Home
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
LIVRO DE JOÃO
Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva - 99-99152-0454
 
PRECIOSIDADES DO EVANGELHO DE JOÃO
TRABALHO FEITO PARA A FAETEL - BACHARELADO
Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva
 
Agradecimentos
 
 
            Ao meu DEUS PAI, que ouviu o meu pedido de ajuda,
A JESUS CRISTO, seu filho, que me orientou,
Ao ESPÍRITO SANTO, que me ensinou;
Ao meu companheiro na fé: evangelista Airton Agostinho da Silva, a minha amada esposa, Edna Maria Cruz Silva, pelo apoio, paciência e compreensão, e aos meus filhos Henrique, Raquel e Débora, sem os quais não seria possível a realização deste trabalho.
 
 
Esclarecimento do Autor
 
 
                        Quero esclarecer a quem possa interessar, que os destaques e interpretações aqui registrados, são de minha inteira responsabilidade e não deverão ser adotados como dogmas bíblicos (leis obrigatórias), mas deverão sim, ser julgados e absorvidos, depois de observados pelo crivo da palavra de DEUS, conforme 1 Ts. 5.21.
 
 
Introdução
 
 
            O EVANGELHO DE JOÃO,
            O evangelho do filho de DEUS é o evangelho do rosto de águia, na visão de Ezequiel, no capítulo 10 e versículo 14, é o evangelho que nos mostra o homem perfeito que DEUS criou, JESUS CRISTO; é também o evangelho eterno de DEUS para o homem. Aqui, JESUS é apresentado como dador da vida. Este evangelho, segundo os estudiosos, tem como autor o apóstolo João, filho de Zabedeu e Salomé (irmã de Maria), que foi discípulo de João Batista, escolhido para ser um dos doze (Mt 10.2), chamado de filho do trovão juntamente com seu irmão Tiago. João foi conhecido como o discípulo a quem JESUS amava, gostava de andar com Pedro. Escreveu outros livros: 1, 2 e 3 João e Apocalipse, sendo o único de quem se tem notícia, dentre os apóstolos, que não morreu assassinado. A data provável da escrita do livro é entre 85 e 100 a.D. O versículo chave é: “Estes, porém, foram escritos para que creiais que JESUS é o CRISTO, o filho de DEUS, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome”.(Jo 20.31).
 
 
                                                                        
 
           
As diferenças principais para os evangelhos sinópticos são:
SINÓPTICOS
JOÃO
Todos antes de 70 a.D.
85 a 100 a.D.
Biográficos
Doutrinário
Muitas Parábolas
Nenhuma Parábola
23 Milagres
7 Milagres
Discursos públicos
Entrevistas ocultas
JESUS como servo
Pessoal (JESUS como DEUS)
 
 
 
CAP.01
CAP.02
Adotemos como divisões do livro, o seguinte:
 
   1-Prefácio: JESUS o verbo eterno feito em carne 1.1-14
 
   2-O testemunho de João Batista 1.15-34
   
   3-O ministério público 1.35 a 12.50
 
   4-O ministério oculto entre os discípulos 13.1 a 17.26
   
   5-O sacrifício de CRISTO 18.1 a 19.42
  
   6-Sua manifestação ressuscitado 20.1-31
  
   7-Epílogo, mestre da vida e do serviço 21.1-25.
 
O livro de João produz em nós:
“O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em CRISTO, isso fazei; e o DEUS de paz será convosco”.
Devido à comunhão estreita de João com JESUS, aprendemos muito dele e recebemos muitas bênçãos quando nos dispomos a estudar este maravilhoso livro, mas é preciso aproximar da palavra de DEUS estando com nossas vidas entregues ao ESPÍRITO SANTO e dependendo DELE para nos ensinar.
Querendo o aperfeiçoamento dos santos e a conversão dos que ainda não conhecem ao salvador JESUS CRISTO, me dispus a elaborar esta obra, usando como método de trabalho dirigido, capítulo a capítulo, dando destaque aos assuntos que o ESPÍRITO SANTO escolheu para a edificação dos leitores.
CAP.03
CAP.04
CAP.05
CAP.06
CAP.07
CAP.08
CAP.09
CAP.10
CAP.11
CAP.12
CAP.13
CAP.14
CAP.15
CAP.16
CAP.17
CAP.18
CAP.19
CAP.20
CAP.21
 
 
 
  1. Capítulo 01
 
O Verbo
 
 
            Jo 1.1- “No princípio era o verbo, e o verbo estava com DEUS, e o verbo era DEUS”.
 
 
            Para compreender porque JESUS CRISTO é chamado de verbo, precisamos saber que uma frase para ser construída é necessário que haja um sujeito, um verbo e um complemento.
            DEUS é um ser triuno, ou seja, é PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO (Jo 3.13-17).
            Vamos aprender mais se construirmos uma frase, vejamos então:
                                       
 
 DEUS salva o homem
 
 
            D    S                       A               O       
            Sujeito                            verbo                       complemento
            O que ordena                o que faz                    o resultado
            Idealizador                   realizador                    revelador
            PAI                               FILHO                      ESPÍRITO SANTO
 
Conclusão:     DEUS PAI planejou a salvação do homem,
                        DEUS FILHO morreu por nós na cruz do calvário, executando o plano de DEUS,
                        DEUS ESPÍRITO SANTO revelou-nos esta salvação, convencendo-nos do pecado, da justiça e do juízo.
            Outra demonstração para fácil assimilação da trindade de DEUS é tomarmos como exemplo o sol:
            O sol em si representando o PAI, a ordem para fazer;
            A luz do sol representando o FILHO, o cumprimento da ordem;
            O calor do sol representando o ESPÍRITO SANTO, a revelação, o poder como resultado.
 
