Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
    Eu
 
 
 
ABRAÃO - ÊXITOS E FRACASSOS DO AMIGO DE DEUS
4º TRIMESTRE DE 2002 - COMENTÁRIOS DE Pr.ELIENAI CABRAL
(CONSULTORIA DOUTRINÁRIA E TEOLÓGICA DE Pr.ANTÔNIO GILBERTO)
 
LIÇÃO 6 - A RECOMPENSA DA FÉ -  10/11/2002
 
TEXTO ÁUREO:
“E creu ele no Senhor, e foi-lhe imputado isto por justiça” (Gn 15.6).
PRIMEIRO CREU NAQUILO QUE NÃO VIA E ESPEROU RECEBER, ENTÃO OU POR CAUSA DISSO DEUS O JUSTIFICOU, OU SEJA DECLAROU QUE ERA JUSTO.
E CREU... E FOI-LHE IMPUTADO ISTO POR JUSTIÇA. Pela primeira vez nas Escrituras, a fé e a justiça são mencionadas juntas. 
(1) No AT, a fé tinha um duplo aspecto: 
(a) confiança em ou dependência de , e 
(b) lealdade a ou fidelidade . O termo crer aqui, (hb. aman), significa perseverar confiando e crendo, evidenciando isso mediante uma fidelidade obediente. Era esse o tipo de fé que Abrão tinha. Era um homem dedicado a Deus, sempre confiante, obediente e submisso. 
(2) Deus viu a fé sincera de Abrão expressa naquela atitude e lha imputou por justiça. O termo justiça significa estar num relacionamento correto com Deus e com sua vontade (6.9; Jó 12.14ss.). Além disso, Deus fez um concerto com Abrão, mediante o qual Deus tornou-se o seu escudo e galardão (v. 1), Abrão ia ter muitos descendentes (v. 5) e também a promessa da terra (v. 7)
(3) No novo concerto, a bênção de Deus e o relacionamento certo com Ele também são concedidos mediante a fé. Aqui está uma verdade fundamental no NT (Rm 4.3; Gl 3.6; Tg 2.23;). Abrão é, pois, o pai de todos os que crêem (Rm 4.11)
 
VERDADE PRÁTICA:
A nossa fé constante e inabalável em Deus confere-nos a certeza de que Ele cumpre sua Palavra no tempo próprio.
Veja em Fé
 
Leitura Diária:
Segunda Rm 4.13; Gl 3.27 Abraão foi justificado por sua fé
Rm 4.13 Porque a promessa de que havia de ser herdeiro do mundo não foi feita pela lei a Abraão ou à sua posteridade, mas pela 
justiça da fé.
A lei ainda não tinha sido dada, portanto a promessa de DEUS foi dada a Abraão pelo seu ato de fé. Esse descendente ou sua posteridade está falando de CRISTO.

Gl 3.27 porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo.
Quando aceitamos pela fé a JESUS CRISTO morremos para a lei e para tudo o que nos prendia aqui e nos tornamos novas criaturas, agora vestidas de novo, vestidas e revestidas de CRISTO, para uma nova vida na fé do filho de DEUS.

Terça Gn 15.1 O Senhor como o nosso escudo
1 Depois destas coisas veio a palavra do SENHOR a Abrão em visão, dizendo: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão.
EU SOU O TEU ESCUDO, O TEU GRANDÍSSIMO GALARDÃO. Depois da batalha em que derrotou os reis, Abrão ficou preocupado e temeroso. Por isso, Deus lhe deu numa visão a certeza de que Ele mesmo era o escudo e o galardão de Abrão. Abrão, em resposta a essas palavras de consolo, relembrou a Deus que não tinha filhos e, portanto, nenhum herdeiro (v. 2). Assim sendo, ele adotaria um dos seus servos para se tornar o seu herdeiro. Deus rejeitou a idéia e prometeu a Abrão que este seria pai de um filho com sua esposa estéril, Sarai (cf. 11.30) e teria uma descendência inumerável. O fato incrível - e nisso está a grandeza de Abrão é que ele teve fé em Deus. É essa fé em Deus que lhe foi imputada por justiça. A partir desse dia quem lutasse contra Abraão estaria lutando contra o próprio DEUS. Assim também é conosco, veja o exemplo de Paulo quando teve um encontro com JESUS: Paulo queria perseguir aos crentes, mas JESUS disse: "Por que me persegues?"

