à Palavra (v. 6); e o desejo de levar a salvação aos perdidos (vv. 21,23). Faltando algum desses fatores, não pode haver a verdadeira unidade que Jesus pediu em oração. 
(1) Jesus não ora para que seus seguidores "se tornem um", mas para que "sejam um". Trata-se do subjuntivo presente e significa "continuamente ser um". União essa que se baseia no relacionamento que todos eles têm com o Pai e o Filho, e na mesma atitude basilar que têm para com o mundo, a Palavra e a necessidade de alcançar os perdidos (cf. 1 Jo 1.7). 
(2) Intentar criar uma união artificial por meio de reuniões, conferências ou organização centralizada, pode resultar num simulacro da própria união em prol da qual Jesus orou. Ele tinha em mente algo muito mais do que "reuniões de unificação", i.e., de união artificial. É uma união espiritual de coração, propósito, mente e vontade dos que estão totalmente dedicados a Cristo, à Palavra e à santidade (ver Ef 4.3).
17.22 A GLÓRIA QUE A MIM ME DESTE. A "glória" de Cristo foi sua vida de serviço abnegado e sua morte na cruz a fim de redimir a raça humana. Semelhantemente, a "glória" do crente é o caminho do serviço humilde e de carregar a sua cruz (cf. Lc 9.23 nota). A humildade, a abnegação, o serviço e a disposição de sofrer por Cristo, garantirão a verdadeira unidade dos crentes, que levará à glória verdadeira.


a) A oração intercessória deve ser espontânea. 
Deve brotar de um coração contrito e cheio de amor pelas almas, é colocar-se em lugar de alguém, é sacrifício vicário, como JESUS CRISTO fez por nós.  
Is 53.4 Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e carregou com as nossas dores; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
Gl 3.13 Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro; 14 para que aos gentios viesse a bênção de Abraão em Jesus Cristo, a fim de que nós recebêssemos pela fé a promessa do Espírito.

b) A oração intercessória é afetuosa e misericordiosa. 
Nessa oração vamos a DEUS, em nome de JESUS, na unção do ESPÍRITO SANTO, humildemente pedindo em favor de outrem, mas ao mesmo tempo nos levantamos na força e no poder do ESPÍRITO SANTO, usando a autoridade do nome de JESUS para resistirmos  a Satanás e suas hostes. (At 3.6; At 16.18; Fl 2.10Jo 16.26,27)
Tg 4.7 Sujeitai-vos, pois, a Deus; mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós.

CONCLUSÃO
No exemplo da intercessão de Abraão, por aquelas cidades tenebrosas, a resposta divina foi negativa. Nem sempre Deus responde nossas orações conforme desejamos e esperamos, porque a justiça divina não se baseia nos padrões e sentimentos humanos.
 
Definição de Intercessão:
Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora sua própria. É estar entre Deus e os homens, a favor destes, tomando seu lugar e sentindo sua necessidade de tal maneira que luta em oração até a vitória na vida daquele por quem intercede.
Há muitas definições que nós poderíamos dar sobre intercessão. A mais simples está na Bíblia: "Orai uns pelos outros" (Tg. 5:16). Ela está cheia de exemplos: Abraão suplicou por Ló e este foi liberto da destruição de Sodoma e Gomorra; Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido; Samuel orou constantemente pela nação; Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro; Davi suplicou pelo povo; Cristo rogou por Seus discípulos e fez especial intercessão por Pedro; Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja é chamada ao fascinante ministério da intercessão.
O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos outros. Ele se coloca numa posição de sacerdote, entre Deus e o homem, para pleitear a causa.
Intercessão é dar à luz no reino do espírito às promessas e propósitos de Deus. É uma oração para que a vontade de Deus seja feita na vida de outros; é descobrir o que está no coração de Deus e orar para que isso se manifeste.
Deus levanta hoje um verdadeiro exército de intercessores.  Ele está para trazer à Terra o maior derramamento do Espírito já testemunhado. Para tanto, Seu Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração intercessória é a ferramenta usada por Ele para manifestar na vida dos homens Seus poderosos feitos.
Interceder é ver a necessidade da intervenção de DEUS nas mais diversas situações. É captar a mente de Cristo, de modo a ver as circunstâncias como Cristo as vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que sua vontade e propósito Divinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das nações.
 