 
  1. Capítulo 02
 
A Unção
 
 
  Jo 2.11- “JESUS principiou assim os seus sinais em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e os seus discípulos creram nele”.
            Qual a alegria da festa para os convidados que não conhecem a JESUS? Com certeza o vinho é que faz a alegria da festa, sem bebida alcoólica não há alegria para o mundo em suas festas.
            O mundo se alegra nos prazeres e nos estímulos de sua carnalidade e sensualidade dados por satanás, buscando na bebida, o encorajamento e a permissividade para cometerem todo tipo de atos de torpeza e pecados contra DEUS em seus próprios corpos, mas enquanto a bebida é linda no copo, no fim ela morderá como uma cobra cascavel (Pv 23.31).
            JESUS nos dá o vinho sem mistura, a alegria verdadeira, que nos enche de fé, coragem, amor, confiança e esperança (Jo 8.36; 7.38); com certeza o vinho (o mosto), significa a unção do ESPÍRITO SANTO que embriaga-nos (At 2.15-21) com o poder de DEUS, derramado em nossas vidas dando-nos a certeza da salvação.
 
 
                   O primeiro vinho que bebemos é amargo e ruim que é o pecado e suas concupiscências, mas o segundo vinho que bebemos é o vinho melhor e mais gostoso que há; a salvação em JESUS CRISTO que faz em nós uma fonte que salta para a vida eterna (Jo 4.14), pois aí recebemos o ESPÍRITO SANTO.
            JESUS principiou assim a sua maravilhosa obra e ministério, operando sinais e prodígios e seus discípulos creram nele.
 
 
 
 
  1. Capítulo 03
 
O Amor
 
 
 
 
            Jo 3.16- “Porque DEUS amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.
 
            O amor de DEUS é declarado aqui como algo incomensurável e tão grandioso que o autor, João não conseguiu encontrar em seu vocabulário uma expressão que o revelasse, deixando essa revelação para o ESPÍRITO de DEUS que testifica com nosso espírito que somos filhos de DEUS. Seu amor é tão grande, que ELE nos deu seu filho unigênito JESUS CRISTO, para morrer por nós na cruz, afim de nos salvar.
-         O maior ser que existe (DEUS, o criador de todas as coisas).
-         O maior sentimento que existe (amor, DEUS sente por nós).
-         A maior quantidade de pessoas que existe (o mundo).
-         O maior cemitério que existe (a alma que pecar esta morrerá).
-         A maior dádiva que alguém pode oferecer (o filho unigênito).
-         O maior motivo de todos (a salvação, o perdão, a reconciliação).
-         O maior sacrifício de todos (morte na cruz, ELE fez).
-         A maior tragédia que existe (morte física, da alma e espiritual).
-         A maior fé que existe (é dom de DEUS).
-         A maior confissão que existe (Rm 10.9, Mt 10.32, você precisa fazer).
-         A maior e melhor vida que existe (A vida eterna, você a terá se confessar a JESUS como senhor e salvador, Jo 5.24).
 
 
 
  1. Capítulo 04
 
A Adoração
 
 
 
 
            Jo 4.23- “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em ESPÍRITO e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem”.
 
            Cabe-nos esclarecer que os verdadeiros adoradores são aqueles que trabalham na obra do Senhor, embora muitos pensam que são os exclusivamente cantores. A adoração a DEUS é um estado constante em nosso espírito “recriado” (ligado a DEUS pelo novo nascimento, através do ESPÍRITO SANTO), não sendo determinada por momentos de louvor, mas uma vida de comunhão com o ESPÍRITO SANTO; neste capítulo 4, a palavra adoração aparece 10 vezes indicando-nos, a necessidade de atentarmos mais para esse fato tão importante. A verdadeira adoração exige serviço na obra de DEUS e dedicação em obedecer à vontade de DEUS e ganhar almas (esta é a prioridade da Igreja, a evangelização).
            Devemos lembrar-nos de que DEUS é ESPÍRITO e aqueles que desejam adorá-lo devem fazê-lo em espírito e em verdade, ou seja, dispensando os estímulos externos; com um coração sincero e temente a DEUS (A adoração é a expressão máxima da oração). Jamais devemos confundir a adoração com o louvor, pois:
-         Louva-se a DEUS pelo que ELE fez ou faz, mas adora-se a ELE pelo que ELE é;
-         O louvor é um agradecimento a DEUS, a adoração é um engrandecimento de DEUS;
-  No louvor precisa-se da participação de outras pessoas e às vezes de instrumentos musicais, a adoração é individual e nasce dentro de nós, em nosso espírito;
-         O louvor chega aos átrios, a adoração chega ao santo dos santos (presença de DEUS);
-   No louvor são usados o corpo e a alma; na adoração são usados o corpo (mortificado), a alma (lavada no sangue de JESUS) e o espírito (“recriado”);
-         Para louvar a DEUS não é preciso comunhão com o ESPÍRITO SANTO, pois até os animais o louvam (Sl 148, 149, 150); para se adorar a DEUS é preciso uma estreita comunhão com o ESPÍRITO SANTO, pois é ELE que nos transporta ao trono.
-         O louvor é um aceno e cumprimento, a adoração é um abraço e um beijo cheio de amor.
-         Tomemos como exemplo um marido que dá um fogão de presente à sua esposa e manda entregar em sua casa. A esposa louva ao marido pelo seu ato de amor, mas quando o mesmo chega em casa ela o abraça e beija agradecida e cheia de amor (isso é adoração).
-         Para louvar não é preciso nascer de novo, para adorar só com espírito “recriado” (ligado a DEUS pelo novo nascimento, através do ESPÍRITO SANTO).
-         Observação: Por isso se vê tão poucos adoradores e tantos que louvam.
 
Aos homens se aplaude (manifestação externa), a DEUS se adora (manifestação interna).
 