Quarta Jo 8.37 A grande nação proveniente de Abraão
37 Bem sei que sois descendência de Abraão; contudo, procurais matar-me, porque a minha palavra não entra em vós.
Aqui JESUS está se referindo à descendência física, ou seja de Abraão é que veio a existir os Israelitas ou Judeus; cumprimento das promessas materiais de DEUS dadas a Abraão. Nós os crentes, somos o cumprimento espiritual da promessa dada a Abraão da grande família de DEUS formada pelos que têem o mesmo tipo de fé de Abraão.

Quinta Gn 12.1-4; 13.14-17 As promessas de Deus a Abraão
Gn 12.1 Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.2 E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção.3 E abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.4 Assim, partiu Abrão, como o SENHOR lhe tinha dito, e foi Ló com ele; e era Abrão da idade de setenta e cinco anos, quando saiu de Harã.
12.1 SAI-TE DA TUA TERRA. Nessa ocasião, Deus não disse a Abrão para onde o conduziria (Hb 11.8). Ao invés de ser informado disso, ele teve de viajar sob a orientação direta do Senhor.12.3 EM TI SERÃO BENDITAS TODAS AS FAMÍLIAS DA TERRA. Esta é a segunda profecia das Escrituras sobre a vinda de Jesus Cristo a este mundo (ver 3.15 nota). 
(1) O texto fala de uma bênção espiritual que viria através de um descendente de Abraão. Paulo declara que esta bênção se refere ao evangelho de Cristo, oferecido a todas as nações (Gl 3.8,14,16). 
(2) A promessa de Deus a Abrão revela que, desde os primórdios da raça humana, o propósito do evangelho era abençoar todas as nações com salvação. Deus está agora realizando seu propósito através de Jesus e seu povo fiel, que compartilha da sua vontade de salvar os perdidos, enviando pregadores para proclamar o evangelho a todas as famílias da terra. Este versículo serve de fundamento motivador da obra missionária no mundo inteiro 
12.4 PARTIU ABRÃO, COMO O SENHOR LHE TINHA DITO. A narrativa de Abraão, desde o início, chama a atenção para a seguinte verdade: a obediência a Deus é essencial para o usufruto da salvação nEle. 
(1) Abrão obedeceu à palavra do Senhor. Sua obediência incluiu deixar seu lar e sua pátria e confiar-se ao cuidado de Deus, na sua orientação divina e nas suas promessas (ver v. 1; Tg 2.17; 1 Jo 2.4). 
(2) Assim como Abraão, todos os crentes em Cristo são conclamados a deixar sua terra... parentela... e casa do pai (12.1) para seguir a Jesus, no sentido de buscar uma pátria melhor, isto é, a celestial (Hb 11.16)
 
Gn 13.14 E disse o SENHOR a Abrão, depois que Ló se apartou dele: Levanta, agora, os teus olhos e olha desde o lugar onde estás, para a banda do norte, e do sul, e do oriente, e do ocidente; 15 porque toda esta terra que vês te hei de dar a ti e à tua semente, para sempre. 16 E farei a tua semente como o pó da terra; de maneira que, se alguém puder contar o pó da terra, também a tua semente  será contada.
17 Levanta-te, percorre essa terra, no seu comprimento e na sua largura; porque a ti a darei. 
A visão deve ser espiritual seguida da posse material. Plantamos sementes espirituais para colhermos espiritualmente e plantamos sementes materiais para colhermos materialmente.  Assim ocorre quando oramos para conseguirmos aumento salarial e depois trabalhamos mais para que esse aumento venha a ser concretisado.