Etimologia da Palavra
Etimologicamente, podemos considerar a palavra no hebraico, grego e português. É interessante estudarmos o significado das palavras nas línguas originais, porque em assim fazendo temos um entendimento melhor do que elas significam.
Paga (hebraico) - Vem da raiz de uma palavra que significa "colidir pela violência". Paga segundo a Concordância de Strong, quer dizer: "colidir, encontrar, por acidente ou violência, ou (figuradamente) pela importunação. Vir (entre), suplicar, cair (sobre), fazer intercessão, interceder, pleitear, prostrar, encontrar com (juntos), suplicar, orar, alcançar, correr". É esta a palavra usada em Is. 55:12; Jr. 7:16; 27:18; 36:25.
O Léxico Hebraico-Caldeu do Velho Testamento, de H.W.F. Gesenius, ressalta vários significados existentes na raiz da palavra. Destacamos: "Vir sobre ou contra, quer de propósito ou acidentalmente, quer violenta ou levemente; num bom sentido, assaltar alguém com petições, orações; instá-lo; encontrar-se com; alcançar alguém; fazer uma aliança com alguém..."
Interessantes são também as expressões: "colocar-se na brecha", para defender alguém (Ez. 13:5; 22:30; SI. 106:23) e "erguer um muro em torno de alguém" (Ez. 13:6; 22:30).
Ënteuxis (grego) - (substantivo) De acordo com W. E. Vine, em seu Expository Dictionary of the New Testament Words, "primariamente denota encontrar-se com; então, uma conversação; uma petição; é um termo técnico de aproximação de um rei, bem como para a aproximação de Deus em intercessão; é traduzido para oração em 
I Tm. 4:5 e no plural em I Tm. 2:1 (isto é, procurando a presença e ouvindo de Deus a favor de outros).
Entugchano (grego) - (verbo) Segundo W. E. Vine, "primariamente harmonizar-se com, encontrar-se com o fim de conversar; então, fazer petição, especialmente intercessão, pleitear com uma pessoa, tanto a favor quanto contra outros;  
(a) contra: At. 25:24; Rm. 11:2; 
(b) a favor: Rm. 8:27,34; Hb. 7:25.
Huperentugcha no grego) - Interceder a favor de; fazer intercessão por. 
Interceder, segundo o Dicionário de Aurélio, é "pedir, rogar, suplicar (por outrem); intervir (a favor de alguém ou de algo)"
O Dicionário da Bíblia, de Nelson, declara: "O ato de peticionar a Deus ou orar a favor de outra pessoa ou grupo." 
 
A natureza pecaminosa deste mundo separa os seres humanos de Deus. Tem sido necessário, portanto, que pessoas justas vão a Deus buscar reconciliação entre Ele e Sua criação caída."
 
Encontro e Confronto
A palavra hebraica, paga, para intercessão, tem dois aspectos: O primeiro é de luta, violência, choque e denota confronto. O outro, de encontro, colocar-se entre, orar, suplicar. Concluímos, pois, que a intercessão tem duas facetas: Uma de confronto com o inimigo e outra de encontro com o Rei.
O homem não tem autoridade para confrontar o seu Criador. Vamos a Deus com uma atitude de quebrantamento e submissão. Contra quem, pois, se colide na intercessão? Contra o que se opõe aos planos de Deus na vida dos filhos dos homens.
No sentido lato da palavra, interceder é enfrentar as forças opostas de Satanás, colidindo contra elas, pela batalha espiritual, e colocar-se diante de Deus, firmado em Suas promessas, a fim de pleitear a causa de outros; é um  encontro com Deus e um confronto com Satanás, a favor dos homens. (O poder da INTERCESSÃO - Valnice Milhomens).