 
 
 
 
  1. Capítulo 05
 
A Vida Eterna
 
           
            Jo 5.39- “Examinais as escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam”.
            JESUS não está cobrando dos judeus que eles examinem as escrituras (pois já tinham decorado tudo, sem entendimento), mas que o reconheçam através delas, comparando coisas espirituais com espirituais para que recebam a vida eterna que é dada por ELE mesmo (você o tem conhecido e encontrado na sua palavra?), Na carta de Paulo, Rm 15.4, está escrito: “Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das escrituras tenhamos esperança”.
            A palavra de DEUS nos conduz ao conhecimento de JESUS CRISTO, o filho de DEUS, o autor e consumador de nossa fé, (sem o qual pereceríamos), pois ELE é a própria palavra viva.
            É pela lavagem da palavra que em nós é gerada a vida eterna, a semente de DEUS é plantada em nosso ser pelos ouvidos espirituais de todo o que nele crer, sendo transportado do reino das trevas para sua maravilhosa luz, do reino de Satanás para o reino de DEUS (Jo 5.24). É preciso abrir o coração para DEUS e reconhecer que necessitamos de um salvador, não de uma religião.
            Havia quantas pessoas procurando por JESUS, em Jerusalém? 3 Magos do Oriente.
            Quando perguntaram onde Jesus (O messias) haveria de nascer, os religiosos responderam que só poderia ser em Belém; eles conheciam a palavra de DEUS, tinham-na decorada toda na cabeça.
            Então, quantos foram a Belém procurar por JESUS? Somente os 3 magos.
            Por que os religiosos não foram? Por que apesar de conhecerem a palavra de DEUS, não criam em nada do que ali estava escrito.
            Lembre-se prezado leitor da palavra de DEUS, não basta ler, é preciso crer que o que está escrito na Bíblia, é a palavra de DEUS e é a revelação de DEUS para todos os que com um coração sincero e bom O buscam.
 
 
 
 
  1. Capítulo 06
 
O Pão da Vida
 
Jo 6.35- E JESUS lhes disse: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede”.
            DEUS na sua infinita sabedoria tem se revelado detalhista em seu plano de redenção, a ponto de trazer seu filho ao mundo através de uma virgem (Is 7.14), na cidade de Belém (Mq 5.2), cumprindo sua palavra nos mínimos detalhes, um exemplo disso é: Belém na língua hebraica é Bet-Léhem, que significa lugar onde se faz pão ou em nosso linguajar normal “padaria”; se nós pegarmos agora o versículo acima veremos o filho de DEUS, que nasceu num lugar chamado padaria dizendo: “Eu sou o pão da vida, aquele que vem a mim não terá fome...” Aleluia! Como nosso DEUS é maravilhoso! 
 
 
 
           
            É importante notarmos também que em Ex 16.4 DEUS manda ao seu povo, no deserto, o maná (Mân no hebraico), para alimento do povo por quarenta anos (Jo 6.31); DEUS fez chover do céu, não nasceu da terra como alguns incrédulos dizem, mas a Bíblia enfatiza que desceu do céu comprovando que sua origem é divina, assim como o verdadeiro alimento espiritual veio do céu para saciar e sedentar a alma do homem, JESUS CRISTO a palavra que saiu da boca de DEUS (Mt 4.4); também lembramos de Nm 11.7,8 que orienta o povo a moer, cozer, amassar, triturar e fazer bolos, depois comer o maná; significa para nós que esta palavra é para ser lida, estudada, ouvida, entendida e absorvida por aquele que se aproxima de DEUS querendo aprender Dele e conhecê-lo melhor. Isto é como ruminar [o que o boi faz com o alimento, engole e depois volta para o “livro” (parte do estômago dos animais) para ser digerida toda vitamina, bem devagar].
            É importante frisarmos ainda que o maná deveria ser recolhido todos os dias, menos no sábado que era o dia de descanso; assim também nós devemos nos alimentar da palavra de DEUS todos os dias de nossas vidas até que venha o descanso, ou seja, o arrebatamento e conseqüente encontro com o Senhor JESUS CRISTO, que é nosso descanso (Mt 11.28,29).
 
 
O MANÁ -- TIPO DA SALVAÇÃO
João 6:32 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Não foi Moisés que vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu.
1. Vinha do Céu.
2. Não havia outro alimento. Atos 4:12
3. Só veio naquele tempo. Hebreus 9:28
4. Foi provido por Deus. Efésios 2:8
5. Era gratuito. Isaias 55:1
6. Era para todos. João 1:12
7. Era preciso a cooperação pessoal. João 1:39
8. Sustentava a vida. João 6:35
9. Era presente. Só podia ser encontrado no tempo marcado por Deus. Isaias 55:6
10. Nunca falhava. Hebreus 7:25
11. Se alguém perecesse, era por sua própria culpa. João 5:40  
 
 
 
Maná – JESUS – Palavra de DEUS
Êx 16.31 O povo de Israel chamou maná àquele pão. Era branco como semente de coentro e tinha gosto de bolo de mel. 
Nm 11.7 O maná era como semente de coentro e tinha aparência de resina
Branco como nos tornamos ao sermos lavados no sangue de JESUS.
Na primeira vez que o comemos a palavra de DEUS achamos gostoso como mel.
 
 
Êx 16.32  Disse Moisés: “O SENHOR ordenou-lhes que recolham um jarro de maná e que o guardem para as futuras gerações, para que vejam o pão que lhes dei no deserto, quando os tirei do Egito”.
Recolher significa ler e guardar no coração, na mente, a Palavra de DEUS.
Guardar para futuras gerações, significa que a família deve possuir uma bíblia para que todos tenham acesso à palavra de DEUS.
 
 
Êx 16.33 Então Moisés disse a Arão: “Ponha numa vasilha a medida de um jarro de maná, e coloque-a diante do SENHOR, para que seja conservado para as futuras gerações”.
Significa que a Palavra de DEUS é para ser usada no julgamento de cada um e é eterna na presença de DEUS.
 
 
Êx 16.34 Em obediência ao que o SENHOR tinha ordenado a Moisés, Arão colocou o maná junto às tábuas da
aliança, para ali ser guardado.
Junto às tábuas da Aliança faz lembrar que a nova aliança em CRISTO é perpétua. Aliança esta feita na Palavra de DEUS.
 
 
Ex 16.35 Os israelitas comeram maná durante quarenta anos, até chegarem a uma terra habitável; comeram maná até chegarem às fronteiras de Canaã.
Nos lembra de que para chegarmos à Canaã celestial temos que nos alimentar diariamente do maná celeste, a Palavra de DEUS – JESUS.
 
 
Nm 11.6 Mas agora perdemos o apetite; nunca vemos nada, a não ser este “maná”!
Isso fala da falta de interesse em ler que vem depois de um período de satisfação na leitura, enquanto tudo era novidade.
 