Sexta Gn 22.17-19; 13.15  As grandes bênçãos de Abraão
Gn 22.17 que deveras te abençoarei e grandissimamente multiplicarei a tua semente como as estrelas dos céus e como a areia que está na praia do mar; e a tua semente possuirá a porta dos seus inimigos.18 E em tua semente serão benditas todas as nações da terra, porquanto obedeceste à minha voz.19 Então, Abraão tornou aos seus moços, e levantaram-se e foram juntos para Berseba; e Abraão habitou em Berseba.
PORQUANTO OBEDECESTE À MINHA VOZ. Por causa da sincera obediência de Abraão, do seu inteiro coração, demonstrada na disposição de sacrificar seu filho, Deus confirmou sua promessa com ele segundo o concerto feito. A semente que abençoaria as nações refere-se, no sentido pleno, a Cristo Jesus (Gl 3.8,16,18)
A palavra PORQUANTO significa POR CAUSA DISSO, POR CAUSA DO QUE VOCÊ FEZ OU CREU.
 
Gn 13.15 porque toda esta terra que vês te hei de dar a ti e à tua semente, para sempre.
A promessa aqui feita só será plenamente cumprida durante o milênio onde o próprio CRISTO estará reinando sobre a terra e todo o território prometido a Israel será realmente de Israel.

Sábado Hb 11.6,8 Sem fé é impossível agradar a Deus
6 Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam.
CREIA QUE ELE EXISTE. Este versículo descreve as convicções integrantes da fé salvífica. 
(1) Devemos crer na existência de um Deus pessoal, infinito e santo, que tem cuidado de nós. 
(2) Devemos crer que Ele nos galardoará quando o buscamos com sinceridade, sabendo que nosso maior galardão é a alegria e a presença do próprio Deus. Ele é nosso escudo e nossa grande recompensa (Gn 15.1; Dt 4.29; Mt 7.7,8; Jo 14.21). 
(3) Devemos buscar a Deus com diligência e desejar ansiosamente a sua presença e graça.
A fé agrada a DEUS porque não é materialista e é preciso haver um profundo desejo de acreditar mesmo sem ver.
 
Leitura Bíblica em Classe:
GÊNESIS 15.1-15 
1 Depois destas coisas veio a palavra do SENHOR a Abrão em visão, dizendo: Não temas, Abrão, eu sou o teu escudo, o teu grandíssimo galardão.2 Então, disse Abrão: Senhor JEOVÁ, que me hás de dar? Pois ando sem filhos, e o mordomo da minha casa é o damasceno Eliézer.3 Disse mais Abrão: Eis que me não tens dado semente, e eis que um nascido na minha casa será o meu herdeiro.4 E eis que veio a palavra do SENHOR a ele, dizendo: Este não será o teu herdeiro; mas aquele que de ti será gerado, esse será o teu herdeiro.5 Então, o levou fora e disse: Olha, agora, para os céus e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua semente.6 E creu ele no SENHOR, e foi-lhe imputado isto por justiça.7 Disse-lhe mais: Eu sou o SENHOR, que te tirei de Ur dos caldeus, para dar-te a ti esta terra, para a herdares. 8 E disse ele: Senhor JEOVÁ, como saberei que hei de herdá-la?9 E disse-lhe: Toma-me uma bezerra de três anos, e uma cabra de três anos, e um carneiro de três anos, e uma rola, e um pombinho.10 E trouxe-lhe todos estes, e partiu-os pelo meio, e pôs cada parte deles em frente da outra; mas as aves não partiu.11 E as aves desciam sobre os cadáveres; Abrão, porém, as enxotava.12 E, pondo-se o sol, um profundo sono caiu sobre Abrão; e eis que grande espanto e grande escuridão caíram sobre ele.13 Então, disse a Abrão: Saibas, decerto, que peregrina será a tua semente em terra que não é sua; e servi-los-á e afligi-la-ão quatrocentos anos.14 Mas também eu julgarei a gente à qual servirão, e depois sairão com grande fazenda.15 E tu irás a teus pais em paz; em boa velhice serás sepultado.
15.13 EM TERRA QUE NÃO É SUA. Deus disse a Abrão que seus descendentes seguiriam para o Egito e seriam oprimidos por quatro séculos, uma cifra arredondada dos 430 anos que realmente foram passados ali (Êx 12.40,41; Gl 3.17).
Gn 15.1-6 veja abaixo.
 