AUXÍLIOS SUPLEMENTARES: Subsídio Teológico
“Imaginamos que, se nossas orações são atendidas e nossas vidas são prolongadas, tudo permanecerá perfeito e viveremos sempre felizes. Por isso, quando Deus diz não para os nossos pedidos mais importantes, parece que não está sendo misericordioso. Na realidade, seu não dito com firmeza pode ser a palavra mais gentil de todas.Além disso, podemos acabar duvidando do poder e da eficácia da oração se Deus sempre nos diz não – a menos que entendamos mais profundamente o significado da fé e da oração. O primordial na fé não é se alcançaremos nossos objetivos, mas se confiamos na bondade do Doador. Será que acreditamos que Deus seja sensato, bom, poderoso, justo, generoso, santo e gentil? Se realmente cremos que Deus seja o que diz ser, precisamos confiar que Ele vai agir de acordo com seu caráter. Quando nossas orações violam o caráter de Deus, não podemos esperar que mude a sua vontade, pois seria um Deus inconstante e sem valor.É um grande conforto saber que Deus se importa conosco o bastante para nos dizer não. Ao invés de sofrer por causa de algum desapontamento, podemos nos alegrar pelo caráter de Deus.” (Quando Deus Diz Não, CPAD, págs. 54 e 55)
Leia Mais: Revista Ensinador Cristão CPAD, nº 12, pág. 41 
 
GLOSSÁRIO:
Abundante: Que tem ou existe em abundância; copioso, farto, abundoso 
Pocilga: Casa ou lugar imundo; cortelho, cortelha.
Acrescida: Referente a fazer crescer, aumentar; juntar-se, ajuntar-se; acrescentar-se.
Porventura: Acaso; por acaso.
Adjacente: Próximo, vizinho.
Protótipo: Primeiro tipo ou exemplar; original, modelo.
Apreço: Consideração; em questão.
Reincidente: Pessoa que torna a incidir; recair, tornar a praticar um ato da mesma espécie.
Insondável: Inexplicável, incompreensível.
Transparecer: Aparecer ou avistar-se através de algo; transluzir; revelar-se.