 
Nm 11.8 O povo saía recolhendo o maná nas redondezas, e o moía num moinho manual ou socava-o num pilão;
depois cozinhava o maná e com ele fazia bolos. Tinha gosto de bolo amassado com azeite de oliva.
Recolhendo é igual a lendo,
Moia é igual a estudar,
Cozinhava é igual a meditar,
Fazer bolos precisa de ingredientes;
Significa procurar livros, dicionários, enciclopédias, tudo o que for possível para melhor assimilar a Palavra de DEUS.
 
 
Dt 8.3 Assim, ele os humilhou e os deixou passar fome. Mas depois os sustentou com maná, que nem vocês nem os seus antepassados conheciam, para mostrar-lhes que nem só de pão viverá o homem, mas de toda
palavra que procede da boca do SENHOR.
Maná é relacionado ao pão espiritual, Palavra que sai da boca de DEUS.
 
 
Sl 78.24 fez chover maná para que o povo comesse, deu-lhe o pão a dos céus.
Jo 6.31 Os nossos antepassados comeram o maná no deserto; como está escrito: ‘Ele lhes deu a comer pão
dos céus”.
Novamente Maná relacionado com pão do céu, desceu do céu.
 
 
Jo 6.49 Os seus antepassados comeram o maná no deserto, mas morreram.
Apesar de comerem do Maná vindo do céu, este Maná era material, comida material, não foram agradecidos, não se arrependeram de seus pecados, por isso morreram pelo deserto.
 
 
Jo 6.51 Este é o pão que desceu dos céus. Os antepassados de vocês comeram o maná e morreram, mas aquele
que se alimenta deste pão viverá para sempre”.
Este pão que agora é apresentado, é JESUS, o Pão Espiritual, alimento eterno, pão que dá vida, a Palavra viva de DEUS, o verbo divino.
 
 
Jo 6.51 Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer deste pão, viverá para sempre. Este pão é a
minha carne, que eu darei pela vida do mundo”.
JESUS é o pão vivo, pão que dá vida eterna, este que por nós foi moído, foi triturado, sofreu e morreu na cruz pelos nossos pecados.
 
 
Ap 2.17 “Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei do maná escondido.
Também lhe darei uma pedra branca com um novo nome nela inscrito, conhecido apenas por aquele que o
recebe.
A promessa para quem lê, ouve, ensina esta Palavra é o maná escondido dos pecadores, mas revelado aos salvos, é JESUS mesmo.
 
 
Maná - O Pão da Vida - JESUS
                  
 
JESUS como ‘O Verbo”
 
         Jo 1.1- “No princípio era o verbo, e o verbo estava com DEUS, e o verbo era DEUS”.
 
         Para compreender porque JESUS CRISTO é chamado de verbo, precisamos saber que uma frase para ser construída é necessário que haja um sujeito, um verbo e um complemento.
         DEUS é um ser triuno, ou seja, é PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO (Jo 3.13-17).
         Vamos aprender mais se construirmos uma frase, vejamos então:
                                
  
 DEUS salva o homem
 
 
            S               A                 O       M
  
 
         Sujeito                               verbo             complemento
         O que ordena                 o que faz                  o resultado
         Idealizador                  realizador           revelador
         PAI                        FILHO               ESPÍRITO SANTO 
 
Conclusão:       DEUS PAI planejou a salvação do homem,
                   DEUS FILHO morreu por nós na cruz do calvário, executando o plano de DEUS, 
 
                   DEUS ESPÍRITO SANTO revelou-nos esta salvação, convencendo-nos do pecado, da justiça e do juízo.
         Outra demonstração para fácil assimilação da trindade de DEUS é tomarmos como exemplo o sol:
         O sol em si representando o PAI, a ordem para fazer;
         A luz do sol representando o FILHO, o cumprimento da ordem;
         O calor do sol representando o ESPÍRITO SANTO, a revelação, o poder como resultado. 
 
 
 
 
 
 
  1. Capítulo 07
 
O Novo Nascimento
 
 
            Jo 7.39- “E isto disse Ele do ESPÍRITO que haviam de receber os que nele cressem; porque o ESPÍRITO SANTO ainda não fora dado, por ainda JESUS não ter sido glorificado”.
 
Só existia um filho de DEUS na terra quando JESUS estava aqui, pois para ser filho é preciso se parecer com o PAI, é preciso ter a mesma qualidade de vida do PAI, ou seja ter o ESPÍRITO SANTO.
            Existem muitos crentes que buscam experiência pentecostal ou intimidade com o ESPÍRITO SANTO, no Antigo (velho) Testamento, onde não poderão encontrar, pois lá ninguém foi “recriado” (ligado a DEUS pelo novo nascimento, através do ESPÍRITO SANTO), ali JESUS ainda não havia morrido por nós, ressuscitado e dado o ESPÍRITO SANTO. A experiência pentecostal iniciou-se após a ascensão e glorificação de nosso senhor; até mesmo os apóstolos não tinham o ESPÍRITO SANTO, pois foi preciso JESUS assoprar sobre eles e dizer: recebei o ESPÍRITO SANTO (Jo 20.22), depois de morrer e ressuscitar. É importante o leitor não se esquecer de que só recebe quem crer em seu coração e confessar com sua boca que JESUS CRISTO é Senhor e Salvador, crendo também que DEUS o ressuscitou dentre os mortos (Rm 10.9). É preciso uma lavagem pela palavra (Ef 1.13) e a fé que só pode ser dada por DEUS (1 Co 1.21).
 
 
 
 
  1. Capítulo 08
A Verdade
 
  Jo 8.44- “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai: ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele, quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira”.
            Embora muitos pensem ser filhos de DEUS, como esses que falavam com JESUS, só são filhos de DEUS aqueles que recebem o ESPÍRITO SANTO quando crêem, pois o filho tem que ter a mesma qualidade de vida que o pai tem; portanto somos, antes de nos converter, apenas criaturas de DEUS, filhos de Adão (qualidade de vida de Adão é terrena e pecadora).
 