Objetivos:
Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:
 
1-    Destacar a importância de confiar e esperar o momento certo do cumprimento das promessas de Deus em sua vida.
 

2-    Descrever como Deus confirmou as promessas feitas a Abraão.
 
COMENTÁRIOS:
INTRODUÇÃO

O capítulo 15 começa com a expressão “depois destas coisas”, isto é, as coisas que Abraão rejeitou da parte do rei de Sodoma numa demonstração de total confiança na recompensa de Deus (Gn 14.22,23). Nos primeiros versículos (vv.1-6), Deus confirma sua promessa a Abraão de uma grande descendência e, também, de uma terra que seria abençoada e habitada por essa descendência (Gn 13.15). Certamente, a posse da terra seria perturbada pelas nações vizinhas. As aves de rapina atacaram o sacrifício, o que pode aludir as nações futuras que buscarão destruir a “descendência prometida” (Gn 15.11). 

I. A CONFIRMAÇÃO DAS PROMESSAS DE DEUS

1. Deus desfaz os temores (Gn 15.1-6).
“Não temas” (Gn 15.1). “Como ficará toda a minha riqueza? Sua administração? Seu usufruto? Quem herdará todos os meus bens se não tenho herdeiro?” 
15.1 EU SOU O TEU ESCUDO, O TEU GRANDÍSSIMO GALARDÃO. Depois da batalha em que derrotou os reis, Abrão ficou preocupado e temeroso. Por isso, Deus lhe deu numa visão a certeza de que Ele mesmo era o escudo e o galardão de Abrão. Abrão, em resposta a essas palavras de consolo, relembrou a Deus que não tinha filhos e, portanto, nenhum herdeiro (v. 2). Assim sendo, ele adotaria um dos seus servos para se tornar o seu herdeiro. Deus rejeitou a idéia e prometeu a Abrão que este seria pai de um filho com sua esposa estéril, Sarai (cf. 11.30) e teria uma descendência inumerável. O fato incrível - e nisso está a grandeza de Abrão é que ele teve fé em Deus. É essa fé em Deus que lhe foi imputada por justiça (veja a nota seguinte).
15.6 E CREU... E FOI-LHE IMPUTADO ISTO POR JUSTIÇA. Pela primeira vez nas Escrituras, a fé e a justiça são mencionadas juntas. 
(1) No AT, a fé tinha um duplo aspecto: 
(a) confiança em ou dependência de , e 
(b) lealdade a ou fidelidade . O termo crer aqui, (hb. aman), significa perseverar confiando e crendo, evidenciando isso mediante uma fidelidade obediente. Era esse o tipo de fé que Abrão tinha. Era um homem dedicado a Deus, sempre confiante, obediente e submisso. 
(2) Deus viu a fé sincera de Abrão expressa naquela atitude e lha imputou por justiça. O termo justiça significa estar num relacionamento correto com Deus e com sua vontade (6.9; Jó 12.14ss.). Além disso, Deus fez um concerto com Abrão, mediante o qual Deus tornou-se o seu escudo e galardão (v. 1), Abrão ia ter muitos descendentes (v. 5) e também a promessa da terra (v. 7).
(3) No novo concerto, a bênção de Deus e o relacionamento certo com Ele também são concedidos mediante a fé. Aqui está uma verdade fundamental no NT (Rm 4.3; Gl 3.6; Tg 2.23). Abrão é, pois, o pai de todos os que crêem (Rm 4.11)