Questionário de Ev.Luiz Henrique www.henriqueestudos.cjb.net 
 
1- Por quais pessoas devemos interceder? (Texto áureo)
(     ) Por nossos familiares    (     ) Por nós mesmos     (     ) Por todos    (     ) por crentes
2-  Qual o tipo de ministério comum aos crentes? (Verdade Prática)
(     ) Pastores  (     ) Mestres  (     ) Profetas  (     ) Apóstolos  (     ) Evangelistas  (     ) Sacerdotes
3- Quanto à fé, quem é o protótipo ideal para nossa vida espiritual?
(     ) José    (     ) Abraão     (     ) Moisés    (     ) Pedro    (     ) Davi
4- Com quem DEUS revela seus propósitos insondáveis?
(     ) Com aqueles que mantêm comunhão com ELE
(     ) Com aqueles que lhe dão grandes dízimos
(     ) Com aqueles que fazem muitas coisas para ELE
5- A Bíblia dá testemunho de qual qualidade de Abraão?
(     ) Sua Beleza Física  (     ) Sua Maneira de Falar   (     ) Sua coragem   (     ) Sua Fé
6- Quais cidades foram destruídas junto com Sodoma e Gomorra?
(     ) Admá, Jerusalém e Zoar   (     ) Acza, Zeboim e Zoar   (     ) Admá, Zeboim e Zoar
7- Por que estas cidades foram destruídas?
(     ) Por causa de sua localização     
(     ) Por causa de sua fama
(     ) Por causa do pecado extremo de seus moradores
8- Qual seria um outro significado para a palavra Clamor?
(     ) Grito de súplica   (     ) Grito de protesto   (     ) Queixa   (     ) Brado   (     ) Todas essas 
9- O que é "Antropopatismo? Complete:
É uma forma metafórica de Atribuir a ______________sentimentos ________________para 
que ELE seja compreendido.
10- Qual cidade ficou como exemplo da severidade de DEUS contra o pecado?
(     ) Jerusalém     (     ) Belém      (     ) Hebrom     (     ) Sodoma     (     ) Betânia
11- Quantos seres celestiais estiveram com Abraão?
(     ) Um     (     ) Dois     (     ) Três      (     ) Quatro      (     ) Cinco     (     ) Seis
12- Quantos seres celestiais foram para Sodoma?
(     ) Um     (     ) Dois     (     ) Três      (     ) Quatro      (     ) Cinco     (     ) Seis
13- Quem era o ser celestial que ficou conversando com Abraão?
(     ) O arcanjo Miguel     (     ) O anjo Gabriel     (     ) JESUS CRISTO
14- O que Abraão não compreendia no julgamento de DEUS àquelas cidades?
(     ) O fato de DEUS julgar o Justo com o Injusto
(     ) O fato de DEUS ser tão benevolente com o Injusto
(     ) O fato de DEUS perdoar sempre o Injusto
15- No Antigo Testamento quem era responsável pelo serviço sacerdotal?
(     ) A família de Adão     (     ) A família de Arão     (     ) A família de Davi
16- Qual a responsabilidade do sacerdote, perante DEUS?
(     ) Representar sua Família    (     ) Representar a Terra    (     ) Representar o povo
17- Quem são os sacerdotes no Novo Testamento?
(     ) Os pastores     (     ) Os auxiliares      (     ) Os Crentes
18- Onde, na Bíblia, se encontra a "Oração Sacerdotal" de JESUS em favor de seus discípulos?
(     ) Mt 10      (      ) Lc 18      (      ) Jo 8      (     ) Jo 17      (     ) Mc 17
19- Onde, na Bíblia, encontramos referência à intercessão de JESUS CRISTO por nós?
(      ) Hb 9.24     (     ) Rm 8.27     (      ) Nas duas referências     (     ) em nenhuma destas
20- Complete:
A ___________________é uma Batalha Espiritual, pois lutamos contra as hostes ___________________.
21- Podemos interceder sem fé?
(     ) Sim         (     ) Não          (     ) Às vezes 
22- O que revela nossa oração de intercessão?
(     ) Nossa sensibilidade para com nossos problemas
(     ) Nossa sensibilidade para com as cidades
(     ) Nossa sensibilidade para com as necessidades das outras pessoas
23- Para quem é voltada nossa oração intercessória?
(     ) Para Nós     (     ) Para nossos Negócios     (     ) Para os outros
24- Complete:
Nem _______________________DEUS responde nossas ____________________conforme desejamos 
e esperamos, porque a _______________________de Divina _____________se baseia nos padrões e ________________humanos.
 
 
QUESTIONÁRIO:
1. Por que Abraão não se surpreendeu diante da destruição de Sodoma e Gomorra?
R. ___________________________________________________________
2. Qual a função do sacerdote no Antigo Testamento? 
R. __________________________________________________________
3. Quem podia exercer o sacerdócio no Antigo Testamento? 
R. __________________________________________________________
4. Quem são os sacerdotes de Deus no Novo Testamento?
R. __________________________________________________________
5. Como deve ser feita a oração intercessória?
R. ________________________________________________________________________________________


BIBLIOGRAFIA SUGERIDA
O Espírito nos Ajuda a Orar: uma Teologia Bíblica da Oração, Brandt & Bicket, CPAD.

Principais fontes CPAD em CD da Revista e CD da BEP   www.cpad.com.br  
VIDE TAMBÉM A Vida de Abraão 
 
 
Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
    Eu

 

Estudosdawwwescoladominical.com.br