 
 
           
            Se buscarmos na palavra de DEUS veremos em Gn 1.27 que Adão foi feito à imagem e semelhança de DEUS (vida celeste e santa, conversando com DEUS todos os dias), mas após o pecado entrar em sua vida (Gn 3.6) pela concupiscência dos olhos, da carne e a soberba da vida vemos que seu filho nasce não mais à imagem e semelhança de DEUS, mas à imagem e semelhança de seu pai Adão, Gn 5.3 (mesma qualidade de vida) Rm 3.23; concluímos assim que todos nascem gerados com a semente do pecado, colocada pelo diabo, no nosso primeiro pai, Adão. A criança por não ter consciência do pecado, peca, mas não lhe é imputado esse pecado pela sua inocência, Mc 10.14, mas a partir do momento que tem consciência do que está fazendo se torna pecador, necessitando de um salvador, que é JESUS CRISTO.
            A arma do diabo é um pacote de mentiras, arma carnal, mas o salvo recebeu de JESUS armas espirituais, como por exemplo, os lombos cingidos com a verdade (Ef 6.14-18).
 
 
 
  1. Capítulo 09
 
Os Ouvidos de DEUS
 
Jo 9.31- Ora nós sabemos que DEUS não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a DEUS, e faz a sua vontade, a esse ouve.
            Vimos no destaque do capítulo anterior, que o homem descendente de Adão já nasce com a semente do pecado e de acordo com 1 Jo 3.4, todo pecado é iniqüidade, leiamos pois Is 59.2: “Mas as vossas iniqüidades fazem divisão entre vós e o vosso DEUS: e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.” Assim é lógico chegarmos à conclusão de que as nossas rezas passadas e a de nossos pais nunca foram ouvidas por DEUS (você já pensou nisso?) Is 1.15. A partir do momento que nos interessamos por DEUS e decidimos nos aproximarmos Dele, então é Ele que vem a nós e nos dá a chance de conhece-lo e recebê-lo. Vide Jo 15.16.
 
 
           
            Também vemos em Ez 18.20, que: “a alma que pecar, essa morrerá (parte A)”; mostrando assim, que cada um é responsável por si próprio diante de DEUS e que a morte por um homem (Adão), passou a todos os homens (Rm 5.12).
 
 
            Exemplo:                         
 
                                                        DEUS_está em cima
 
____________________________________________________________________________
                            
                             Pecado = barreira = separação = causa da morte espiritual 
 
 
                                                                       HOMEm está em baixo
 
 
Não há como o homem chegar a DEUS sem que a barreira entre eles seja quebrada. Só JESUS CRISTO pode quebrá-la. Aceite-o já! JESUS nos reconcilia com DEUS, media nossa oração a DEUS e apaga todas as nossas transgressões, purificando os nossos pecados pelo seu sangue vertido na cruz (1 Jo 1.7).
 
1 Tm 2.5 “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem”.
Cl 2.14 “e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz”.
2 Co 219 “pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação”.
 
 
 
  1. Capítulo 10
 
A Porta
 
 
Jo 10.1- Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador.
            JESUS aqui cita a porta de entrada para o homem na terra, ou seja, o nascimento físico (nascer de mulher), o curral é o mundo (a terra), subiu por outra parte é quem foi lançado do céu, caiu aqui na terra, no inferno e subiu para a superfície (Pv 15.24, inferno é em baixo) para tentar o homem para conseguir-lhe a condição de imagem e semelhança de DEUS(Is 14.14), que sempre foi o seu maior desejo. JESUS diz-nos aqui que quem entra pela porta correta (nascimento virginal de CRISTO) é o pastor das ovelhas, a esse o porteiro (ESPÍRITO SANTO), abre a porta de entrada (concebido do ESPÍRITO SANTO, Mt 1.20) e JESUS (o pastor das ovelhas) nos chama através da pregação do evangelho, para fora desse mundo de condenação e nos dá o pão da vida levando-nos depois para ele (Jo 14.3; 17.16). Estamos mundo, mas não somos do mundo – Jo 17.14.
 
           
 
            No restante do capítulo, JESUS faz como de outras vezes, já que não entendiam quando lhes falava de coisas terrenas, passou a falar-lhes de coisas espirituais, celestes, que entendiam menos ainda e nem se interessavam em entender. Daí para frente JESUS declara-se a própria porta de entrada para a salvação e o próprio pastor das ovelhas.
 
 
 
  1. Capítulo 11
 
A Ressurreição
 
 
 
 
            Jo 11.25- Disse-lhe JESUS: “Eu Sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”.
            Em Daniel 12.2 e João 5.28,29; vemos que uns ressuscitarão para a vida eterna e outros para vergonha e desprezo eterno, mostrando-nos claramente que:
 
1-     Todos vão Ressuscitar, declaração essa contrária à doutrina que muitos pregam dizendo que quando morremos se acabou tudo;
2-     Haverá dois tipos de ressurreição, uns para a vida eterna e outros para a vergonha e desprezo eterno (vão ver os salvos gozando da companhia de DEUS e não vão poder desfrutar);
3-     O destino de cada um é de acordo com o que creram e fizeram, enquanto estavam vivos e aqui na terra;
4-     Haverá duas ressurreições, separadas por mil anos (Ap 20.5,6; 1 Ts 4.16).
Quantos túmulos que têm a inscrição “Repouso Eterno ou Jazigo Perpétuo”, por causa da ignorância do homem, mas quando se ouvir a voz de CRISTO todos ressuscitarão. 
A conta tem que ser paga, ninguém dá calote em DEUS, cada um prestará contas com DEUS, os salvos, no tribunal
de CRISTO sem condenação, só para receber galardão; mas o incrédulo estará diante do trono branco juízo final, para ser lançado no lago de fogo e enxofre, junto com seu companheiro Satanás. Ap 19.20; 20.10-15; 
 
 
 
  1. Capítulo 12
 
A Semente de DEUS
 
 
  Jo 12.24- “Na verdade, na verdade vos digo, se o grão de trigo, caindo na terra, fica ele só, mas se morrer, dá muito fruto”.
            Sempre, devido à importância da mensagem, JESUS repete: na verdade, na verdade.
            É muito interessante o processo biológico e botânico das plantas, se analisarmos, por exemplo, uma semente de abacate: vamos notar que o poder de vida está na semente, portanto a arvore abacateiro está na semente abacate. Notamos ainda que ao plantarmos uma semente de abacate no chão, devidamente preparado, com o passar do tempo essa semente apodrece ou para ser mais claro, morre criando raízes que vão entrando pela terra a procura de espaço para se firmar e de alimento, até que ali seja gerado um abacateiro que crescendo gerará muitos frutos (abacates).
 