2. Deus promete a Abraão um filho (Gn 15.4,5). 
A probabilidade de Abraão ter um filho om sua esposa era zero. Sara com 89 anos e Abraão com 99, isso era o grande desafio para a fé de Abraão. O que faria ele? Acreditar nop impossível exige fé e exige coragem para enfrentar os pensamentos em contrário e as pessoas que não crêem em DEUS.
Ainda bem que o tipo de fé de Abraão não era como a de seus conteporâneos, pois ele acreditou em DEUS e esperou a promessa, pedindo a DEUS uma confirmação dessa promessa. A aliança era o meio utilizado para se confirmar qualquer união entre duas ou mais pessoas, então DEUS enviou Abraão a fazer os rituais da aliança para confirmar sua promessa e tabém deu a Abraão visão espiritual do futuro. CRER NO IMPOSSÍVEL EXIGE FÉ E ESSA FÉ É DOM DE DEUS.
 

II. A VISÃO DA PROMESSA
 
   MORTE DE UM ANIMAL OU PASSAR PELAS METADES: Significa: estamos morrendo e nascendo de novo, também significa: Que eu morra se não cumprir e que tu morras se não cumprir.
 
  Repare que é um oito deitado,símbolo matemático de infinito, a aliança não tem fim
 
Colocava-se uma parte do animal de um lado e outra parte do outro lado e depois os cabeças de aliança, ou chefes, passavam pelas metades de braços dados, dando a entender que:
***Este sinal significa infinito; a aliança passa de pai para filho, é eterna.
***Daí a aliança ser um círculo, significa eternidade; sem princípio e nem fim.
 
Jr 34. 18 Entregarei os homens que traspassaram o meu pacto, e não cumpriram as palavras do pacto que fizeram diante de mim com o bezerro que dividiram em duas partes, passando pelo meio das duas porções-  
 Gênesis 15.9 Respondeu-lhe: Toma-me uma novilha de três anos, uma cabra de três anos, um carneiro de três anos, uma rola e um pombinho. 10 Ele, pois, lhe trouxe todos estes animais, partiu-os pelo meio, e pôs cada parte deles em frente da outra; mas as aves não partiu.11 E as aves de rapina desciam sobre os cadáveres; Abrão, porém, as enxotava. 12 Ora, ao pôr do sol, caiu um profundo sono sobre Abrão; e eis que lhe sobrevieram grande pavor e densas trevas. 13 Então disse o Senhor a Abrão: Sabe com certeza que a tua descendência será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos; 14 sabe também que eu julgarei a nação a qual ela tem de servir; e depois sairá com muitos bens. 15 Tu, porém, irás em paz para teus pais; em boa velhice serás sepultado. 16 Na quarta geração, porém, voltarão para cá; porque a medida da iniqüidade dos Amorreus não está ainda cheia. 17 Quando o sol já estava posto, e era escuro, eis um fogo fumegante e uma tocha de fogo, que passaram por entre aquelas metades. 18 Naquele mesmo dia fez o Senhor um pacto com Abrão, dizendo: Â tua descendência tenho dado esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio Eufrates;
 
Interpretação:
a) Três animais: Significa três pessoas, PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO.
b) Pássaros no céu e animais na terra: A aliança entre céu e terra, entre DEUS e homens.
c) Uma rolinha e um pombinho voam: São do céu, significa que o PAI e o ESPÍRITO SANTO vão para o céu, JESUS fica para o sacrifício. O cordeiro é animal terreno, JESUS se torna homem, o cordeiro de DEUS que tira o pecado do mundo (Jo 12.24 = se o grão de trigo caindo na terra, não morrer, fica ele só, mas, se morrer dá muito fruto). (Jo 1.36)
d) Fogo fumegante: Representa o modo como DEUS PAI apareceu no monte Sinai e sobre a tenda da congregação, bem como em outras manifestações.(Êx 19.18 "Nisso todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a fumaça subiu como a fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia fortemente".)
e) Tocha de fogo: Representa CRISTO ( Eu sou a luz do mundo - Jo 8.12 "Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida.")
f) O Pai representando DEUS e o Filho representando o homem: Assim a aliança foi feita entre DEUS  e os homens em CRISTO, pois o homem é pecador e fraco, não conseguiria afastar Satanás e vencê-lo.  
Veja Aliança
 