          
 
            JESUS, que é muito sábio se comparou a uma semente de trigo caída na terra (a palavra de DEUS, da vida), foi plantado aqui, por DEUS, e era preciso que essa semente morresse para que muitos frutos (filhos) fossem gerados por DEUS para a vida eterna, as árvores geradas por esse fruto (nós, salvos) devem produzir muitos frutos, frutos que permaneçam eternamente para a glória de DEUS (Jo 15.16); por isso morremos todos os dias para dar vida aos outros que ainda não nasceram de novo e não conhecem a salvação em JESUS CRISTO, nosso Senhor. Rm 6.2,8; 14.8; 2 Tm 2.11
 
            
 
  1. Capítulo 13
 
A Congregação
 
 
 
 
            Jo 13.10- Disse-lhe JESUS: “Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora vós estais limpos, mas não todos”.
 
            Tiramos muito proveito ao tomarmos essa lição como ensino de humildade que JESUS aqui nos transmite, mas devemos considerar outro aspecto, a saber:
            Pedro, que ainda não tinha uma personalidade moldada na palavra de DEUS e no ESPÍRITO SANTO, quando JESUS estava lavando os pés aos discípulos achou-se indigno de ser lavado pelo mestre e foi preciso esforço de Senhor para que o mesmo aceitasse aquilo que só mais tarde ele entenderia;
            Naquela época era costume se lavar os pés aos convidados para cear, mas JESUS não estava se referindo a esse tipo de lavagem, pois essa lavagem lavava apenas a parte material nossa que estava em contado com a terra (no caso os pés), mas JESUS estava interessado em lavar Pedro e os demais do contato de suas almas com o mundo (pelas conversas, pelas amizades, pela vida cotidiana enfim).
            Para melhor entendermos, leiamos hebreus 10.25 onde somos exortados a nos congregarmos sempre para sermos lavados pela palavra de DEUS (Ef 5.25-27) e recebermos o perdão pelos nossos pecados (1Jo 1.9).
Quem não congrega fica cheio de sujeira do mundo e a tendência é se acostumar com o mesmo e deixar de reconhecer o erro e o pecado, quando estes se lhe apresentarem, desviando-se, assim do verdadeiro alvo, CRISTO JESUS.
 
 
 
  1. Capítulo 14
 
O Noivado
 
 
                                                     
 
 
            Jo 14.3- “E, se eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”.
 
            DEUS sempre vem ao homem no nível em que ele se encontra, de maneira simples e cotidiana, e aqui JESUS usa a figura do noivado judaico (hebreus) para infundir fé em seus ouvintes a respeito de sua volta para buscar-nos; vejamos:
1-     Quem escolhia a noiva era a pai do noivo (Gn 24.2-4), compare com Rm 8.29 onde DEUS nos escolhe para seu filho.
2-     O costume era que a escolhida fosse a filha mais velha, mas se a mesma fosse maior (acima de 18 anos), poderia aceitar ou não o noivo (Gn 29.24-26), compara com Jo 1.11,12 aonde JESUS veio para ISRAEL (a filha mais velha, porém de maior), mas estes não o receberam, assim JESUS escolheu a nós (gentios filhos mais novos que não eram os escolhidos, para sermos sua noiva, a Igreja).
3-     No noivado o noivo ia à casa da noiva para cear e confirmar o compromisso (Gn 24.54), compare com Mt 22.14-20 aonde JESUS vem a nossa casa (o mundo) e ceia conosco (representados pelos apóstolos).
4-     O noivo deixava um penhor como prova de que ia voltar para buscar a noiva (Gn 24.53), compare com Ef 1.13,14 onde o ESPÍRITO SANTO nos é dado como penhor e prova de que o SENHOR voltará para nos buscar. (2 Ts 2.7)
5-     A noiva era comprada por preço de ouro (Gn 24.47), compare com 1 Co 6.19,20 e At 20.28 onde a palavra de DEUS nos diz que fomos comprados pelo sangue de JESUS CRISTO derramado na cruz do calvário (o preço maior que existe).
6-     O noivo ia preparar uma casa para o casal, ao lado da casa de seu pai (Gn 24.67), compare com a leitura em Jo 14.2 onde JESUS diz que na casa de nosso pai existem muitas moradas e que ELE ia nos preparar lugar.
7-     O noivo mandava recados e recebia recados da noiva através de algum emissário (a), dizendo como é que gostava da noiva: Se bem vestida,  modo de falar correto e santo, etc... Também dizia que era pra esperá-lo, pois a casa estava quase pronta e ele estava voltando; compare com Hb 13.7 e 13.14; Ef 5.19 e 5.25-27; Ap 22.7 e 22.20; etc..., Onde JESUS está nos exortando a continuarmos firmes, com uma vida santa e irrepreensível e o ESPÍRITO SANTO sempre nos avisando: JESUS ESTÁ VOLTANDO, a casa está quase pronta, prepara-te.
Sf 1.7 “Cala-te diante do Senhor Deus, porque o dia do Senhor está perto; pois o Senhor tem preparado um sacrifício, e tem santificado os seus convidados”.
 
 
 
  1. Capítulo 15
 
O Fruto
 
  Jo 15.8- “Nisto é glorificado meu pai, que deis muitos frutos, e assim sereis meus discípulos”.
            O único motivo para a Igreja de CRISTO estar no mundo é a glorificação de DEUS e a conseqüente salvação das almas, ou seja, quando a Igreja é santa e irrepreensível, DEUS é glorificado e as almas se rendem aos pés de JESUS CRISTO, confessando-o como senhor e salvador (At 2.40-47). Os frutos que os ramos (salvos em CRISTO) devem produzir são:
 
                        
 
1-     Nossa santificação (versículo 3 comparando com 13.10)
2-     Fertilidade (muito fruto, versículo 5)
3-     O pai glorificado (vers. 8)
4-     Exemplo perante o mundo (vers. 8)
5-     A comunhão do seu amor (vers. 9)
6-     Plenitude de seu gozo (vers. 11)
7-     Sua íntima amizade (vers. 14 e 16)
8-     Fruto do ESPÍRITO SANTO (Gl 5.22)
9-     Fruto dos lábios (Hb 13.15)
10- Fruto de boas obras (Hb 13.16)
11- Almas (Rm 1.13)
A videira verdadeira produz uvas excelentes, assim como CRISTO, o salvador perfeito produz no homem a salvação para que esse fruto produza mais frutos (salvação das outras almas); assim discípulo é o que aprende do mestre a amar as almas perdidas.
 
 
 
  1. Capítulo 16
 
O Consolador
 
 
            Jo 16.7- “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque se eu não for, o consolador não virá a vós; mas se eu for, enviar-vo-lo-ei”.
            JESUS havia feito três revelações importantes aos seus discípulos que os abalou profundamente:
1-     Um deles iria traí-lo (Jo 13.21)
2-     Seu discípulo mais intrépido ia negá-lo (Jo 13.38)
3-     Ele mesmo ia desaparecer do seu meio (Jo 13.33)
Além disso, os discípulos se acostumaram a depender de JESUS para, e por tudo; aonde ia o mestre iam eles também, o que fazia o mestre eles faziam também e o principal era que Ele os protegia e os consolava, além de lhes ensinar todas as coisas do reino do pai com palavras que eram ESPÍRITO e vida (Jo 6.63).
Mas e agora? O que fazer? O mestre vai embora e nós vamos ficar! Nós deixamos tudo e te seguimos mestre, socorre-nos (essa devia ser a atitude de todos naquele momento de desespero e angústia); JESUS se volta para eles e lhes diz que convém que Ele vá, porque se Ele não for, o CONSOLADOR não virá.
Que consolador será esse? Na certa perguntavam eles até o dia que receberam e tiveram a certeza de que este CONSOLADOR não só os consolava como JESUS, mas também os enchia de poder para pregar o evangelho com intrepidez, sinais, prodígios e maravilhas de DEUS
 
 
  1. Capítulo 17
 
A Palavra Atual
 
 
  Jo 17.20- “Eu não rogo somente por estes, mas também por todos aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim”.
            Existe hoje em dia, uma forte corrente de teólogos incrédulos que por não verem o poder de DEUS se manifestar em suas vidas e em suas “Igrejas”, sentam-se por detrás de suas mesas e vão inventar maneiras e dogmas a respeito da Bíblia, escrevendo que o que aí está escrito era para aquele tempo; gostaríamos de ver tais escreverem uma Bíblia e retirarem dela tudo o que dizem ser interpolação (Não faz parte do texto original, segundo eles) e iriam todos para o inferno, estes e suas Bíblias falsas (Ap 22.19). na leitura acima, JESUS não está se referindo apenas aos seus apóstolos da mesma maneira que em Lc 10.19; Jo 14.12; Mc 16.15 e por que não dizer na Bíblia toda? A palavra de DEUS é sempre presente e eterna, não mudou, não muda e nunca mudará, “passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar” (Mt 24.35), ou seja, o que a Bíblia diz ser errado há 50 anos atrás continua sendo errado hoje (Exemplo: prostituição, mentira, adultério, roubo, filmes pornográficos, sexo anal ou oral ou fora do casamento e etc...).
                                 
         
 
            É importante salientarmos aqui a interseção que JESUS faz ao pai em favor não só de seus apóstolos, ali presentes, mas também a favor de todos os que hão de herdar a salvação e os que já a têm porque ouviram a palavra de DEUS e creram nesta palavra como sendo do próprio DEUS.
 
 
 
  1. Capítulo 18
 
A Cruz
 
 
            Jo 18.31- Disse-lhes, pois Pilatos: “Levai-o vós e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe então os judeus: a nós não é licito matar pessoa alguma”.
 
            Pela lei judaica JESUS deveria morrer apedrejado (?). As leis romanas, por decreto de César o imperador, havia proibido aos judeus o direito de matarem qualquer pessoa, mesmo que em suas leis fosse permitido;
            A morte de JESUS CRISTO na cruz já estava vaticinada a cerca de 700 anos antes, através do profeta Isaías como lemos no capítulo 53 de seu livro; também lemos em Deuteronômio (Dt 21.23) que é maldito todo aquele que morre em um madeiro (no caso uma cruz).
            Como JESUS precisava levar sobre si os nossos pecados e nossas iniqüidades e também nossas maldições (Dt 28) a condenação estava dentro dos planos de DEUS, pois fomos comprados através desse sacrifício vicário de CRISTO, na cruz do calvário (Gl 3.13).
            Também a morte de cruz era tanto a maneira gentílica como a maneira judia de um maldito morrer, significando para nós que JESUS não morreu só por Judeus, mas também por nós.
 
 
                                                                           
 
 
  1. Capítulo 19
 
O Poder
 
 
            Jo 19.11- “Respondeu JESUS: Nenhum poder terias contra mim, se de cima te não fosse dado; mas aquele que me entregou a ti maior pecado tem.
            “SATANEIRA” = definição = para os ratos se armam ratoeiras mas para satanás DEUS armou uma sataneira.
            Algumas seitas demoníacas têm feito significativos esforços no sentido de denegrir a obra expiatória de CRISTO na cruz do calvário e uma das artimanhas utilizadas pelas mesmas tem sido a de incutir, nas mentes cauterizadas de seus adeptos fanáticos, a doutrina que diz ter o filho de DEUS cometido pecados e portanto sua condenação teria sido justa, pois era digno de morte. A palavra de DEUS já nós diz em 1Co 1.19 que: A palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de DEUS.
            Ao lemos 1 Co 1.21 descobrimos que só através da sabedoria se pode conhecer o plano de redenção que DEUS preparou para o homem, senão vejamos:
            A palavra de DEUS nos afirma na carta de Paulo aos romanos em 6.23, que o salário do pecado é a morte, mas JESUS tendo sido concebido do ESPÍRITO SANTO e através de uma virgem, não nasceu da semente corruptível do homem mas da semente incorruptível de DEUS, portanto sem pecado (Hb 9.14 e 9.27,28).
            Prestemos atenção à palavra de DEUS em Jo 10.17,18, onde lemos: ”Por isto o PAI me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém me tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para dar, e poder para tornar a tomá-la. Este mandamento recebi de meu PAI”. Deduzimos, é lógico, que JESUS escolheu a hora, o lugar, o dia e a maneira que fosse sua morte; não foi obra de satanás e nem de homens, mas a sataneira de DEUS para o diabo que pensou ter matado o filho de DEUS e até comemorou, mas o que ele recebeu foi um pisão na cabeça, para que se cumprisse Gn 3.15 e ainda JESUS lhe tomou a coroa da vida e as chaves do inferno e da morte, vencendo assim o inimigo de nossas almas (Leia: Ap 2.10; 3.11,12; e principalmente 1.17,18). O que você está esperando para concretizar essa obra?
 