1. A promessa visualizada.  
Deus o levou para fora da tenda, e mostrou-lhe as estrelas do céu: “Olha, agora, para os céus e conta as estrelas, se as podes contar”. E disse mais: “Assim será a tua semente” (Gn 15.5).  “E creu ele no SENHOR, e foi-lhe imputado isto por justiça” (Gn 15.6). 
DEUS mostrou uma visão material a Abraão para que se tornasse mais fácil para ele acreditar na visão espiritual. contando as estrelas Abraão estaria contando o nº de seus descendentes futuros.

2. A confirmação da promessa pelo sacrifício (Gn 15.9-11). 
O sacrifício dos animais prefiguram o sacrifício de CRISTO na cruz, É sinal de Aliança perpétua entre DEUS e os homens. O sangue confirma a aliança, sangue é vida e vida é o perfeito sacrifício oferecido a DEUS.

3. A resposta divina por fogo (Gn 15.17)
A confirmação de DEUS vem através de fogo. A maneira preferida de DEUS se manifestar é através do fogo,  que queima pecado, que purifica o vaso e o torna capaz de fazer sua obra. Dentro do Fogo só quem pode andar e não se queimar é DEUS e aquele que lhe obedece e serve, como Sadraque, Mesaque e Abednego na Babilônia, dentro de uma fornalha de fogo. VAle a pena ser fiel!


III. O FUTURO DA POSTERIDADE DE ABRAÃO

1 Espanto e trevas antes da revelação (Gn 15.12). 
Satanás tenta atrapalhar a aliança de DEUS com os Homens através de aves impuras, o homem é fraco e não consegue vigiar o suficiente, é quando CRISTO interfere a favor do homem e assume seu lugar, vencendo Satanás e sua hostes malignas. A Aliança está salva.
 
2. O futuro da posteridade de Abraão (Gn 15.13-15). 
O apóstolo Paulo declara que “os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis” (Rm 11.29). 
A nação de Israel cresceu tanto que Faraó vivia temendo que eles dominassem o Egito. Na Europa os judeus foram perseguidos pois eram um povo muito grande, muito organizado e além de tudo era um povo inteligente e tarbalhador que enriqueciam rapidamente e dominavam os setores mais importante da economia e política.

3. O cativeiro do povo de Abraão (Gn 15.13-15)
EM TERRA QUE NÃO É SUA. Deus disse a Abrão que seus descendentes seguiriam para o Egito e seriam oprimidos por quatro séculos, uma cifra arredondada dos 430 anos que realmente foram passados ali (Êx 12.40,41; Gl 3.17).
Tendo atendi do o chamado divino, Abraão rece beu a promessa de que teria engran decido o seu nome, e que seria cons tituído por pai duma grande nação (Gn 12.2). DEUS prometeu-lhe mais que os seus descendentes seriam le vados para o Egito, onde seriam es cravos e afligidos por cerca de qua trocentos anos, mas que, no devido tempo, os seus opressores seriam julgados e que Israel dali sairia com grande riqueza (Gn 15.13,14). To das estas palavras do Senhor se cumpriram de forma completa, e disto dão prova as seguintes referên cias bíblicas: Gn 21.1,2; 46.1-27; Êx 12.29-36,51.
Esse povo foi depois liberto através de grandes milagres de DEUS operados através de seu servo Moisés para que todo o mundo daquela época e até hoje e para sempre, soubessem que existe um DEUS poderoso que julga as nações, pesando-as em sua balança de justiça e juízo e preserva seu povo como uma galinha cuida de seus pintinhos, agasalhando-os e abraçando-os, figura essa de El-Shadai, DEUS TODO PODEROSO QUE CUIDA E PROTEGE SEUS FILHOS.