 
 
  1. Capítulo 20
 
O Corpo Glorioso
 
 
                                                                  
 
 
            Jo 20.8 – Então entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, e viu, e creu.
            Lembramos aqui, ao leitor que tudo que João escreveu foi para provar aos incrédulos de sua época que JESUS CRISTO ressuscitou e que era o filho de DEUS (Jo 20.30,31)
 
            Sendo João mais jovem correu mais depressa que Pedro, mas sendo mais reverente parou na entrada, mas quando Pedro chegou, com sua irreverência natural entrou correndo e ficou olhando e estudando o que havia acontecido; João agora entra e se lembra de que JESUS foi embalsamado (Jo 19.38-42) com muita mirra e aloés (cem arréteis = aproximadamente 80 Kg daquele composto) e o envolveram com lençóis como era costume judaico (enrolavam o corpo nos lençóis como múmia) e amarraram, com um lenço o seu queixo à sua cabeça para não ficar aberta a sua boca.
            Vendo João que os lençóis estavam arrumados como se um corpo estivera ali dentro e o lenço à parte, separado, no lugar onde estiver a cabeça de JESUS, boquiaberto João creu maravilhado de que seu senhor ressuscitara com um corpo glorioso, espiritual e celeste (1 Co 15.44). Só é salvo quem crer nisso (1 Co 15.14).
            O amigo leitor já pensou em ter um corpo assim? Nós teremos um corpo semelhante ao de JESUS quando da sua volta para nos levar para as moradas eternas (1Co 15.48; Rm 8.29,30; 1Jo 3.2).
 
 
 
 
  1. Capítulo 21
 
A Restauração
 
 
Jo 21.17- Disse-lhe terceira vez: “Simão, filho de Jonas, amas-me?” Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: “Amas-me”? E disse-lhe: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. JESUS Disse-lhe: “apascenta as minhas ovelhas”.
            Pedro traiu a JESUS  por três vezes  (jo.:18.17-27) e depois se auto excluiu da Comunhão do Senhor, Voltando ao ofício antigo (Lc 5.4; Jo 21.3), mas o mestre o havia chamado para ser pescador de homens (Lc 5.10).
 
 
 
            Para restaurá-lo o senhor não usou de acusações ou repreensões e nem lhe perguntou se estava arrependido e também não pediu-lhe que não mais o negasse, buscou em Pedro o que ele tinha de mais precioso, a sinceridade e honestidade procurando infundir-lhe o verdadeiro amor (1 Co 13); na verdade o que mais interessa para JESUS é nosso coração (Mt 22.36-40; Sl 119.11; Sl 147.3; Pv 23.26). Existe, no diálogo entre JESUS e Pedro, dois tipos de amor: o amor AGAPEO (amor profundo e não interesseiro, amor de DEUS) e o amor PHILEO (amor com denotação de gostar, amor entre pais e filhos); portanto vamos reproduzir o diálogo de maneira mais clara:
            “Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes”? Ele respondeu: “Sim, senhor, tu sabes eu gosto de ti”. Ele disse: “Apascenta os meus cordeiros”. A segunda vez perguntou-lhe JESUS: “Simão, filho de Jonas, amas-me?” Ele respondeu: “Sim, senhor tu sabes que gosto de ti”. Ele disse: “pastoreia as minhas ovelhas”.Terceira vez perguntou-lhe JESUS: “Simão, filho de Jonas, gostas de mim”? Pedro entristeceu-se, por JESUS lhe ter perguntado pela terceira vez: “Gostas de mim?” E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que gosto de ti. Disse-lhe JESUS: Apascenta as minhas ovelhas”.
            JESUS pergunta se Pedro o ama com amor profundo por duas vezes e ele responde que ainda não está pronto, pois o seu amor ainda é muito pequeno; a terceira pergunta vem como uma chicotada pois JESUS lhe pergunta, com suas próprias palavras se ele o ama mesmo com esse amor pequeno, mas sincero e Pedro agora é restaurado porque depois de negar ao seu mestre por três vezes, agora o confessa por três vezes. (1Pe 5.2-4). Esse é o DEUS de misericórdia, amor e perdão.
 
 
 
OBSERVAÇÃO:  ESPERO TER CONTRIBUÍDO PARA SEU MELHOR CONHECIMENTO DO EVANGELHO DE JOÃO. PROCURAMOS “GARIMPAR” ALGUNS PONTOS MENOS COMENTADOS E CREMOS QUE DEUS NOS DARÁ MAIS PARA PASSARMOS PARA VOCÊ; “POIS MAIS BEM AVENTURADA COISA É DAR DO QUE RECEBER”. (TALVEZ O ÚNICO DITADO QUE JESUS TENHA NOS DEIXADO – At 20.35)
 
Home
Estudos
EBD
Discipulado
Mapas
Igreja
Ervália
Corinhos
Figuras1
Figuras2
Vídeos
Fotos
 
LIVRO DE JOÃO
Pr. Luiz Henrique de Almeida Silva - 99-99152-0454      CANAL DO YouTube Henriquelhas   - henriquelhas|@hotmail.com
 
Para me ajudar
Conta Bradesco 0007074-2 Agência 2365-5
Imperatriz - MA