CONCLUSÃO
A história da nossa vida com Deus é o “painel” que Ele utiliza para mostrar-nos como Ele trabalha. Quando damos lugar em nossa vida para Deus cumprir o seu plano, nossa fé é recompensada pelo cumprimento do seu alvo.
Hb 11.6 Ora, sem fé é impossível agradar a Deus; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.
Veja que quando agimos com fé, acreditando e confiando em DEUS, isso agrada-O, pois essa mesma fé nos faz ficar mais próximos de DEUS, sentir sua presença em nossas vidas e por conseqüência lógica e infalível somos abençoados ou participamos das bênçãos advindas por essa aproximação como um prêmio dado por DEUS, como pai amoroso, misericordioso e compreensivo, cheio de amor para com seus filhos queridos.
Hebreus 11 Fala de Um Padrão Bíblico de Intimidade
Quando lemos Hebreus 11, encontramos um denominador comum na vida das pessoas mencionadas. Cada uma tinha uma característica pessoal que denota o tipo de fé que Deus ama. Qual era esse elemento? Era: sua fé havia nascido da profunda intimidade com o Senhor.
O fato é que é impossível possuir uma fé que agrade a Deus sem compartilhar intimidade com Ele. O quê quero dizer com intimidade? Estou falando da proximidade com o Senhor que vem de se desejá-Lo ardentemente. Este tipo de intimidade é um laço de união, comunhão. Vem quando desejamos o Senhor mais do que qualquer coisa na vida.
Vejamos apenas quatro exemplos de servos cheios de fé, que andaram perto de Deus, como mencionado em Hebreus 11:
1. O nosso primeiro exemplo é Abel. As escrituras declaram: “Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala” (Hebreus 11:4).
Quero observar várias coisas significativas neste versículo. Primeiro, o próprio Deus testificou quanto às ofertas de Abel. (Note que havia mais do que uma oferta. Abel claramente oferecia sacrifícios ao Senhor com freqüência).
Segundo, Abel tinha de edificar um altar ao Senhor, para onde trouxesse os sacrifícios. E ele oferecia não apenas cordeiros sem mácula para o sacrifício, mas também a gordura desses cordeiros. As escrituras nos dizem: “Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste” (Gênesis 4:4).
2. Enoque também desfrutou de íntima comunhão com o Senhor. Em verdade, sua comunhão com Deus era tão íntima, que o Senhor o trasladou para a glória muito antes do que poderia ter sido o fim de sua vida terrena. “Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus” (Hebreus 11:5).
3. O nosso próximo exemplo de um caminhar íntimo de fé com Deus é Noé. Hebreus diz: “Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé” (Hebreus 11:7).
4. Abraão também compartilhou de íntima comunhão com o Senhor. Pense na maneira pela qual o próprio Deus descreveu o relacionamento com esse homem: “Abraão, meu amigo” (Isaías 41:8). Igualmente, o Novo Testamento nos diz: “Abraão creu em Deus...e: foi chamado amigo de Deus” (Tiago 2:23).
Que incrível recomendação, ser chamado amigo de Deus. A maioria dos cristãos tem cantado o conhecido hino “Em Jesus Amigo Temos”. Estas passagens bíblicas nos trazem esta verdade com poder. Ter o Criador do universo chamando um homem de Seu amigo parece além da compreensão humana. Porém isso aconteceu com Abraão. É um sinal da grande intimidade deste homem com Deus.
Em hebraico a palavra aqui usada por Isaías para amigo quer dizer afeição e proximidade. E em grego, a palavra que Tiago usa para amigo quer dizer aliado querido e próximo. Ambas implicam em intimidade profunda.
(Por David Wilkerson)
 
 
QUESTIONÁRIO de Ev.Luiz Henrique www.henriqueestudos.cjb.net 
1- Quando é que DEUS cumpre sua Palavra?
(     ) Todo o tempo
(     ) De vez em Quando
(     ) No Tempo Próprio
2- A expressão "Depois dessas coisas" significa:
(     ) Depois que Abraão acabou de comer
(     ) Depois de Abraão rejeitar fazer aliança com o ímpio
(     ) Depois de Abraão Vencer uma guerra
3- O que significam as aves de rapina atacando o sacrifício?
(     ) Significa as nações futuras tentando destruir a descendência prometida.
(     ) Significa que as aves estavam com muita fome e não achavam outra carne para comerem
(     ) Significa que as aves estavam desafiando Abraão
4- O que DEUS disse para Abraão para desfazer-lhe as preocupações?
(     ) Não se acovarde
(     ) Não volte atrás 
(     ) Não temas
5- O que significavam os filhos no tempo de Abraão?
(     ) Prova do favor Divino
(     ) Prosperidade Financeira
(     ) Família alegre e numerosa
6- Para onde DEUS mandou Abraão olhar e contar, para que visualizasse sua promessa?
(     ) Para o rebanho de ovelhas
(     ) Para as aves do céu
(     ) Para o céu e as estrelas
7- Através de que DEUS respondeu ao sacrifício de Abraão?
(     ) Água
(     ) Fogo
(     ) Vento
8- O que DEUS buscava mostrar a Abraão mediante aqueles animais imolados e suas metades separadas?
(     ) Um Espetáculo de matança
(     ) A morte desnecessária de animais
(     ) Uma Aliança
9- Quem é que passou pelas metades dos animais?
(     ) Abraão
(     ) Melquisedeque
(     ) DEUS
10- O que passou pelas metades dos animais?
(     ) Um Carneiro
(     ) Uma tocha de fogo
(     ) Um homem
11- Para confiarmos em DEUS Ele nos faz passar por:
(     ) Caminhos de Flores
(     ) Caminhos de amor
(     ) Caminhos de lutas, trevas e espanto
12- O que aconteceria à geração posterior a Abraão?
(     ) Seria Livre e Feliz
(     ) Passaria 400 anos como escrava no Egito
(     ) Passaria a possuir toda a terra de Israel e do Egito
13- Quem conhece o futuro?
(     ) Satanás
(     ) Os Anjos
(     ) Só DEUS
14- Quando é que Israel estaria pronto para entrar na terra prometida?
(     ) Quando conhecessem a JESUS
(     ) Quando terminassem os 400 anos de escravidão no Egito
(     ) Quando Se Armassem de armas poderosas
15- Quando nossa fé é recompensada por DEUS?
(     ) Quando damos lugar em nossa vida para DEUS cumprir o seu plano
(     ) Quando nós oramos
(     ) Quando nós nos recusamos a ouvir a DEUS
 
 
QUESTIONÁRIO DA REVISTA:
1. Cite os elementos materiais do sacrifício de Abraão.
R. ________________________________________________________________
2. O impedia Sara de gerar filhos?
R. _________________________________
3. De que forma Deus respondeu ao sacrifício de Abraão?
R. _______________________
4. Que lição podemos extrair do cativeiro egípcio?
R. ________________________________________________
5. Com o que Deus comparou a descendência do patriarca?
R. __________________________________


Principais fontes CPAD em CD da Revista e CD da BEP 
VIDE TAMBÉM A Vida de Abraão

 

Home
Estudos
EBD
Discipulado
 Mapas
Figuras1
 Figuras2
Fotos
Igreja
Link's
Corinhos
Download
    Eu

 

Veja estudo da wwwescoladominical.com.br